SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO E AULA
INAUGURAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM ED.
CAMPO
A Educação do Campo e o Movimento
Histórico Sociopolítico de sua construção:
Concepções, Marcos e Perspectivas
 Maria Antônia de Souza
 Profa. do PPGEd Mestrado e Doutorado em Educação – UTP.
 Profa. do Curso de Pedagogia – UEPG.
 maria.antonia@pq.cnpq.br
Objetivos:
 Análise de conjuntura do Movimento da
Educação do Campo.
 Educação do Campo como fruto das lutas dos
trabalhadores por terra e por reforma agrária.
 Processo de construção da Educação do
Campo
 Concepções
 Marcos
 Perspectivas
Temas para debate
 Contexto da Educação do Campo no
Brasil.
 Políticas e Práticas da Educação do
Campo.
 Escolas do Campo: principais desafios
Contexto da Educação do Campo
 ASSENTAMENTOS DE REFORMA AGRÁRIA
 8.472 novembro/2009
 901.823 famílias assentadas, 2.000 municípios.
 PRONERA – Programa Nacional de Educação na
Reforma Agrária
 89 projetos
 380 mil assentados foram “atendidos”
 47 universidades envolvidas
 16 institutos e escolas técnicas
 21.995 jovens matriculados em cursos e projetos
de escolarização.
Contexto da Educação do Campo
 Existência de povos que sobrevivem do e no
campo.
 Luta intensificada no contexto da reforma
agrária.
 Lutas e movimentos pela educação são
históricos no Brasil. Novidade: luta por
educação do campo.
Contexto da luta por Educação
do Campo
 Base: sociedade de classes
 Exploração e Expropriação dos trabalhadores
 Revelada nos baixos Índices de Desenvolvimento
Humano – IDH.
 Escola: instituição de “reprodução ideológica”
 Estado: entre direitos e deveres e entre interesses de
classes.
 Nova face: aproximação dos movimentos sociais do
Estado (gera modificações nas relações no interior
dos grupos e no interior das instâncias
governamentais).
 Força ideológica conservadora a ser superada...
A luta pela Educação do Campo
confronta interesses sociais.
 Interesse do Estado como “aparelho” da
classe dominante.
 Confronta
duas lógicas educacionais:
reprodutora x transformadora.
 Confronta duas concepções políticas de
educação: para os povos do campo x dos
povos do campo.
 Potencializa a formação de uma esfera
pública.
Contexto da Ed. do Campo
 Esfera pública
 "[...] ela se torna a arena onde se dá tanto o
amálgama da vontade coletiva quanto a
justificação das decisões políticas previamente
acertadas" (p.15). Para Costa, não se trata de
pensar esferas públicas "[...] paralelas e
separadas da 'esfera pública burguesa'. Ainda que
preservem os seus mecanismos próprios de
comunicação, tais movimentos e organizações
interagem com o Estado e as instituições"
(COSTA, 2002, p.36).
Contexto da Educação do Campo:
protagonismo da sociedade civil
 [...] o compromisso ético e a opção pelo
desenvolvimento de propostas que tenham
por base o protagonismo da sociedade civil
exige uma clara vontade política das forças
democráticas organizadas para a construção
de uma nova sociedade e de um espaço
público diferente do modelo neoliberal,
construído em cima de exclusões e injustiças
(GOHN, 2005, p.113).
Concepções de Educação do Campo
 Educação Rural: Centralidade da decisão no




Estado e nos governos.
Educação do Campo: Centralidade dos
processos
educativos
–
sociedade/
movimentos sociais.
Escola?
Educação Pública?
Projeto de Sociedade/ Campo/ Educação?
MARCOS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO
 Práticas educativas do MST...; CFRs; ONG...
 Projetos de alfabetização de jovens e adultos =>
iniciados nos anos de 1990 (parcerias entre
governos e “movimentos sociais”).
 Encontros e Conferências voltadas ao debate da
educação na reforma agrária .... (Constituição de
um espaço público para debate da Educação do
Campo).
 PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO NA
REFORMA AGRÁRIA, 1998.
PRÁTICAS COLETIVAS: da Educação
Básica à Educação Superior
 Magistério da Terra – Braga, 1990.
 Pedagogia da Terra – Unijuí, 1998.
 Projetos de EJA – 1998.
 Formação de Educadores do Campo, 200_...
 Licenciatura em Educação do Campo, 2008 ..
 Geografia, Pedagogia, História, Direito, Agronomia
....
 Formação Técnica
 Formação Superior em Agroecologia – ELAA, 2005.
 Pós-Graduação Lato Sensu: cursos de Especialização.
NO MOVIMENTO DA EDUCAÇÃO DO CAMPO
 Rede Mineira de Educação do Campo/MG
 Comitê de Educação do Campo/PR
 Rede de Educação do Semi-Árido




