CUSTOS E ORÇAMENTOS
Aspectos Práticos
Set 2010
Estrutura de Custos e sua
Influência nos Orçamentos...
Custos




Quem Somos
Quanto Custamos
Quem nos paga
Como nos paga
Orçamentos



O que cobramos
Como cobramos
Como estabelecemos os valores do que
cobramos
Conceitos

Custo
–
–

Preço
–
–

Origem: Interna
Base: Técnica
Origem: Custo + Margem
Base: Política (Mercado)
Valor
–
–
Origem: ???
Base: Percepção do Cliente
Custos Diretos

Apropriados a um só produto ou serviço
–
–
–

Matérias Primas
Serviços de Terceiros
Despesas Diretas de Venda
Variam proporcionalmente a uma variação no
volume de produção (Custos Variáveis)
Custos Diretos


Cálculos são técnicos
Custos tendem a ser “commoditizados”
Custos Indiretos

Não guardam relação direta com um produto
ou serviço. Precisam ser rateados
–
–
–

Custos Indiretos de Fabricação (água, energia,
mats. auxiliares)
Mão de obra
Custos de Administração
Permanecem constantes, independente de
variações de volume (Custos Fixos)
Custos Indiretos




Cálculos são não técnicos
Valores devem ser rateados
Refletem a estrutura da empresa
Aparecem no Orçamento na forma de Custo
de Transformação (Hora-Máquina ou HoraHomem)
Impacto no Orçamento

Custos Diretos muito diferentes significam:
–
–
–
Capacidade diferenciada de Comprar
Capacidade diferenciada de Consumir
Avaliação diferenciada da sobretaxa
Impacto no Orçamento

Custos Indiretos muito diferentes significam:
–
–
–
Estrutura diferenciada
Organização diferenciada
Gestão diferenciada
Conclusão


Custos Diretos tendem a ser “muito iguais”
Custos Indiretos podem ser “muito diferentes”
Custos Hora/Máquina e
Hora/Homem
Custo Hora Máquina
R$
_________
Hora
Custo Hora Máquina

“R$”
–
É uma parte do Custo Indireto, que engloba:




Mão de Obra Direta
Depreciação da Máquina
“Rateio” de parte das despesas Produtivas
“Rateio” de parte das despesas do Staff/Administração
Custo Hora Máquina
R$ (MOD+Deprec+”Rateios”)
___________________________________
Hora
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Disponíveis ?
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Disponíveis ?
–
Horas Disponíveis = Horas Tripuladas + Horas sem
Tripulação
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Tripuladas ?
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Tripuladas ?
–
Horas Tripuladas = Horas Produtivas + Horas
Improdutivas
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Produtivas ?
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Produtivas ?
–
Horas Produtivas = Horas Trabalhadas + Horas
Ociosas
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Trabalhadas ?
Custo Hora Máquina

“Hora”
–
Horas Trabalhadas
ou
–
Horas Produtivas
É uma questão de conceito e gestão......
Custo Hora Máquina
R$ (MOD+Deprec+”Rateios”)
___________________________________
Hora (Horas Produtivas)
Como reduzir o Custo Hora
Máquina

“R$”
–
–
–
Reduzir o custo de Mão de Obra Direta
Reduzir o custo de Depreciação
Reduzir os Rateios Outros Custos Indiretos
Como reduzir o Custo Hora
Máquina

“Hora”
–
Aumentar o número de Horas Produtivas
Custo Hora Máquina x Preço

Nós não vendemos “Horas”

Nós vendemos produtos
Custo Hora Máquina x Preço
$ Produto
=
$ Hora Máquina
x
Horas de produção
Custo Hora Máquina x Preço
Horas de Produção
=
Tiragem
:
Velocidade de Produção
Custo Hora Máquina x Preço
$ Produto
=
$ Hora Máquina
x
(Tiragem / Veloc. Produção)
Velocidade (Líquida) de Produção


É a velocidade que consta no “Orçamento”
Não é nem parecida com a Velocidade
Instantânea da Máquina
Velocidade (Líquida) de Produção


É a quantidade “real” de Unidades por hora
que a máquina produz.
É uma média
Velocidade (Líquida) de Produção
Veloc. Líquida
=
Tiragem
____________________________________
Horas Virando + Horas Paradas c/Problemas
Velocidade (Líquida) de Produção

