Informativo quinzenal da Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Ano IV - Número 60
18 de fevereiro a 2 de março/2008
www.puc-campinas.edu.br
MAPAS DOIIS
CAMPI I E
Ricardo Lima
Ê
PARA VOC
R
RECORTA
R
E GUARDA
Página 08
Hora de (re) começar!
O ano letivo de 2008 começou e para dar as boas-vindas
aos novos alunos, o Jornal da PUC-Campinas preparou uma edição especial com as principais informações
que todo calouro deve saber para se sentir “em casa” rapidinho. Aqui você vai saber como fazer a sua carteirinha
estudantil, onde encontrar oportunidades de estágio,
monitoria, Iniciação Científica e Iniciação à Extensão,
como ter acesso ao Site do Aluno e às bibliotecas e conhecer as diversas atividades que irão enriquecer o seu conhecimento e ajudar na conquista de novas amizades.
Aproveite bem a sua passagem pela PUC-Campinas!
Páginas 04 e 05
MURAL
Opinião
FEVERESTIVAL - A agenda cultural de
Campinas começa o ano com uma
programação especial para os amantes do
teatro. Até o dia 29 de fevereiro, ocorre o
6º Feverestival – Festival Internacional de Teatro
de Campinas. Neste ano, o evento extrapola os
limites do distrito de Barão Geraldo, que
tradicionalmente sedia o festival, e traz mesas
redondas, espetáculos teatrais, workshops,
além de atrações internacionais. Confira!
Página 07
Entrevista
Em entrevista ao Jornal da PUC-Campinas,
o reitor padre Wilson Denadai dá as
boas-vindas aos novos estudantes,
saúda os alunos veteranos, professores e
funcionários, e fala sobre a posição da
Universidade em relação ao trote, os projetos
da Instituição, entre outros assuntos.
Página 06
“Com o início do ano letivo, muitas mudanças deverão acontecer na
vida de muitos jovens, especialmente na rotina dos que estão agora
ingressando na vida universitária. Um sonho conquistado, a
Universidade, que além de muitas alegrias traz também algumas
eminências de transformações. Depois de algumas escolhas, muito
esforço e determinação, o adolescente chega à vida acadêmica com a
exigência de ser, de um semestre para o seguinte, um jovem
universitário. Mas o que significa ser um jovem universitário?”
Leia o artigo da professora da Faculdade de Psicologia
da PUC-Campinas Rita Khater.
Página 03
02
18 de fevereiro a 2 de março/2008
Jornal da PUC-Campinas
Editorial
As lições de D. Quixote
ma voz racional calou-se. Sobre a sua tumba,
a família do Impulso pranteia um ente querido.
Eros está triste, o construtor
de cidades. Chora a anárquica Afrodite”.
O poeta inglês Wystan Hugh Auden referia-se, nos versos acima,
à morte de Freud. Em poucas palavras, recorrendo ao mundo mítico, expressava a complexa travessia do homem no mundo. A voz da
razão tornava o impulso consciente de si mesmo sem destruí-lo. Eros,
o amor carnal, construtor de cidades; Afrodite, a das paixões incontroláveis, chora. Em poucas palavras, Auden narrava a experiência
alegre e exaltante de estar no mundo. Mover-se pelos instintos, dominar ou ser dominado pelas paixões, tentando compreender tudo isso
e enquadrá-lo em um esquema racional: tal é a nossa vida, tal é o nosso percurso no mundo. E o mesmo Auden, depois de convertido, lembrará a descoberta de Deus e a atração irresistível da natureza. Se quisermos uma representação espacial: mover-se entre o céu e a terra.
No início do ano letivo de 2008, utilizo os versos de Auden para
saudar os que chegam pela primeira vez e os que retomam suas atividades. A universidade, em certos momentos, aparecendo como complexa ou mais ainda do que a própria vida, não pode substituir ou
sobrepor-se ao desafio de vivê-la como experiência única e insubstituível - “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é” - refrão de
Caetano Veloso que acompanhava a figura de D. Quixote estampada em nossas camisetas.
O risco, no entanto, é grande. Substituir a complexidade da vida
por esquemas explicativos. Esquecer a construção de relações, sua
ampliação infinita, sua abertura ao outro como único horizonte de
sentido, fechando-se no esquema estreito da profissionalização. Reduzir
“U
o exercício da fantasia ao manejo hábil de botões informatizados.
Fazer da burocracia o refúgio para impedir-se um novo pensar sobre
universidade e sociedade.
Pode parecer estranho um reitor convidar a “ressuscitar” o D.
Quixote que vive em nós. Seu amor utópico e seu combate fantasmagórico contra moinhos de vento imaginários nos ajudam a sair do
marasmo de uma vida presa ao cotidiano da sala de aula e ao cumprimento de tarefas impostas por regulamentos. E, talvez, o mais
importante: D. Quixote nos ensina a tolerância contra fundamentalismos à esquerda e à direita. A conformar-se com identidades prontas, sistêmicas, estabelecidas seja pelo lúdico reduzido a consumo, seja
pelo dogmatismo das visões de mundo prontas.
Um fato recente nos alerta contra esses perigos. Recentemente, o
papa Bento XVI cancelou sua ida à Universidade La Sapienza, de
Roma. Sessenta e sete professores, somados a grupos de alunos, solicitaram que se cancelasse o convite para uma conferência. Bento XVI
reagiu serenamente. Pedindo respeito a opiniões divergentes, recordou
que a universidade fora “seu mundo durante muitos anos” e que a
ela se ligam “o amor pela busca da verdade, pelo confronto, pelo diálogo franco e respeitoso das recíprocas posições”. Aqueles que combateram sua presença utilizaram exatamente os mesmos métodos que
queriam condenar. Universidade é lugar de reflexão crítica e debate.
