SUSANA
BETTENCOURT
[Espaço Bloom]
“Fragmented Oxidation”
Para este trabalho, a designer inspirou-se na ideia de deterioração dos objetos, como ponto
de partida para a criação – especificamente no processo de oxidação, onde são retiradas
as cores dominantes de "Fragmented Oxidation" - bege ocre, azul esverdeado, cinza
arroxeado.
Decomposição, fragmentação e transformação para criar o novo é o mote para a coleção
outono/inverno de Susana Bettencourt.
As malhas em jacquard continuam bem presentes neste novo trabalho, às quais se juntam
malhas racladas. Os padrões arrojados, a joalharia e os acessórios com técnicas de croché
tipicamente portuguesas são imagens de marca da designer e podem também ser
encontrados em "Fragmented Oxidation" – a sua quarta coleção.
CONTACTOS
e. [email protected]
w. www.susanabettencourt.com
HUGO COSTA
[Espaço Bloom]
“Forest”
A história de "Forest" tem origem na
necessidade de reflexão sobre a relação,
entre a natureza e os espaços urbanos.
Onde começa um e onde entra a
necessidade do outro.
Da natureza
refletem-se as cores, os brilhos das
florestas densas e os tons próximos mas
tão diferentes. Nos espaços urbanos
destaca-se a necessidade do sentido
prático e da identidade.
O vestuário tem influências claras do
streetwear, transformado e interpretado
no vestuário clássico masculino. A cor é
apresentada como bloco sobressaindo
as diferentes tonalidades, através dos
reflexos dos tecidos, com destaque para
a
textura
em
detrimento
combinações cromáticas.
CONTACTOS
c. Hugo Costa
m. +351 914007405
e. [email protected]
w. http://hugocostabrand.blogspot.com // http://behance.net/hugocosta
f. http://facebook.com/hugocostabrand
das
ANDREIA LEXIM
[Espaço Bloom]
As peças são construídas tendo como ponto de partida as formas geométricas, tal como um
quadro exposto num museu ou galeria. Explorando a relação entre vazio e conteúdo, as
peças são colocadas em formas geométricas, como forma delimitada por arestas.
As maiores influências deste projeto foram retiradas do trabalho de Richard Serra, com
estruturas arquitetónicas metálicas colocadas em espaço interiores e exteriores, a utilização
do preto e branco, da pintura e do desgaste das cores, do envelhecer do objeto no espaço e
no tempo e o recurso a texturas inesperadas. O projeto conta, também, com influências do
trabalho de Issey Miyake, que explora a bi e tridimensionalidade dos objetos de vestuário, o
minimalismo dos anos 60, o surgimento de arte minimal e exposições como “Primary
Structures”.
CORES
Branco, preto e azul
MATERIAIS
Malhas jersey, tecnológicos, crepes, lãs e malha tricot.
PARCEIRO
Dysfunctional Shoes.
CONTACTOS
c. Andreia Lexim
e. [email protected]m
w. andreialexim.blogspot.com
f. facebook.com/andreialexim1
ESTELITA
MENDONÇA
[Espaço Bloom]
A partir do conceito de habitat portátil, trabalhado na coleção anterior, chega-se à conclusão
de que o habitat não é só o espaço onde vivemos. Assim, nós fazemos parte do lugar onde
moramos e ele de nós.
Isto numa altura em que a procura de novas oportunidades, a necessidade de soltar as
amarras rumo ao desconhecido e aos seus desafios é uma realidade imposta. Neste novo
desafio, trabalha-se a ideia de proteção do ser humano, envolvendo tudo o que o constitui,
as suas raízes, as suas memórias e a sua identidade.
O uso de cobertores de papa, tipicamente portugueses e em extinção, lembra-nos o
sentimento de conforto e de proteção que nos traz o que conhecemos. Agora, não trazemos
a casa as costas, trazemos tudo o que ela implica vestido.
