Carlos Eduardo Bermúdez Bernat
Doutorado em Ciências Econômicas
Cosme Saiol
Expert em Processos e Controladoria
Rua Barão do Rio Branco, número 4, loja 12, Centro, Três Rios – RJ / CEP.: 25.804-01
Tel.: (24) 2252-0444
Cel.: (24) 9969-9388
Email: cebernat@uol.com.br
Msn: cebernat@msn.com.br
CRISE ECONOMICA MUNDIAL
O ano de 2008 foi um dos mais intensos para a economia
mundial, com resultados negativos de bancos, falências,
planos bilionários de governos, quedas importantes nos
mercados, alta do dólar no Brasil, derretimento do preço do
petróleo das commodities e muita discussão sobre os
melhores caminhos para tirar o mundo de uma das principais
crises econômicas de todos os tempos.
CRISE SUBPRIME
Sementes plantadas em época
de prosperidade
•
•
•
•
•
•
•
•
Crédito torno-se farto e barato
Ações e imóveis valorizados
Cresce o estoque de riqueza
As famílias foram as compras
Recursos financeiros abundantes
Economias estáveis e globalização
Produção e investimentos estimulados
Empresários;consumidores e banqueiros
Otimistas
Exceso de Entusiasmo
•
•
•
•
•
•
•
•
O fim da chamada grande inflação
A queda extraordinária e continuada de juros
O aperfeiçoamento do controle monetário
A menor volatilidade das economias
O fortalecimento dos bancos internacionais
O fluxo de poupanças asiáticas para os EUA
Avanço nas comunicações
Integração dos mercados
Variáveis afeitadas
• Capital dos Bancos
• Riqueza das famílias
O que é o ‘subprime’?
É um crédito à habitação de alto risco que se destina a
uma fatia da população com rendimentos mais baixos e
uma situação econômica mais instável.
A única garantia exigida nestes empréstimos é o imóvel.
Este segmento do mercado de crédito é exclusivo dos
Estados Unidos, não havendo na Europa um paralelismo
exacto.
O QUE É “PRIME”
PRIME É O TÍTULO EMITIDO POR UM DEVEDOR COM VONTADE E
CAPACIDADE DE PAGAR SUA DÍVIDA.
O seja “Subprime” é o contrário.
DERIVATIVOS: Instrumentos financeiros que servem para diluir o risco de um
investidor
SECURITIZAÇÃO: Emissão de títulos garantidos por um fluxo de pagamentos
que ainda será recebido - o seja uma dívida- O emissor desses títulos
antecipa os recursos vendendo os papéis para investidores.
A malandragem que deu a confusão toda foi justamente empacotar
títulos,PRIME JUNTO COM SUBPRIME e usá-los no processo de
securitização com ajuda de derivativos.
Uma versão de alta tecnologia da venda de “gato por lebre”
ORIGEM DA CRISE
O Brasil e a crise mundial
1.
2.
Reservas de U$S 200 bilhões intocadas depois de seis meses de crise
Bancos competentes, regulados, com baixa exposição a riscos e provisionados
contra calotes
3. Ausência de bolhas de crédito e imobiliária, com potencial de crescimento real
dos setores
4. Mercado interno forte,crescendo em poder de compra em proporção e em
proporção da população (classe “C”)
5. Matriz energética mais “verde” do mundo, com independência do petróleo
importado
6. Estabilidade política, em que a democracia foi entronizada como patrimônio
nacional
7. Estabilidade econômica e arcabouço regulatório imperfeito mas previsível
8. Maior exportador de alimentos de mundo,o que garante vendas externas
voluminosas em qualquer cenário
9. Mercado externo diversificado, com compradores em todo o mundo e
mercadorias de crescente valor agregado
10. A mesmas projeções que apontam estagnação no mundo estima crescimento do
PIB do Brasil em 2009
MUDANÇAS DECISIVAS NO
AMBIENTE GERAL
•
•
•
•
•
•
•
•
•
INTERNET / E-COMERCE
EVOLUÇÃO DAS TELECOMUNICACÕES
EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA
MUDANÇAS ECOLÓGICAS
MUDANÇAS ECONÔMICAS
MUDANÇAS DEMOGRÁFICAS
MUDANÇAS SOCIAIS
MUDANÇAS POLÍTICAS
MUDANÇAS LEGAIS/TRIBUTÁRIAS RADICAIS
Evolução da Taxa Selic
50.00%
45.00%
40.00%
35.00%
Axis Title
30.00%
25.00%
20.00%
15.00%
10.00%
5.00%
0.00%
mar/99
jul/99
set/Fev- Jul/Nov- Jul01/J Jul/Jan
2000
2000
an02
02
dez/02
Maio/Ag
Fev/Mai Dez03/F Abril/Ag
osto200
o2003
ev04
osto04
5
abr/06
dez/06
Set07/M Set/Dez
arç08
08
jan/09
mar/09
Series1 45.00% 19.50% 19.00% 16.50% 19.00% 18.00% 25.00% 26.50% 16.50% 16.00% 19.75% 15.75% 13.25% 11.25% 13.75% 12.75% 11.25%
Tecnologia aplicada na Receita
Federal
- FISCO APERTA CONTROLE SOBRE CONTRIBUINTES
Devemos começar a acertar a situação, pois no próximo ano o fisco começa a
apertar o cerco, e no máximo em dois anos eles vão cruzar tudo:
A Receita Federal passou a
contar com o T-Rex, um supercomputador que leva o nome do devastador
Tiranossauro Rex, e o software Harpia, ave de rapina mais poderosa do
país, que teria até a capacidade de aprender com o 'comportamento' dos
contribuintes para detectar irregularidades.