Debate adulto, livre e responsável. É lugar de confrontar convicções
firmes e assentadas. Não de dogmatismos e imposições. Mas sem
esquecer um D. Quixote que reside no fundo de cada um de nós. É
com esse espírito que a PUC-Campinas o acolhe de braços abertos!
Padre Wilson Denadai
Reitor da PUC-Campinas
Notas
CIAD seleciona estagiários
até 29 de fevereiro
Calouros e veteranos do Ceatec
fazem ação solidária no Monte Cristo
O Centro Interdisciplinar de Atenção ao Deficiente (CIAD)
está com inscrições abertas, de 18 a 29 de fevereiro, para a
seleção de estagiários. A inscrição deve ser feita pela internet
(www.puc-campinas.edu.br/ciad). Todos os alunos da
Universidade podem se candidatar. O CIAD é uma unidade
de extensão, vinculada à Pró-Reitoria de Extensão e
Assuntos Comunitários, que desenvolve projetos de caráter
comunitário e que contribuem com a inclusão social de
pessoas com deficiência. Informações: (19) 3343-7022 ou
pelo e-mail [email protected]
A Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, com o apoio das Faculdades
de Análise de Sistemas, Sistemas de Informação, Engenharias Ambiental,
Civil, Computação, Elétrica, Geografia, Química e Matemática, realiza, no dia 19 de fevereiro, uma ação solidária no Jardim Monte Cristo,
antiga ocupação de Campinas. A atividade, que faz parte da recepção
dos novos alunos, vai envolver calouros e veteranos. Os estudantes farão
limpeza do terreno, remoção de detritos, plantio de árvores, etc. A saída está prevista para às 9h, no Campus I, em frente à Biblioteca do prédio H-13. Serão disponibilizados dois ônibus para o transporte dos participantes. Informações: (19) 3343-7196.
Agenda
18/02
Início das atividades letivas do 1º semestre.
Publicação do edital do Programa
de Iniciação à Extensão.
21/02
Data-limite para aluno ingressante requerer
dispensa de disciplinas – Ingresso posterior
a essa data, requerer dispensa até cinco dias
úteis após a pré-matrícula.
22/02
Secretário-geral da CNBB ministra
Aula Magna no dia 3 de março
ProUni seleciona 42 mil candidatos
na segunda chamada
No dia 3 de março, às 10h, no Auditório Dom Gilberto
Pereira Lopes, no Campus I, ocorrerá a Aula Magna,
abrindo oficialmente o ano letivo de 2008. Para falar
sobre a defesa da vida, em seu mais amplo sentido, foi
convidado para ministrar a aula Dom Dimas Lara
Barbosa, secretário-geral da Conferência Nacional
dos Bispos do Brasil (CNBB). O evento será aberto a
todos os alunos e contará com transmissão simultânea
para todos os campi e pelo portal da Universidade na
internet (www.puc-campinas.edu.br).
Mais de 42 mil candidatos foram pré-selecionados na segunda chamada
do Programa Universidade para Todos (ProUni). Para saber se foi
pré-selecionado nessa etapa, o interessado deve acessar a página eletrônica
do ProUni (http://prouni-inscricao.mec.gov.br/prouni/), informando o
número do CPF e de inscrição no Enem 2007. O resultado também está
disponível na Central de Atendimento do Ministério da Educação
(0800-616161) e nas instituições de ensino superior participantes do
programa. O candidato pré-selecionado tem até o dia 27 de fevereiro para
procurar a instituição para a qual foi pré-selecionado com os documentos
que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição.
Término das inscrições para o processo
seletivo do Programa Integrado de
Iniciação Científica – período agosto/2008
a julho/2009.
Data-limite para entrega dos relatórios
parciais de Iniciação Científica aos Núcleos
de Pesquisa e Extensão, referentes ao
período de agosto/2008 a julho/2009.
Data-limite para o aluno de curso de
Graduação e de Programa de
Pós-Graduação stricto sensu requerer
correção dos resultados escolares do 2º
semestre de 2007.
23/02
Início das atividades de Práticas de
Formação.
Espaço leitor
25/02
A sua opinião é muito importante para o Jornal da PUC-Campinas. Por isso, aproveite esse espaço para enviar seus
comentários e críticas sobre as reportagens e artigos aqui publicados. Mande também suas sugestões sobre temas que gostaria
de ler nas próximas edições. Mande a sua mensagem para [email protected]
@
Data-limite para o aluno de curso de
Graduação e de Programa de PósGraduação stricto sensu solicitar eventuais
alterações/inclusões na grade de matrícula.
Expediente
Reitor- Padre Wilson Denadai; Vice-reitora - Angela de Mendonça Engelbrecht; Conselho Editorial - Wagner José de Mello e Sílvia Regina Machado de Campos;
Coordenador do Departamento de Comunicação - Wagner José de Mello; Editora - Raquel Lima (MTb. 48.963); Repórteres - Adriana Furtado, Crislaine Gava e Du
Paulino; Revisão - Marly Teresa G. de Paiva; Fotografia - Ricardo Lima; Tratamento de Fotos - Marcelo Adorno; Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica - Neo Arte;
Impressão - Grafcorp; Redação - Campus I da PUC-Campinas, Rodovia D. Pedro I, km 136, Parque das Universidades. Telefones: (19) 3343-7147 e 3343-7674.
E-mail: [email protected]
Jornal da PUC-Campinas
18 de fevereiro a 2 de março/2008
03
Opinião
Crescer é preciso...
