Orientando
Anderson Elias(aen@cin.ufpe.br)
Orientador
Eduardo Tavares (eagt@cin.ufpe.br)
Modelo de desempenho da Logística de
Suprimentos, em uma indústria de café.
Roteiro
•
•
•
•
•
•
•
Introdução
Motivação
Objetivos
Fluxo
Modelo Formal (GSPN)
Métricas
Próximos Passos
– Estratégia de Coleta de Dados
• Referências
Introdução
• As empresas através do gerenciamento da cadeia de suprimento (Supply
Chain Management – SCM) objetivam principalmente aumentar de forma
considerável o valor percebido dos seus produtos que serão entregues ao
consumidor final.
• A gestão da cadeia de suprimento visa atingir o equilíbrio entre o custo e
o nível do produto para o cliente que se resume no alcance de vantagens
competitivas da empresa.
Introdução
Dois macro-processos subdividem a logística da cadeia de
suprimentos:
 Logística de suprimentos (Logística de Entrada) – Responsável pela
movimentação e armazenagem de matérias-primas até a manufatura.
 Planejamento de
Estoque.
Aquisição, Produção e Processo de Controle de
 Logística de distribuição (Logística de Saída) – Refere-se às diferentes
atividades realizadas desde a manufatura do produto, até a sua
entrega no cliente final.
 Processo de Distribuição e Logística.
Motivação
• Os gestores das áreas envolvidas, procuram atender a critérios de
desempenho satisfatórios, e evitar gargalos em subprocessos que podem
chegar à impactar em toda cadeia de suprimento.
• Quando há uma grande variabilidade nos pedidos, mais preciso deve ser o
valor adotado para o estoque de segurança.
• Um dos modelos formais mais utilizados para representar cadeias de
suprimentos é Redes de Petri. Onde especificações e modelagens de sistemas
concorrentes e estocásticos podem ser representados.
Objetivo
• O foco deste trabalho será na avaliação de desempenho da logística de
suprimento das cadeias de suprimentos.
– Fornecimento das matérias-primas para fabricação do produto,
– Controle de inventário
– Armazenagem do produto final de forma estratégica até seguir para os
centros de distribuições.
• Serão construídos modelos formais de Redes de Petri Estocástica para
demonstrar aspectos relevantes da logística de suprimento.
• Sugerir melhorias no processo da Logística de Suprimentos.
Fluxo (Visão Macro)
Modelo – Rede de Petri Estocástica
• Processo caracterizado como Logística de Entrada (Aquisição de MatériaPrima).
Modelo – Rede de Petri Estocástica
• Processo caracterizado como Logística Interna (manufatura e direcionamento
do produto final).
Modelo – Rede de Petri Estocástica
• Processo caracterizado como Logística de Saída (Acomodação do produto
final e avariado).
Modelo – Rede de Petri Estocástica
LOGÍSTICA INTERNA
LOGÍSTICA DE SAÍDA
LOGÍSTICA DE
ENTRADA
• Logística da aquisição da matéria-prima,
confecção e estoque do produto final, e
produtos com avarias. (Visão completa)
Métricas
• Gerenciar o estoque das diversas entidades ao longo da cadeia de
suprimentos.
–
–
–
–
Média do Estoque do Almoxarifado: E{#Estoque_Almoxarifado}
Probabilidade de Recebimento dos Fornecedores: P{#Recebimento>0}
Média do Estoque de Itens Produzidos: E{#ProdutoOK}
Média de itens com Avarias: E{#Avaria}
• A Probabilidade do estoque está abaixo do nível de segurança.
– Probabilidade do Estoque de Segurança da Produção: P{#ProdutoOK = Num_Aceitavel}
– Probabilidade do Estoque de Segurança do Almoxarifado: P{# Estoque_Almoxarifado =
Num_Aceitavel}
• Throughput de transições temporizadas(representando atrasos logísticos).
– Vazão da Matéria Prima na Máquina: P{#Mat_Prima>0}*(1/Taxa_Mat_Prima)
– Vazão de ProdutosOK: P{#ProdutoOK>0}*(1/Taxa_Producao)
Próximos Passos
Estratégia de Coleta de Dados
• Será realizado coleta de dados através do sistemas de gestão.
– No Almoxarifado (Quando solicita matéria-prima ao setor de compras) e quando
libera estes para o setor de produção.
– No Setor de Compras quando gera as ordens de compras e atualiza a
programação de recebimento destas mercadorias.
– No Setor de Recebimento de mercadorias quando estas chegam de fato à
empresa e são endereçadas ao setor de almoxarifado.
• Será coletado dados do maquinário industrial que fazem parte do processo
de produção e estas consomem insumos e matéria-prima.
• Será ainda coletado dados financeiros para comparativo de custos.
Referências
•
•
•
•
•
•
•
•
B. M. Beamon, “Supply chain design and analysis: models and methods”, Int. J. Prod. Econ., Vol.
55, No. 3, pp. 281-294, 1998.;
L. Amodeo, H. X. Chen, and A. E. Hadji, “Supply chain inventory optimization with multiple
objectives: an industrial case study”, Advances in Computational Intelligence, SCI 144, pp. 211230, 2008.
JUNIOR, G. A. A. Avaliação de Desempenho de Cadeias de Suprimento utilizando Componentes
GSPN. 2007. 234 f. Tese (Mestrado em Ciência da Computação) - Centro de Informática,
Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2007.
JIANG Yanhui, YAO Kaohua. “Emergency Supply Chain Integration based on Petri Net Thoery”.
International Conference on E-Business and E-Government. 2010
Xiaoling Zhang, Qiang Lu, Teresa Wu. Petri-Net Based Application for Supply Chain Management:
An Overview - Sponsor and Financial Support: National Natural Science Foundation of China.
2009
H. L. Lee, V. Padmanabhan, and S. Whang. The Bullwhip Eect in Supply Chain. Sloan Management
Review, 38(3), 1997.
G. Balbo. Introduction to Stochastic Petri Nets. LNCS 2090, pages 84pp, 2001.
M. A. Marsan, G. Balbo, G. Conte, S. Donatelli, and G. Franceschinis. Modelling with Generalized
Stochastic Petri Nets. John Wiley and Sons, 1995.
Download

Modelo de desempenho da Logística de Suprimentos