ACESSÓRIOS PARA AS MÃOS
Mau
MAKE UP CONCEPT
Mónica Mota
PATROCÍNIOS
TMG; Eureka Shoes
AGRADECIMENTOS
André Covas, Carmo Osul, Mário Calisto, Miguel Lomba, Miguel Flor, Mónica Mota e Simão
Boliva.
CONTACTOS
Atelier
Rua Aises Ormelas, nº 274, 4º andar , 4481 Porto
t. +351 914 230 613
e. [email protected]
w.https://www.facebook.com/home.php#!/pages/EstelitaMendon%C3%A7a/197701923636869
DANIELA
BARROS
[Espaço Bloom]
“Vada”
A relação entre o corpo e a psique alude
a
uma
necessidade
obsessiva
de proteção. O inconsciente molda,
através de ritos e ideais, o corpo,
envolvendo-o em amuletos e estruturas,
que
nesta
coleção
surgem
sob
decomposição entre a forma e a cor.
“Vada” surge com uma silhueta feminina
forte,
mas
ambígua,
essencialmente
sombria e estruturada, onde o corte e a
construção assumem o papel fulcral. As
peças construídas por materiais de cariz
divergente são iluminadas por tons mais
leves e estampados, aos quais está
inerente
a
simbologia
a
rituais
de
proteção.
O corpo, nesta coleção, surge como
base e inspiração, assumindo uma face
etérea, sublime, mas rígida, frívola e
imprevisível
CONTACTOS
c. Daniela Barros
t. +351 918 101 575
e. [email protected]
ALVES /
GONÇALVES
Narrativa onde se materializam as nossas obsessões ao nível da forma-rigorosa, ampla e
assimétrica, num plano emocional, inserindo sempre neste contexto imagens de uma
mulher feminina, vulnerável, instintiva. Recetiva às modernas e inovadoras visões na
construção e detalhes, onde os tecidos opacos e de aspeto natural jogam com outros com
texturas e brilhos mais sofisticados e técnicos, numa associação de acabamentos manuais
(artesanais). Ambiente cromático suave, com o preto a emprestar densidade.
A renovação e inovação continuada dos nossos processos de conceção, mostrando de um
modo claro o nosso DNA face à realidade e com o futuro sempre focalizado neste
processo. O nosso gosto pela arquitetura e pelo cinema estão sempre visíveis neste
discurso, num ambiente de intensidade urbana e emotiva.
CONTATOS
ATELIER
Travessa Guilherme Cossoul nº16 1200-213 Lisboa
t. +351 213463125 | f. +351 2133475137
w. http://www.alvesgoncalves.com
FÁTIMA LOPES
Este inverno, Fátima Lopes brinca com os paradoxos, a oposição, a atração e a mistura de
géneros. Fiel ao estilo gráfico e arquitetural, a criadora propõe uma coleção outono/inverno
2013/14 feminina e inteligente: calças justas, vestidos e saias até ao joelho, bem como
oposições de formas volumosas por todo o corpo.
Inspirando-se na forma dos diamantes, Fátima Lopes incorpora nas suas peças detalhes
em 3D, que mistura através de estampados exclusivos, utilizados em patchwork,
relembrando o brilho e as mil e umas faces da pedra preciosa.
O preto e o azul-marinho são as cores dominantes, enfatizadas por toques de azul vivo –
kein, king, azur – tal como os reflexos dos diamantes. Cores que surgem em materiais
nobres como: lã, caxemira, couro, camurça, seda crepe ou jersey.
Para esta nova estação, Fátima Lopes colabora com o designer belga PP From Longwy,
para a sua linha de acessórios. Peças únicas e exclusivas vêm ornamentar as silhuetas
minimalistas: alguns colares delicados em ruténio e em pléxi azul conferem elegância à
coleção.
CONTATOS
ATELIER
Rua da Atalaia, 36 | 1200-041 Lisboa
t. +351 21 324 05 40
f. +351 21 324 05 48/59
e. [email protected]
w. www.fatimalopes.pt
Download

ANABELA BALDAQUE