“A TRANSFORMAÇÃO PELA
EXCELÊNCIA EM GESTÃO”
Juliana Iten De Martino
Coordenadora da Rede Nacional da Gestão Rumo
à Excelência
juliana.iten@fnq.org.br
1
FUNDAÇÃO NACIONAL DA
QUALIDADE
2
MISSÃO
Disseminar os fundamentos da excelência em
gestão para o aumento de competitividade
das organizações e do Brasil.
VISÃO 2010
Ser um dos principais centros mundiais de estudo,
debate e irradiação de conhecimento sobre a
excelência em gestão.
3
PRINCIPAIS PRÊMIOS /
MODELOS DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO
Malcolm Baldrige
Fundação Européia
da Qualidade
Japan Quality
Award
Singapore
Quality Award
Fundação Nacional
da Qualidade - FNQ
South Africa Quality
Award
+ de 75 prêmios, em 100 países
4
Australia Quality
Award
Rede Nacional da Gestão Rumo à Excelência
Programas/ Movimentos alinhados ao Modelo de
Excelência da Gestão
MPE
RR
MPE
MPE
R
MPE
MPE
MPE
RMPE
MPE
MPE
MPE
R
RMPE
R
SS
SSS
SS
SSS
RMPE
R
RMPE
R
R
MPE
RMPE
MPE
RMPE
RMPE
R RMPE
MPE
RMPE
R
11 Programas e Prêmio Setoriais
22 Programas Estaduais
16 Prêmios Estaduais R
R
MPE
RMPE
21 Prêmios das MPEs
“Um Brasil melhor se faz com qualidade de vida para todos”
5
MPE
S
DESTAQUES
+10
MILHÕES
16
ANOS DE
MOVIMENTO
54
MOVIMENTOS
DA QUALIDADE,
PRODUTIVIDADE E
COMPETITIVIDADE
~5.000
ORGANIZAÇÕES
USUÁRIAS
DO MODELO
DE EXCELÊNCIA
DA GESTÃO ® - MEG
15.321
ORGANIZAÇÕES
CANDIDATAS
PRÊMIOS NACIONAL,
REGIONAIS
E SETRORIAIS
6
PESSOAS
RELACIONADAS
COM O MEG
+15.000
ORGANIZAÇÕES
MEMBROS
APOIADORAS
DE QP&C
+866.000
+30.000
HORAS DE
TRABALHO
VOLUNTÁRIO
VOLUNTÁRIOS NA
COMUNIDADE DA
QUALIDADE
536.000
CRITÉRIOS DE
AVALIAÇÃO
DISTRIBUÍDOS
2.103
+65.000
ORGANIZAÇÕES
PREMIADAS
PESSOAS CAPACITADAS
EM MODELO
DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO
Dados atualizados até fevereiro/2007
MODELO DE EXCELÊNCIA DA
GESTÃO®
7
MODELO “BRASILEIRO” DE EXCELÊNCIA
DA GESTÃO®
8
BENEFÍCIOS DA
ADOÇÃO DO MODELO
• Aplicação de Fundamentos da Excelência e de Critérios de
Avaliação reconhecidos e utilizados mundialmente
• Visão sistêmica da Organização
• Foco na realização de resultados
• Promoção da cooperação interna
• Compartilhamento das informações internas
• Identificação de seus pontos fortes e oportunidades para melhoria
• Medição e identificação do seu desempenho perante os referenciais
• Capacitação interna para se auto-avaliar
9
Correlação de
Fundamentos x Critérios
Critérios
Liderança e Constancia de propósitos
Visão de Futuro
Conhecimento do cliente e mercado
Rsponsabilidade Social
Valorização das pessoas
Orientação por processo e
informações
Desenvolvimento de parcerias
Geração de valor
Pensamento Sistêmico
Aprendizado Organizacional
Cultura de inovação
10
Resultados
R
Processos
Pessoas
Informação e
conhecimento
Sociedade
Clientes e Mercado
Estratégias e Planos
Fundamentos
Liderança
Processos Gerenciais
O DESAFIO DA GESTÃO
11
Mudança de paradigmas nas
organizações
DIMENSÕES
DE
PARA
Ambiente
externo
Estabilidade, mudança
progressiva e linearidade
Turbulência, descontinuidade e
mudança exponencial
Organizações
Máquina, sistema isolado
e independência
Sistema vivo, ecossistema,
interdependência e adaptabilidade
Liderança
Comando e controle,
liderança centralizada e
restrita à empresa
Líder como mentor, focalizador e
símbolo, com liderança distribuída
e abrangendo o ecossistema
Sociedade e
meio ambiente
Restrições sujeitas a
cálculo custo/benefício
Partes integrantes do ecossistema
da organização
Estrutura
Pirâmide e integração
vertical
Redes e integração horizontal
Percepção de
valor
Avaliação objetiva de
ativos tangíveis
Avaliação subjetiva de ativos
intangíveis
12
Mudança de paradigmas nas
organizações
DIMENSÕES
DE
PARA
Interação
