Sistemas de Informação
Sistemas
de
Informação
Agenda
 Conceito
 Características
 Componentes
 Evolução
 Histórico
 Principais papéis
 Sistemas de Informação Transacionais
 Sistemas de Informação Gerencial
 Sistemas de Informação Executiva
 Sistemas de Apoio à Decisão
 Sistemas Especialistas
 Sistemas de Gestão Empresarial (ERP)
 SI e a inteligência do negócio
Sistemas de Informação
Metodologia
 Utilização de dinâmicas:
 Questões para reflexão
 Estímulo à discussão
 Diário de Bordo
Sistemas de Informação
Estratégia
 Seminários
Sua participação ativa é elemento
decisivo para o aproveitamento.
Imprima o material disponibilizado e tenha-o sempre à
mão durante as aulas.
Metodologia
Sistemas de Informação
As questões a serem respondidas em sala de aula devem
ser divididas entre os grupos.
Um redator se responsabilizará por digitar as respostas
das questões e disponibilizá-la no portfólio do grupo na
Sala Virtual.
O seguinte padrão deve ser utilizado para nomear o
arquivo:
Questões_GrupoX_AulaY.
X – Identificação do Grupo
Y – Identificação da Aula
Ex. Questões_Grupo1_Aula1
Metodologia
Sistemas de Informação
As respostas das questões de uma aula serão
disponibilizadas em um único documento a ser postado
como material de apoio, como base para a preparação para
as avaliações.
O seguinte padrão deve ser utilizado para nomear o arquivo:
Questões_AulaY.
Em que: Y – Identificação da Aula
Ex. Questões_Aula1
Ao final de cada bimestre haverá um material bem
consistente como base para estudo do conteúdo ministrado.
Metodologia
Sistemas de Informação
Avaliação Continuada:
Questionário:
Entrega do Diário de Bordo:
Seminário:
50%
25%
25%
Cuidado com a qualidade das atividades e as datas de
entrega.
Os slides a serem apresentados durante os seminários
devem ser postados no ambiente, uma semana antes da
apresentação.
Metodologia
Sistemas de Informação
Seminários:
Cada grupo escolhe um tipo de sistema de informação e
com base no conteúdo ministrado em sala de aula, e faz
uma análise de suas características, funções, benefícios
e outros elementos a serem considerados.
Cada grupo elabora uma apresentação desta análise.
Os demais grupos deverão elaborar duas questões
acerca do sistema de informação em análise.
O grupo expositor responde as questões feitas pelos
demais grupos. O redator do grupo expositor redige as
respostas e posta no portfólio do grupo.
Objetivo
Sistemas de Informação
Os alunos deverão compreender os principais conceitos
relacionados aos sistemas de informação, suas
características, suas variações e sua importância no âmbito
das organizações.
Conceito
Sistemas de Informação
Um sistema é um conjunto de componentes coordenados,
que interagem para a realização de um conjunto de
objetivos.
Assim, um sistema de informação é qualquer sistema
usado para prover informação, independente do tipo
dessa informação ou uso feito dela.
Conceito
Sistemas de Informação
 Dados:
São fatos, imagens ou sons, que quando são pertinentes ou
úteis para uma particular situação, compõem a informação.
 Informação:
É um conjunto de dados significativo dentro de um
contexto.
 Conhecimento:
É a combinação informações que expressam idéias, normas
e procedimentos que guiam ações e decisões, por meio de
uma boa dose de intuição.
Conceito
Sistemas de Informação
Exemplo:
· Nome: Carlos
· Idade: 34
· Salário: R$ 7.000,00
· O relacionamento destes dados dá origem a uma informação sobre
um funcionário.
· Combinando a informação funcionário com o nosso CONHECIMENTO
(fatos + relacionamento entre eles) podemos afirmar que Carlos tem
um bom salário
Conceito
Características da boa informação:
 Precisa:
Sem a presença de erros.
 Completa:
Contém todos os fatos importantes.
 Econômica:
Custo de produção X valor da informação.
 Flexível:
Aplica-se a vários usos.
Sistemas de Informação
Conceito
Características da boa informação:
 Relevante:
Relevante para a tomada de decisões.
 Simples:
De fácil entendimento.
 Oportuna:
Disponível quando necessária.
 Verificável:
Pode ser verificada a partir de várias fontes.
Sistemas de Informação
Conceito
Sistemas de Informação
Dados como um recurso da empresa:
 Dados modelados:
Rigorosamente identificados na sua composição e na sua
semântica e estudados no seu formato, origem, meio,
natureza e formação, e relacionamento com outros dados.
 Dados resguardados:
Apresentam os requisitos básicos de integridade,
segurança e documentação.
