Prof. Dr. Lucio A. Castagno
Otorrinolaringologia
luciocastagno@hotmail.com
Orelha externa
OTITES: Semiologia
OTALGIA
Prurido
Hipoacusia
Otorréia
Audição
CO
Condução óssea
CA
Condução aérea
Hipoacusia de
condução
Hipoacusia
sensorineural
OTOSCOPIA
 Comece o exame pelo ouvido “bom”
Otoscopia
 Tracione a orelha para traz, para cima e para
fora (melhora exposição do conduto auditivo e
tímpano)
Otoscopia
 Gentilmente introduza a ponta do especulo no
meato auditivo
Exame dos ouvidos
Otoscopia normal
Pars flacida
OD
Martelo
Diâmetros:
Hor = 9,6-10,2mm
Ver = 8,5-9,0mm
CAE
Pars tensa
Triângulo
luminoso
Ânulo
Imagem vista
no otoscópio
Tímpano normal
Alterações no
conduto externo
OSTEOMAS
CERUMEM
As “OTITES”
1. OTITE EXTERNA
2. OTITE MÉDIA AGUDA (OMA)
3. OTITE MÉDIA SECRETORA (OMS)
4. OTITE MÉDIA CRÔNICA (OMC)
5. COLESTEATOMA (OMC colesteatomatosa)
1. OTITE EXTERNA
 Infecção do conduto auditivo externo
 Classificada em:
 Aguda
 Subaguda
 Cronica
1. Otite Externa








Otite Externa Aguda
Otite Externa Crônica
Otite Externa Aguda fúngica
Furunculose
Otite Externa Maligna
Pericondrite
Erisipela
Herpes Zoster Oticus
Otite Externa (OE)
Inflamação do CAE
MT
Debris
OE: Causas
 Trauma
 Água
 Cotonetes
 Eczema
 Dedos
 CAE estreito
1a. Otite Externa Aguda (OEA)
 “Otite do nadador”
 Inflamação aguda do conduto auditivo =
DOR + EDEMA + OTORRÉIA
 Leve
 Moderado
 Severo
OEA: Leve a moderada
 Infecção progressiva
 Sintomas
 Otalgia
 Prurido
 Sinais
 Eritema
 Edema progressivo
 Otorréia e descamação
OEA: Severa
 Otalgia severa, pior
com movimento da
orelha
 Sinais
 Obliteração do lumen
 Otorréia purulenta
 Comprometimento
tecidos adjacentes
OEA: Patógenos
 Pseudomonas
 Staph Aureus
 Misto
OEA - Otite Externa
BACTERIANA
(pseudomonas/stafilococcus aureus)
FÚNGICA (aspergillus niger)
OEA bacteriana: Tratamento
 Gotas antibióticas
 Evitar água
 Antibióticos orais?
 Analgesia
 Microaspiração e
limpeza
OEA bacteriana: Tratamento
 Gotas antibióticas
 Evitar água
 Antibióticos orais?
 Analgesia
 Microaspiração e
limpeza
1- Ciprofloxacino
otológico 3gts q12h
7-10d (Otociriax)
2- Azitromicina 500mg
qD 5d (Azi)
3- Paracetamol 750mg
q4h prn (Tylenol)
1b. Otite Externa Crônica (OEC)
 Processo inflamatório crônico
 Sintomas persistentes (> 2 meses)
 Etiologia: bactéria, fungo, ou eczema
 = PRURIDO + dolorimento + descamação
OEC: Sinais
 Descamação
 Pele seca
 Otorréia ocasional
OEC: Tratamento
 Não coçar – não traumatizar o conduto
 Antibióticos + esteróides tópicos
OEC: Tratamento
 Não coçar – não traumatizar o conduto
 Antibióticos + esteróides tópicos
1- Betametasona... (Oto-betnovate) 4 gts q6-8h prn
2 – Fludroxicortida (Drenison creme) q12h 7-10d
1c. Otite Externa Aguda fúngica
 Infecção fúngica do CAE
 Agentes comuns:
 Aspergillus niger
 Candida albicans
 = OTALGIA + PRURIDO
FÚNGICA (aspergillus niger)
OEA fúngica = Otomicose
 Eritema no canal
 Edema leve
 Descamações e
fungos
Otomicose
Candida
Aspergillus
Otomicose: Tratamento
 Limpeza do conduto auditivo
 Gotas antifúngicas tópicas
 Analgésicos
Otomicose: Tratamento
 Limpeza do conduto auditivo
 Gotas antifúngicas tópicas
 Analgésicos
1- Oxiconazol (Oceral) 3 gts q8h 14d
2 – Paracetamol (Tylenol) 750mg q4h po
1d. Furunculose
 Infecção aguda localizada
 Lateral 1/3 do canal
 Unidade pilosebácea obstruida
 Patógeno: Staphilococcus aureus
 = OTALGIA LOCALIZADA + prurido
 Hipoacusia?