Competição,
regionalidade e
relacionamento
utilitário
Competição e cooperação,
“globalidade” e relacionamento de
qualidade
Inovação
Localizada
Cultural, distribuída e abrangendo
o ecossistema
Conhecimento
Crescimento linear e
acesso restrito
Crescimento exponencial e acesso
universal
Aprendizado/
educação
Função da escola e se
aprende uma vez para o
resto da vida
Função da escola e empresa e se
aprende durante toda a vida
Tecnologia da
Informação
Mais tecnologia, menos
pessoas
Maior conteúdo intelectual e
transformação do trabalho em
experiência mais rica e desafiadora
13
EVOLUÇÃO DO CAIXA
OPERACIONAL
CEDAC
Gestão à
Vista
5S
Comitê da
Qualidade
ISO9001
1994
14
ISO9001:2000
SA8000
PNQ - 3ª etapa
Seis Sigma
PNQ
Critérios Excelência
1ª etapa
FPNQ
Comitê da Gestão
Pró-Voluntário
PNQ
2ª etapa
BS8800
425 dias
sem
acidente
CPT
ISO14001
Prêmio
Nacional da
Qualidade
OHSAS 18001
Marca de
Conformidade
1996
1997
1998
1999
2000
2001
Fonte: Belgo Juiz de Fora - Premiada 2004
2002
2003
2004
EVOLUÇÃO DO FATURAMENTO
Variação Acumulada, Descontada a Inflação (IGPM)
SERVIÇO
INDÚSTRIA
COMÉRCIO
15
MARGEM DE LUCRO
% sobre o Faturamento Líquido
INDÚSTRIA
SERVIÇO
COMÉRCIO
16
COMO COMEÇAR
17
O caminho para excelência
Nível de Maturidade
Classe
Mundial
Estado da
Arte
Excelência
Rumo a
Excelência
Implementando as
práticas de gestão
Compromisso com a
Excelência
Esforço
18
Implantando o Modelo de Excelência da
Gestão® - exemplo
Mapeamento /
Inventário das
práticas
Entendimento da base do Modelo:
Fundamentos da Excelência
+
Critérios de Excelência
Elaboração do
Plano de
Melhorias
(prioridades)
Implementação
das Melhorias
19
Construção do
Mapa do
Negócio
Auto-avaliação
A auto-avaliação
pode também ser a
primeira etapa
do processo
Análise crítica dos pontos fortes e
Oportunidades para melhoria
Monitoramento da
implementação
Análise crítica do
processo (autoavaliação e
implementação)
Prêmio de Competitividade
para MPEs
SUCESSO EMPRESARIAL
20
Prêmio de Competitividade para MPEs
SUCESSO EMPRESARIAL
21
Resultados Prêmio de Competitividade
para MPEs ciclo 2006
Relação de empresas inscritas e candidatas
16,7%
27537
30000
17,9%
25000
19730
12,6%
19318
20000
15000
10000
4587
2430
3531
5000
0
2004
2005
Inscritas
22
2006
Candidatas
Receberam
Relatório de
AutoAvaliação e
Avaliação
com
feedback da
gestão
Resultados 2006
Relação de empresas candidata por categoria
15%
3%
12%
70%
COMÉRCIO
23
INDÚSTRIA
RURAL/AGRONEGÓCIO
SERVIÇOS
Desempenho das MPEs Brasileiras
Prêmio de Competitividade para MPE – ciclo 2006
Categoria Comércio
Categoria Indústria
1
1
100%
100%
8
8
80%
2
80%
2
60%
60%
40%
40%
20%
20%
7
7
0%
0%
3
3
6
Categoria Serviços
4
6
4
1
100%
5
8
5
80%
2
60%
40%
20%
7
0%
3
6
4
5
24
Organizações
visitadas do Prêmio
de Competitividade
ciclo 2006
CONHECIMENTO DISPONÍVEL
25
26
Data: 23/4/2007
www.fnq.org.br
Portal FNQ
Curso Virtual do MEG (gratuito)
27
Webcasting
Jorge Gerdau Johannpeter (Gerdau)
Sucessão Familiar
02/08/2007
28
PORTAL: www.fnq.org.br
Banco de Boas Práticas
29
SÉRIE
CADERNOS DE EXCELÊNCIA E SOFTWARE DE AUTOAVALIAÇÃO
Visão global do ciclo
do PDCL, gestão de
melhorias,
enfatizando a autoavaliação
Visão global do
modelo, seus
fundamentos e
sua aplicação
Cadernos Liderança, Estratégias e Planos, Clientes,
Sociedade, Pessoas, Processos e Resultados
Convênio
30
Software de
Diagnóstico
31
RELATÓRIOS
32
DA
GESTÃO E RELATÓRIOS
TEMÁTICOS
DOS
COMITÊS
“O FUTURO TEM UM
PÉSSIMO HÁBITO:
CHEGAR DE REPENTE“
33
Desejamos a todos sucesso em
sua jornada rumo à excelência !
Contato com a FNQ:
Tel.: (11) 5509-7700
Juliana Iten De Martino
Rede Nacional da Gestão Rumo à Excelência
Juliana.iten@fnq.org.br
34
Download

Juliana Iten