Apresentação à
Secretaria de Previdência
Complementar
Apresentação à
Secretaria de Previdência
Guilherme Narciso de Lacerda
Complementar
Diretor-Presidente
Guilherme Narciso de Lacerda
Diretor-Presidente
Brasilia, 04 de junho de 2008.
Brasilia, 04 de junho de 2008.
1
ÍNDICE
ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO
I – FUNCEF – SITUAÇÃO ENCONTRADA (em 2003);
II – AÇÕES EMPREENDIDAS;
III – EVOLUÇÃO : BALANÇO DE GESTÃO - 5 ANOS;
IV – REUNIÃO SPC/FUNCEF (março de 07) (AÇÕES e PENDÊNCIAS);
V – FUNCEF HOJE – RESULTADO 2007;
VI – DESAFIOS E PERSPECTIVAS.
2
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
• Diagnóstico Situacional:
• 20 de março de 2003 - toma posse a nova diretoria.
• Em 27 de março de 2003 (ata 685) decide-se levantar a situação
existente da Fundação nas diferentes áreas de atividades:
– PRESIDÊNCIA - Gerência Jurídica e Gerência de Auditoria;
– DIFIN – Diretoria de Finanças
– DIMOB – Diretoria Imobiliária (sem diretor nomeado durante 3
anos 2000 – 2002)
– DIBEN – Diretoria de Benefícios e Administração
– DICON – Diretoria de Controladoria.
3
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Pendência de solução para a dívida da Patrocinadora. Valor
provisionado pela CAIXA: R$ 4 bilhões. . Negociações intensificadas
a partir de início de 2003.
•
Pedido de indenização da CNP Assurances em fev de 2001 que
adquirira a participação da FUNCEF na CAIXA Seguros (passivos
não explicitados). Reivindicado o valor em DEZ de 2002: R$ 86
milhões.
• Processos sobre investimentos problemáticos encaminhados ao
Ministério Público e a Polícia Federal.
• Falta de normatização dos procedimentos de
responsabilidade de administradores e empregados.
4
apuração
de
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Profunda Deficiência em Tecnologia da Informação (Implantação do
sistema incompleta).
•
Falta de Planejamento Estratégico.
•
Falta de instrumentos de Governança Corporativa mais adequados
para dar mais transparência às decisões colegiadas.
•
Pouca informação disponibilizada aos participantes.
•
Escritórios de advocacia terceirizados com controle muito “tímido”
da FUNCEF. (desempenho sofrível!)
5
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Grande impasse nas negociações em torno dos Planos de
Benefícios:
- REG/REPLAN (BD) fechado desde 98.
- Aprovação do REB 1 em agosto de 98.
- Aprovado o REB 2 em fevereiro de 2002 (inúmeras ações judiciais)
- Processo de migração para o REB não finalizado e conflituoso!
• Grupo de aposentados da PREVHAB sob a administração da CAIXA.
Rescisão de contrato da CAIXA com a CAIXA Seguros.
• Grupo PMPP (à época quase 2.000 ex-aposentados da CAIXA): litígio
de interpretação do INSS - benefícios sem reajustes desde 1996.
(descaso!)
6
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Ausência de ações de incentivo para a adesão de empregados da
CAIXA à FUNCEF– 1998: 69.972 / 2002: 67.827 associados.
•
Elevado número de demandas judiciais concernentes a abonos
salariais, auxílio alimentação e inclusão de funções técnicas. (Essa
situação persiste e até se agravou).
•
Cadastro corporativo com muitas inconsistências.
•
Desarticulação entre a FUNCEF e as entidades representativas.
•
Problemas no Convênio CAIXA/FUNCEF/INSS. (Posto PRISMA)
7
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• As operações “problemáticas” eram conhecidas apenas pelos
gestores, sem reflexo nas demonstrações contábeis da FUNCEF.
(não havia provisão para perdas de ativos de difícil recuperação).
•
O custeio Previdencial dos Planos não cumpria as exigências
regulamentares. (Pendência Persiste).
• A Área Imobiliária era “auto-controlada” (back-office próprio):
insuficiência de controle e de registro das operações.
•
•
As áreas gestoras da Fundação utilizavam critérios próprios para o
cálculo da rentabilidade gerencial dos investimentos
8
Código de ética desatualizado.