 Dados disponibilizados:
Dispõem de um conjunto de ferramentas que permita o
acesso, a atualização, a consolidação e a simulação de
informações para a tomada de decisões.
Características
Sistemas de Informação
 Baseados em computador, atualmente.
 Apóiam as funções operacionais, gerenciais e de tomada
de decisão existentes na organização.
 Permitem a coleta, o armazenamento, o processamento, a
recuperação e a disseminação de informações.
 Utilizados tanto pelo nível operacional, como pelo nível
tático e mesmo estratégico para alcance dos objetivos e as
metas de áreas funcionais.
Características
Um sistema pode
ser decomposto em
sistemas menores
denominados
subsistemas.
Sistemas de Informação
Componentes
Sistemas de Informação
Evolução
Sistemas de Informação
 Iniciação:
O usuário é resistente ao uso de Tecnologia e seu
envolvimento é superficial, enquanto que a organização
encoraja o seu uso e se preocupa com o aprendizado,
embora poucas atividades sejam automatizadas.
 Contágio:
Proliferam sistemas de informação que automatizam
atividades antes desenvolvidas manualmente, sem, porém,
se preocupar com a integração das informações.
 Controle:
Cresce o uso de sistemas de informação na organização,
com o usuário como a força propulsora, o que exige
melhor gestão dos recursos tecnológicos.
Evolução
Sistemas de Informação
 Integração:
Passam a ser orientados para atender às necessidades dos
níveis gerenciais, com informações de melhor qualidade e
maior integração entre elas.
 Administração de Dados:
Passam a ser organizados em termos de sistemas
corporativos e sistemas de uso setorial ou especializado,
com os dados administrados para evitar redundâncias.
 Maturidade:
A Informação considerada como patrimônio da
organização, exige participação do usuário e maior
estruturação na adoção e desenvolvimento da Tecnologia
da Informação.
Histórico
1950-1960
1960-1970
Processamento Relatórios
Administrativos
de Dados
Processamento
eletrônico
de dados
Sistemas de
informações
gerenciais
Sistemas de Informação
1970-1980
Apoio à
Decisão
Sistemas de
apoio a decisão
1980-1990
Estratégico e
Usuário Final
Sistemas
transacioanais,
especialistas
e estratégicos
1990-2000
Comércio
Electrônico
E-Business
Principais papéis
Sistemas de Informação
Nível
Apoio às
estratégico
estratégias
para vantagem
competitiva
Apoio à tomada
de decisão
empresarial
Apoio às operações e aos processos
Nível
gerencial
Nível
operacional
Principais papéis
Sistemas de Informação
A Internet
Fornecedores e Outros Parceiros da Empresa
Fronteira da
Empresa
Extranets
Administração da Cadeia de Suprimentos
Compras, Distribuição, e Logística
Engenharia &
Pesquisa
Fabricação
e
Produção
Contabilidade
e Finanças
Intranets
Gerenciamento da Relação com o Cliente
Marketing
Vendas
Atendimento ao Cliente
Extranets
Consumidores e Clientes da Empresa
Principais papéis
Sistemas de Informação
Cadeia de Valor de Porter
Processos
de apoio
Coordenação Administrativa e Serviços de Apoio
Administração de Recursos Humanos
Desenvolvimento Tecnológico
Obtenção de Recursos
Processos
críticos
Atendimento
Logística
Interna
Operações
Logística
Externa
Marketing
e
Vendas
ao
Cliente
Tipos
Entre as várias classificações, temos:
 Sistemas de Informação Transacionais
 Sistemas de Informação Gerencial
 Sistemas de Informação Executiva
 Sistemas de Apoio à Decisão
 Sistemas Especialistas
 Sistemas de Gestão Empresarial (ERP)
Sistemas de Informação
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Sistema de Informação Transacional (SIT) é um sistema
que atende a um evento de negócio ao qual a empresa
deve responder, gerando ou modificando dados
armazenados em um sistema de informações.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Uma transação é um evento de negócio ao qual a empresa
deve responder, gerando ou modificando dados
armazenados em um sistema de informações.
Por exemplo, um pedido constitui uma transação.
A empresa responde a essa transação atendendo ao
pedido, ajustando seu estoque, gerando uma nota fiscal,
embalando e despachando o pedido e enviando a cobrança
ao cliente.
Desse modo, a transação aciona toda uma série de
eventos que atualizam os registros comerciais de uma
empresa e produzem os documentos apropriados.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Características:
 Necessários para o controle operacional das organizações.
 Atendem o nível mais elementar de uma organização,
processando os dados de suas operações.