Furunculose: Sinais
 Edema
 Eritema
 Dolorimento
 Abcesso – flutuação
ocasional
Furunculose: Tratamento
 Calor local
 Analgesicos
 Antibióticos anti-stafilo oral
 Incisão e drenagem para abcessos
 Antibióticos IV se extensão para tecidos adjacentes
Furunculose: Tratamento
 Calor local
 Analgesicos
 Antibióticos anti-stafilo oral
 Incisão e drenagem para abcessos
 Antibióticos IV se extensão para tecidos adjacentes
1- Amoxicilina 875mg+Clavulato 125mg q12h 10d
(Clavulin)
2 – Paracetamol 750mg q4h prn (Tylenol)
1e. Otite Externa Maligna
 Imunodeprimidos
 Diabeticos
Agressiva = Pseudomonas aeruginosa
 Paralisia de nervos craneanos
 Extensão para base de craneo
 Emergência
Otite Externa Maligna
 Otalgia profunda
 Otorréia purulenta
 Inflamação e
granulação
 Canal obstruido
 Paralisia de pares
craneanos
Otite Externa Maligna:
Diagnóstico
 Suspeita
 Exames laboratoriais
 CT ouvidos: Osteomielite
 IRM
OEMaligna: Tratamento
U R G Ê N C I A !
 Antibióticos IV 4 semanas
 Debridamento local
 Analgesia
 Mortalidade: 37% to 23%
1f. Pericondrite
 Infecção do pericôndrio auricular
 Consequência de trauma na orelha
 Pode ser espontaneo (diabéticos)
 = DOR NA ORELHA + prurido
Pericondrite: Sinais
 Entumescimento
auricular
 Edema
 Casos avançados
 Crostas e exudatos
 Comprometimento
tecidos moles
adjacentes
Pericondrite: Tratamento
 Leve: debridamento, antibiótico tópico e
oral
 Avançado: hospitalização, antibióticos IV
 Crônico: cirurgia com remoção tecido
necrótico e enxerto de pelo
Pericondrite: Tratamento
 Leve: debridamento, antibiótico tópico e
oral
 Avançado: hospitalização, antibióticos IV
 Crônico: cirurgia com remoção tecido
necrótico e enxerto de pelo
1- Amoxicilina 875mg+Clavulato 125mg q12h 10d
2 – Drenison N creme
3 – Paracetamol 750mg q4h prn (Tylenol)
Pericondrite Recorrente
 Otalgia, febre
 Edema, eritema
 Anemia, VHS elevado
 Corticoterapia oral
1g. Erisipela
 Celulite aguda
superficial
 Streptococcus
betahemolítico grupo A
 Eritema na orelha
 Antibiótico oral ou IV se
necessário
1g. Erisipela
 Celulite aguda
superficial
 Streptococcus
betahemolítico grupo A
 Eritema na orelha
 Antibiótico oral ou IV se
necessário
1- Amoxicilina 875mg+Clavulato 125mg q12h 10d
2 – Paracetamol 750mg q4h prn (Tylenol)
1h. Herpes Zoster Oticus
 J. Ramsay Hunt (1907)
 Infecção viral por HSV (herpes simplex varicela
virus)
 Infecção nos dermatomes
 Sindrome de Ramsey Hunt: herpes zoster da
orelha + otalgia + paralisia facial
Herpes Zoster Oticus: Sintomas
 Precose: queimação e
otalgia, cefaléia,
astenia e febre
 Tardio (3-7 dias):
vesiculas, paralisia
facial
Herpes Zoster Oticus:
Tratamento
 Proteger o olho: evitar ceratite de exposição
 Corticóides
 Antivirais: HSV detectado em 70% dos casos
 Prednisona 1mg/kg até 80mg qD 2s: (reduz o edema
inflamatório)
 Aciclovir 800mg QID 5d: tomado nas primeiras 72h
previne a replicação viral
Perguntas?
www.clinicadrcastagno.com.br/Arquivos
Download

Otite Externa