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Área Imobiliária:
- Carteira com vários empreendimentos com baixa rentabilidade e com
grande exposição a risco (de mercado, jurídico, operacional e
financeiro):
-
Limite de investimento acima do estabelecido (desenquadramento);
-
Contratos “leoninos” para gerenciamento das plantas de energia
elétrica de propriedade da FUNCEF;
-
Enormes prejuízos com os parques aquáticos adquiridos
(indefinição de soluções); Exemplo: o Wet’n Wild do RJ teve prejuízo
de mais de 4 milhões ao ano, desde sua aquisição, em julho de 1996.
9
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Área Imobiliária (continuação):
- Grande vacância de imóveis;
-
Pouquíssimo controle de pagamentos e recebimentos nos imóveis
destinados para renda (Ex: pendência de pagamentos com a CAIXA
por aluguéis de mais de 7 milhões);
-
Inadimplência elevada;
-
Gestão de Shoppings e Hotéis subordinada a contratos muito
desfavoráveis à FUNCEF;
-
Fundos Imobiliários com altos custos operacionais e
controle, e administração do patrimônio.
10
falta de
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
• Área de Investimentos: Gestão predominantemente terceirizada.
• Alocação majoritária em títulos públicos de curto prazo.
• Conselhos de Administração das empresas investidas com pouca
atuação da FUNCEF.
• Imagem institucional negativa, resultante de gestões anteriores.
Destaque 1996/98.
• Diversos investimentos “problemáticos” (destaque período 19961998):
11
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
-
BRASIL FERROVIAS/NOVOESTE
FERROBAN/FERRONORTE
FUNDO CVC OPPORTUNITY EQUITY PARTNERS,
TELPART E INVITEL
OPPORTUNITY DALETH
BLUE TREE HOTELS & RESORTS
COMPANHIA FORÇA E LUZ CATAGUAZES
LEOPOLDINA
BÔNUS SUBSCRIÇÃO AMBEV
-
SERRA AZUL WALTER PARK- WET´N WILD
-
-
-
12
I - FUNCEF – SITUAÇÃO EM 2003
Principais pontos críticos detectados:
TELETRUST – (Salvatore CACCIOLA)
RENAISSANCE – (Sobrevida à ENCOL)
MAPPIN/MESBLA – RICARDO MANSUR
IBOVESPA/BMF – (PERDA DE MILHÕES EM
VENCIMENTOS);
- COMPRA DE PRECATÓRIOS DE SANTA CATARINA
- CVRD (Descruzamento de controle CSM/VALE em
2001/02 – situação desfavorável à FUNCEF.)
-
13
II - FUNCEF – CRONOLOGIA E AÇÕES
EMPREENDIDAS
• GESTÃO DOS ATIVOS - Como era (destaques
relevantes):
• Até 1998 – inúmeras denúncias
administrativos e judiciários.
e
processos
• Em 1999 são contratados organismos privados (Kroll
Associates Brasil, FIPECAPI e Deloitte Touche Tohmatsu)
para analisar e auditar as ocorrências da gestão
antecessora da FUNCEF;
• Em 2000 é instaurado, por meio do Ofício PRESI 216/00,
Procedimento Criminal no âmbito da Procuradoria da
República no Distrito Federal;
14
FUNCEF – REPORTAGENS IMPRENSA
À EPOCA
15
FUNCEF – REPORTAGENS IMPRENSA
À EPOCA
16
II - FUNCEF – AÇÕES EMPREENDIDAS
Acões Empreendidas (nova diretoria):
1. Março de 2003: confecção de um relatório situacional
fornecendo diagnóstico das áreas da fundação.
2. Visitas ao Ministério Público Federal, SPC, CVM e à
Polícia Federal para agilizar soluções das ações
administrativas e judiciais em curso.
3. Janeiro de 2004 - criação da CPA - Comissão
Permanente de Acompanhamento de Procedimentos
Administrativos, Investigativos e Judiciais, com o
objetivo de acompanhar, dar celeridade e subsidiar
todas as investigações.
17
II - FUNCEF –AÇÕES EMPREENDIDAS
Janeiro de 2004: estabelece-se uma operação conjunta entre
Polícia Federal, Ministério Público, Secretaria de Previdência
Complementar, Caixa Econômica Federal e a própria
FUNCEF, para apurar a responsabilidade de ex-dirigentes da
Fundação pela possível prática de delitos penais
Grupo de auditores na FUNCEF : no início haviam 3 auditores
da CAIXA cedidos ao MPF, chegando a 18 em momentos de
maior atividade e por mais de 2 anos. (O processo teve início
em 2004 e dura até os dias atuais).
