GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
DIRETORIA GERAL DE SAÚDE
3ª POLICLÍNICA - NITERÓI
AVALIAÇÃO DO PROCESSAMENTO
AUDITIVO CENTRAL
CAP BM QOS/FONO/02 JULIANA MERCANTE
CAP BM QOS/FONO/02 ANITA MANCKEL
CAP BM QOS/FONO/02 GERLAINE
Serviço de Fonoaudiologia - 3ª Policlínica de Niterói
O QUE É PROCESSAMENTO AUDITIVO
CENTRAL - PAC?
Audição
Periférica
Audição Central
PROCESSAR, ANALISAR E
INTERPRETAR
Habilidades auditivas
envolvidas:
Localização sonora;
Atenção auditiva;
Figura-fundo;
Memória auditiva;
Discriminação auditiva;
Fechamento.
VIVÊNCIAS
ACÚSTICAS
PROCESSAMENTO AUDITIVO
CENTRAL
AQUISIÇÃO DA
LINGUAGEM
DESENVOLVIMENTO
DO PROCESSO
FONOLÓGICO
ASPECTOS
SUPRA
SEGMENTAIS
APRENDIZAGEM
E
COMUNICAÇÃO
ORAL
O QUE SÃO TRANSTORNOS
AUDITIVOS
PERDA AUDITIVA
ALTERAÇÃO DO
PROCESSAMENTO
AUDITIVO
IMPEDIMENTO DA
CAPACIDADE DE
DETECTAR A
ENERGIA SONORA
IMPEDIMENTO DA
HABILIDADE DE
ANALISAR E/OU
INTERPRETAR
PADRÕES
SONOROS
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS DESORDENS DO
PAC
Atenção auditiva pobre
Fala muito hã? O que?
Problemas fala: R, L, S
e CH
Atraso de linguagem
Dificuldade para aprender a ler
e/ou escrever
Dificuldade para acompanhar
conversações em ambientes
ruidosos
Inquietude motora,
agitação e desatenção
Limitações de memória
e evocação
Habilidade reduzida para
informações auditivas em
sequência
Dificuldade para entender piadas
PRÉ REQUISITOS PARA A AVALIAÇÃO
DO PAC
Avaliação audiológica básica:
• Audiometria tonal;
• Audiometria vocal;
• Imitanciometria.
Fornecerá dados sobre as condições de detecção do
som através da audiometria tonal liminar, condições
do sistema timpano-ossicular através das medidas
de imitância acústica.
COMO É A AVALIAÇÃO DO PAC
 Anamnese
 Avaliação Simplificada do Processamento Auditivo Central
(sons instrumentais e sons verbais)
 Testes especiais comportamentais com estímulos verbais e
não verbais gravados em CD.
 Estes estímulos sonoros são enviados ao paciente
através dos fones de um audiômetro de dois canais
acoplado a um “CD player” utilizando uma cabina
acústica.
OBJETIVO DA AVALIAÇÃO DO PAC
Medir a capacidade do indivíduo em reconhecer sons
verbais e não verbais em condição de escuta difícil:
• Inferir sobre a capacidade do indivíduo de acompanhar
a conversação em ambientes desfavoráveis;
• Determinar as habilidades auditivas alteradas em cada
orelha;
• Contribuir no diagnóstico e no tratamento de diversos
transtornos da comunicação oral e escrita.
O QUE FAZER NAS ALTERAÇÕES DE
PAC ?
• Terapia fonoaudiológica: desenvolvimento e treinamento das
habilidades auditivas e estimulação da consciência fonológica e
linguagem.
• Orientação familiar: criar situações de comunicação diária de
pelo menos 30 min; estimular a leitura, criação e contagem de
histórias; sempre falar olhando para a criança, com ritmo de
fala contendo pausas nítidas, articulação clara e entonação
enfatizada; e sempre certificar se a criança entendeu as
solicitações.
• Orientação Escolar – posicionar a criança na carteiras próximas
a professora; turmas com número reduzido de alunos são as
mais adequadas; as atividades e trabalhos devem ser expostos
em etapas e projetos menores para garantir o entendimento do
que deve ser feito.
IMPLANTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO
PAC NA 3 POLICLÍNICA
• Adequação do espaço físico;
• Aquisição de materiais;
• Capacitação dos profissionais;
• Início das avaliações do PAC.
CONCLUSÃO
Prevenir, identificar
precocemente e minimizar os
distúrbios da comunicação
humana e aprendizagem.
GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
DIRETORIA GERAL DE SAÚDE
3ª POLICLÍNICA - NITERÓI
OBRIGADA
www.3apoliclinica.cbmerj.rj.gov.br
polnitero[email protected]
Tel: 2715-7317 2715-7367
Download

Avalia__o do Processamento Auditivo Central