REUNIÃO COM ANALISTAS E
PROFISSIONAIS DE INVESTIMENTOS
Apresentação:
Sr. José Rubens de La Rosa
Sr. Carlos Zignani
Sr. José Antonio Valiati
Sr. João Luiz Borsoi
São Paulo, 11 de agosto de 2005.
AGENDA:
Parte I
Visão Geral
Parte II
Visão Setorial
Parte III
Desempenho Operacional
Parte IV
Visão do 2º Sem. 2005
Parte V
Desempenho das Ações
Parte VI
Corporação Marcopolo
Parte I:
VISÃO GERAL
A EMPRESA
ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO
• Tecnologia
• Linha completa de produtos;
• Design próprio;
• Processos/sistemas produtivos.
• Comercialização/Logística
• Presença Global: diversificação de mercados;
• Produtos customizados.
• Custos competitivos
• Verticalização;
• Recursos humanos/treinamento;
• Economias de escala.
5
continua ...
• Rentabilidade
• Geração de valor
• Governança Corporativa
• Nível II
• Tag along
• Direito de voto aos preferencialistas
• Câmara de arbitragem
• Resultados: últimos 5 anos (1999/2004)
• Aumento receitas: 3,5 vezes
• Aumento produção: 2,9 vezes
• Aumento resultados: 8,4 vezes
• Valorização da ação: 3,2 vezes
6
ESTRUTURA NO MUNDO
Fundação
agosto de 1949
Localização
Caxias do Sul-RS
Área construída total
230.873 m²
Área total
1.949.000 m²
Capacidade de produção (Brasil)
70 un/dia
Capacidade de produção (todo o grupo)
110 un/dia
Colaboradores (junho/05)
10. 591
Representantes de vendas
Caxias do Sul
Brasil 25
Exterior 32
7
Volare 64
ESTRUTURA CORPORATIVA
MARCOPOLO
Portugal
POLOPLAST
México
POLOMEX
México
CIFERAL S.A
Duque de Caxias - RJ
MARCOPOLO
Colômbia
MARCOPOLO
África do Sul
MVC
São José
dos Pinhais- PR
MVC
Catalão - GO
MARCOPOLO
Argentina
8
MVC CAXIAS DO SUL
Unidade: Caxias do Sul - RS
MARCOPOLO S.A.
Unidades: Ana Rech e Planalto
Caxias do Sul - RS
HISTÓRIA
CRONOLOGIA
Fundação da Nicola & Cia Ltda,
em Caxias do Sul - RS
Estréia das ações na BOVESPA
Aquisição da Eliziário,
e Porto Alegre - RS
1949
1970
1961
Primeira exportação para
COPSA - Uruguai
10
Introdução das técnicas
japonesas de produção
1978
1971
Alteração da razão social para
Marcopolo S.A.
Carrocerias e Ônibus
1987
1981
Inauguração da Unidade Ana Rech pelo
Presidente da República do
Brasil, Sr. João Figueiredo
continua ...
CRONOLOGIA
Inauguração da MVC Componentes
Plásticos, em São José dos Pinhais - PR
Constituição da Marcopolo Latinoamerica
em Rio Cuarto - Córdoba Argentina
Lançamento do Minibus Volare
Venda de tecnologia à
Dyna - México
1989
1992
1991
Constituição da Marcopolo Indústria de
Carrocerias, em Coimbra - Portugal
Inauguração da Escola de Formação
Profissional Marcopolo
11
Produção do ônibus 100.000
1998
1997
Certificação ISO 9001
1999
50° aniversário da Marcopolo S.A.
Aquisição da Ciferal, Duque de
Caxias - RJ
Constituição da Polomex S.A. de CV,
em Águas Calientes - México
continua ...
CRONOLOGIA
Inauguração da nova linha de montagem da
Unidade de Ana Rech pelo Presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva
Constituição das empresas Superpolo, em Bogotá
- Colômbia e Marcopolo South Africa, em
Pietesburg - África do Sul
Lançamento da linha de ônibus
rodoviários Geração 6
Adesão ao Nível 2 de Governança
Corporativa da Bovespa.