18
A FUNCEF entregou cerca de 500.000 documentos aos
cuidados dos auditores, oferecendo toda infra-estrutura
necessária para o desempenho das atividades.
II - FUNCEF –AÇÕES EMPREENDIDAS
• GESTÃO DO PASSIVO:
Ações EMPREENDIDAS:
• Acordo judicial com a CAIXA em abril de 2003 com o
pagamento da dívida.
• Momento Difícil : Homologação do acordo da
(RISCOS / AMEAÇAS / ARMADILHAS);
Dívida
• VOTO PRESI (022/03) – 9 de abril de 2003/ RETIFICA a
decisão de dez de 2002 que previa custos de honorários
advocatícios de R$ 80 milhões;
• Acordo do pagamento da dívida vincula compromisso para a
solução negociada de pendências históricas : PMPP, novo
Estatuto e a solução para os planos de benefícios
(Saldamento e adesão NOVO PLANO);
19
BALANÇO
5 ANOS
de GESTÃO
20
III- BALANÇO 5 ANOS
2003
-
Posse da nova diretoria da FUNCEF (20 de março) ;
-
Acordo para quitar a dívida da Caixa (R$2,7
bilhões);
-
Adesão dos ex-assistidos da PREVHAB;
-
Criação do Grupo de Trabalho para elaborar o Novo
Plano e Saldamento.
-
Rentabilidade FUNCEF 21,7% x 17,1 Meta Atuarial.
21
III- BALANÇO 5 ANOS
2004
-
Aprovação do Código de Conduta Coorporativa;
-
Aprovação do Novo Plano de Benefícios pela Diretoria
Executiva (4 de março);
-
Aumento do limite de empréstimo ao participante para
R$30 mil;
-
Instituição do
imobiliários;
-
Rentabilidade FUNCEF 22,7% x 12,6% Meta Atuarial
22
preposto
em
empreendimentos
III- BALANÇO 5 ANOS
2005
-
Criação do Grupo de trabalho para revisão do
estatuto da FUNCEF;
-
Retomada do controle da Brasil Telecom;
-
Realização do plebiscito sobre o Novo Plano;
-
Reestruturação da Brasil Ferrovias;
-
Desenvolvimento do programa de Gestão Pró-Ativa
de Shopping Centers.
-
Rentabilidade FUNCEF 18,9% x 11,3% Meta Atuarial.
23
III- BALANÇO 5 ANOS
2006
-
Ruptura de contrato com a Blue Tree (hotéis);
-
Eleições diretas para a Diretoria Executiva, Conselho
Fiscal e Conselho Deliberativo;
-
Aprovação do Novo Plano e Saldamento pela SPC (14
de junho);
-
SALDAMENTO REG/REPLAN : 42.000 participantes
saldados - 68% do total.
-
Incorporação da Brasil Ferrovias pela ALL Logística;
-
Ingresso inicial dos assistidos do extinto fundo PMPP
à FUNCEF.
-
Rentabilidade FUNCEF 23,3% x 9,0% Meta Atuarial.
24
III- BALANÇO 5 ANOS
2007
-
FUNCEF adere ao PRI – Princípios de Investimentos
Responsáveis e ao CDP (Carbon Disclosure Project);
-
Aniversário de 30 anos da FUNCEF;
-
Aprovação e Vigência do Novo Estatuto (paridade na
gestão);
-
Criação da nova linha de crédito CREDINÂMICO;
-
Conselho
Deliberativo
aprova
organizacional da Fundação;
-
Rentabilidade acumulada (2003 a 2007) 103% acima da
meta atuarial / Patrimônio chega a R$32 bilhões.
25
reestruturação
III- BALANÇO 5 ANOS
2008 – 1º Semestre
-
Solução Definitiva dos aposentados e pensionistas
ex-PMPP;
-
Reabertura Saldamento – (em torno de 5.800 novos
saldados)
-
Eleições Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal –
(1 membro efetivo/suplente)
-
26
Solução Imbróglio Telefonia (BRT / TELEMAR).
III - FUNCEF - PRINCIPAIS AVANÇOS I
• Governança Corporativa – gestão paritária;
• Solução Definitiva para o grupo de aposentados – ex PMPP;
Novos Produtos / financiamento ao participante;
• Reestruturação interna – Novo Padrão de gestão;
• Planejamento estratégico (em andamento);
• Aperfeiçoamentos
gestão
interna
dois
exemplos:
negociação com a CM Soluções (plataforma
tecnológica) e comunicação interna com associados (gde
número de reclamações no atendimento – criação COREL).