CRUZAMENTOS
CPF x CNPJ x CARTÓRIOS (checar os bens: carros e imóveis) x BANCOS (c/c,
aplicações, movimentações, financiamentos, cartões...) x IR (pessoa física e
jurídica) x COMPRAS x VENDAS x RH (folha de pagamento) x CONTABILIDADE
... – TUDO - NO ÂMBITO MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL - amarrando
PESSOA FÍSICA x PESSOA JURÍDICA.
Podem FISCALIZAR OS ÚLTIMOS 5 ANOS !!!
Este sistema é um dos mais modernos e eficientes já construídos no mundo e logo
estará operando por inteiro !!!
MAIS CRUZAMENTOS
Com fundamento na Lei Complementar nº 105/2001 e em outros atos normativos,
o órgão arrecadador-fiscalizador apressou-se em publicar a Instrução
Normativa RFB nº 811/2008, criando a Declaração de Informações sobre
Movimentação Financeira (DIMOF). pela qual as instituições financeiras têm
de informar a movimentação de:
Pessoas Físicas se a mesma superar a ínfima quantia de R$ 5.000,00 no
semestre, ( R$ 833,33 x mês)
e das Pessoas Jurídicas, se a movimentação superar a bagatela de
R$ 10.000,00 no semestre.
(R$ 1.666,67 x mês)
A primeira DIMOF foi apresentada em 15 de dezembro de 2008.
MEU NEGÓCIO E SEU AMBIENTE
EMPRESA
AMBIENTE DE TAREFA:
Fornecedores
Clientes
Concorrentes
AMBIENTE GERAL:
Políticas
Legais
Demográficas
Ecológicas
Socais
Econômicas
Variáveis tecnológicas
Variáveis Mercad.Internacionais
Estrutura de Linha/Militar
Presidente
Assessorias/Consultorias
Dpto.Marketing/
Comercial
Adm/Financeiro
Produção/Operações
Meus processos Integrados
Presidência:
Estratégico
Serv. Assessorias
Consultorias
Serv. 3eros..
Deliberativo
Marketing
Administrativo
Comercial Vendas
Financeiro
Comercial
Compras
Controladoria
Operações:
Produção Industrial
Recebimento
Armazenagem
Expedição/Entrega
Princípios da Inovação:
Procure Inovar no Modelo de Negócio
O modelo de negócio: Quem você está atendendo?
Como você está
fazendo isso?
O que você está
oferecendo?
E:
• Como você ganha dinheiro fazendo tudo isso?
• Como você sustenta este modelo?
Princípios da Inovação:
Trabalhe a partir do futuro, de trás para
frente
Futuro
Nós criamos
Ampliar
Futuro baseado
em caminho de
migração
Ajustar
Futuro
Nós
Aceitamos
Presente
Passado
Extrapolação
Tradicional
Ambiguidade
Desconforto
Comentários Finais
Os modelos de Gestão estão dinâmicos e as fontes de captação de recursos,
para investimento estão mudando seu foco,agregando-se novos agentes
financeiros com novos critérios de análise e escala de valores para com as
empresas exigindo:
Transparência, organização, conhecimento do negócio, qualificação
dos gestores e empresário; formalidade fiscal; organização
contável;
Bom clima organizacional; sistemas de informação modernos e
integrados com os processos da empresa e interatividade com o
mercado com um todo.
Stop para pensar
Qual é o meu negócio?
Onde quero chegar?
PLANO
DE
NEGÓCIOS
O que vendo?
Para quem vendo?
Que estratégias
utilizarei?
Como conquistarei
mercado?
Quais os fatores críticos
de sucesso do negócio?
Quanto vou gastar?
Que retorno terei sobre
meu investimento?
O que é o Plano de Negócios (PN)?
– PLANO DE NEGÓCIOS (PN)
– É um documento que contém a caracterização do negócio, sua forma
de operar, suas estratégias, seu plano para conquistar uma fatia do
mercado e as projeções de despesas, receitas e resultados
financeiros.
– É um instrumento que percorre todas as etapas de planejamento de
um negócio: a oportunidade de mercado detectada, o planejamento
estratégico, a análise de mercado, o desenvolvimento do plano de
marketing, a estrutura de operações e as projeções financeiras. Ao
fazer esse percurso, torna possível verificar se um negócio é viável,
se é lucrativo e se agrega valor aos sócios.
Possíveis públicos- alvo para o seu
Business Plan
sócios potenciais
parceiros
bancos
intermediários
investidores – fundos de capital de risco:
“venture capital”
gerentes e pessoal da empresa em geral
executivos de alto nível
fornecedores
clientes potenciais
empregados
Download

Meu negócio na crise