2000
2002
2004
2001
2003
Início do projeto de transferência de
tecnologia com a cidade de Chaugzson - China
Lançamento da Casa Prática, pela MVC e do ônibus
Citmax, pela Ciferal
Instituição do CEMEC - Centro Marcopolo de
Educação Corporativa
Transferência das instalações da Marcopolo
South Africa para Johanesburgo
12
55 anos de fundação da empresa, consolidando
uma organização com 8 fábricas no segmento
ônibus, 5 fábricas de produtos plásticos, mais de
10,000 colaboradores, e rede de comercialização
e pós-vendas presente nos 5 continentes
Transferência das instalações da Polomex S/A
de CV para Monterrey
Recebimento do Troféu Busbuilder of the year 2004, na
Busworld, em Kortrijk - Bélgica
Parte II:
VISÃO SETORIAL
DEMANDA DO
MERCADO MUNDIAL
• A produção é de aproximadamente 214 mil unidades/ano;
• Indústria pulverizada: grande número de pequenos fabricantes;
• O crescimento da demanda está concentrada em regiões:
• em desenvolvimento;
• com alta densidade demográfica.
• Mercados de primeiro mundo apresentam indústria madura;
Ex: EUA, Europa.
• Regiões com forte crescimento populacional tendem a demandar
transporte coletivo.
Ex: China, Índia, Rússia, Paquistão, Tailândia, Indonésia;
• Movimentos de renovação de frota são grandes impulsionadores
de demanda. Ex: América Latina, Oriente Médio e África do Sul.
15
MERCADO MUNDIAL DE ÔNIBUS
(UNIÃO EUROPÉIA) EUROPA OCIDENTAL
2000 = 26.000
EUROPA ORIENTAL E
ÍNDIA
2010 = 23.000
2000 = 48.000
2010 = 68.000
E.U.A / CANADÁ
2000 = 45.000
COREA DO SUL
2010 = 45.000
2000 = 11.000
2010 = 16.000
JAPÃO
2000 = 7.000
MÉXICO
2010 = 6.000
2000 = 9.000
SUDESTE ÁSIA
2010 = 12.000
(FAR EAST)
2000 = 6.000
2010 = 25.000
AMÉRICA CENTRAL
CHINA
E SUL / CARIBE
ÁFRICA
2000 = 33.000
2000 = 26.000
2000 = 2.000
2010 = 59.000
2010 = 30.000
2010 = 5.000
AUSTRÁLIA E PACÍFICO
2000 = 1.000
2010 = 2.000
RESUMO
2000 = 214.000
Marcopolo tem cerca de 5 a 6% do mercado Mundial
16
Fonte: Daimler Chrysler
2010 = 291.000
PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CARROCERIAS
PARA ÔNIBUS (em UF’s) E MERCADO EXTERNO (em %)
30.000
75,0%
24.676
20,6%
21.381
20.000
42,6
32,8
43,3
43,0
35,9
30,0
12.010
10.000
25,0%
6.163
5.443
6.567
0
0,0%
2003
2004
2T04
Produção Brasileira
17
50,0%
Fonte: Simefre
1T05
2T05
1S05
Mercado Externo
MARCOPOLO:
PRESENÇA MUNDIAL
E PART. NA PRODUÇÃO
BRASILEIRA
MERCADOS: PRESENÇA MUNDIAL
PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO BRASILEIRA (em %)
50,0%
47,0
47,0
47,1
46,2
40,0%
43,4
44,6
MP/
Ciferal
Busscar
30,0%
Caio/
Induscar
20,0%
Comil
10,0%
Outros
(*)
0,0%
2003
Fonte: Simefre
20
2004
2T04
1T05
2T05
1S05
(*) Irizar, Maxibus, Neobus.
