AÇÕES EM CURSO
MOBILIDADE URBANA – GRANDE FLORIANÓPOLIS
Reunião do Conselho Metropolitano de Desenvolvimento
Guilherme Medeiros
Engenheiro – Coordenador Técnico
SC Participações e Parcerias S.A.
Florianópolis, 07 de junho de 2013
“BACKGROUND”
- Carência de informações confiáveis a respeito do comportamento da demanda –
Plano Diretor de Transportes extremamente defasado – Estudo GEIPOT 1978;
- Necessidade de avaliação profunda do cenário atual, e projeções de cenário
confiáveis para avaliação e priorização dos investimentos;
- Política Nacional de Mobilidade Urbana – necessidades dos municípios de implantar
seus Planos Diretores de Mobilidade;
-Várias instituições, nos três níveis federativos, atuando na busca de soluções para os
problemas de mobilidade – muitas informações disponíveis, mas de forma
fragmentada e muitas vezes inacessível;
- Atuação até aqui focada na execução, planejamento em segundo plano;
- Demonstrações de interesse do mercado privado em investir em soluções;
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROBLEMA
Crescimento populacional da região acima da média estadual e nacional – alta migração
Município
1980
Florianópolis
1991
2000
2010
2030
(projeção)
187.871
254.941
341.781
421.203
680.000
São José
87.817
139.318
173.781
210.513
300.000
Palhoça
38.031
68.298
101.671
137.199
220.000
Biguaçu
21.434
34.027
48.010
52.238
100.000
335.153
496.584
665.243
821.153
1.300.000
Total
Município
Florianópolis
São José
Palhoça
Biguaçu
Santa Catarina
Brasil
Taxas de Crescimento
1980-1991
1991-2000
2000-2010
35,70%
34,06%
23,24%
58,65%
24,74%
21,14%
79,59%
48,86%
34,94%
58,75%
41,09%
8,81%
23,06%
17,88%
16,80%
23,38%
15,65%
12,33%
Fonte: IBGE e Secretaria de Estado de Planejamento.
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROBLEMA
Grande crescimento da frota e da circulação de veículos particulares
Evolução da Frota nos Municípios
Evolução da Frota (Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu)
(Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu)
Ano
Frota (Automóveis + Motocicletas)
450,000
1997
157.477
1998
167.314
1999
175.214
2000
187.449
2001
204.944
2002
223.227
2003
238.969
2004
253.385
200,000
2005
271.768
150,000
2006
292.266
2007
317.087
2008
341.727
2009
368.105
2010
393.337
2011
421.148
400,000
350,000
300,000
250,000
100,000
50,000
0
1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011
Fonte: DETRAN
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROBLEMA
Grande crescimento da frota e da circulação de veículos particulares
2007
2008
2009
2010
2011
131.948.073
126.425.302
127.185.213
175.891.867
183.477.913
SÃO JOSÉ
51.373.600
48.695.173
53.193.760
57.772.797
79.979.120
PALHOÇA
26.163.300
27.307.580
32.665.861
40.446.104
48.337.440
BIGUAÇU
12.291.500
13.440.600
15.526.992
19.351.097
20.322.000
221.776.473
215.868.655
228.571.826
293.461.865
332.116.473
Crescimento 2007-2011
49,75%
FLORIANÓPOLIS
TOTAL
Evolução do consumo de gasolina em litros nas principais cidades da Região da
Grande Florianópolis.
Fonte: ANP e Secretaria da Fazenda
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROBLEMA
Estagnação do volume de passageiros no transporte público
Média diária anual de passageiros
Linhas Intermunicipais Grande Florianópolis
120,000
100,000
80,000
60,000
40,000
20,000
0
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
Fonte: DETER
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
AÇÕES
A SCPar está participando de duas ações que são relacionadas, porém independentes,
no sentido de contribuir para a melhoria das condições da mobilidade urbana na
Grande Florianópolis:
1) Estudo de Mobilidade Urbana com abrangência aos 13 municípios da Grande
Florianópolis, em Convênio com o BNDES – Plano Diretor Regional de Mobilidade;
2) Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), visando receber recebimento
de estudos e projetos da iniciativa privada para a definição de alternativas de
melhoria/requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte, visando à
melhoria da mobilidade urbana e de acesso à Região Insular de Florianópolis;
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
Objeto
Fornecer elementos de subsídio ao planejamento de médio e longo
prazo, para formulação e implantação de políticas públicas que visem à
melhoria das condições de vida da população da região, sendo a base
técnica para a implantação de um PLANO DIRETOR DE MOBILIDADE
REGIONAL.
