José Sal0mão Schwartzman
Universidade Presbiteriana Mackenzie
nutrientes e fatores de crescimento regulam
o desenvolvimento cerebral no período fetal
e pós-natal precoce
o cérebro imaturo é mais vulnerável à
deficiências nutricionais
o cérebro imaturo é mais plástico
nutrientes que têm maior importância nesta
fase do desenvolvimento:
proteínas
energia
certos lipídios
ferro
cobre
iodo
selênio
vitamina A
colina
folato
Georgieff, 2007
os efeitos de qualquer distúrbio (carência ou
excesso) nutricional dependerão de vários
fatores:
etapa do desenvolvimento
amplitude
duração
os efeitos de qualquer distúrbio (carência ou
excesso) nutricional dependerão de vários
fatores:
fatores de proteção:
resiliência
estimulação ambiental/parental
para uma determinada região cerebral:
agressões nutricionais precoces determinarão
prejuízos na proliferação celular
agressões mais tardias levarão a prejuízos na
diferenciação celular:
tamanho e complexidade dos neurônios
sinaptogênese
arborização dendrítica
agressões nutricionais podem levar a :
alterações neuroquímicas:
alterações na síntese de neurotransmissores/receptores
alterações no mecanismo da recaptação
alterações neurofisiológicas:
anormalidades na propagação dos impulsos
as alterações provocadas podem ser definitivas e
permanecer mesmo após a correção dos déficits
nutricionais
0
1
2
3
4
5
estágio
desenvolvimento
indução
proliferação
e migração
dos
neuroblastos
e neurônios
eventos
morfológicos
aberrações
placa neural
morte
tubo neural, clivagem
telencéfalo, vesiculas
ópticas
anencefalia,
mielomeningocele, Chiari
e holoprosencefalia
hemisférios e
raízes dos nervos
fissuras
maiores e
corpo caloso
microcefalia
vera,
esquizencefalia,
lisencefalia,
agenesia do
corpo caloso,
facomatoses
6
migração neuronal
7
8
diferenciação
neuronal
proliferação da glia
mielinização
nascimento
giros, sulcos
secundários e
terciários
desarranjos
citoarquitetônicos
sutis
0
1
2
3
4
5
estágio
desenvolvimento
indução
proliferação
e migração
dos
neuroblastos
e neurônios
eventos
morfológicos
aberrações
placa neural
morte
tubo neural, clivagem
telencéfalo, vesiculas
ópticas
anencefalia,
mielomeningocele, Chiari
e holoprosencefalia
hemisférios e
raízes dos nervos
fissuras
maiores e
corpo caloso
microcefalia
vera,
esquizencefalia,
lisencefalia,
agenesia do
corpo caloso,
facomatoses
6
migração neuronal
7
8
diferenciação
neuronal
giros, sulcos
secundários e
terciários
proliferação da glia
mielinização
nascimento
22 a 44 semanas
Georgieff, 2007
desarranjos
citoarquitetônicos
sutis
neurônios em recém-nascidos e adultos
modificações no córtex cerebral de 0 a 2 anos
sinapses / mm3
sinapses total
densidade sináptica e número de sinapses na área 17 em função da idade
recém-nascido
6 anos
adulto
em modelos animais reduz o conteúdo de
DNA e RNA e altera o perfil dos ácidos
graxos:
redução no número global de neurônios
diminuição síntese protéica
déficits na mielinização
a redução de proteínas, da concentração do fator de
crescimento e de produção de neurotransmissores
diminui, de forma global, o tamanho do encéfalo
o córtex cerebral, o cerebelo e o hipocampo parecem ser
particularmente vulneráveis
em crianças nascidas a termo que morreram em razão de
severa privação alimentar durante o primeiro ano de vida
foi constatada redução de 15% a 20% no número total de
células cerebrais (Winick, 1975)
freqüentemente causada por severa
desnutrição materna e/ou hipertensão
arterial:
retardo no crescimento intra-uterino
podem apresentar dificuldades cognitivas
prejuízos na memória visual e auditiva
atraso psicomotor, adaptativo, da linguagem e
pessoal (testes de Gesell, Catell e Bayley)
segundo Cravioto, Milán e Villicaña (1996):
associação direta entre desnutrição e baixo
rendimento intelectual