Rita M.M. Khater (*)
om o início do ano letivo, muitas mudanças deverão acontecer na vida de muitos jovens,
especialmente na rotina dos que estão agora ingressando na vida universitária. Um
sonho conquistado, a Universidade, que
além de muitas alegrias traz também algumas eminências de transformações. Depois
de algumas escolhas, muito esforço e determinação, o adolescente chega à vida acadêmica com a exigência de ser, de um semestre para o seguinte, um jovem universitário.
Mas o que significa ser um jovem universitário? O que todos esperam desse
jovem? A família, os professores, os antigos
amigos deixados no colegial ou talvez na
cidade em que cresceu, os novos amigos
calouros, os veteranos?
Enfim, um novo papel social, uma identidade em construção: o jovem universitário. Uma nova realidade se impõe acompanhada de responsabilidades e desafios como
morar longe da família, dividir moradia, construir novas amizades, conhecer a cidade,
buscar trabalho, estágios e, como se isso
tudo não fosse o bastante, ainda se espera
que esse jovem já comece a preparação de
uma carreira profissional para a vida toda.
Por outro lado, todas essas mudanças
“C
“Enfim, um novo
papel social, uma
identidade em
construção: o jovem
universitário. Uma
nova realidade se
impõe acompanhada
de responsabilidades
e desafios (...)”
também trazem a tão desejada liberdade com
o distanciamento da família e do antigo contexto de uma vigilância estreita vivenciada até
o colegial. Uma liberdade que oscila entre a
delícia de ser dono das próprias decisões e a
sensação de solidão quando o momento exigiria um certo ‘colinho’ da família ou dos amigos mais antigos.
Surgem também muitas ocasiões para
comemorações como ‘baladas’, ‘churras’,
‘choppadas’, ‘happy hours’ e ‘calouradas’ que,
se freqüentados moderadamente, podem se
transformar em oportunidades de fazer novos
amigos e ampliar o círculo social, mas, se freqüentadas em excesso, certamente acarreta-
Galeria
“O ano era 1986 e, naquela
época, assim como agora,
sabíamos que muito do que
deveria ser feito dependia de
nós. Sabíamos que deveríamos
acreditar – e a Instituição e seus
valores nos permitiam essa
crença – que um dia
chegaríamos onde estamos hoje
– que é o ideal daquela época, e
mais uma vez estaríamos insatisfeitos, sabendo
que podemos e queremos ser ainda melhores.”
José Gonzaga Teixeira de Camargo – Diretor-adjunto do
Centro de Ciências da Vida (CCV), formado em Medicina
“Toda geração tem sua
missão histórica. À
minha, cabia a luta pela
redemocratização do
país. Ter lutado para que
a sociedade organizada
cumprisse seu destino é
minha lembrança mais
querida. Ser
universitário é assumir
seu papel no processo
histórico.”
Antônio Carlos de Azevedo Lobão – Diretor do
Centro de Economia de Administração (CEA),
formado em Economia
rão prejuízo à proposta de construção de uma
nova carreira.
Qual seria, então, a fórmula mágica para
essa transformação instantânea do adolescente
para o jovem? Como fazer isso na primeira
semana de aula? Ou no primeiro mês? Será
que a família e os professores não poderiam
ser mais compreensivos e esperar talvez o
primeiro bimestre? Quando podemos dizer
que esse calouro já é veterano? A mudança
de ano é suficiente para se atribuir essa mudança de status? E do veterano, o que tanto se
espera? E depois do veterano vem o formando,
e, finalmente, o egresso, que já deverá ser um
adulto, profissional responsável e assim segue
a nossa trajetória de vida...
Em cada momento da nossa vida, a sociedade em que vivemos aponta alguns comportamentos típicos para aquela ocasião sempre esperando que o resultado seja um constante crescimento. A cada obstáculo, uma
superação e um aprendizado.
É claro que crescer é preciso e esse movimento de busca do crescimento que nos dá
a oportunidade de sermos cada dia melhor
que o anterior. Mas esse exato momento de
transformação do adolescente para o jovem
é bastante difícil, especialmente quando acrescido do diferencial de estar na faculdade com
todas as mudanças que vêm agregadas a essa
condição.
Imagem
do Timor Leste, José
Ramos-Horta, que ficou
gravemente ferido, após
sofrer um atentado, recebeu
o título de Doutor Honoris
Causa da PUC-Campinas,
em 1996. Ramos-Horta foi
baleado no último dia 10,
em sua residência, em Dili,
capital do Timor Leste.
Pouco depois desse
atentado, o primeiro-ministro
timorense, Xanana
Gusmão, escapou
ileso de uma emboscada,
quando sua comitiva se
dirigia para a capital do país.
(*) Rita M.M. Khater é professora da
Faculdade de Psicologia da PUC-Campinas
QUAL A MELHOR LEMBRANÇA DO SEU TEMPO DE FACULDADE?
Fotos: Ricardo Lima
“Lembro a noite que cheguei em casa e vi a
pequena lousa que a família usava para anotar lembretes e recados apoiada no sofá da
sala, junto com a página do Correio Popular
que estampava os aprovados no vestibular.
Na lousa, com a impecável letra de forma
do meu pai, a frase... ‘Parabéns você entrou
na faculdade’. Foi o começo de quatro anos
que multiplicaram por muitas as sensações
todas que senti naquele ‘pequeníssimo’ e
marcante momento em que... entrei na sala
e na faculdade.”
Wagner Geribello - Diretor do Centro de Linguagem e
Comunicação (CLC), formado em Comunicação Social
“Quando iniciei a faculdade, em 1977,
trabalhava com o meu pai em uma
banca de jornal. Acordava às 4h todos
os dias e ficava no serviço até as 12h.
No final de 1977, comecei a fazer
estágio no Centro de Processamento de
Dados da PUC-Campinas após a aula.
