In Pulso
Incubadora de Ideias & Projetos de Alunos do UNISAL
1. Motivação e escopo
A In Pulso – Incubadora de Ideias & Projetos de Alunos do UNISAL vem ao
encontro de uma necessidade inicialmente diagnosticada junto aos cursos
de graduação da área de ciências exatas da U.E. de Americana: oferecer
estímulo e apoio ao interesse por pesquisa, desenvolvimento, inovação e
empreendedorismo (PDI&E) entre seus alunos, docentes e coordenações
de curso.
A In Pulso espera ser um instrumento - de escopo mas ao mesmo tempo
efetivo - para um melhor cumprimento da meta institucional de inserção de
atividades de PDI&E à cultura acadêmica dos cursos de graduação
envolvidos no projeto, incorporando-as assim à rotina acadêmica de
alunos, docentes, coordenações e apoio técnico-administrativo.
A dinâmica considerada mais adequada para esta instância “guarda-chuva",
integrada aos e integradora dos cursos relativa às áreas de PDI&E, foi a de
uma incubadora, dado que processos de incubação em geral envolve:
prospecção, captação, seleção, apoio, estímulo e acompanhamento, bem
como cultivo de expectativas e meios de superação de dificuldades
inerentes a desafios.
Além disso, a In Pulso está sendo pensada para ter seu foco no aluno, mais
que no projeto em si proposto por ele – donde vem sua caracterização mais
como "incubadora de alunos" que de projetos de alunos. Isto significa que a
valorização e a manutenção do interesse pessoal do aluno em PDI&E, que é
aquilo que realmente o trouxe à incubadora, serão consideradas
prioritariamente em relação à ideia ou ao projeto em si apresentados.
1
Quanto a estes últimos, poderão sempre ser reformulados ou mesmo
completamente reorientados sob orientação docente em função de
aspectos de viabilidade técnica, financeira ou gerencial, importando
sempre e prioritariamente que se tente não perder o aluno captado junto à
dinâmica de incubação.
Por ser humanista, este foco justamente se adéqua ao resgate da qualidade
de nosso aluno ingressante, cujo perfil inicial típico inclui embasamento
técnico deficiente, pouca ou nenhuma visão do que seja PDI&E e que
importância elas têm para a qualidade de sua formação, em paralelo a uma
grande vontade de "melhorar de vida".
Embora motivado e surgido no contexto dos cursos de engenharias e
sistemas de informação, espera-se que tal escopo ofereça aderência da In
Pulso aos demais cursos de graduação do UNISAL.
Não obstante isso, é importante salientar que a meta última dos projetos
finalmente desenhados e aprovados para incubação será necessariamente
a obtenção de determinado resultado prático, como sejam: realização de
testes de princípio de funcionamento, estudos de viabilidade técnica,
financeira ou de gestão, culminando eventualmente na obtenção de algum
protótipo de produto/processo/serviço.
Por outro lado, historicamente constatamos ao longo de cada ano letivo
que vários projetos discentes, particularmente promissores por terem de
algum modo se diferenciado dos demais, nascem tanto de atividades
acadêmicas obrigatórias quanto de compromissos “contratados” pelos
alunos junto a docentes e instituição, tais como: projetos integrados (PI),
iniciações científicas (IC), trabalhos de conclusão de curso (TCC), estágios
supervisionados em empresas/instituições (ES), visitas técnicas e trabalhos
em campo (VT), às vezes mesmo a partir de monitorias (MT)
particularmente reveladoras de talentos, ou ainda, o que não é raro, a
partir de situações desafiadoras ou inéditas emergentes no contexto do
próprio vínculo profissional do aluno, etc. Entretanto, após a finalização dos
compromissos acadêmicos assumidos, tais projetos têm sido simplesmente
interrompidos ou abandonados, embora tanto alunos quanto professores
envolvidos lamentem com frequência que tal desfecho seja um desperdício
de trabalho já realizado frente à falta de oportunidade de prosseguimento.
2
Há também que se levar em conta que uma fração dos alunos de ciências
exatas “sonham” com o desenvolvimento de alguma ideia que venha a se
tornar um produto, processo ou serviço que se torne base para o próprio
futuro negócio, isto é, aspiram a uma carreira empreendedora.