associação direta entre peso/estatura de crianças
desnutridas e atraso no desenvolvimento
psicomotor e da linguagem, dificuldades para
resolver problemas, prejuízos na coordenação
visuo-motora e habilidades de categorização
segundo Cravioto, Milán e Villicaña (1996):
crianças com desnutrição crônica com atraso no
crescimento físico e maturação bioquímica
apresentam:
atraso no desenvolvimento motor
atraso no desenvolvimento auditivo e na linguagem
atraso no comportamento social
nível intelectual inferior ao de seus irmãos mesmo
após a correção da desnutrição
incorporado pelo feto durante o último
trimestre
necessário para processos básicos:
mielinização
produção de neurotransmissores
metabolismo energético
deficiência no período fetal e neonatal:
redução no metabolismo oxidativo no
hipocampo e córtex frontal
aumento no conteúdo intracelular (neuronal)
de glutamato
redução concentração de dopamina no corpo
estriado
alteração no perfil dos ácidos graxos e da
mielina de forma generalizada
deficiência durante a gestação ou no período
neonatal:
alterações na neurogênese
anormalidades na diferenciação de certas células
cerebrais notamente do oligodendrócito
estas alterações parecem ser duradouras e
resistentes à oferta posterior do ferro
ocorrem alterações nas vias dopaminérgicas
anormalidades na síntese e catabolismo das
monoaminas
redução na atividade da citocromo-oxidase com
alterações metabólicas no hipocampo
esses processos biológicos afetados pela
carência em ferro não são excludentes e podem
ser cumulativos
segundo Cravioto, Milán e Villicaña (1996):
deficiência de ferro se relaciona com
alterações do desenvolvimento mental mesmo na
ausência de anemia
alterações de conduta
diminuição das medidas de inteligência
nutriente essencial e abundante no cérebro
10% a 15% do total presente se localizam no interior das
vesículas pré-sinápticas de certos terminais glutaminérgicos,
particularmente no sistema límbico
a privação em zinco afeta a homeostase desse metal no
cérebro e, por conseqüência as regiões ricas em vesículas
contendo zinco, como o hipocampo, por exemplo,podendo
levar à disfunções na aprendizagem e olfativas
elemento essencial para :
proteínas envolvidas no metabolismo energético
metabolismo da dopamina
atividade antioxidante
aproveitamento do ferro pelo cérebro no período
fetal e neonatal
em roedores o cerebelo parece ser
particularmente sensível ao déficit pré-natal em
cobre levando a efeitos duradouros sobre a função
motora, equilíbrio e coordenação
ácidos graxos poliinsaturados pertencentes
às famílias ômega-3 e ômega 6, ingeridos
pela dieta
podem ser AGCC, AGCM , AGCL e AGCML
o ácido docosaexaenóico (DHA) é importante
na estrutura da membrana neuronal,
sinaptogênese e mielinização
há evidências de que a suplementação de fórmulas
lácteas com DHA induzem efeitos positivos significativos
no que diz respeito ao desenvolvimento da retina e
cognição em crianças prematuras (avaliados pelo
eletroretinograma, acuidade visual e desenvolvimento
global)
parece que facilitam o desenvolvimento de uma teoria da
mente
autismo: teorias psicológicas
teoria da mente (mindblindness)
teste da falsa-crença (teste de Anne/Sally)
de Wimmer e Perner (1983)
temos evidências de que déficits nutricionais em
períodos críticos podem ser responsáveis por prejuízos
na anatomia, fisiologia e habilidades cognitivas que
dependem da integridade anátomo-funcional do SNC
alguns destes prejuízos podem persistir, ainda que
atenuados, mesmo após a correção dos déficits
nutricionais
não podemos deixar de levar em conta fatores de
proteção tais como resiliência e estimulação
ambiental/parental
www.schwartzman.com.br
josess@terra.com.br
Download

nutrição e desenvolvimento do sistema nervoso