Aí só sobraram as madrugadas para
estudar. Apesar de toda dificuldade, se
pudesse voltar no tempo, faria tudo
novamente. Todo o esforço foi e está sendo muito gratificante.”
Orandi Falsarella – Diretor do Centro de Ciências Exatas
Ambientais e de Tecnologias (CEATEC), formado em
Análise de Sistemas
“Dentre tantas lembranças,
uma que me deixa saudades
é a movimentação que
existia no Pátio dos Leões.
Aquele era o espaço para
todas as manifestações
estudantis e também de
alegres festas dos alunos de
todos os cursos. Mas,
também estão marcadas na
lembrança as aulas que tive;
muitas contribuíram para uma compreensão crítica da realidade e,
na época, Paulo Freire era a nossa referência como educador.”
Vera Lúcia de Carvalho Machado – Diretora do Centro de
Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), formada em Pedagogia
“Minha principal lembrança da
Filosofia é a atuação do grupo de
estudantes quando era votada a
emenda que propunha a eleição
direta para presidente da
República. Nos reunimos no Pátio
dos Leões e fizemos uma passeata
até o Palácio da Justiça. Durante o
curso de Teologia, lembro quando
um professor me disse que possuía
vocação intelectual e que deveria continuar meus estudos no nível de
pós-graduação stricto sensu. Foi um grande incentivo que me
proporcionou decisões e atitudes fundamentais em minha vida.”
Pe. Paulo Sérgio Lopes Gonçalves - Diretor do Centro de
Ciências Humanas, formado em Filosofia e Teologia
Miguel Lopes/Divulgação
HONORIS
CAUSA - O presidente
A resposta possível, então, seria: calma, não apresse esse rio! Ele tem algumas
passagens naturais, um movimento próprio
dele que não pode ser imitado por nenhum
outro.
A dica essencial é manter o vínculo afetivo com a família e os antigos amigos, buscar novos amigos e novas oportunidades
tentando se apropriar da juventude que
desponta agora, mas consciente de ser
calouro não só na universidade, mas, principalmente, na nova vida que implicará a
construção da identidade do jovem e depois
do adulto, e do profissional, e do pai de
família e...bom, acho que todos somos um
pouco calouros em algumas situações na
nossa vida!
Crescer é preciso...viver também é
preciso!”
“Nosso PAÍS é uma
nação ORGULHOSA. Uma
BALA PODE FERIR O
presidente, mas NUNCA
PODERÁ PENETRAR
OS VALORES
DA DEMOCRACIA.”
Xanana Gusmão, primeiro-ministro do
Timor Leste, que saiu ileso do atentado do último dia 10 de fevereiro
18 de fevereiro a 2 de março/2008
04
Guia do ingressante
SITE DO ALUNO - Os serviços mais importantes para o aluno da PUCoportunidades de estágio e trainee, oportunidades no exterior, programas d
e-mails úteis, opções de moradia, consultas acadêmicas (notas e freqüência
Jornal da PUC
CCA - O Centro de Cultura e Arte (
onde o aluno tem a oportunidade de se
criativamente numa atividade cultural o
São cinco grupos: Coral Universitário,
Grupo de Dança, Grupo de Teatro e G
Música de Câmara. As inscrições para o
podem ser feitas, até o dia 29 de feverei
internet. O formulário de inscrição tam
ser preenchido no CCA. Todos os inscr
passarão por testes. Os aprovados receb
bolsa-estímulo. Informações: (19) 33
www.puc-campinas.edu.br/cca
CARTEIRA ESTUDANTIL -
A carteira estudantil, mais conhecida como “carteirinha da
PUC-Campinas”, é fundamental para a identificação
dos alunos da Universidade nas diferentes atividades
acadêmicas e para o acesso a diversos serviços e espaços da Instituição. No início do ano letivo, os calouros são convocados, de acordo com um cronograma
específico, para a confecção ou retirada de sua carteirinha, que vale até o final do curso no qual está
matriculado. A confecção e retirada das carteirinhas
serão realizadas de 3 a 14 de março. Fique atento à
divulgação dos locais e horários e lembre-se do CPF,
RG e número de RA.
CALOURO BEM
D
[email protected]
Junto com a satisfação de ter um objetivo conquistado, a c
para muitos estudantes. Vários deixarão o conforto da casa d
desafio de fazer novas amizades, morar sozinho ou dividir a mo
to de transição mais tranqüilo e fazer com que os ingressantes "s
preparou uma seleção dos principais serviços oferecidos pela
tantes para entender o funcionamento da Instituição e as opç
idade e na ampliação de seus conhecimentos. Não deixe de c
J
MONITORIA
de acadêmica por meio da qual a Universidade compartilha,
com distintos sujeitos sociais, cultura, conhecimento e informação, compreendendo ações, serviços, cursos e eventos. Tanto
as ações como os serviços podem ser realizados por meio de
Projetos de Extensão.
O Programa de Iniciação à Extensão (PIEX) estimula a participação de alunos dos cursos de graduação na execução de
Projetos de Extensão de docentes da Universidade. Para a seleção dos alunos, é publicado um edital, expedido pela Pró-Reitoria
de Extensão e Assuntos Comunitários (PROEXT), contendo
a identificação do docente e Projeto de Extensão, resumo do
Projeto, número de Bolsas de Iniciação à Extensão e vagas para
Voluntariado em Extensão (VEX), perfil desejável do aluno,
entre outros critérios, como a disponibilidade de 12 ou 24 horas
semanais para a realização da atividade de extensão.
O edital é publicado no Site do Aluno. A seleção é realizada
pelo docente responsável. A publicação do edital no Site do
Aluno ocorre a partir de 18 de fevereiro e o início das atividades em 10 de março.