Parte III:
DESEMPENHO
OPERACIONAL
DESTAQUES (em R$ milhões)
22
CONSOLIDADO
DESEMPENHO DO 2T05
Produção Total (unidades físicas)
20.000
14.362
16.500
15.938
9,3%
8.552
10.000
4.026
3.798
4.150
2T04
1T05
2T05
7.948
0
2003
2004
2005E
Receita Líquida Total (R$ milhões)
2.000,0
1.740,0
1.605,4
-4,6%
1.288,5
960,0
1.000,0
389,0
399,1
380,9
780,0
0,0
2003
23
2004
2T04
1T05
2T05
2005E
DESEMPENHO DO 2T05
Produção Exterior/Exportações
(unidades físicas)
10.000
7.500
7.049
10,7%
5.670
3.273
5.000
1.498
2.006
2.221
2T04
1T05
2T05
4.227
0
2003
2004
2005E
Receita no Exterior/Exportações
(R$ milhões)
1.000,0
940,0
846,6
636,0
-11,0%
516,8
500,0
183,2
223,9
199,3
2T04
1T05
2T05
423,2
0,0
2003
24
2004
2005E
DESEMPENHO DO TRIMESTRE
Composição da Receita Líquida
Relação das Receitas no Brasil e ME
2T05
2T05
Peças/Outros
8,4%
Rodoviários
36,0%
Chassis
3,6%
Brasil
47,7%
Volare
15,8%
Minis
1,4%
Exterior
52,3%
Micros
6,8%
Urbanos
28,0%
2T04
Peças/Outros
14,0%
Chassis
0,4%
2T04
Rodoviários
36,4%
Brasil
52,9%
Volare
13,9%
Minis
1,7%
Micros
5,8%
25
Exterior
47,1%
Urbanos
27,8%
DESEMPENHO DO 2T05
Lucro Bruto (R$ milhões)
300,0
249,8
25,0%
273,4
250,0
200,0
20,0%
19,4
17,0
150,0
19,2
74,7
100,0
13,5
13,3
53,7
50,5
50,0
13,4
15,0%
104,2
10,0%
5,0%
0,0%
0,0
2003
2004
Lucro Bruto
2T04
1T05
2T05
1S05
Margem Bruta EBITDA (em % )
EBITDA (ajustado)
(R$ milhões)
20,0%
200,0
150,0
142,4
11,1
156,0
9,7
12,6
11,5
100,0
9,7
6,9
27,6
0,0%
0,0
2003
2004
2T04
EBITDA (ajustado)
26
10,0%
47,8
44,6
50,0
75,4
1T05
2T05
1S05
Margem EBITDA (em % )
DESEMPENHO DO 2T05
Lucro Líquido (R$ milhões)
100,0
80,9
85,0
56,9%
50,0
26,2
22,8
10,2
16,0
0,0
2003
2004
2T04
1T05
2T05
1S05
Endividamento Financeiro (R$ milhões)
-6,7%
186,1
200,0
191,5
178,6
1T05
2T05
156,4
125,1
100,0
0,0
2003
27
2004
2T04
DESEMPENHO DO 2T05
Investimentos (R$ milhões)
80,0
47,5
48,9
-2,8%
40,0
30,0
13,2
7,1
6,9
16,0
14,0
2T04
1T05
2T05
2005E
0,0
2003
28
2004
Parte IV:
VISÃO DO
2º SEM. 2005
Parte V:
DESEMPENHO
DAS AÇÕES
DISTRIBUIÇÃO DAS AÇÕES ORDINÁRIAS
em 30/06/2005
3%
4% 1%
15%
12%
Controladores:
PAULO BELLINI, JOSÉ MARTINS, VALTER GOMES PINTO
BRADESCO Templeton
CENTRUS - Banco Central
BANESPREV
FUNDAÇÃO MARCOPOLO
OUTROS - MERCADO
31
65%
DISTRIBUIÇÃO DAS AÇÕES PREFERENCIAIS
em 30/06/2005
4%
24%
14%
8%
5%
23%
3%
11%
5%
1%
1% 1%
Controladores:
32
PAULO BELLINI, JOSÉ MARTINS, VALTER GOMES PINTO
BRADESCO Templeton
RAUL TESSARI
CAIXA PREV. BCO. BRASIL - PREVI
BNDES PART. S.A BNDESPAR
DYNAMO CFM
BANESPREV - FUN. BANESPA
FUNDAÇÃO MARCOPOLO
FUNDO LIBRIUM
L. PARISOTTO PARTICIPAÇÕES LTDA
ACIONISTAS NO EXTERIOR
OUTROS - MERCADO
DESEMPENHO DAS AÇÕES
Marcopolo PN x Índice Bovespa
Desempenho Acionário
POMO4 = + 123,0%
R$ 4,75
R$ 2,13
IBOVESPA = + 46,6%
25.051 pontos
33
jun/05
mar/05
dez/04
set/04
