Conflito de Uso da Água
Yvonilde Medeiros
MEAU
“ El diálogo participativo es la clave para la resolución de
conflictos. Siempre recuerdo lo que me dijo el antiguo
Ministro de Malasia:
‘ Una mala política consensuada es mejor que una
política impuesta, siempre. Nunca olvides esto. ’”
Rubén Zamora
Conteúdo
• Compreensão dos conflitos
• Análise dos conflitos por água
• Resolução não violenta de conflitos
• Preparação das negociações
• Simulação: negociação de conflito de água na
Bacia do Rio São Francisco
Comprensão dos conflitos
O conflito como um cenario composto por
duas ou mais pessoas, ou entidades, no qual
uma delas, ou mais, percebe(m) que algum de
seus objetivos está sendo bloqueado e
exerce(m) alguma forma de poder para superar
esta situação.
Compreensão dos conflitos
Causas dos conflitos
• Conflitos de dados ou informação (falta de informação,
maus entendidos, visões distintas).
• Conflito de relações ( fortes estereotipos,
comportamentos negativos recorrentes – c. destrutivo).
• Conflito de valores (diferenças ideológicas e imposição
de valores).
• Conflitos estruturais (distribução desigual e injusta de
poder e recursos).
• Conflito de interesses.
Compreensão dos conflitos
Intensidade dos conflitos
Causas imediatas:
Também conhecidas como ‘aceleradores
de conflito’. Se trata de eventos que
exacerbam as tensões pre-existentes,
alterando as condições de segurança dos
grupos, tornando visiveis ou acentúando
as desigualdades existentes
Causas estruturais:
A configuração de um conflito de alta
intensidade envolve fatores que se
encontram arraigados nas estruturas de
poder e nas relaciones políticas, as quais
afetam as necesidades humanas básicas
e/ou mantem a um ou vários grupos em
situação de vulnerabilidade ou
desvantagem permanente.
Intensidade do conflito
Desacordo
Tensão séria
Disputa aberta
Conflito
armado
Análise dos conflitos por água
Modalidades de conflito por água
Água como recurso de apropiação comum
• Conflitos coletivos. Assuntos que
concernem a quem compartilha o recurso;
• Conflitos por externalidades. Desacordos
derivados dos efeitos produzidos por ações
de agentes externos, as quais alteram as
características do recurso e afetam a seus
beneficiários.
Análise dos conflitos por água
Papel da água nos conflitos
• Se a água, sua disponibilidade ou qualidade,
representa a causa direta da disputa, ela é
considerada como objeto;
• Se é utilizada para exercer pressão destinada a
modificar o comportamento de alguma das partes,
relacionada com algum outro assunto, a água opera
como um instrumento.
• Quando existem condições favoráveis ao conflito e
um evento independente desencadeia um quadro de
maior intensidade a água se converte em
catalizador de conflitos.
Análise dos conflitos por água
Fontes de conflito por água
• Objetivos conflitantes - ocorre quando as partes
afetadas têm propósitos distintos em torno a um mesmo
recurso (valores, interesses, c. estructurales)
• Más relações - quando a dinâmica de intercâmbio
entre pessoas, grupos ou instituções tende a ser
negativa (precedentes)
• Percepções distintas - quando os atores têm ideias
divergentes com relação aos principais temas em
controversia (efetividade de comunicação, informação)
Análise dos conflitos por água
Elementos básicos para a análise
Modalidade
Papel da água
Fontes/Causas
•Conflito coletivo
•Objeto de disputa
-quantidade
-qualidade
•Objetivos conflitantes
-Interesses
Estruturais e
-Valores
Não estruturais
-Distribuição de poder
•Percepções distintas
-Visões
Não estruturais
-Informações
•Más relações
•Catalizador
•Conflito por
externalidades
•Instrumento
Resolução não violenta de
conflitos
O CICLO DO CONFLITO/COOPERAÇÃO RELACIONADOS
COM AGUA
Proceso de
negociação
Acordos e
instituções
Avalição do contexto
Sequência noltempo
Influência
• Hidrológico
•Socioeconómico
•Institucional
•Político
Implementação
+
Efeitos
Resolução não violenta de
conflitos
Fases de resolução de conflitos
Negociação
Mediação
Arbitragem
Adjudicação
direta
A resolução do
conflito se
mantém nas
mãos das
partes
envolvidas
Se delega a
um terceiro a
decisão
Resolução não violenta de
conflitos
A negociação é um processo em que as partes
envolvidas em uma disputa discutem possíveis
resultados diretamente; intercambiam propostas
e demandas, e argumentam, até chegar a uma
solução ou um impasse (Goldberg, Sander e
Rogers, 1992).
Resolução não violenta de
conflitos
Negociação
Padrão destrutivo
Suspeita, insegurança
Competição
Autopersuasão
Cegueira
Necessidade de causar dano
Antagonismo
Padrão construtivo
Confiança
Discussão das
preocupaciones, necesidades
Compartilhamento de
informação
Desenvolvimento de modelo
mental comum
Cooperação
Preparação das Negociações
Análise da linha de tempo, estruturas e atores
O objetivo da análise é
detectar os obstáculos
que se interpõem à
resolução dos conflitos
de modo que possam
ser organizados a uma
adequada resolução –
se esta for possível –
mediante negociação.
Preparação das Negociações
Objetivo da análise da linha de tempo
Para que os
atores tenham
claro as diversas
etapas do
processo, os
pontos chave,
sua evolução e
complexidade.
Preparação das Negociações
Objetivo da análise estrutural
Detectar a
problemática e
suas inter-relações,
de modo que se
tenha claro quais
aspectos da
realidade são os
mais importantes.
Preparação das Negociações
Objetivo da análise dos atores
Detectar quem atua, os
possíveis interessados
(stakeholders),
quem decide,
quem é afetado positiva/negativamente e possíveis coalizões.
Preparação das Negociações
Objetivo da elaboração de cenários
Integrar os resultados das três
fases anteriores, chegando a
descrever as possíveis
situações futuras, o que estes
revelam de possibilidades de
consenso entre os atores
(compartilhamento de
preocupações ou interesses,
vontade de colaboração) para
dar início à negociação acordo.
Preparação das Negociações
Fóruns y formas de negociação
 Os fóruns e as formas em
que se estruturam as mesas
de negociação dependerão
dos objetivos que se
buscam, dos atores
identificados e da
problemática.
 Adicionalmente, é
importante salientar que
existem em toda
negociação aspectos
visíveis e ocultos, bem
como, aspectos formais e
informais.
Conflito de uso de água
“Dois burros não bebem água na mesma
tina” Ruben Lalaina - USP
Grrr!
[email protected]#!
[email protected]#!
GRRR
Moral da história:
Até os burrinhos conseguem...
Obrigada!
[email protected]
http://www.grh.ufba.br
Download

Conflito de Uso da Água Yvonilde Medeiros MEAU