Biblioteca Digital : Manifesto
IFLA-UNESCO e padrões
internacionais
Profa. Dra. Simone Bastos Vieira
Diretora da Biblioteca do
Senado Federal
BIBLIOTECA DIGITAL
CONCEITO
 O Manifesto IFLA-UNESCO define biblioteca digital como
uma coleção de objetos digitais disponíveis em linha, com
qualidade de acesso. A gestão e a manutenção dos objetos
devem estar baseadas em princípios e padrões internacionais
de forma sustentável e acessível para que os usuários
possam
recuperar
informação.
e
explorar
todos
os
recursos
de
GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL
 o constante aprimoramento de tecnologias,
 o potencial de integração de um grande número de funções nas
informações,
 a heterogeneidade da clientela,
 a possibilidade de fragmentar e rearranjar documentos com
textos, imagens e som,
proporcionam a abertura de novos horizontes aos sistemas de
informação a partir da gestão da informação digital.
GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL
 Uso
de
redes
de
telecomunicações
com
valor
agregado.
 Preocupação com o acesso e não com o patrimônio.
 Substituição do documento primário, linear e estático
por um dinâmico, interativo e multidimensional.
MANIFESTO IFLA-UNESCO PARA BIBLIOTECAS DIGITAIS
 Bibliotecas são agentes essenciais na promoção da paz e valores
humanos. As bibliotecas digitais abrem um universo de conhecimentos e
informações, conectando culturas em todas as fronteiras geográficas e
sociais.
 IFLA e UNESCO estimulam os governos nacionais e locais, as
organizações intergovernamentais e patrocinadores para reconhecerem
a importância estratégica das bibliotecas digitais. Estimulam os
programas de digitalização em grande escala de forma a tornar as
informações científicas e culturais mais amplamente disponíveis na
sociedade da informação.
MANIFESTO IFLA-UNESCO PARA BIBLIOTECAS DIGITAIS
 A criação de legislação específica e apoio financeiro junto aos governos
nacionais e locais são necessários para diminuir o fosso digital e
garantir o acesso para as próximas gerações. Qualquer estratégia de
longo prazo tem por objetivo reforçar o desenvolvimento da educação,
da alfabetização, da cultura - e acima de tudo - para fornecer acesso à
informação.
 Interoperabilidade e sustentabilidade são essenciais para o intercâmbio
de dados entre bibliotecas digitais para isso, devem estar em
conformidade com os padrões de sistemas abertos e protocolos de
internet, a nível mundial.
MANIFESTO IFLA-UNESCO PARA BIBLIOTECAS DIGITAIS
 Apoiar a digitalização, o acesso e a preservação do
patrimônio cultural e científico.
 Fornecer acesso as valiosas informações recolhidas pelas
bibliotecas e disponíveis para todos os usuários, respeitando
os direitos de propriedade intelectual.
 Criar consciência da necessidade urgente de acesso
permanente a materiais digitais.
MANIFESTO IFLA-UNESCO PARA BIBLIOTECAS DIGITAIS
 Criar sistemas interoperáveis para promover padrões de
acesso aberto.
 Vincular as bibliotecas digitais de alta velocidade para a
investigação e desenvolvimento de redes.
 Aproveitar
a
crescente
convergência
dos
meios
de
comunicação social e institucional para criar e divulgar
conteúdos digitais.
GUIA PARA BIBLIOTECAS DIGITAIS IFLA-UNESCO
 As orientações deverão ser baseadas nas melhores práticas
estabelecidas pelas maiores e mais experientes bibliotecas,
com o foco em apoiar instituições que não possuem
experiência na criação de bibliotecas digitais.
 As orientações são um subsídio técnico e político para
estimular os órgãos governamentais sobre a importância de
criação e acesso aos acervos digitais.
PADRÕES INTERNACIONAIS
 Open Source: filosofia de desenvolvimento e distribuição de
software http://www.opensource.org/
 Preservação
Digital
de
documentos:
Características
técnicas http://www.dpconline.org/graphics/index.html
 OAIS (Open Archive Information System): Aplicar os
Metadados para preservação digital de longo prazo
http://www.soros.org/openaccess
10
PADRÕES INTERNACIONAIS
 Identificador persistente:
Nomenclatura e identificação que permita que um objeto
possua somente um identificador longínquo. The PURL
System
(Persistent
Uniform
Resource
Locator)
http://www.purl.org/
 Open Access: Política de acesso online, sem barreiras e
permanente
de
textos
completos
http://www.soros.org/openaccess
e
informações.
PADRÕES INTERNACIONAIS
 OAI_PMH (Open Archives Iniciative- Protocol of Metadata
Harvesting) e do protocolo Harvasting
http://www.openarchives.org/;
 OpenURL : Permite acessar referencias bibliográficas com seus
textos em outros serviços
http://www.niso.org/committees/committee_ax.htm
FORMATOS PARA DESCRIÇÃO DOS RECURSOS
 MARC 21 – livros físicos
 DUBLIN CORE – OCLC
(Online Computer Library Center) http://dublincore.org/
 FRBR - fase de pesquisa
(Functional
Requirements
for
Bibliographic
http://www.ifla.org/VII/s13/frbr/frbr.htm
Record)
BIBLIOTECA DIGITAL MUNDIAL
 UNESCO lançou no dia 17 de outubro de 2007, o protótipo do projeto
da Biblioteca Digital Mundial, cuja proposta é ser o maior acervo digital
do mundo, organizado com produção cultural e científica de vários
países. O lançamento foi durante a 37ª Conferência-Geral da
organização, em Paris.