jun/04
mar/04
dez/03
set/03
jun/03
mar/03
dez/02
set/02
jun/02
mar/02
dez/01
set/01
jun/01
mar/01
dez/00
set/00
jun/00
mar/00
dez/99
17.091 pontos
DIVIDENDOS/JUROS S/CAPITAL PRÓPRIO
(em R$ milhões)
PAY OUT MÉDIO:
45,0%
90,0
80,0
70,0
60,0
49,3
48,9
50,0
40,0
44,9
37,6
40,0
30,0
20,0
10,0
0,0
2000
2001
Lucro Líquido
34
(Controladora)
2002
Pay Out (em %)
2003
2004
Dividendos
Parte VI:
CORPORAÇÃO
MARCOPOLO
NOSSAS
FÁBRICAS
MARCOPOLO - UNIDADE PLANALTO
37
Caxias do Sul - RS - Brasil
MARCOPOLO - UNIDADE ANA RECH
38
Caxias do Sul - RS - Brasil
CIFERAL INDÚSTRIA DE ÔNIBUS LTDA.
Duque de Caxias - RJ - Brasil
39
MARCOPOLO INDÚSTRIA DE CARROÇARIAS S.A.
Coimbra - Portugal
40
POLOMEX S.A. DE C.V.
Monterrey - México
41
MARCOPOLO SOUTH AFRICA (PTY) LTD.
42
Johannesburg - África do Sul
SUPERPOLO S.A.
43
Bogotá - Colômbia
TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA
Changzhou - China
44
MVC SÃO JOSÉ DOS PINHAIS
45
São José dos Pinhais - PR - Brasil
MVC CATALÃO
Catalão - GO - Brasil
46
MVC CAXIAS DO SUL
47
Caxias do Sul - RS - Brasil
MVC MÉXICO
48
Monterrey - México
NOSSOS
PRODUTOS
Paradiso 1800 DD
50
Viaggio 1050
Andare Class
51
Viale DD Sunny
Torino Bi-articulado
52
Senior
GranViale Transantiago
53
Citmax
54
Volare W8
Componentes para máquinas agrícolas
55
PROCESSO RTM - Calha de ar condicionado
Casa Prática
ANEXOS
BALANÇO PATRIMONIAL (em R$ milhões)
(pela Legislação Societária)
57
CONSOLIDADO
DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS
(em R$ milhões)
58
(pela Legislação Societária)
CONSOLIDADO
EMPRÉSTIMOS
59
CONSOLIDADO
RELAÇÕES COM INVESTIDORES
www.marcopolo.com.br
Diretor de Relações com Investidores
Sr. Carlos Zignani
E-mail: carlos.zignani@marcopolo.com.br
Fone: (54) 209.4115
Gerente de Relações com Investidores
Sr. João Luiz Borsoi
E-mail: joao.borsoi@marcopolo.com.br
Fone: (54) 209.4660
60
Observações:
Esta apresentação contém informações futuras. Tais informações não são apenas
fatos históricos, mas refletem os desejos e as expectativas da direção da
Companhia. As palavras antecipa, deseja, espera, prevê, pretende, planeja,
prediz, projeta, almeja e similares, pretendem identificar afirmações que,
necessariamente, envolvem riscos conhecidos e desconhecidos. Riscos conhecidos
incluem incertezas, que não são limitadas ao impacto da competitividade dos
preços e serviços, aceitação dos serviços no mercado, transições de serviço da
Companhia e seus competidores, aprovação regulamentar, moeda, flutuação da
moeda, mudanças no mix de serviços oferecidos e outros riscos descritos nos
relatórios da Companhia. Esta apresentação está atualizada até a presente data e
a Marcopolo não se obriga a atualizá-la mediante novas informações e/ou
acontecimentos futuros.
61
Download

Apresentação APIMEC-SP