• Acumulo de reservas em fundos (2003 – 2008) : R$ 7,5 bilhões
Recuperação real dos benefícios!
De 2006 a 2008 : 13,44% de aumento real.
27
III - FUNCEF - PRINCIPAIS AVANÇOS I
• Aproximação com o participante: comemoração FUNCEF 30
ANOS – Visitas aos Estados;
• Financiamentos habitacionais (anos 90)/clube imobiliário –
pendências e soluções parciais ( ainda por concluir);
• Grupo de trabalho FUNCEF/CAIXA;
• Novo Financiamento habitacional – Convênio FUNCEF/CAIXA;
• Relacionamento com Ministério Público (processos alvo de
ações);
• Redução do número dos não associados.
• Recuperação de Investimentos Problemáticos;
28
REUNIÃO SPC/FUNCEF
(março de 2007)
29
IV - REUNIÃO SPC/FUNCEF (MAR 2007)
Encontro FUNCEF e SPC para tratar de apontamentos apresentados pela
área de controle da CAIXA à época (GECOT)
1
Consultas de participantes sem respostas há mais de 30 dias
(Autopatrocínio saldamento, salário de participação sem CTVA, etc.).
Providências: Trabalho intenso em 2007 esgotou pendências
(mudanças no atendimento já vinham ocorrendo desde 2003). A solução
da questão do CTVA depende da Patrocinadora.
-
2
Pagamento benefícios do PMPP sem previsão regulamentar.
-
3
Atrasos nos fechamentos de balancetes àquela época.
4
Providências:
Situação já resolvida desde meados de 2007
PFAP (Plano Fechado de Aposentadoria e Pensão – Plano Espelho).
-
30
Providências: Assunto foi solucionado. SPC aprovou alteração do
Novo Plano em novembro de 2007. CAIXA e FUNCEF assinaram
contrato no início de março de 2008.
Providências: FUNCEF tem sistematicamente cobrado solução da
CAIXA. Trata-se de 109 assistidos
IV - REUNIÃO SPC/FUNCEF (MAR 2007)
5
A não implementação do PLANO DE CUSTEIO (continuação)
-
Pendência persistiu em face das negociações do saldamento
-
Decisões tomadas pelo CD por acordo entre as partes
-
Sempre dado conhecimento à SPC destas negociações
-
Ofício CD 001/2007, encaminhado à SPC em maio de 2007,
esclarece que não ocasionou desequilíbrio nos Planos.
-
Finalizado saldamento (2ª parte) – Inexorável sair da situação
atual.

DRAA de 2007 em apreciação na Patrocinadora

Necessidade de Novo DRAA, devido ao fim do saldamento

Debate hoje em torno do método de financimento do REG/REPLAN
(hoje é PUC – Crédito Unitário Projetado. Em discussão a mudança
31
para o método de Idade de Entrada.
IV - REUNIÃO SPC/FUNCEF
ASSUNTO ADICIONAL DE DESTAQUE:
-
Autuação: Interpretação sobre gestão dos hotéis
-
HOTEL ALVORADA BRASÍLIA (ex-Blue TREE) e CABO DE
SANTO AGOSTINHO.
Nº do processo (auto de infração): 138/07-02
Recurso apresentado à SPC em 10/12/07 (prazo legal).
32
RESULTADO
2007
33
V - RESULTADO FUNCEF 2007
1 - Patrimônio : Fechamos 2007 com 32,1bilhões
2 – Investimentos : Rentabilidade da carteira: 28,1%
3 – Previdencial : Superávit acumulado de R$ 804 milhões
4 - Nº de associados FUNCEF (dez/07): 88.720
Fonte: DIPEC
34
V - RESULTADO FUNCEF 2007
Providências e Benefícios derivados do bom resultado :
- Ajuste da tábua atuarial (saímos da tábua AT-83 agravada em 2
anos para a tábua AT-83 plena);
-Ajuste da tábua de inválidos (de IAPB -57 para WINKLEVOSS)
- Formação de uma reserva de recursos de R$ 183 milhões (para
adotar tábua AT-2000 mais adiante).
