VIII ENAR
"Inventário de Acervo Raro: sua importância para
salvaguarda patrimonial"
REGISTROS DE MEMÓRIA
Muito além do inventário
Por CARLOS HENRIQUE JUVÊNCIO DA SILVA
carloshjuvsilva@yahoo.com.br
O que é “inventário”?
• Inventário cultural significa: “Levantamento
sistemático dos bens culturais, visando ao
conhecimento e à proteção do acervo de
uma determinada cultura”;
• Inventariar significa “Registrar, relacionar,
catalogar”.
Ves...tí...gios
• Rastro;
• Marca;
• Indício;
• Restos visíveis;
• Resquícios.
Ves...tí...gios
Ves...tí...gios
“É o álbum Ernesto Sena, desdobrado
agora em pastas na Col. E.S.”
OS REGISTROS DA INSTITUIÇÃO
. Livros de Tombo – pistas sobre datas de
aquisição do item, através de quem foi
adquirido, quanto custou, etc.
. Relatórios – fornecem as mesmas pistas que
os livros de tombo, mas pode conter um
histórico mais bem elaborado das
coleções/acervos.
. Manuais de serviço – nos dão pistas sobre
decisões tomadas sobre o arranjo do acervo,
seu tratamento, sua classificação, etc.
. Catálogos - bem como os olhos são o
espelho da alma, talvez a biblioteca de
alguém seja o reflexo de sua mente
BIBLIOTECA COMO COLECIONADORA
[...] nos lembremos que quão importante é para
cada colecionador não só o seu objeto, mas
também todo o passado deste, tanto aquele que
faz parte de sua gênese e qualificação objetiva,
quanto os detalhes de sua história
aparentemente exterior: proprietários anteriores,
preço de aquisição, valor etc. Tudo isso, os
dados “objetivos”, assim como os outros, forma
para o autêntico colecionador em relação a
cada uma de suas possessões uma completa
enciclopédia mágica, uma ordem do mundo,
cujo esboço é o destino de seu objeto.
(BENJAMIN, 2006, p. 241)
A HISTÓRIA/MEMÓRIA DOS OUTROS
IMAGENS
RIOS, A. Morales de los. Carta a Ernesto Senna
encaminhando correspondência para a coleção do
destinatário. Rio de Janeiro, 1 jun. 1907. 2 doc. (4 p.).
Aut. Ms. Em espanhol. Português. I-05,19,075.
ANAIS DA BIBLIOTECA NACIONAL. Rio de Janeiro:
Biblioteca Nacional, v. 34, 1917. Anual. Disponível em:
<http://objdigital.bn.br/acervo_digital/anais/anais_039_1
917.pdf>. Acesso em: 05 ago. 2008.
REFERÊNCIAS
POMIAN, Krzstof. Coleção. In: Memória-História. Enciclopédia Einaudi, v. 1. Ed. Portuguesa.
Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1997. p. 51-86.
SILVA, Carlos H. J. Apresentação da Coleção Ernesto Senna. Anais da Biblioteca Nacional, v.
124, p. 43-45, 2008.
SILVA, Carlos H. J. A coleção de Ernesto Senna: narrativas, relatos e vestígios da sua história.
UNIRIO/Escola de Biblioteconomia, 2008. (Trabalho de Conclusão de Curso). (Prepint)
SILVA, Carlos H. J. Inventário da Coleção Ernesto Senna. Anais da Biblioteca Nacional, v. 124,
p. 46-182, 2008.
TANNO, Janete Leiko. Os acervos pessoais: memória e identidade na produção e guarda dos
registros de si. Patrimônio e Memória, São Paulo, v. 3, n. 1, 2007. Disponível em:<
http://www.assis.unesp.br/cedap/patrimonio_e_memoria/patrimonio_e_memoria_v3.n1/janete_leik
o_tanno.pdf >. Acesso em: 15 dez. 2007.
VERGUEIRO, W. Desenvolvimento de coleções. São Paulo: Editora Polis : APB, 1989.
WEITZEL, Simone R. Elaboração de uma política de desenvolvimento de coleções em
bibliotecas universitárias. Rio de Janeiro: Interciência, 2006.
REFERÊNCIAS
ABREU, Regina. Memória, história e coleção. Anais do Museu Histórico Nacional, Rio de
Janeiro, v. 28, 1996.
BENJAMIN, Walter. O colecionador. In: ___. Passagens. Belo Horizonte: Editora da UFMG; São
Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006. p. 237-246.
COLEÇÃO Ernesto Senna. Fundação Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos.
CUNHA, Maria Teresa Santos. Do baú ao arquivo: escritas de si, escritas do outro. Patrimônio e
Memória, São Paulo, v. 3, n. 1, 2007. Disponível em:
<http://www.assis.unesp.br/cedap/patrimonio_e_memoria/patrimonio_e_memoria_v3.n1/maria_ter
esa.pdf >. Acesso em: 15 dez. 2007.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Aurélio. 3. ed. Curitiba: Positivo,
2004.
GONDAR, Jô; DODEBEI, Vera (Orgs.). O que é memória social?. Rio de Janeiro: Contra Capa,
2006.
LIVRO de registro de entrada de manuscritos por compra e doação. Rio de Janeiro, 1903-1938.
Orig. Ms. 1v.
Download

REGISTROS DE MEMÓRIA Muito além do inventário