2. Objetivos
 Promover e apoiar a incorporação da pesquisa, desenvolvimento e
inovação à cultura acadêmica dos cursos de graduação envolvidos,
isto é, em todos os níveis discente, docente, técnico e administrativo;
 Promover e apoiar o empreendedorismo junto aos alunos de
graduação do UNISAL;
 Prospectar e captar ideias e projetos de alunos com potencial em
pesquisa, desenvolvimento, inovação e empreendedorismo, para
incubação, seja em formatos vinculados a atividades obrigatórias de
graduação, como projeto integrado, trabalho de conclusão de curso,
estágio supervisionado e monitoria, seja originados em atividades
extra-acadêmicas, como os desafios profissionais que os alunos
trazem à sala de aula;
 Estreitar relações de alunos e professores entre si em torno de ideias
relacionadas a pesquisa, desenvolvimento, inovação e
empreendedorismo, para incubação pela In Pulso;
 Trabalhar em sinergia com os programas de bolsas institucionais de
iniciação científica (Bic-Sal), tecnológica (Bit-Sal) e docente (bid-Sal),
de bolsas de iniciação científica por quota (Pibic-Pibit-Pibid/CAPESCNPq), bem como com a Mostra de Iniciação Científica do UNISAL;
 Trabalhar em sinergia com a Empresa Junior do UNISAL;
 Trabalhar em sinergia com o Centro de Estudos do Meio Ambiente CEMEA, como parceiro privilegiado em questões envolvendo o meio
ambiente;
 Realizar a Mostra In Pulso anualmente, promovendo e expondo os
projetos incubados.
3. Fases de implantação
Primeira Fase: Na presente primeira fase de sua implantação, a In Pulso se
propõe a oferecer efetivo acolhimento acadêmico ao aluno incubado, em
nível de práticas formativas teóricas e experimentais sob orientação
docente, de modo a expô-lo através do projeto engendrado a um ciclo
tanto quanto possível completo de PD&I.
3
Nesta fase, é oferecido apoio ao aluno no âmbito de seu curso, o que inclui
orientação formal docente, obtenção de bolsas de iniciação científica,
tecnológica e outras, institucionais e externas, facilitação de acesso a, e uso
de, laboratórios institucionais com o adequado apoio técnico.
É parte integrante da exposição do aluno a este ciclo de PD&I a exibição do
seu projeto na Mostra In Pulso, realizada anualmente no mês de outubro
desde 2012, mostra esta inscrita na Semana Nacional de Ciência e
Tecnologia (SNCT) promovida pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e
Inovação (MCTI).
Segunda Fase: Alcançada suficiente maturidade na implementação da In
Pulso nas atividades da primeira fase, a incubadora buscará oferecer
interface formativa adicional em empreendedorismo para tais alunos
visando à possibilidade de transformação de seu projeto de PD&I bem
sucedido em um plano de negócios (PDI&E).
Nesta fase, a In Pulso buscará junto a outros cursos da Instituição parcerias
para apoio aos alunos incubados, voltado à gestão e finanças (cursos de
administração e ciências contábeis, via Empresa Junior do UNISAL), ao
direito de propriedade intelectual, industrial e de patenteamento (curso de
direito), bem como da avaliação de perfil psicológico de aptidão ao
empreendedorismo (curso de psicologia, possivelmente via SAP). Por outro
lado, os cursos de serviço social e engenharia ambiental (este último via
CEMEA) poderão aportar subsídios e apoio à In Pulso relacionados a
empreendedorismo social e ambiental, respectivamente.
A consolidação destas duas primeiras fases de ação da In Pulso no âmbito
institucional poderia ser denominada de In Pulso Júnior - Incubadora de
Ideias & Projetos de Alunos do UNISAL.
Terceira Fase: Consolidados os estágios anteriores de implantação da In
Pulso Júnior, seria desejável estender o escopo da In Pulso de modo a
também torná-la uma incubadora de projetos de base tecnológica, social e
ambiental em sentido pleno, seja para projetos bem sucedidos de alunos
egressos, seja para projetos advindos da comunidade em geral. Assim, ela
passaria a atuar também junto ao mercado, a outras incubadoras existentes
– dentre elas aquelas também geridas por universidades públicas e privadas
4
– e instituições promotoras de PDI&E, via patrocínios, fomentos, parcerias,
convênios, eventos e outros modos de colaboração.