-Troca da taxa de juros/meta atuarial: INPC + 6
INPC + 5,5%;
- Reajuste dos benefícios 2007: 5,35 %/ 2005 2006=7,68%;
- Reajuste REAL desde o saldamento: 13,44%
35
V - BENEFÍCOS DO SALDAMENTO
REG/REPLAN saldado em setembro de 2006
(plebiscito em 2005: 81,5% aprovam modelo proposto)
•
Cálculo do Benefício Saldado
salarial de 1,5% ao ano.
•
Acrescido 10,79 % no benefício saldado para os
empregados em atividade. (na migração para o REB não
tiveram qualquer reajuste/incentivo)
•
Participante passou fazer parte do Novo Plano, com
participação da CAIXA em até 12%.
•
Para os assistidos, concedidos os mesmos 9,0 % que
foram previstos no REB.
•
Benefício saldado passou a ser desvinculado do INSS e do
PCS da CAIXA.
•
Possibilidade de solicitar na aposentadoria até 10 % da
reserva, com redução do benefício na mesma proporção.
36
considerou
crescimento
V - NÚMEROS FUNCEF - RENTABILIDADE
Realizado
35,0
Meta atuarial
31,4
30,0
28,1
23,3
23,4
22,7
21,6 21,7
19,6
17,1
16,1
25,0
20,0
16,4
15,0
12,6
11,7
18,9
11,4
9,0
8,7
10,0
10,9
5,3
5,0
0,0
-4,3
-5,0
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2005
2007
Atual Gestão
Fonte: DIPEC
37
Meta atuarial NOVO PLANO(2007): 11,47%
V - NÚMEROS FUNCEF - RENTABILIDADE
% FUNCEF
187%
177%
167%
157%
147%
137%
127%
117%
107%
97%
87%
77%
67%
57%
47%
37%
27%
17%
180%
119%
Fonte: DIPEC
60%
2003
38
% META ATUARIAL
2004
2005
2006
77%
2007
Diferença Acumulada (2003-2007): 103%
V - NÚMEROS FUNCEF - EVOLUÇÃO DO PATRIMÔNIO
32,1
35
30
25,9
25
21,7
Em Bilhões R$
18,4
20
15,3
15
10
6,7
8,1
8,6
8,7
9,7
5
0
1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
Fonte: DIPEC
39
V - NÚMEROS FUNCEF - COMPOSIÇÃO DOS ATIVOS
Patrimônio de Investimento : R$ 31,5 bilhões - dezembro de 2007
6%
3%
36%
FONTE: DIPEC
40
55%
RENDA FIXA
RENDA VARIÁVEL
INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS
OPERAÇÕES COM PARTICIPANTES
V - MUDANÇA DE ENTRATÉGIA - INVESTIMENTOS
1º 2003
2007
RF
64%
55%
RV
18%
36%
IMO
12%
6%
PART
6%
3,2%
R$
9,3 BI
32 BI
• Gestão Bancária tercerizada;
•Renda FIXA (TPF´s)
•Cultura de Curto Prazo
•Inv Problemáticos
41
Fonte: DIBEN
• Veículos de Crédito
Privado
• FIP´s
• Bolsa de Valores
• Participações Diretas
•Empresas médias c/
bom potencial de
cresc.
• Reforço Carteira Própria;
• Aderência ao Passivo de Longo Prazo;
•Projetos de Infraestrutura;
•Diversificação dos Investimentos
•Recuperação de Investimentos
Problemáticos
V - NÚMEROS FUNCEF - EVOLUÇÃO ASSOCIADOS
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008 *
ATIVOS ASSISTIDOS
54.958
15.014
54.856
15.850
54.194
16.265
51.546
18.410
48.609
19.218
48.991
21.737
48.214
22.189
49.592
22.962
56.986
25.100
61.807
26.913
64.372
27.693
TOTAL
69.972
70.706
70.459
69.956
67.827
70.728
70.403
72.554
82.076
88.720
92.065
Estagnação!
Fonte: PRESI
* Até março
Crescimento de quase 22 mil novos associados em 5 anos!
42
Hoje já passamos a marca de 92.000 associados !