 Mantêm registros de atividades empresariais rotineiras:
depósitos bancários, chamadas e cobranças de longa
distância, restituições de impostos, folhas de pagamento,
entre outros.
 Coletam, armazenam, e monitoram e avaliam informações
sobre transações rotineiras necessárias à condução do
negócio.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Características:
 Controlam aspectos destas transações, valendo-se de
regras e procedimentos de entrada de dados.
 Possuem baixa complexidade algorítmica.
 Trabalham sobre grandes conjuntos de dados.
 Associados a processos repetitivos.
 Requerem processamento eficiente e grande capacidade
de armazenamento devido ao volume de dados.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Características:
 Importantes fornecedores de dados para o nível
operacional e também para os níveis mais elevados de uma
empresa.
 Disponibilizam retorno imediato sobre as decisões
tomadas enquanto se processam as transações.
 Provêem informações para planejamento e gerenciamento
de decisões, alimentando outros tipos de sistemas de
informações.
 Essenciais para a sobrevivência diária das organizações.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Características:
 Alto investimento em segurança devido aos dados
críticos das organizações,
 Necessidade de auditorias para conferência dos dados
gerados no processo.
 Torna a comunicação pessoa-a-pessoa menos freqüente.
 Os sistemas exigem pouca ou nenhuma decisão das
pessoas que os operam.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Funções:
 Coletar, armazenar, ordenar e gerar relatórios operacionais
das organizações de forma a disponibilizar consultas, on-line
ou em lote, de maneira detalhada ou sintética, retratando os
diferentes aspectos das operações.
 Responder a questões rotineiras e acompanhar o fluxo das
transações através da organização.
 Suportar os níveis inferiores da empresa, onde as tarefas e
recursos são predefinidos e altamente estruturados.
 Capacitar as organizações a executar suas atividades mais
importantes de maneira mais eficiente.
Sistemas de Informação Transacionais
Exemplos:
 Administração de vendas
 Pesquisa de mercado
 Promoções
 Novos produtos
 Programação da produção
 Compras
 Estoque
 Orçamento
 Contabilidade
 Faturamento
 Folha de pagamento
 Recursos Humanos
Sistemas de Informação
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Processamento de Transações
O processamento de transações é o suporte principal de
uma empresa por executar os procedimentos básicos que
mantêm a empresa funcionando.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Fases do processamento de Transações:
 Coleta de Dados
Levantamento dos dados necessários ao término de uma
ou mais transações, com o uso de dispositivos de coleta
de dados como cartões magnéticos, scanners, etc.
 Manipulação de Dados
Realização das transformações sobre os dados: execução
de cálculos, classificação da informação, armazenamento
de dados, acionamento da coleta de novos dados, etc.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Fases do processamento de Transações:
 Armazenamento de Dados
Os dados devem estar consistidos antes de serem
armazenados no banco de dados, que deve permitir a
comunicação entre os vários sistemas organizacionais.
 Produção de Documentos
Uma forma tradicional de saída feita através da emissão
de relatórios, que são documentos gerados como saída:
cheques, faturas, etc.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Métodos de Processamento:
 Batch (Lote)
Todo o processamento é feito de uma vez só, massivamente,
com mecanismos de controle para escalonamento dos jobs a
serem executados, utilizados ainda hoje, a partir de centrais
distribuídas.
 Processamento em Tempo Real (on-line)
Os dados são processados conforme são coletados, com a
vantagem da informação estar sempre atualizada.
Sistemas de Informação Transacionais
Sistemas de Informação
Métodos de Processamento:
 Entrada on-line com processamento off-line
Permite que a parte local do sistema faça a coleta de dados
na medida em que são gerados, sendo que o processamento
é feito em determinados períodos (noturno em geral).
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Sistema de Informação Gerencial (SIG) é uma sistema
que engloba as informações de vários sistemas utilizados
pela organização, de forma integrada e sintética para
análise, planejamento e suporte a decisão em
departamentos ou a organização como um todo.
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Características:
 Engloba todos os componentes da organização em todos
os níveis do processo decisório.
 Transforma dados em informações que são utilizadas na
estrutura decisória da empresa.
 Fornece informações integradas e resumidas,
provenientes de diversos sistemas transacionais.
 Prove material para análise, planejamento e suporte a
decisão em departamentos ou a organização como um
todo.
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Características:
 Supre a média gerência com informações relevantes.
 Oferece uma série de relatórios resumidos e
integrados, unificando dados de vários bancos de dados
da empresa, informações de diversos repositórios de
documentos ou provenientes de sistemas externos a
empresa.
 Apresenta vários perfis de relatórios sobre as mesmas
fontes de dados.