Para consolidar esta fase, serão buscadas parcerias para visitas técnicas
focalizadas em PDI&E de projetos incubados pela In Pulso a instituições e
empresas da região, além de parcerias com incubadoras já existentes na
região, como as de Americana e Santa Bárbara D´Oeste, Incubadora da
Unicamp, Agência Inova-Unicamp, além de órgãos públicos e privados de
fomento como SEBRAE, CIEE, CTI Renato Archer, FAPESP, FINEP, entre
outros.
A consolidação desta terceira fase poderia ser denominada de In Pulso Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, Social e Ambiental do
UNISAL.
4. Acolhimento de propostas para incubação
O projeto que pleiteia incubação deve ser submetido eletronicamente
pelos alunos à In Pulso via o e-mail in_pulso@am.unisal.br, em conjunto
com uma proposta preenchida em formulário próprio, esta última
contendo os dados pessoais do(s) aluno(s) e do(s) docente(s) orientador(es)
envolvido(s), título do projeto, data de submissão e sumário executivo de
até 100 palavras.
O projeto em si deve conter os seguintes itens descritivos: i) sumário
executivo de até 100 palavras, ii) defesa do mérito do projeto relacionado a
PD&I e Emprendedorismo – introdução, motivação, resumo de cases
relacionados, embasamento teórico e revisão bibliográfica, iii) metodologia
a ser utilizada, iv) materiais e equipamentos necessários, deixando claro se
a infraestrutura do próprio UNISAL contempla ou não estas necessidades,
bem como inclusão de eventual orçamento financeiro, v) cronograma para
o ano acadêmico em vigor (caberá oportunamente solicitação de renovação
de projeto) com inclusão de metas claras de implementação prática –
testes de viabilidade/princípio/conceito, obtenção de protótipo de produto,
processo ou serviço, vi) bibliografia pesquisada.
Após análise, eventuais correções sugeridas e aceitação por parte da In
Pulso, esta última se comprometerá a buscar apoio interno (docente e de
infraestrutura de apoio) e externo (patrocínios, parcerias, fomento, etc.)
5
para tentar viabilizar o projeto incubado, acompanhando-o em suas
diversas fases de execução.
O ciclo anual de incubação de projetos culminará com a exposição dos
mesmos na Mostra In Pulso, evento anual de divulgação que ocorrerá
dentro da Semana de Tecnologia do UNISAL, sempre no segundo semestre
de cada ano, que por sua vez estará inscrita na Semana Nacional de Ciência
e Tecnologia (SNCT) organizada anualmente pelo Ministério de Ciência,
Tecnologia e Inovação (MCTI) do governo federal. A qualidade dos projetos
expostos bem como o nível de preparo das respectivas equipes serão
avaliados in loco durante a Mostra por uma comissão composta por
docentes, representantes de empresas e da comunidade convidados a
compô-la.
A 1ª Mostra In Pulso ocorreu em 18 de outubro de 2012, ocasião em que
foram apresentados 13 projetos incubados. Em 24 de outubro de 2013
ocorreu a 2ª Mostra In Pulso com a apresentação de 21 projetos incubados.
Em 24 de outubro de 2014, a 3ª Mostra In Pulso contou com a participação
de 27 projetos. A opinião de alunos e docentes presentes nestes eventos
tem sido unanimemente favorável à concepção da In Pulso e à continuação
do seu desenvolvimento.
Se você, aluno (ou professor), já é orientado (ou já orienta) um projeto em
qualquer uma das modalidades acima mencionadas, coloque no papel o
que já está em andamento e submeta-o à In Pulso, para avaliação, seleção e
incubação.
Lema da In Pulso:
Alunos
Transformam
Que
Que
Sonham
Projetos
Sonham
Projetos
Que
Que
Transformam
Alunos
6
Download

Incubadora de Ideias & Projetos de Alunos do UNISAL