- A monitoria é uma
atividade acadêmica que possibilita a
iniciação à docência e que, futuramente,
pode despertar o interesse do aluno em se
tornar professor. Em 2007, os professores da
Universidade desenvolveram 746 projetos de
monitoria, nos quais 3 mil alunos concorrem
à bolsa monitoria. No dia 10 de março, será
divulgado o calendário para o 2º semestre.
INICIAÇÃO À EXTENSÃO - Extensão é a ativida-
BIBLIOT
e Informaçã
rede formad
tárias e um
Fundament
rial impress
científicas), d
tos e outros
por inform
CD-ROM, D
pleto. O ace
(www.puc-c
PUC-Camp
e periódicos
gra o Portal
(Capes). Pa
nha da PUC
PRAÇA DE CONVÍVIO E SERVIÇOS - Os Campi I e II
contam com praças de convívio e serviços, ambas com acesso à Internet,
por meio de uma rede Wi-Fi. A PUC-Campinas também oferece opções
para uma alimentação capaz de atender às necessidades nutricionais dos
alunos durante o período que passam na instituição, com um custo acessível. Por isso, foi desenvolvido o “Prato Universitário”. Todos os estabelecimentos de refeição da PUC-Campinas são supervisionados por uma
nutricionista da própria Instituição que, com a ajuda de uma estagiária do
4º ano de Nutrição da própria Universidade, realiza inspeções constantes para verificação de higiene e preparo dos alimentos, bem como avalia
e orienta os cardápios propostos quanto à composição nutricional dos pratos, de acordo com as Leis da Boa Alimentação.
PROACES - Atua na PUC-Campinas como um serviço de apoio especializado a estudantes com deficiência e/ou necessidades especiais. Entre as atividades
desenvolvidas estão apoio ao aluno com deficiência visual, transcrição de materiais
para o Braile, grafia ampliada, intérprete de Língua Brasileira de Sinais, orientação
para planejamento e execução de obras, de forma que sejam contempladas a
acessibilidade e locomoção das pessoas com deficiência física ou motora.
Informações: (19) 3343-7402 e pelo e-mail [email protected]
PASTORAL UNIVERSITÁRIA -
Além de ser um espaço aberto para re
mênicos e realizar atendimento pessoal com sacerdotes e celebrações de missas, a P
série de outras atividades, como a promoção de debates, Campanha da Fraternida
Pastoral Universitária PUC-Central – (19) 3735-5828 / [email protected] Universitária PUC-Campus I – (19) 3343-7184 / [email protected]
Pastoral Universitária PUC-Campus II – (19) 3343-6812 / [email protected]
UC-Campinas
18 de fevereiro a 2 de março/2008
05
TV PUC
UC-Campinas estão na internet. O Site do Aluno traz informações sobre
as de financiamento, carteira de identificação estudantil, telefones e
cias), entre outras informações. Visite: www.puc-campinas.edu.br/aluno
Com mais de 3 mil programas produzidos, a TV PUC-Campinas está no
ar desde abril de 2000 pelo Canal 10 (Canal
Universitário Campinas) da NET, que
abrange Campinas e Indaiatuba. São quatro
horas diárias de uma programação compromissada com a informação de qualidade, com a promoção da educação, da diversidade cultural, da
divulgação científica e da produção acadêmica e também com a prestação de serviço. É
um canal de comunicação com a comuAs Práticas de Formação, proposta inovadora da
nidade interna e de interface da
PUC-Campinas, são atividades obrigatórias em
PUC-Campinas com a
seu curso e enfatizam o conhecimento
sociedade.
interdisciplinar, possibilitando constante
atualização curricular pela riqueza de temas
oferecidos. A partir do 2º período do curso
(2º semestre/2008), os alunos ingressantes poderão
optar pelas atividades de Práticas de Formação.
Informações: [email protected]
rte (CCA) é
e se expressar
ral ou artística.
rio, Big Band,
e Grupo de
ara os grupos
ereiro, pela
também pode
nscritos
eceberão
) 3343-7282 ou
PRÁTICAS DE FORMAÇÃO -
ESTÁGIO - A PUC-Campinas possui parceria
com aproximadamente mil instituições do ramo
empresarial e de órgãos públicos. Mais de oito
mil estudantes da PUC-Campinas fazem estágio enquanto cursam a faculdade. Essa atividade
possibilita ao aluno que haja uma relação entre
a teoria e a prática. Procure mais informações
na Diretoria do seu curso.
M-INFORMADO
Da Redação
@puc-campinas.edu.br
A PUC-CAMPINAS PROÍBE QUALQUER TIPO DE TROTE. A
UNIVERSIDADE DISPÕE DA RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 016/05
QUE ESTABELECE A PUNIÇÃO AOS VETERANOS QUE
PRATICAREM ATOS AGRESSIVOS CONTRA OS CALOUROS. TODO
ESTUDANTE QUE SE SENTIR CONSTRANGIDO,
HUMILHADO E AGREDIDO DEVE FORMALIZAR DENÚNCIA NA
DIRETORIA DA FACULDADE OU DE CENTRO AO QUAL
PERTENCE. A RESOLUÇÃO PODE SER ENCONTRADA
NO SITE DO ALUNO (www.puc-campinas.edu.br/aluno).
a chegada à universidade também traz uma série de incertezas
sa dos pais e a companhia dos velhos amigos para enfrentar o
moradia e as novas responsabilidades. Para tornar esse momen"se sintam em casa" rapidamente, o Jornal da PUC-Campinas
ela Universidade. Aqui você vai encontrar informações imporpções de atividades que ajudarão na adaptação dessa nova reale conferir na página 08 os mapas dos Campi I e II.