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Principais tipos de relatórios:
 Programados: diários, quinzenais e mensais.
 Eventuais: solicitados por cada administrador.
 Excepcionais ou críticos: informam aos administradores
de situações de negócio fora de um padrão estabelecido
ou problemas críticos encontrados na operação diária.
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Níveis de abrangência:
 Nível Corporativo:
Refere-se ao sistema de informações inerentes ao
negócio ou ao grupo de negócios em que a corporação
atua.
 Nível de Unidade Estratégica de Negócio:
Focado em um determinado segmento de negócio da
corporação.
 Níveis Hierárquicos:
Obedece à hierarquia existente na empresa que são:
estratégico, tático e operacional, cada um deles com um
diferente grau de agregação da informação:
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Níveis hierárquicos:
 Nível Estratégico
Considera a interação entre as informações do segmento
de mercado da empresa e as informações internas da
empresa.
 Nível Tático
Considera a aglutinação de informações de uma área de
resultado e não da empresa como um todo.
 Nível Operacional:
Considera a formalização, principalmente através de
documentos, de processos e informações existentes.
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Funções:
 Integrar dados de diversas aplicações e transformá-los
em informação.
 Fornecer informações para o planejamento operacional,
tático e estratégico da organização.
 Oferecer aos níveis gerenciais dados que permitam
comparar o desempenho da empresa com o que foi
planejado inicialmente, para verificar se a empresa está
avançando em direção a suas metas ou não.
 Produzir relatórios que auxiliem os gerentes a tomar
decisões e definir estratégia de negócio.
Sistemas de Informação Gerencial
Sistemas de Informação
Benefícios:
 Redução de custos operacionais.
 Melhoria no acesso às informações, proporcionando
relatórios mais precisos e rápidos, com menor esforço.
 Melhor produtividade, tanto setorial quanto global.
 Maior interação entre os tomadores de decisão.
 Redução do grau de centralização das decisões na
empresa.
 Fornecimento de melhores projeções dos efeitos das
decisões.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Sistema de Informação Executiva (SIE) é um sistema que
oferece aos executivos acesso às informações críticas do
negócio, de forma rápida e segura, agilizando a gestão e
tornando a empresa mais competitiva.
Ferramenta para a apresentação de informações de forma
simples, intuitiva e amigável, atendendo às necessidades dos
executivos de alto nível.
Permite o acompanhamento diário de resultados, tabulando
dados de todas as áreas funcionais da empresa, ou mesmo
externos a ela, para exibí-los de forma gráfica e
simplificada.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
O executivo pode visualizar, em segundos, o que antes
levaria dias para ver pelos métodos tradicionais, com
menos pessoas envolvidas no processo, o que diminui a
possibilidade de erros e minimiza custos administrativos.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Características:
 Projetado para atender a executivos.
 Utiliza intensivamente de recursos gráficos, símbolos e
ícones, visando facilitar a absorção de grandes volumes de
dados sintetizados.
 Acessa dados em diferentes plataformas operacionais
(Windows, Linux, Unix, etc.), locais (internos e externos à
empresa) e formatos de armazenamento.
 Permite a criação de diversos relacionamentos entre os
dados.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Características:
 Facilita a consulta dos dados, selecionando somente o que
é relevante ao executivo.
 Foca em informação de nível estratégico: indicadores de
desempenho, por exemplo.
 Facilidade de utilização do sistema com mínimo
treinamento técnico.
 Complementa os sistemas atuais por meio de pesquisas nas
bases de dados existentes.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Características:
 Flexibilidade evolutiva, adaptando-se às modificações
dos bancos de dados.
 Capacidade de drill-down: navegação por vários níveis
de informação, ou seja, a partir de macro informações
chegar a informações operacionais.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Funções:
 Integrar num único sistema todas as informações
necessárias para sua verificação numérica, textual, gráfica
ou por imagens.
 Permitir verificar informações desde o nível operacional
até o nível mais analítico, de forma rápida e segura,
possibilitando um melhor conhecimento e controle da
situação e maior agilidade e segurança no processo
decisório.
 Permitir focalizar os fatores críticos de sucesso e o
motivo dos desvios de forma dinâmica.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Funções:
 Oferecer navegação por vários níveis de informação,
partindo-se de um nível mais sintético até o
aprofundamento em níveis de detalhe analítico, com
simplicidade e no momento oportuno.
Sistemas de Informação Executiva
Sistemas de Informação
Benefícios:
 Provê um poderoso veículo de informação.
 Torna possível a visualização de informações disponíveis
nas bases de dados da empresa ou do ambiente externo.
 Possui capacidade de drill-down, ou seja, aprofundamento
em detalhes, de acordo com as necessidades do executivo.
