SECRETARIA DE AGRICULTURA
E ABASTECIMENTO
120 anos
Avaliação Econômica
no Gir Leiteiro
Anibal Eugênio Vercesi Filho
APTA Regional Nordeste Paulista
Melhoramento animal
• 1- O que/ qual é o melhor animal???
• Melhor pra que/quem???
• 2- Como selecionar/acasalar animais para que
suas progênies sejam melhores que a geração
parental???
1- Melhor animal:
Melhor – relativo – ambiente
Característica – observável (aparência), mensurável
Fenótipo – categoria ou nível de performance
de uma característica
Melhoramento – Alterar geneticamente uma
população.
P=G+E
G – constituição genética
E – efeito do ambiente
Analisando o Sistema
Sistema – grupo de partes interdependentes
1- Animais – genótipo/s
2- Ambiente – homem tem pouca influência
Exemplo – clima, topografia
3 – Recursos – Fazenda – Manejo
4 – Economia – custos de produção
mercado
O conhecimento da função do animal e as
interações entre o seu genótipo e os demais
componentes do sistema são necessários para se
desenvolver os OBJETIVOS DE SELEÇÃO
Interação – relação de dependência entre os
componentes do sistema
INTERAÇÃO GENÓTIPO X AMBIENTE
Produção
Ambiente
Interação – pelo menos 2 genótipos
Não tem interação
Efeito ambiente
Objetivos de seleção/Estrutura da indústria
Melhor animal – Para quem????????
Consumidor final
E
M
C
Fluxo de genes
Estrutura da população e Objetivos de
seleção
• Produtores comerciais – abastecem o
mercado
• EX: na Europa, a preocupação dos
consumidores com a saúde e bem estar
animal fizeram com que características ligadas
à esses tópicos fossem incluídas nos objetivos
de seleção reduzindo a importância de
características de produção
Objetivos de seleção – aquilo que queremos
melhorar
Fatores que afetam os Objetivos de Seleção
1- Padrão Racial
2- Promoção/Modismo
3- Informação do consumidor final
Como são melhoradas as populações
• Melhoramento – mudança genética da
população
• 1- Seleção – quais animais serão pais,
quantas progênies irão produzir e por
quanto tempo ficarão em reprodução
• 2- Acasalamento – quais machos
selecionados serão acasalados com as
fêmeas selecionadas
Seleção
• Seleção Natural – grande força evolucionária
• Seleção Artificial – indivíduos com os melhores
genes (valor genético) se reproduzem
aumentando a frequência desses genes nas
progênies.
• Seleção Fenotípica ou Massal – apenas a
informação do fenótipo da característica a ser
selecionada é levada em consideração.
• Relação entre valor genético e fenótipo HERDABILIDADE
Características Poligênicas
• Muitos genes de pequeno efeito cada.
• Seleção assistida por marcadores – aumento
da acurácia.
• Genes simples – hipertermia maligna em
suínos – exame para detectar o heterozigoto
Acasalamento
• Sistemas de acasalamento:
• 1- Valore genéticos extremos
• 2- Complementariedade
• 3- Heterose ou vigor híbrido
1- Introdução
• Segundo Groen et al (1997) o objetivo
do melhoramento animal é alterar o
mérito genético dos animais para que
estes possam produzir mais
eficientemente (em relação à geração
presente) sob condições econômicas,
biológicas e sociais futuras.
OBJETIVOS DE SELEÇÃO
• Objetivo de seleção é a combinação de
características importantes do ponto de
vista econômico dentro de um sistema
de produção. O objetivo de seleção é
aquilo que se quer melhorar.
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
• Critérios de seleção é o conjunto de
características mensuráveis através das
quais se calcula o valor genético
(breeding value) dos animais. Os
critérios de seleção dependem das
características do objetivo podendo
inclusive serem as mesmas.
PESO ECONÔMICO
É o aumento no lucro proporcionado
pela melhora em uma unidade de
uma característica mantendo as
demais os seus valores médios
Aumento do lucro por cada 1% de aumento
em cada característica
-
litros de leite
300
250
-
200
150
100
50
0
gordura
-
-
leite 3,1 mamite serv/conc fluxo lácteo vida útil
peso
idade 1o parto
Prata – 2012 – Gir Leiteiro
Consumidor final – Produtor de leite Gado
Mestiço
Sistema de pagamento diversificado
Leite – 0,32
Gordura – 0,49
Proteína – 12,06
ECSL - - 104,06
Pesos Preconizados pela ABCGIL
A
APARÊNCIA GERAL
25
C
SISTEMA MAMÁRIO
35
1
RACIAL
2
1
ÚBERE
10
2
PELE e PIGMENTAÇÃO
2
2
LIGAMENTO CENTRAL
8
3
FEMINILIDADE
8
3
QUARTO POSTERIOR
6
4
DORSO-LOMBO
5
4
QUARTO ANTERIOR
5
5
GARUPA
8
5
TETOS
4
6
VASCULARIZAÇÃO
2
B
CAPACIDADE CORPORAL
25
1
TORAX
8
D
SISTEMA LOCOMOTOR
15
2
CAPACIDADE DIGESTIVA
8
1
6
3
ESTRUTURA CORPORAL
6
MEMBROS
ANTERIORES
4
FLANCO
3
2
MEMBROS
POSTERIORES
9
VACA IDEAL OU TRUE-TYPE
Exemplo Holanda (Jong e Harbers, 2002)
• Objetivo – “Vacas que produzem muito leite com o
mínimo de problemas”
• Leite – Inet - -.15*(L) + 2*(G) + 12*(P)
• 1999 – DU – diminuição do descarte involuntário –
DPS – Durable Performance Sum
• 2001 – saúde do úbere, fertilidade, facilidade de parto (cria),
facilidade de parto (mãe)
• Efeitos na receita/custo que não ligados à produção e DU
DPS = INET + 15*(DU-100)
•
•
•
•
•
DPS = Inet + 15*(DU – 100) +
2,74 *(ùbere – 100) +
2,84 *(fertilidade – 100) +
2,33 *(facilidade parto – 100)+
1,71 *(parto mãe – 100)
• reduz os efeitos negativos da
seleção para produção na saúde do
úbere e fertilidade
produção – 67% - 57%
características funcionais – 33% 43% - Groen et al (1997) – custos de
produção
Exemplo ABS-Pecplan – Catálogo
agosto-2011
TPI –
Produção – 43% (Prot 27, gord. 16, leite 0)
Manejo – 29% (VP 9, CCS -5, DPR 11, FP -3)
Tipo – 28% (Ub 12, PP 6, FL -1, Tipo 10)
DPR – percentagem de filhas não prenhas que
emprenham a cada cio – 1% = 4 dias
Exemplo CRI – Catálogo 2011
• Mérito Líquido Vitalício
• Produção 35%: Gordura 19% Proteína 16%
• Saúde 48% : VP22%,CCS -10%, TPF11%,FP 5%
• Conformação 17%: Ub7%, PP4%,Tamanho -6%
Dra. Vera Lúcia Cardoso
Dra. Vera Lúcia Cardoso
SECRETARIA DE AGRICULTURA
E ABASTECIMENTO
120 anos
Obrigado!
pop.aevf@apta.sp.gov.br
Download

Slide 1