OTECA - O Sistema de Bibliotecas
Biblioteca da Faculdade de Direito
Tel.: (019) 3735-5874 / 5846
mação (SBI) da PUC-Campinas é uma
rmada por quatro bibliotecas universiBiblioteca do CCV – Campus II
uma biblioteca de Ensino Médio e
Tel.: (19) 3343-6860
mental. O acervo é constituído por mateBiblioteca do Campus I – Unidade 1
resso, como livros, periódicos (revistas
Tel.: (19) 3343-7239
as), dissertações e teses, relatórios, folheBiblioteca do Campus I – Unidade 2
utros. O acervo digital é representado
Tel.: (19) 3343-7049
ormação em diversos suportes como
OM, DVD , fitas de áudio e vídeo, além de bases de dados referenciais e de texto comO acesso à informação pode ser feito pela internet, por meio do catálogo online
uc-campinas.edu.br/biblioteca), pela Biblioteca Digital de Dissertações e Teses da
ampinas (www.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br). O acesso às bases de dados
dicos eletrônicos estrangeiros é feito pela intranet ou por meio de senha. O SBI intertal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
. Para empréstimo de material impresso e multimídia, basta apresentar a carteiriPUC-Campinas.
ra reuniões de grupos católicos e/ou ecus, a Pastoral Universitária desenvolve uma
nidade na Universidade, entre outras.
puc-campinas.edu.br
@puc-campinas.edu.br
[email protected]
CACI
A Coordenadoria Geral de
Atenção à Comunidade
Interna (CACI) desenvolve
várias atividades esportivas
e culturais para a
comunidade interna
(alunos, docentes
e funcionários).
Informações:
(19) 3343-7216 ou
[email protected]
INICIAÇÃO CIENTÍFICA - A Iniciação
Restaurante
Local
Como chama
Composição
Preço
Bartin
Campus II
Prato do Aluno
Arroz, feijão, guarnição e salada
servidos à vontade no self-service
e 01 porção de carne (120g)
R$ 6,60
Afrodite
Arroz, feijão, guarnição e salada
Campus II Prato Universitário servidos à vontade no self-service
e 01 porção de carne (120g)
R$ 7,90
República
do Café
Campus I
Prato do Dia
Arroz, feijão, salada, guarnição
e 01 porção de carne (120g)
R$ 5,00 (júnior)
R$ 7,00 (do dia)
R$ 8,00 (mega)
Científica consolida a missão da Universidade ao
voltar-se à formação intelectual do aluno de graduação, proporcionando-lhe o convívio com o
ambiente cultural de um dos 67 Grupos de Pesquisa
da PUC-Campinas. Podem participar alunos regulares de graduação que tenham integralizado um
número de disciplinas suficientes para o cumprimento dos Planos de Trabalho de Pesquisa de
Iniciação Científica (IC), propostos sob a orientação de um docente pesquisador da Universidade, e
que estejam em condição de completar integralmente o período de vigência da bolsa como alunos
regulares. A inscrição para as atividades de IC se dá
no mês de fevereiro e deve ser feita pelo docente
orientador, no Site do Professor. Recomenda-se que
os alunos entrem em contato com os docentes pesquisadores da área de interesse.
DSSA -
O Departamento de Serviço Social ao Aluno (DSSA) orienta
os alunos sobre programas específicos de bolsa de estudo (Fies e ProUni)
e presta um serviço de indicação de pensionatos previamente visitados
pelas assistentes sociais da Universidade e imobiliárias que trabalham
com locação para estudantes. A divulgação é feita pela internet
(www.puc-campinas.edu.br), onde também é possível encontrar
ofertas de serviços de transportes. As informações sobre transportes e
moradias são renovadas no início da cada ano letivo.
Informações: (19) 3343-7253 ou [email protected]
DRE -
A PUC-Campinas oferece oportunidades
para quem quer expandir os horizontes e ter
experiências novas. O Departamento de Relações
Externas (DRE) oferece orientação àqueles que
pretendem estudar ou fazer estágios no exterior.
Informações: [email protected]
18 de fevereiro a 2 de março/2008
06
Jornal da PUC-Campinas
Entrevista
A todos, bem-vindos
Da Redação
[email protected]
O reitor da PUC-Campinas, padre Wilson Denadai, chega à metade de sua gestão feliz por um “biênio de
muitas transformações na Universidade”. “Acredito que tudo o que foi realizado nesse biênio terá repercussões para as décadas vindouras”, afirmou. É nesse clima de satisfação, que o reitor saúda os ingressantes e também os demais alunos, professores e funcionários. Nesta entrevista ao Jornal da PUC-Campinas, Denadai
falou dos planos da Instituição, da concentração das atividades da Universidade nos Campi I e II e as recomendações para calouros e veteranos sobre as comemorações do início do ano letivo. Denadai é graduado
em Filosofia, Psicologia e Teologia, com mestrado em Psicologia. Entre várias funções sacerdotais, foi capelão do Hospital de Clínicas da Unicamp por 12 anos. O reitor é professor da PUC-Campinas desde 1986. Foi
coordenador do Departamento de Teologia Prática e vice-diretor do então Instituto de Teologia e Ciências
Religiosas, em 1993. Em 2002, foi indicado vice-reitor na gestão do professor padre José Benedito de Almeida
David. Em 2003, assumiu também a função de gestor executivo do Plano Estratégico Institucional (PEs), que
indicou as diretrizes e metas da PUC-Campinas até 2010. Leia abaixo os principais trechos da entrevista.