 Facilita a análise de exceções por meio de parametrização
pelo próprio executivo.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistema de Apoio à
Decisão (SAD) é um
sistema interativo
que auxilia os
tomadores de decisão
na utilização de dados
e modelos para a
resolução de
problemas não
estruturados.
Sistemas de Informação
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
A necessidade deste tipo de sistema iniciou na década de
70, em decorrência de diversos fatores, tais como:
 Competição cada vez maior entre as organizações.
 Agilidade no processo de tomada de decisão.
 Disponibilidade de tecnologias de hardware e software
para armazenar e buscar rapidamente as informações.
 Possibilidade de armazenar o conhecimento e as
experiências de especialistas em bases de conhecimento.
 Uso da tecnologia no apoio ao processo de planejamento
estratégico empresarial.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Quanto mais alto é o nível de gerência, menos estruturados
são os problemas, aumentando a complexidade de solução.
Nem todos os problemas podem ser resolvidos por
uma solução estruturada, baseada em critérios, que levem
a um resultado ótimo.
Problemas não-estruturados possuem dificuldades inerentes
à identificação das informações e relacionamentos
necessários à tomada de decisão.
Os SAD estruturam os problemas, permitindo a sua análise
pelos administradores e ajudando o processo decisório.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Características:
 Analisam alternativas, propõe soluções, pesquisa o
histórico das decisões tomadas, simula situações, etc.
 Atuam em todas as fases de solução de problemas:
inteligência, projeto, escolha, implementação e
monitoramento.
 Suportam as abordagens de otimização, satisfação e
heurística, por meio de simulações e análise de metas.
 Utiliza modelos na resolução de problemas.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Características:
 Viabiliza interação constante do usuário com um ambiente
de apoio à decisão.
 Apresenta diferentes soluções para um mesmo problema,
conforme os modelos de simulação e os refinamentos
determinados pelo usuário.
 Possui funções específicas que permitem obter e
processar dados em bases de dados heterogêneas,
retirando subsídios para o processo de tomada de decisão.
 Viabiliza a integração de vários sistemas e a
compatibilidade de formatos.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Características:
 Grande flexibilidade de apresentação de dados que
podem ser apresentados textual e graficamente.
 Oferece diferentes formatos de visualização para análise
de diferentes tipos de dados.
Sistemas de Apoio à Decisão
Arquitetura de um SAD
Um SAD é composto de três módulos principais:
 Sistema Gerenciador de Banco de Dados.
 Sistema Gerenciador da Base de Modelos.
 Sistema Gerenciador de Interface.
Sistemas de Informação
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Sistema Gerenciador de Banco de Dados:
 Gerenciador de bancos de dados convencional.
 Tecnologia em constante evolução.
 Acesso a fontes de dados heterogêneas.
 Dados não-estruturados.
 Banco de dados separado logicamente de outros bancos
de dados operacionais
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Sistema Gerenciador da Base de Modelos:
 Capacidade de integrar acessos a dados e a modelos de
decisões, que são armazenados utilizando-se um banco de
dados como mecanismo de comunicação e integração
entre os modelos.
 Capacidade de criação de modelos com a utilização de
uma linguagem de geração de modelos potente e um
conjunto de blocos de criação, semelhantes a sub-rotinas.
 Capacidade de catalogar e manter uma ampla variedade
de modelos, dando suporte a todos os níveis gerenciais.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Sistema Gerenciador da Base de Modelos:
 Capacidade de inter-relacionar esses modelos por meio
do banco de dados.
 Capacidade de acessar e integrar blocos.
 Capacidade de gerenciar o banco de modelos com
funções análogas às usadas para o gerenciamento de
banco de dados.
 Capacidade de escolher o modelo mais apropriado a uma
aplicação e configurá-lo.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Sistema Gerenciador de Interface:
Determina grande parte do potencial, da flexibilidade e
da utilidade de um SAD, dividindo-se em dois fluxos:
 Entrada:
O usuário utiliza uma linguagem de ação que determina o
que o usuário pode fazer ao se comunicar com o sistema.
 Saída:
O sistema deve mostrar o resultado de várias formas,
utilizando uma linguagem de apresentação, que permite
um estilo de linguagem: abordagem perguntas/respostas,
linguagem de comandos, menus e preenchimento de
lacunas.
Sistemas de Apoio à Decisão
Sistemas de Informação
Benefícios:
 Consolida o resultado das experiências individuais,
oferecendo um amplo espectro de soluções.