O resultado Estudo poderá também ser adotado pelos Municípios
como base técnica para a implantação dos seus Planos Diretores de
Mobilidade
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
A área de abrangência do estudo será os 13 Municípios da Grande Florianópolis
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
- Assinado em 12 de março de 2013;
- Anuência dos 13 prefeitos dos Municípios da Região da Grande Florianópolis;
- Comissão Interinstitucional de Avaliação das Propostas e Acompanhamento:
- BNDES / SCPar (2) / SDR (2) / PM Florianópolis (2) / PM São José (1) / PM Palhoça (1) / PM Biguaçu (1)
- Recursos oriundos do FEP – Fundo de Estruturação de Projetos
- Contratação por meio de chamada pública – processo diferenciado de contratação
- Sem ônus financeiro para Estado e Municípios
- Estudo publicado e de DOMÍNIO PÚBLICO
- Abertura das propostas em 17 de junho de 2013
- Meta para início dos trabalhos em agosto/2013 – Prazo de 12 meses para
apresentação do resultado final;
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
Escopo
- Elaboração de um amplo estudo de mobilidade urbana com abrangência regional
que aborde dentre outros aspectos:
- a avaliação da atual infraestrutura e sistema de transportes público;
- a análise da demanda atual e futura, incluindo pesquisa de origem e destino;
- identificação dos principais pontos críticos e gargalos;
- análise técnica das alternativas já conhecidas e proposição de novas;
- investimentos necessários para a viabilização das alternativas;
- principais restrições técnicas e adequabilidade socioambiental;
- avaliação das soluções de forma integrada, englobando todos os aspectos
relacionados à mobilidade – especialmente o uso do solo;
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
4 FASES
Fase I: Coleta de dados
secundários e
modelagem da
pesquisa
•
•
•
•
•
•
•
Fase II: Pesquisa e
levantamentos em
campo
Fase III: Aplicação da
avaliação e modelagem
da pesquisa
•
•
•
•
•
•
•
Fase IV: Avaliação das
alternativas de solução
•
•
Coleta e preparação de mapas georreferenciados;
Levantamento das condições e infraestrutura atuais, principais rotas e
corredores
Identificação dos principais Polos Geradores de Tráfego, Equipamentos
urbanos e de serviço público
Projetos e Planos existentes e em andamento;
Dados socioeconômicos, moradia, trabalho, educação, saúde, turismo
Modelagem, preparação e planejamento da pesquisa Origem-Destino
Pesquisa volumétrica e de ORIGEM-DESTINO, modo e motivo da viagem com
amostragem adequada POR REGIÃO DE TRÁFEGO
Distâncias e tempo de viagem
Informações familiares, condições de moradia e renda, etc.
Disponibilidade do transporte e custo
Levantamento de demanda e oferta atual e futura com caracterização de fluxos intra
ou intermunicipais.
Avaliação da repartição modal e indicação de tendências
Diagnóstico da situação e simulação de cenários: implantação de novos modais e
infraestrutura de transportes, criação de novas ligações, alterações no uso do solo
transferência de equipamentos públicos, etc.
Avaliação de ações de gerenciamento da demanda, espaços de estacionamento,
estímulo ao uso do transporte público, melhoria da utilização dos ativos existentes
com uso de tecnologias de transporte inteligente, e outras.
Avaliação de custo das soluções propostas, a melhoria na mobilidade, impacto
sócio-ambiental e potenciais fontes de recursos;
Apresentação de Plano de Ação com priorização por indicativos de eficiência
(custo/benefício);
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
CRONOGRAMA
Etapa
1
2
3
4
5
Prazo (meses)
6
7
8
9
10
11
12
Fase 1
Fase 2
Fase 3
Fase 4
A fase de pesquisa de campo deverá ser feita em duas fases, de modo a captar o comportamento
da demanda nos meses letivos e nos meses de verão
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
O OBJETIVO DESTE ESTUDO NÃO É SER UMA PESQUISA PURA, MAS UM
INSTRUMENTO QUE SEJA REALMENTE ADOTADO COMO FERRAMENTA EFETIVA DE
PLANEJAMENTO.
ISSO SOMENTE SERÁ POSSÍVEL COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS!