O
Ricardo Lima
à ampliação dos acessos, inclusive nos encaminhamentos ao poder público no passado. Agora,
há um projeto em andamento, já em fase de finalização, para a criação de uma nova via de acesso. A expectativa é que já a tenhamos para o primeiro semestre deste ano. Cremos que essa ação
refletirá na questão da segurança. Na medida em
que diversificamos os acessos, criamos um fator
dificultador para a ação de marginais. A PróReitoria de Administração também tem desenvolvido um projeto chamado “Comunidade
Cidadã”, que apontará quais medidas tomar internamente. O que também poderá refletir na segurança é o redesenho das competências que eram
da Sociedade Mantenedora e que passam a ser
geridas pela Universidade. Também estamos
abrindo, neste ano, um curso de especialização,
em parceria com o Ministério da Justiça, para o
aprimoramento de agentes de segurança no serviço público.
Jornal da PUC-Campinas - Como o senhor
avalia a primeira metade da sua gestão, que
se estenderá até janeiro de 2010?
Padre Wilson Denadai - Quem chega para ser
o reitor da Universidade deve gerir o plano
que a PUC-Campinas desenvolveu para o
qüinqüênio, com a participação de todos os
seus segmentos, o chamado Plano de
Desenvolvimento Institucional (PDI). Considero que, nesta gestão, tivemos um biênio de
muito trabalho e muitas transformações na
Universidade. Por exemplo, a implantação do
Plano de Carreira Docente, a reformulação
da Secretaria-Geral, a criação da figura do gestor pleno de tecnologia da informação, o novo
entendimento do modelo de gestão mais participativa, que faz com que o corpo de gestores não se limite ao reitor, vice-reitora e próreitores, mas a todos os segmentos. Acredito
que tudo o que foi realizado nesse biênio terá
repercussões para as décadas vindouras.
JP - “Em 2010, a PUC-Campinas será reconhecida pela excelência de suas atividades de
ensino, pesquisa e extensão; interação com a
sociedade; relevância social de seus projetos
e formação de profissionais para atuação no
mundo contemporâneo. Será, ainda, referência pela produção, sistematização e socialização de conhecimento, pelo modelo de
gestão universitária e pelo ambiente criativo
e plural”. O quanto a Universidade já conquistou
dessas metas?
Padre Wilson Denadai - Muitas metas já são realidades, como a existência de 1/3 dos docentes em regime de 40 horas para o desenvolvimento de projetos e planos de trabalho, na pesquisa e extensão, e
o recém-lançado processo de avaliação de ensino,
com a participação de toda a comunidade. A reformulação das competências da Sociedade
Mantenedora da PUC-Campinas e da própria administração da Universidade, visando a autonomia
constitucional de gestão acadêmica, administrativa,
financeira, patrimonial e disciplinar da Universidade.
Nesses dois anos, nossos processos passaram a ser
acompanhados por sistemas de informação, que
trazem maior qualificação e agilidade. São exemplos
que nos deixam otimistas para podermos alcançar
aquilo que temos desenhado como visão de futuro na próxima década.
JP - Neste ano, o Campus I recebe os alunos das
Faculdades de Educação, Letras, Biblioteconomia
e Ciência da Informação. Qual é o objetivo dessa
transferência de campus?
Padre Wilson Denadai - A decisão de concentrar as
atividades da Universidade nos Campi I e II foi tomada em anos anteriores. Já o Campus Central passaria a ser o local da origem da Universidade, mais
“ESTA UNIVERSIDADE NÃO PERMITE
TROTE, MAS INCENTIVA, SIM, ESSE
MOMENTO DE ALEGRIA ENTRE
OS VETERANOS E INGRESSANTES”
dedicado ao cultivo de suas ações culturais. A concentração dos cursos nesses campi possibilita desfrutar de uma alegre convivência em um ambiente
agradável. Acreditamos que seja muito importante
para nossos estudantes ter essa vivência universitária como um todo, pois permite a troca de aprendizado entre pessoas de diferentes áreas do conhecimento e com valores diversos. Além disso, essa concentração é fundamental para tornar plena realidade
a nova estrutura da Universidade, que visa, sobretudo, a não-fragmentação das áreas do saber, bem como
de suas atividades-fim: ensino, pesquisa e extensão.
JP - Há previsão para a Faculdade de Direito ser
transferida para o Campus I?
Padre Wilson Denadai - Ainda não. Precisamos,
antes, resolver questões básicas de infra-estrutura
e uma madura avaliação dos atuais Centros e seu
funcionamento nesses seis anos de existência.
JP - Quais os projetos da Universidade em relação
à segurança de seus campi e para melhorar o acesso ao Campus I em horários de entrada e saída de
alunos?
Padre Wilson Denadai - Ambas as questões são, há
anos, motivo de preocupação dos alunos, dos funcionários e dos professores e, também, dos gestores
da Universidade. Tivemos sérias limitações quanto
JP - Começo de ano letivo é sinônimo de trote
para muitos estudantes. Qual a recomendação
que o senhor faz para os alunos da PUCCampinas nesse momento?
Padre Wilson Denadai - Começo de ano letivo é sinônimo de festa, alegria, rito de passagem, de recepção calorosa daqueles que serão
o futuro da Universidade. Trote é uma palavra
que dá conotação de castigo, submissão e violência. Esta Universidade não permite trote,
mas incentiva, sim, esse momento de alegria entre
os veteranos e ingressantes. A PUC-Campinas
incentiva iniciativas de atividades solidárias, mas
não gosto do nome “trote solidário”. Trote, não!
Isso vai contra a dignidade da pessoa. Aproveito a
oportunidade para insistir nessa direção junto aos
queridos alunos veteranos e ingressantes.