 Resgata o resultado de experiências de profissionais
afastados, reduzindo o impacto do turnoud na
organização,
 Retrata a cultura da organização, possibilitando aos
novos profissionais rápida adaptação à organização.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Sistema Especialista (SE) é um ramo da Inteligência
Artificial (IA), em que um conhecimento especializado é
especifico de um domínio de problema.
Um SE usa conhecimento e procedimentos de inferência
para a resolução de problemas de alta complexidade que
requerem a presença de um especialista para sua solução.
O desenvolvimento de um SE se inicia pela entrevista a uma
reconhecida autoridade em um domínio específico e pela
codificação da perícia obtida em regras e fatos.
Representado simbolicamente, o conhecimento é transferido
para um computador, que repete a análises peritas e
estratégias de solução de problemas naquele domínio.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
A IA demonstra comportamento inteligente ao:
 Aprender com a experiência:
Necessita de técnicas de aprendizado computacional e da
estruturação dos conceitos aprendidos com a experiência.
 Aplicar o conhecimento adquirido com a experiência:
Usa o conhecimento para tratar de situações complexas,
com grande variabilidade e cujo os dados são parciais ou
com baixa visibilidade do relacionamento entre eles.
 Distinguir o que é importante:
Encadear raciocínios lógicos voltados ao alcance de um
objetivo, compreender imagens e processamento de
símbolos, utilizar heurísticas e ser criativo e imaginativo.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Características:
 Além de inferirem conclusões, tem a capacidade de
aprender novos conhecimentos e, desse modo, melhorar o
seu desempenho de inferência, e a qualidade de suas
decisões.
 Lidam com problemas complexos, resolver questões que
requerem um alto nível de juízo e perícia humana, e
comunicar-se com seu usuário através de um diálogo
eficaz.
 Fazem perguntas, fornecem conclusões e as justificam.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Características:
 Fornecem respostas em termos de porcentagem de
certeza, propagando dentro do sistema graus de
confiança associados às diversas informações.
 Baseados em uma busca heurística e trabalha com
problemas para os quais não existe uma solução
convencional organizada de forma algorítmica disponível.
 Simulam raciocínio humano, inferem e julgam,
freqüentemente com informações incompletas.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Características:
 Derivam conclusões e soluções de heurísticas baseadas
em um domínio específico de conhecimento; enquanto os
convencionais geram resultados através de algoritmos.
 Possuem um fluxo de raciocínio, que vai das
evidências para as conclusões.
 Estreitam o campo das soluções possíveis a partir de
cada informação adicional recebida.
 Fazem uso das diversas evidências, combinando-as em
hipóteses intermediárias sobre conclusões parciais, a
partir das quais os resultados serão deduzidos.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Componentes de um SE:
Interface
do
usuário
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Componentes de um SE:
 Base de Conhecimento (BC)
Contém o conhecimento especializado que será utilizado
nas tomadas de decisões: conceitos, regras, casos e
relacionamentos.
Os conceitos e seus relacionamentos são usados pelas
regras para derivar novos conceitos e relacionamentos.
As regras capturam relações de causa-efeito entre
conceitos. O caso é a associação de um evento a um
padrão de ocorrências.
A BC captura a experiência de várias pessoas em uma área
e relaciona estas experiências, porém pode apresentar
dilemas devido a discordância dos especialistas.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Componentes de um SE:
 Mecanismo de Inferência:
Elabora as conclusões a partir do conhecimento
armazenado em sua BC por meio do encadeamento entre
eles de forma a atingir um objetivo.
Permite o rastreamento do processo decisório, que
justifica a decisão tomada.
 Interface do Usuário:
Realiza o diálogo entre o usuário e o sistema, por meio do
qual é adquirido o conhecimento para a criação da BC.
Fornece recurso para a absorção e estruturação do
conhecimento e facilita a visualização das decisões.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Funções:
 Conselheiro da alta gerência: agente de auxílio à tomada
de decisões cotidianas em um setor corporativo.
 Estabelecimento de metas: com uma base criada é possível
sugerir e simular metas organizacionais.
 Planejamento: traçar o plano de recursos a serem usados
na produção de um produto, o cronograma de produção, etc.
 Controle de qualidade e monitoramento: verificar se um
sistema está funcionando convenientemente.
 Diagnose: verificar as causas possíveis da falta de
qualidade nas soluções.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Benefícios:
 Superior disponibilidade:
Um sistema especialista é a produção em massa de
experiência disponível em computador.
 Redução de custo:
O custo de fornecer conhecimento especializado por
usuário é dramaticamente reduzido.
 Redução de riscos:
Sistemas especialistas podem ser usados em ambientes
onde existem riscos para os humanos.
Sistemas especialistas
Sistemas de Informação
Benefícios:
 Permanência:
O conhecimento especializado é permanente e crescente
indefinidamente.