V -CONTRIBUIÇÕES x PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS
CONTRIBUIÇÕES x PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS
1.069.848
1.200.000
1.000.000
800.000
542.787
551.557
475.484
600.000
400.000
833.499
742.229¹
265.865
413.982
249.875
307.125
218.816
118.546
200.000
0
2003
2004
CONTRIBUIÇÕES
2005
2006
2007
PAGAM ENTO DE BENEFÍCIOS
1 – em 2006consideram-se as contribuições extraordinárias da CAIXA
43
Fonte: DIPEC
Até Mar/08
V - FUNCEF – BENEFÍCIOS MÉDIOS (dados
abril 2008)
1 - VALORES GLOBAIS - todos os planos
Folha mensal da FUNCEF/Média
64 milhões
R$ 2.350,00
2 - Benefício FUNCEF
Quantidade
Percentual
389
1,43%
7.210
26,51%
2.3 - de R$ 1.000 a R$ 5.000,00
18.500
68,03%
2.4 - menor que R$ 5.000,00
25.713
94,56%
38
0,14%
2.1 - Igual a zero (Reg/Replan)
2.2 - Menor que R$ 1.000,00
2.5 - Maior que R$ 8.000,00
Total Geral de Assistidos
27.193
100,00%
Valores não incluem INSS, cuja média de benefício é de R$ 1.600,00
Observações:
- Informações apenas gerenciais, não incluem aposentados pelo INSS
ainda na ativa na CAIXA. (mais de 1.000)
- Total de assistidos de 27.193, sendo 21.507 aposentados e 5.686 pensionistas.
- O maior benefício é R$ 18.209,00 e o segundo maior é de R$ 11.867,00.
44
Fonte: PRESI
DESPESAS ADMINISTRATIVAS
EVOLUÇÃO DA DESPESA
ADMINISTRATIVA
R$ Mil
14,5 % crescimento médio
80.000
70.000
58.753
60.000
50.000
71.500
41.866
46.056
49.969
40.000
30.000
20.000
10.000
0
2003
45
Fonte: DIPEC
2004
2005
2006
2007
DESPESAS ADMINISTRATIVAS
DESPESA ADMINISTRATIVA POR NÚMERO DE
PARTICIPANTES E ASSISTIDOS
900
806
800
654
700
689
678
592
600
500
400
300
200
100
0
2003
2004
2005
R$ / participante ano
46
Fonte: DIPEC
2006
2007
DESPESAS ADMINISTRATIVAS
EVOLUÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE
DESPESA ADMINISTRATIVA E ATIVO
LÍQUIDO DE INVESTIMENTO
0,30%
0,28%
0,26%
0,24%
0,23%
0,25%
0,22%
0,20%
0,15%
0,10%
0,05%
0,00%
2003
47
Fonte: DIPEC
2004
2005
2006
2007
DESPESAS ADMINISTRATIVAS
EVOLUÇÃO DA COMPOSIÇÃO DO
QUADRO FUNCIONAL ATÉ FEV/08
35
89
22
86
28
74
21
261
287
44
92
91
338
269
16
19
389
293
2003
2004
2005
2006
2007
2008
ESTAGIÁRIOS
35
22
28
21
19
16
TERCEIRIZADOS ¹
89
86
74
91
92
44
FUNCIONÁRIOS DA FUNCEF²
269
261
287
293
338
389
TOTAL
393
369
389
405
449
449
¹ Em 2008 os terceirizados que prestam serviços gerais passaram para o
o quadro próprio.
48
Fonte: DIPEC
VI - FUNCEF - DESAFIOS / PERSPECTIVAS - I
•Permanecer com a alta performance na gestão de
recursos frente à meta atuarial.
• Melhorar o padrão dos benefícios concedidos.
• Conclusão do processo de saldamento e revisão do
custeio dos planos.
• Manter rigor na análise técnica e transparência nos
processos
- Aperfeiçoar
a governança corporativa interna, o ambiente
de trabalho e o relacionamento com as entidades
representativas.
49
VI - FUNCEF - DESAFIOS / PERSPECTIVAS - II
•Melhorar padrão
participante.
de
relacionamento
Reduzir o número de
(contencioso) – 10 mil ações!!
•
ações
com
o
judiciais
Grande Parte das ações são trabalhistas e não previdenciárias.
• Buscar a adesão dos quase 13 mil empregados não
associados.
ATINGIR O NÚMERO DE 100.000 ASSOCIADOS!!!
50
Guilherme Narciso de Lacerda
PRESIDENTE da FUNCEF
SCN, Quadra 2, Bloco “A”,
Ed. Corporate Financial Center – 13º andar
Brasília/DF Cep 70.712-900
presi@funcef.com.br
Tel.: (+ 55 61) 3329-1714/ 1710
Fax: (+ 55 61) 3327-2305
51
Download

Principais pontos críticos detectados