II Encontro de Educação, Ciência e
Tecnologia do IFRS Câmpus Erechim
II MOSTRA TÉCNICA
04 a 08 de novembro de 2014
Vestuário e Acessibilidade para Indivíduos com Necessidades Especiais
CESCHINI, Beatriz¹; SANTOS, Fabiana Moura ; BINOTTO, Giane ; CALLEGARI, Kelin Hofman ; THEISEN, Fernanda Caumo1*
1
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Câmpus Erechim. E-mail: [email protected] *Orientador: [email protected]
INTRODUÇÃO
O vestuário passou por diversas mudanças em um longo período de anos, desde
peças que limitavam movimentos às que possibilitassem mais conforto ao usuário. A
ergonomia aliada a moda pode contribuir para solucionar um grande número de problemas
em nosso cotidiano. O mau projeto e uso de roupas podem dificultar e causar lesões para
realizar determinadas tarefas, pois no simples ato de se vestir e andar, são acionados
diversos músculos, ligamentos e articulações. O uso de uma roupa inadequada pode fazer
com que o usuário realize movimentos e posturas inadequadas que produzem tensões, má
circulação, resultando em mal-estar e até problemas de saúde.
Assim, buscou-se analisar e propor soluções para pessoas com imobilidade em um
dos membros inferiores, sugerindo uma peça confortável, tanto ergonomicamente como
esteticamente, proporcionando assim, uma melhor aceitação do público escolhido quanto à
moda, como também a elevação de sua autoestima ao encontrar roupas que lhe facilitem o
manuseio e conforto ao se vestir.
OBJETIVOS
O presente trabalho foi desenvolvido na disciplina de Modelagem, do segundo
semestre do Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda do Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – IFRS – Câmpus Erechim, com o
objetivo de elaborar uma peça do vestuário em tecido plano, considerando os aspectos
ergonômicos e estéticos, para pessoas que tenham imobilidade em um dos membros
inferiores, porque elas encontram dificuldade ao vestir roupas em função da ergonomia e
também de suas propriedades estéticas.
Figura 1.Frente
RESULTADOS
Como resultado final do trabalho, obteve-se uma calça capri confeccionada em tecido
jeans, com aberturas laterais através de zíper para facilitar o ato de se vestir sentada ou
deitada, além de possuir um acabamento interno para evitar a irritação da pele, cumprindo
com o objetivo ergonômico de desenvolvimento da mesma.
A peça do vestuário possui aspectos estéticos apresentando três botões fixos em
cada lateral, aberturas laterais com zíper de 40 cm, bolsos falsos na frente, bolsos traseiros
e bainha de 3 cm em jeans com foil. Esse segundo tecido foi selecionado para agregar valor
estético à peça, já que a mesma não sofreria lavagem para acabamento.
REALIZAÇÃO:
Figura 3.Lateral Direita
Fonte: Giane Binotto
Figura 3.Lateral Esquerda
CONSIDERAÇÕES FINAIS
MATERIAIS E MÉTODOS
A metodologia utilizada no projeto consiste em uma pesquisa qualitativa com
aplicação de entrevistas não estruturadas para entender as necessidades de uma usuária
de calça jeans com falta de mobilidade em uma perna. A partir das respostas obtidas,
realizou-se a análise das mesmas, o projeto e o desenvolvimento de uma peça protótipo,
considerando os aspectos ergonômicos relevantes para aquela usuária, que encontrava
dificuldades principalmente por ter que se vestir sentada ou deitada.
O primeiro passo para a pesquisa foi a elaboração de uma entrevista não
estruturada com o indivíduo com necessidade especial, onde foi diagnosticado suas
necessidades na hora de vestir uma peça do vestuário, onde verificou-se que a maior
dificuldade se apresentava no fato da mesma ter que vestir uma calça na posição deitada
ou sentada. A segunda etapa foi uma reunião com os membros do grupo com o objetivo
de tomar decisões sobre os artigos e técnicas que construiriam a nova peça do vestuário.
Nesta etapa decidiram-se quais os tecidos, aviamentos e tipos de aberturas para a peça,
assim como as técnicas de modelagem que melhor adaptariam a peça à usuária.
Na última fase foi a observação do indivíduo com o artigo do vestuário
desenvolvido, onde se verificaria se os objetivos foram alcançados e se a calça capri
supriria com as necessidades especiais em relação ao vestuário deste indivíduo.
Figura 2.Costas
O vestuário deve sempre primar pelos aspectos ergonômicos e estéticos de acordo
com as necessidades do consumidor. Por isso, salienta-se a importância do estudo de
tecidos, aviamentos, tipos de costura, modelagem a ser utilizada, e o próprio acabamento da
peça, para que a mesma proporcione conforto e liberdade de movimentos ao usuário.
A calça capri pode ser adaptada tanto para pessoas com uma ou com ambas pernas
imobilizadas, pois possui intencionalmente os zíperes e botões de aberturas nas laterais,
facilitando o processo de vestir a peça independentemente. Esse fato possibilita a
acessibilidade para quem possui alguma necessidade especial nos membros inferiores, o
que a direciona a nichos de mercados referentes a Indivíduos com Necessidades
Especiais, o que torna viável a produção em grande escala, propondo uma solução
ergonômica e estética a essas pessoas que sentem-se excluídas pelo simples fato de não
encontrar peças que se adaptem ao corpo, pois elas, muitas vezes, dificultam seus
movimentos, causam desconforto e até mesmo, impedem que se vistam sem a necessidade
de ajuda de outra pessoa.
REFERÊNCIAS
Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao homem/ K. H. E. Kroemer e E. Grandjean; trad. Lia Buarque de Macedo
Guimarães. – 5.ed. – Porto Alegre: Bookman, 2005.
Ergonomia prática/ Jan Dul, Bernard Weerdmeester; tradutor Itiro Iida. – 2ª ed.rev. e ampl. – São Paulo: Blucher, 2004.
Moda sob medida: Uma perspectiva do slow fashion – Pereira, Dilara Rubia e Nogueira, Márcia Ferreira – 9º Colóquio
de Moda – Fortaleza(CE) – 2013.
Woltz, Silvia; Carvalho, Miguel. Vestuário inclusivo: a adaptação do vestuário às pessoas com necessidades especiais, 2007.
Disponível em <http://hdl.handle.net/1822/8081>.Acesso em: 25 fev. 2014.
Moldes femininos: noções básicas/ Cavalheiro, Rosa Marly; Silva, Rosa Lucia de Almeida. SENAC, DN. Rio de Janeiro: ED.
Senac Nacional, 2003.
SANT’ANNA, Mara Rúbia. Moda e palavra: Reflexões em Moda, Florianópolis, Volume 4, 2005.
Cartilha do Censo 2010 – Pessoas com Deficiência / Luiza Maria Borges Oliveira / Secretaria de Direitos Humanos da
Presidência da República (SDH/PR) / Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD) /
Coordenação-Geral do Sistema de Informações sobre a Pessoa com Deficiência; Brasília : SDH-PR/SNPD, 2012. Pag 6.
APOIO:
Download

Vestuário e Acessibilidade para Indivíduos com