Problemas
–
–
–
–
–
Manutenções Corretivas
Problemas de Processo
Problemas Operacionais
Aprovações
Problemas Administrativos
Influencia da Velocidade (Líquida)
de Produção no Preço
$ Produto
=
$ Hora Máquina
x
(Tiragem / Veloc. Produção)
Influencia da Velocidade (Líquida)
de Produção no Preço
Se a velocidade sobe...
O número de horas diminui...
E o preço final também diminui....
Influencia da Velocidade (Líquida)
de Produção no Preço
Para a velocidade líquida de Produção subir, eu
devo....
Rodar mais rápido
ou
Parar menos...
Resumo
Para melhorar os preços (custos), posso:
–
–
–
–
–
–
Reduzir o custo de Mão de Obra Direta
Reduzir o custo de Depreciação
Reduzir os Rateios Outros Custos Indiretos
Aumentar o número de Horas Produtivas
Rodar mais rápido
Ter menos horas paradas
de forma inteligente......
Conclusão



Gestão de Custos, Gestão Comercial e Gestão
da Produção não são “pacotes” isolados.
A empresa que terá sucesso é a que tem o
melhor “conjunto”
Trabalho em Equipe com uma boa
Coordenação
Contribuição Marginal
Sistemas de Custeio

Custeio Integral
+
=
+
=
Custo Variável
Custo Fixo
Custo Total
Resultado (critério de decisão interna)
Preço de Venda
Sistemas de Custeio

Custeio Integral
–
–
–
Preço é função exclusiva do custo
Visão de Custo e Resultado por produto
Alta probabilidade de ocorrerem distorções
Sistemas de Custeio

Custeio Marginal
Preço de Venda
(-) Custos / Despesas variáveis
I – Margem de Contribuição do Produto
II – Soma da Margem de Contribuição de todos os produtos
(-) Custos / Despesas fixas da empresa
III – Resultado da Empresa
Sistemas de Custeio

Custeio Marginal
–
–
–
–
Preço de Venda é mais função do mercado e
menos do custo
Produtos são responsáveis só pelos custos
variáveis. Os demais são estruturais
Lucro só faz sentido no conceito global
Exige maior visão, organização, controle e
acompanhamento
Resultado / Gerenciamento

Se
Soma da Margem de Contribuição de todos produtos
For maior que
Custos / Despesas fixas da empresa

O Resultado é POSITIVO !!!!
Resultado / Gerenciamento

Se
Soma da Margem de Contribuição de todos produtos
For menor que
Custos / Despesas fixas da empresa

O Resultado é NEGATIVO ?????
Margem de Contribuição (por
produto)
Matérias Primas
(+) Serviços Externos (Terceirizações)
(+) Custos de Vendas (Impostos/Comissões)
(+) Custos Financeiros (Cond Pagto)
(=) VALOR DE DESEMBOLSO
Margem de Contribuição (por
produto)
Valor de Venda
(-) Valor de Desembolso
(=) CONTRIBUIÇÃO MARGINAL
Margem de Contribuição (por
produto)
Contribuição Marginal
(-) Custo de Transformação
(=) MARGEM
Margem de Contribuição (por
produto)
% Margem de Contribuição
=
Contribuição Marginal
Valor Faturado
Margem de Contribuição (por
produto)
% Margem
=
.
Margem
.
Custo de Produção
Custo de Produção = MP+Servex+C.Transf
Margem de Contribuição – Como
medir e avaliar

% de Margem de Contribuição.
–
–
–
Não diz muito!
Faria sentido numa avaliação Global ( Faturamento
e Custo Fixo )
É difícil imaginar todos os produtos com % de
margem de contribuições semelhantes...
Margem de Contribuição – Como
medir e avaliar

$ de Margem de Contribuição.
–
–
Não diz muito!
Serviços muito diferentes podem ter o mesmo valor
de margem. Não dá para imaginar que eles tenham
a mesma importância
Margem de Contribuição – Como
medir e avaliar

“Velocidade” da Margem de Contribuição.
Margem de Contribuição / Hs de Gargalo
–
–
–
Você conhece o seu Custo Fixo
Você tem um limite de horas no gargalo
(Impressão)
Você tem um valor mínimo para atingir
Como melhorar o índice



Produtos que usam “a fábrica toda”
Produtos com boa margem
Produtos adequados ao seu perfil
Exemplos e Dúvidas
http://flaviobotana.wordpress.com
Flaviobotana@uol.com.br
OBRIGADO!!
Download

Custos e Orçamentos – Aspectos Práticos - Home