APRESENTAÇÃO
LUÍS HENRIQUE POY
Engenheiro Civil – UFSC, 1989
Especialista em Patologias nas Obras Civis – UTP, 2008
Consultor, Perito e Avaliador Judicial
Perícia em fachadas de
edifício
comercial
para
análise de fissuras (parte I) e
desplacamento espontâneo
de revestimento cerâmico
(parte II), com apoio de
termografia.
2/33
RESUMO
PARTE I: Desplacamento espontâneo de algumas peças do
revestimento cerâmico e principalmente a percepção de fissuras
expressivas junto a uma das vigas do sistema de cobertura.
Houve a realização de mapeamento por percussão (realizado por
equipe de alpinismo industrial) e procedimento de monitoramento
(com medições de prumo e implantação de selos de controle em
vidro). Embora em caráter preliminar, restou evidenciado que as
fissuras presentes se mostraram estabilizadas, sem indicativo de
comprometimento do sistema estrutural.
PARTE II: Durante o transcurso do processo de monitoramento do
sistema de cobertura houve, na fachada frontal, a ocorrência de
desplacamento espontâneo extenso (cerca de 9m²), com projeção
sobre a via pública. Embora sem vítimas ou maiores danos
materiais, fizeram-se necessárias diversas medidas emergenciais,
de modo a inibir os riscos e garantir a segurança dos transeuntes,
em atendimento ao solicitado pela Defesa Civil e Fiscalização
3/33
Municipal.
RESUMO
EDIFÍCIO COMERCIAL:
 22 pavimentos;
 Ocupado há mais de 20 anos;
 Sistema construtivo: estrutura de concreto e alvenarias em blocos
SICAL;
 Localizado na região central da cidade de Joinville-SC;
DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA: não disponível;
 MODALIDADE DESTE TRABALHO: Perícia extrajudicial;
 OBJETIVO PRINCIPAL: fornecer orientação técnica ao
Condomínio.
4/33
PARTE I
FISSURAS NO SISTEMA DE COBERTURA
2/33
5/33
CONTEÚDO
• Dificuldades
• Termografia
• Inspeção
• Conclusões
• Recomendações
2/33
6/33
DIFICULDADES
• ACESSO – fissuras ocorrendo no topo da edificação (altura
aproximada de 70m);
• AUSÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA – projetos perdidos;
• QUADRO FISSURATÓRIO – intenso e com disposição aleatória.
COMO SUPERAR???
2/33
7/33
TERMOGRAFIA
Técnica não-destrutiva que utiliza uma câmera especial para capturar
a energia infravermelha (o calor), emitida pelos objetos.
Após tratamento adequado e através da representação da imagem
em escala de cores, possibilita distinguir variações mínimas de
temperatura, revelando aspectos não visíveis a olho nu.
8/33
TERMOGRAFIA
• Utilização consagrada na Europa e EUA;
• Principais aplicações:
.a) Inspeção preventiva de instalações elétricas;
.b) Inspeção de sistemas de climatização e isolamento térmico;
.c) Identificação de infiltrações.
9/33
INSPEÇÃO
Inspeção externa: TERMOGRAFIA
• Identificação das zonas aquecidas e da posição dos componentes
estruturais (FACHADA LATERAL LESTE)
10/33
INSPEÇÃO
Inspeção externa: TERMOGRAFIA
•Identificação das zonas aquecidas e da posição dos componentes
estruturais (FACHADA LATERAL OESTE)
11/33
INSPEÇÃO
A partir da Inspeção Termográfica pode-se elaborar o croquis da
estrutura que compõe o sistema de cobertura, na região de interesse.
Em vermelho, viga com problemas (fissuras importantes!!!).