 Conhecimento múltiplo:
O conhecimento combinado de vários especialistas
disponível a qualquer hora de qualquer dia.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Sistemas de Gestão Empresarial, mais conhecidos como
Enterprise Resources Planning (ERP) são um conjunto de
subsistemas integrados, capazes de suprir as necessidades
de informação e automatizar os diversos processos
empresariais, desde a entrada de um pedido de um cliente,
até sua expedição, incluindo o planejamento dos recursos
financeiros, materiais e humanos para sua produção.
A verdadeira missão dos ERPs é tentar integrar todos os
departamentos e funções de uma empresa em um único
software que possa servir a todas as necessidades
específicas de cada departamento.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Cada um dos departamentos normalmente possui seu
próprio software, otimizado para funcionar da forma
como o departamento necessita.
O ERP combina todos esses softwares em um único
software integrado executado com base em um único
banco de dados de tal forma que os vários departamentos
possam trocar informações com mais facilidade e se
comunicar uns com os outros.
O conceito de ERP tem sua fundamentação no
planejamento integrado de todos os recursos necessários
para a produção industrial, buscando a adaptação para
organizações não industriais.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Exemplos de softwarehouses que comercializam ERPs:
 SAP
 DATASUL
 BAAN
 LOGOCENTER
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Características:
 Auxilia a tomada de decisão;
 Atende as atividades operacionais;
 Atende todas as áreas da empresa;
 Possibilita maior controle sobre as operações;
 Possibilita a obtenção das informações em tempo real,
 Permite a integração das áreas da empresa;
 Possui modelos de referência;
 É um sistema genérico;
 Oferece suporte ao planejamento estratégico;
 Suporta a necessidade de informação das áreas;
 Apóia as operações da empresa;
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
A partir de meados da década de 90, observam-se dois
aspectos:
 Grandes corporações já haviam optado por algum ERP;
 Os ERPs passaram a ser cada vez mais parecidos.
Os fornecedores de ERPs que passaram a:
 Rever suas políticas de preço, a fim de ampliar sua fatia
de mercado com soluções para médias empresas.
 Buscar inovações com o objetivo de obter diferenciação
a fim de conquistar mais clientes.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Caso o ERP não se adapte ao negócio, as empresas:
 Desistem de projetos multimilionários de ERP porque o
software não suporta um de seus processos críticos.
 Alteram a forma de trabalhar para acomodar o software,
o que irá significar mudanças profundas nos processos de
negócio há muito tempo estabelecidos e alterar papéis e
responsabilidades de pessoas importantes
 Modificar o software para adequá-lo ao processo, o que
pode tomar um tempo absurdo, introduzir bugs e dificultar
a atualização do software para a próxima versão, pois as
customizações deverão ser reescritas para a nova versão.
Sistemas de Gestão Empresarial
Os custos de migração para um ERP inclui:
 Consultoria
 Customização
 Treinamento
 Conversão da base de dados
 Ampliação da infra-estrutura
 Testes integrados
 Processamento paralelo
 Adaptação do Datawarehouse
 Implantação
Sistemas de Informação
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Expectativas:
 Propiciar o acesso oportuno à informação.
Ex. Informar com precisão o saldo em estoque, com a
emissão de ordens de compra tão logo os níveis indiquem.
 Propiciar a perfeita integração entre setores da empresa.
Esta integração é feita por meio da informação depositada
nos bancos de dados compartilhados pelos setores, que
pode ser comprometida pela redundância e inconsistência.
A redundância é duplicação do dado no Banco de Dados.
A inconsistência é a diferença entre dados redundantes.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Expectativas X Frustrações:
 Eliminar a necessidade de conversão de uma informação.
Essa conversão prove a integração entre sistemas
diferentes, que não compartilham integralmente a mesma
base de dados, por terem sido desenvolvidos a partir de
soluções de fornecedores ou tecnologias diferentes.
Tais conversões são trabalhosas e dispendiosas, sendo
evitadas com sistemas integrados desde sua concepção.
 Prover ferramentas de planejamento operacional.
Esse planejamento que inclui a previsão das tarefas,
responsabilidades e prazos, permite o acompanhamento,
controle e avaliação de atividades e utilização dos recursos.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Expectativas X Frustrações:
 Detectar melhorias no processo produtivo e no
desempenho operacional.
Essas melhorias tem conseqüências organizacionais e
comportamentais profundas.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Etapas de Implantação:
Etapa 1: Análise de Adequação
 Necessidades da empresa X funcionalidades do ERP.
Etapa 2: Implementação
 Treinamento que dissemine a filosofia do sistema.