Brasileiro/BA
Vários estados:
Articulação com Programa Saberes da Terra,
Projovem Campo, 2005.
Programa Escola Ativa, 1997.
Pronera, 1998.
O CONHECIMENTO NA LUTA SOCIAL
 “Assim, com os ‘novos movimentos sociais’,
estamos diante de um processo pedagógico –
e político, é sempre bom lembrar –
igualmente novo no horizonte das lutas
populares do campo brasileiro” (MUNARIM,
2008, p. 14).
NO MOVIMENTO DA EDUCAÇÃO DO
CAMPO...
 Grupos de pesquisas nas universidades.
 Parcerias universidades – movimentos.
 Formação
continuada:
governos
e
universidades.
 Concepção de educação em alternância:
tempo escola, tempo comunidade, tempo
pesquisa....
 Reitera-se uma concepção curricular crítica e
sociocultural.
POLÍTICAS E PRÁTICAS DA
EDUCAÇÃO DO CAMPO
 Política e prática da construção coletiva.
 Práticas em parcerias...
 Prática
de
produção
coletiva
do
conhecimento: Antunes-Rocha; Martins et al;
Molina et al; Soares; Vendramini; Assesoar;
MST...
 Prática coletiva na instância governamental:
CEdoC; produção de material pedagógico;
diretrizes curriculares; formação continuada
etc.
Que concepção de prática?
 Vázquez (1977, p.248) nos oferece a categoria
práxis criadora para se referir ao estado de
criação humana. Para ele, “O homem não vive
num constante estado criador. Ele só cria por
necessidade: cria para adaptar-se a novas
situações ou para satisfazer novas necessidades.
Repete, portanto, enquanto não se vê obrigado a
criar”. E, acrescenta o autor, que “no processo
verdadeiramente criador, a unidade de ambos os
lados do processo – o subjetivo e o objetivo, o
interior e o exterior – se apresenta de modo
indissolúvel”. (VÁZQUEZ, 1977, p. 248).
Políticas e Práticas da
Educação do Campo
 Formação inicial
 Formação continuada
 Um processo de repensar conteúdos e
metodologias.
 Gestão democrática X rotina e cultura escolar
autoritária.
 Políticas compensatórias X políticas de
formação humana e emancipação.
 Práticas reiterativas X práticas criadoras.
Políticas e Práticas da
Educação do Campo
 Programas
 Diretrizes: 2002; 2008; estaduais; decreto/2010
 Diretrizes Estaduais (PR, 2006)
 Resoluções
 Há um processo de construção pública de
políticas?
 Participação das comunidades locais não
organizadas politicamente, como vem sendo
pensada?
Escolas do Campo:
transformações em curso...
Escolas do campo:
transformações em curso...
PERSPECTIVAS
 Cultura
escolar: superar a
paradigma
tradicional
no
pedagógico.
força do
processo
Superar hierarquias.
Superar homogeneidades.
Superar fragmentação: dos conteúdos, do
processo de avaliação, da fragilização dos
conteúdos.
Ampliar a prática da pesquisa: valorização desde a
instância governamental...
PERSPECTIVAS
 Política de Estado...
 Política de governo ...
 Política dos movimentos sociais...
 Força política dos sujeitos organizados.
=> Rede de coletivos
universidades
movimentos
organizações
PERSPECTIVA
 Enfrentamento de classes.
 Fortalecimento da ideologia da Educação
Rural em políticas governamentais X
fortalecimento da Educação do Campo.
 Ampliação nacional do debate da Educação
do Campo.
 Força do conceito diversidade cultural –
Atenção!
Dilemas...
 A nossa época de crise estrutural global do capital
é também uma época histórica de transição de
uma ordem social existente para outra,
qualitativamente diferente. Essas são as duas
características fundamentais que definem o
espaço histórico e social dentro do qual os
grandes desafios para romper a lógica do capital,
e ao mesmo tempo também para elaborar planos
estratégicos para uma educação que vá além do
capital, devem se juntar. (MÉSZÁROS, 2005,
p.76)
Dilemas...
 O reconhecimento formal de direitos pelo
Estado não encerra a luta pela cidadania, por
uma
sociedade
diferente
da
que
conhecemos...
 Qual é o aspecto que há em comum entre os
povos do campo? Quais os pontos de
diferenças culturais?
A história da Educação do Campo
no Brasil...
 É a história da classe trabalhadora....
 Revoluciona relações sociais construídas pela
burguesia em diferentes momentos históricos....
 Os homens e mulheres fazem a própria história
na roça, na colônia, no sítio, na ilha, na escola...
 Homens
e
mulheres
do
campo
...
Trabalhadores(as) na lavoura e na educação.
 “Ocupar, produzir e resistir... Também na
educação” já dizia o MST nos anos de 1990...
Download

Seminário Maria Antônia