12/33
INSPEÇÃO
Inspeção externa: MAPEAMENTO (alpinismo industrial)
 Aderência (percussão)
 Identificação de fissuras
13/33
INSPEÇÃO
Inspeção externa: CÂMERA (zoom 200x)
• Instalação de selos de monitoramento em vidro (SMV)
14/33
INSPEÇÃO
Inspeção externa: CÂMERA (zoom 200 x)
• Instalação de selos de monitoramento em vidro (SMV)
15/33
INSPEÇÃO
Inspeção interna: BINÓCULOS DIGITAIS (zoom 8x)
• Caracterização do Sistema Estrutural
16/33
INSPEÇÃO
Inspeção interna: ALPINISMO
Aspecto visual
Verificações de prumo
17/33
INSPEÇÃO
Inspeção interna
Medições de temperatura
e umidade ambiente
18/33
CONCLUSÕES
• PERÍODO DE 10jan13 a 10jun13 (5 MESES):
 Não houve ruptura de nenhum dos SMV  FISSURAS PASSIVAS
 Fissuras devem existir há longa data (interface estrutura x alvenaria)
19/33
CONCLUSÕES
•Interior do sistema de cobertura  TEMPERATURA MUITO
ELEVADA – medidos 46oC (presença de unidades condensadoras)
 grande variação dimensional dos elementos estruturais.
20/33
CONCLUSÕES
• Mapeamento por percussão:
 REBOCO E REVESTIMENTO CERÂMICO COM ADERÊNCIA
ADEQUADA.
21/33
CONCLUSÕES
• Elementos estruturais:
 AUSÊNCIA DE FISSURAS OU DESAPRUMOS/ DEFORMAÇÕES
22/33
RECOMENDAÇÕES
 Readequação imediata do sistema de climatização com
remoção das unidades condensadoras (OBJETIVO: diminuir
temperatura no interior do sistema de cobertura);
 Verificação periódica do comportamento
monitoramento em vidro (SMV);
 Solicitação
(Projetista);
de
Parecer
Técnico
dos
Estrutural
selos
de
conclusivo
 Implantação das medidas de reabilitação cabíveis.
23/33
PARTE II
DESPLACAMENTO ESPONTÂNEO DE PARTE DO
REVESTIMENTO CERÂMICO DA FACHADA FRONTAL
24/33
CONTEÚDO
•Inspeção
•Conclusões
•Recomendações
25/33
INSPEÇÃO
Plano de ruptura - interface emboço x blocos SICAL;
- início na junta de dilatação horizontal;
Emboço com espessura superior a 10cm – saturado;
Ausência de chapisco na região dos pilares e vigas;
26/33
INSPEÇÃO
 ‘Bloco’ projetado sobre via pública (9m² = 2000kg).
27/33
CONCLUSÃO
Causa principal: penetração de água de chuvas  redução
da aderência + aumento do peso próprio;
Origem do problema: defeitos construtivos  espessura
excessiva + ausência de tela metálica de reforço/ ancoragem.
28/33
CONCLUSÃO
29/33
RECOMENDAÇÕES
EMERGENCIAIS
a) Remoção do entulho gerado;
b) Isolamento e sinalização do passeio e via pública;
c) Instalação de tapume de proteção (‘madeirite’);
d) Montagem de tela de proteção (“tela fachadeira”).
30/33
RECOMENDAÇÕES
COMPLEMENTARES
a) Montagem de BANDEIJA TIPO “APARA-LIXO”;
b) Avaliação técnica seguida de demolição cuidadosa do entorno da
região desplacada;
c) Estudo técnico geral da fachada frontal  PLANO DE
REABILITAÇÃO;
d) Contratação de empresa capacitada para implantação do
PLANO DE REABILITAÇÃO
31/33
OBRIGADO!!!
32/33
DÚVIDAS???
LUIS HENRIQUE POY
ENGENHEIRO CIVIL, Esp.
CREA-SC 27.814-5
[email protected]peracional.eng.br
(47) 3455-2020 / (47) 9974-7998
Colaboração: Eng. Mec. Marco Aurélio Wunderlich Filho
Termografista Nível 1, pelo ITC
33/33
Download

inspeção