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
-Seminários de avaliação e discussão com a sociedade civil e os diversos entes
governamentais ao final de cada fase, por meio do Comitê Gestor de Mobilidade
Urbana – SDR;
- Plano de comunicação, de modo a alcançar a amostragem necessária e garantir a
confiabilidade deste instrumento;
- Apresentação dos resultados dos estudos à sociedade civil e aos governos
municipais, estadual e federal;
- O resultado será de domínio público – será publicado e distribuído (600
exemplares + versão digital);
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - BNDES
LEGADOS
- Melhor conhecimento do problema da mobilidade na Grande Florianópolis;
- Diagnóstico profundo e detalhado da mobilidade e das possíveis soluções,
indicando as possíveis fontes de recursos e prioridades com base na análise de
custo/benefício;
- Todos os mapas, bancos de dados e informações em meio impresso e digital serão
disponibilizadas ao Estado e também poderão ser disponibilizadas aos Municípios;
- Serão disponibilizadas licenças do software de modelagem da rede de transportes
da Região da Grande Florianópolis, permitindo que a atualização seja feita de forma
permanente;
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
PMI: Instrumento legal para o poder público receber estudos e projetos
de PPP e Concessão (projetos de engenharia, estudos econômicofinanceiros, jurídicos, ambientais, etc.);
O custo para a realização dos estudos é totalmente custeado pelo autor
da proposta – iniciativa privada;
O autor do projeto/estudo pode participar da licitação e caso não seja
vencedor, o custo dos estudos deverá ser ressarcido pelo vencedor;
(lei 11.079/2004 , 9.785/1995 e decreto estadual 962/2012)
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
MOBILIDADE URBANA
1ª Fase - 12 propostas:
- 9 propostas de transporte rodoviário (3 túneis e 6 pontes);
- 3 propostas de transporte público (Teleférico, Marítimo, VLP);
Proponentes
Andrade Gutierrez
CCR/ESSE
CONCEB
CONTERN
Engevix/Paulitec
Jaime Lerner Associados
Jaqueline Carvalho
LDJ/COMAPAYA
Odebrecht/OAS
Queiroz Galvão
SOTEPA/Iguatemi
WD Engenharia
Solução Proposta
Túnel e Aterro
Teleférico/Marítimo
Ponte Móvel
Ponte e Aterro
Ponte e Aterro
Marítimo
Ponte, Túnel e Ihas Artificiais
Ponte e Aterro
Veículo Leve Sobre Pneus (VLP)
Túnel em Rocha
Ponte e Anel Viário Insular
Ponte e Elevados
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
MOBILIDADE URBANA
2º Fase – novembro/2012 –Edital PMI 002/2012
Objeto: recebimento de estudos e projetos da iniciativa privada para a definição de
alternativas de melhoria/requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte,
visando à melhoria da mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis.
Escopo: obter propostas de implantação e operação de sistemas de transporte
público de passageiros.
Recebimento das propostas em dezembro de 2012;
Autorização dos estudos entre fevereiro e abril de 2013;
Prazo de 120 dias para apresentação dos estudos – 19 agosto/2013;
Após o recebimento: análise das propostas, decisão de qual será implantada, consulta pública,
licenciamento ambiental, consulta ao TCE e modelagem final do Edital;
Meta para publicação do Edital até dezembro/2013;
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
MOBILIDADE URBANA
Estudos a serem obtidos
Cada uma das proponentes autorizadas deverá apresentar os seguintes
estudos:
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
MOBILIDADE URBANA
7 solicitações de autorização recebidas, sendo que 3 apresentaram todas as
condições para serem autorizadas a desenvolver os estudos
Proponentes
Consórcio Floripa em Movimento (Quark, MPE,
Scomi e Brasell)
CCR
Solução Proposta
POD-SIT, Marítimo e
Monotrilho
Transporte Marítimo
ESSE Engenharia
Teleférico e Marítimo
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
RESUMO DAS PROPOSTAS
CONSÓRCIO FLORIPA EM MOVIMENTO – POD-SIT, MONOTRILHO E MARÍTIMO
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
MOBILIDADE URBANA
RESUMO DAS PROPOSTAS
CCR – TRANSPORTE MARÍTIMO
PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
RESUMO DAS PROPOSTAS
ESSE – TELEFÉRICO E TRANSPORTE MARÍTIMO
OBRIGADO!
Guilherme Medeiros
Engenheiro – Coordenador Técnico
SC Participações e Parcerias S.A.
[email protected]gov.br
(48) 3665-3200
MOBILIDADE URBANA
GRANDE FLORIANÓPOLIS
Download

Mobilidade Urbana - FloripAmanha.org / Notícias de Florianópolis e