JP - Qual a mensagem que o senhor gostaria de deixar para os alunos que chegam à Universidade, em
2008, e também para os veteranos, funcionários e
professores que retomaram suas atividades?
Padre Wilson Denadai - A todos, bem-vindos. Aos
ingressantes, a certeza de que eles estão chegando
em uma Universidade séria, competente, que busca ser melhor, reconhece deficiências e trabalha para
saná-las. Uma Universidade que é católica, pontifícia e que tem a preocupação de formar profissionais com a integralidade de seu ser pessoa humana: com ética e competência. Um trabalho voltado
para formar profissionais excelentes, mas, também,
pessoas felizes. Aos veteranos, professores e funcionários, nossa alegria de retomarmos nossa atividade conjuntamente. São colaboradores sérios e
generosos nesse trabalho que realizamos há mais
de 65 anos. Aos formandos de 2007 quero dizer que
são e serão sempre PUC-Campinas. Nossa casa
continua de portas abertas.
Jornal da PUC-Campinas
18 de fevereiro a 2 de março/2008
07
MURAL
Tina Coelho/Divulgação
.
.
.
o
r
i
e
r
e
v
Em fe
!
l
a
v
i
t
s
e
f
m
te
D
ivu
lga
çã
o
Divulgação
Até o dia 29, o
6º Feverestival –
Festival
Internacional de
Teatro de
Campinas – traz
uma extensa
programação,
que inclui mesas
redondas,
espetáculos
teatrais
e workshops
O ator e
palhaço Ricardo
Puccetti, do Lume;
abaixo, à esquerda,
o palhaço
Chacovachi,
por Fernando
Cavarozzi, com
"Cuidado! Um
Payaso Malo
Puede Aruinar
Tu Vida"; à direita,
o espetáculo-solo
"Adágio", de
Sabine Uitz
>> Serviço
Espaço Cultural Semente - Avenida Santa Isabel, 2.070
Informações: (19) 3289-8011
Sesc Campinas - Rua Dom José 1º, 270
Informações: (19) 3737-1515
www.feverestival.com.br
Adriana Furtado
[email protected]
O
pções de cultura e lazer não faltarão para calouros
e veteranos neste período de volta às aulas.
Apresentações de teatro, dança, exposições, festivais, entre tantas outras atividades, darão o tom artístico
durante o mês de fevereiro em Campinas.
Até 29 de fevereiro, a moçada que curte teatro não pode
deixar de conferir o 6º Feverestival (Festival Internacional de
Teatro de Campinas). Neste ano, o evento amplia sua relação com a cidade, extrapolando os limites de Barão Geraldo,
que tradicionalmente sedia o evento. Além de uma mostra
de teatro, o Festival promove o encontro e intercâmbio entre
artistas de várias regiões do Brasil e do mundo com o objetivo de fazer uma reflexão sobre a prática da cultura.
Entre a extensa programação do evento estão a realização
Os atores
Marcela Leal,
Danilo Gentili
e Oscar Filho
Um banquinho, microfone e pedestal são os
únicos elementos que servem de cenário
para os atores que integram o Clube da
Comédia Stand-Up, em cartaz até o dia 28
de fevereiro no Teatro TIM, no Parque Dom
Pedro Shopping. O espetáculo mostra, de
maneira divertida, situações do dia-a-dia,
com textos dos próprios humoristas. As
apresentações campineiras contam com os
atores Marcela Leal, Danilo Gentili e Oscar Filho, no elenco fixo, além de participações especiais de outros atores.
Os humoristas revezam-se no palco e cada esquete tem duração de cerca de 15 minutos. O espetáculo inteiro tem
70 minutos de duração e ocorre às quartas e quintas-feiras, às 21h e às 22h30. Os ingressos custam R$ 20,00.
Informações: www.teatrotim.com.br
Divulgação
Clube da Comédia Stand-Up
de mesas redondas, espetáculos teatrais e workshops.
Produzido por um núcleo independente de artistas locais,
agora em co-realização com o Sesc Campinas e outros apoios,
o Feverestival contará com atrações internacionais, como o
Centro de Produção Teatral Via Rosse, da Itália, que traz o
espetáculo-solo “Adágio”, de Sabine Uitz. Da Argentina,
vem o palhaço Chacovachi, por Fernando Cavarozzi, com
“Cuidado! Um Payaso Malo Puede Aruinar Tu Vida”.
Já a brasileira Invisível Companhia apresenta a performance “Limite”, com cinco atores a bordo de um vagão
de trem na desativada ferroviária na região central de
Campinas. Outro espaço alternativo do Festival será utilizado pelo ator e palhaço Ricardo Puccetti, do Lume, que
percorrerá pontos da cidade e da região em uma Kombi.
Ainda haverá apresentações no Sesc Campinas e no Espaço
Cultural Semente.
Clicando Campinas
O Museu da Imagem e do Som (MIS), de Campinas,
recebe, até o dia 20 deste mês, material para
o 1º Concurso de Fotografia de Campinas, que
premiará as cinco melhores fotos que tenham a cidade
como tema. Podem participar do concurso fotógrafos
amadores e profissionais de todo o Brasil. Os trabalhos
deverão ser enviados pelos Correios ou entregues
pessoalmente na Rua Regente Feijó, 859,
CEP13013-051. A divulgação dos ganhadores e a
apresentação das obras ocorrerão no dia 20 de março. Já
no dia 21 de abril será realizada uma exposição dos
trabalhos. Informações: (19) 3236-7851 ou no site:
www.campinas.sp.gov.br/cultura/museus/mis/concurso/
18 de fevereiro a 2 de março/2008
08
CAPELA
Jornal da PUC-Campinas
Download

O ano letivo de 2008 começou e para dar as boas - PUC