 Treinamento operacional para o uso do sistema.
 Redesenho de processos que serão alterados.
 Gestão da mudança organizacional.
 Garantia da qualidade das informações.
 Customização e parametrização.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Etapas de Implantação:
Etapa 3: Manutenção
Contínuo gerenciamento do comprometimento do pessoal
com a filosofia do sistema.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Modalidades de Implantação:
 Implantação “passo-a-passo”
O Sistema é implementado gradativamente em cada
área funcional (produção, materiais, financeiro, etc.).
Como vantagem sinaliza-se um maior controle e
acompanhamento do processo de implementação, a
adaptação é mais provável.
Como desvantagem se pode mencionar o retrabalho, pois o
novo sistema coexistirá, durante um período com os
sistemas legados.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Modalidades de Implantação:
 Implantação “Big Bang”
O Sistema é implantado de uma só vez, simultaneamente em
todas as áreas funcionais e em todas as unidades de negócio.
Como vantagem não há redundância de informação e
trabalho duplicado. Como desvantagem há um grande risco
de choque cultural na implantação do sistema.
 Implantação “Small Bang”
O Sistema é implantado completamente em cada unidade
de negócio progressivamente, mas não há inicialmente
integração entre elas.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Critérios para seleção de um ERP:
 Processos de Negócio
Suportar todos os processos do negócio, sem a necessidade
de customizações que não sejam parametrizadas.
 Integração de Componentes
Ser altamente integrável entre seus componentes.
 Flexibilidade
Ser ajustável às necessidades da empresa.
 Conectividade com a Internet
Conter um componente que integre o sistema aos negócios
on-line da organização, tornando-o seguro e executável.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Critérios para seleção de um ERP:
 Suporte Multi-Site
Ser suportados o planejamento global e local, bem como as
facilidades de controle.
 Implantação Rápida
Espera-se com essa rapidez reduzir a espera do retorno de
investimento (ROI).
 Facilidade de Uso:
Permitir o gerenciamento e manuseio por pessoas nãotécnicas.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Custos ocultos de ERP:
 Treinamento
Normalmente um item de orçamento mais subestimado, pois
envolve não apenas o aprendizado de uma nova interface de
software, mas um novo conjunto de processos.
 Integração e teste
As conexões entre um ERP e os links com os demais
softwares corporativos, construídos caso a caso, devem ser
construídas e testadas.
 Customização
Customizações não previstas na concepção do ERP são um
sorvedouro de recursos, as serem evitados a todo o custo.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Custos ocultos de ERP:
 Conversão de dados
As bases de dados normalmente, escondem erros que são
revelados durante a conversão, exigindo um esforço extra
durante a migração.
 Análise de dados
A conversão dos processos de aquisição de dados que
alimentam o Data Warehouse é muito trabalhosa e
dispendiosa, e, geralmente é esquecida até o último
momento, podendo comprometer a qualidade e até a
viabilidade das análises multidimensionais.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Custos ocultos de ERP:
 Consultores ad infinitum
Gastos com consultores são altos, e a falha no planejamento
falhe requer o treinamento de uma equipe interna.
 Recolocação de funcionários
A implantação de um ERP evidencia a superioridade dos
melhores funcionários que são tentados a buscar melhores
oportunidades no mercado de trabalho.
 Equipes de implantação nunca podem parar
Os responsáveis pela implantação são extremamente
valiosos por haverem trabalhado intimamente com o ERP,
são capazes de continuar com as melhorias necessárias.
Sistemas de Gestão Empresarial
Sistemas de Informação
Custos ocultos de ERP:
 Retorno do investimento
Contar com retornos imediatos do investimento podem
custar caro a organização, que deve esperar esse retorno da
melhoria dos processos de negócios que devem ser
incrementados ao longo do tempo e após muito empenho.
 Depressão pós-ERP
Uma sensível queda de desempenho advêm do fato de que
tudo passa a funcionar diferente do que era antes, o que
exige um período de acomodação.
SI e a Inteligência do Negócio
Sistemas de Informação
Processos
de aquisição
Processos
de
distribuição
SI e a Inteligência do Negócio
Sistemas de Informação
Referências bibliográficas
Sistemas de Informação
O’Brien, James A. Sistemas de Informação. São Paulo:
Editora Saraiva, 2002.
Scarinci, Rui Gureghian
Fundamentos de Sistemas de Informação - SENAC
Em:
http://ehisso.com/index2.php?option=com_docman&task=
doc_view&gid=76&Itemid=26
Sistemas de Informação
Obrigada!
elianagavioli_unicid@yahoo.com.br
Download

Sistemas de Informação