 A criação da Biblioteca Digital Mundial é uma iniciativa da Biblioteca do
Congresso Americano e conta com a contribuição da Biblioteca
Nacional do Brasil (BN), única da América Latina convidada para
participar do desenvolvimento do portal que disponibilizará, em vários
idiomas, um grande conjunto de saberes de diferentes povos e culturas.
 O projeto foi dividido em duas fases: na primeira etapa os usuários
poderão acessar, gratuitamente, documentos como mapas, fotografias e
manuscritos digitalizados; na segunda etapa encontrarão livros,
partituras musicais, registros sonoros e filmes. Todo o material
disponível para consulta será acompanhado de textos explicativos em
português, árabe, inglês, espanhol, francês, chinês e russo.
 O Diretor da Biblioteca do Congresso Americano, James Billington,
espera que o projeto inclua documentos de China, Índia e do mundo
islâmico. "Estamos tentando recriar a memória de culturas muito mais
antigas que a nossa."
 O Google e a Microsoft são os grandes parceiro deste projeto.
EUROPEANA
 É um projeto iniciado em julho de 2007 que já desenvolveu
um protótipo com aproximadamente 2.000.000.00 de objetos
digitais incluindo filmes, fotos, pinturas, arquivos sonoros,
mapas, manuscritos, livros, jornais e documentos de arquivo.
O protótipo deverá ser apresentado em novembro de 2008
por Viviane Reding com o apoio da Comissão Européia da
Sociedade da Informação e Multimeios.
EUROPEANA
 Europena é uma Rede Temática fundada pela Comissão
Européia sob os auspícios do programa eContentplus como parte
da política de criação de uma rede de Bibliotecas digitais
Europeias EDLnet onde participam 90 representantes de
organizações da cultura e conhecimento europeus, além de
especialistas em IT.
 O grupo que está desenvolvendo o projeto está localizado na
Biblioteca Nacional da Holanda Koninklijke Bibliotheek e tem
como objetivo:
EUROPEANA
 O conteúdo digital será selecionado a partir da coleção existente
nos museus, bibliotecas, arquivos e material áudio visual da
Europa. O objetivo deste protótipo é que o seu conteúdo represente
de uma forma integrada e completa a herança cultural de todo o
continente Europeu.
 A interface do protótipo será multilíngüe. Inicialmente já se
encontram disponível versão em francês, inglês e alemão mas está
previsto um incremento em outros idiomas.
EUROPEANA
 Proporcionar o acesso a herança cultural e cientifica européia
por meio de um portal com cruzamentos de informação;
 Co-operatividade e sustentabilidade na criação do portal;
 Estimular as iniciativas de integrar conteúdos digitais já
existentes;
 Apoiar a digitalização de acervos europeus.
EUROPEANA
 Promover a digitalização do patrimônio cultural europeu,
o projeto pretende ser uma resposta ao portal
Google, que prevê disponibilizar futuramente 15 milhões
de obras procedentes de bibliotecas norte-americanas e
da
universidade
inglesa
de
Oxford.
BIBLIOTECA DIGITAL DO SENADO FEDERAL
 Democratização de serviços para a cidadania;
 Senado Federal ao alcance de todos;
 Promoção de acessibilidade ao portador de deficiência;
 Publicações eletrônicas;
 Infra-estrutura avançada e novos serviços.
BIBLIOTECA DIGITAL DO SENADO FEDERAL
 Plataforma poderosa;
 Acesso a base de dados externos e internos;
 Acesso a serviços diversos;
 Links externos;
 Livros eletrônicos,
 Áudio-livros;
 Recortes de jornais digitalizados;
Biblioteca
Prodasen
Biblioteca Digital
do SenadoFederal
PARCERIA PÚBLICO E PRIVADA
EQUIPE TÉCNICA













Adelaide Veiga - Bibliotecária;
Constantin Metaxa Kladis – Analista Informação;
Eduardo Ferraz – Analista Informação;
Elaine Oliveira – Bibliotecária;
Helena Celeste – Bibliotecária;
José Carlos Maia – Analista Informação;
Luís Ricardo – Analista Informação;
Otávio Lisboa – Analista Informação;
Paulo Malhero – Analista Informação;
Simone Bastos Vieira- Bibliotecária;
Stelina Martins Pinha - Bibliotecária;
Valdir Alves – Analista Informação.
Walderez Dias - Bibliotecária;
182 anos de História viva
Senado Federal
Biblioteca Acadêmico Luiz Viana Filho
Obrigada
bastos@senado.gov.br
http://www2.senado.gov.br/bdsf/
Download

manifesto ifla-unesco para bibliotecas digitais