A Paz do Senhor!
Chegou a hora de rever e
memorizar o que aprendemos
nas 13 lições da revista
“Liderança Cristã”
Muito Importante!
Peça ao Espírito Santo para fazer a diferença
em sua aula!
Ore, leia a Bíblia, consulte sua revista e
estude a lição. Uma boa consulta a outras
obras fidedignas enriquecerá ainda mais seus
conhecimentos.
Tenha uma boa aula e uma ótima semana!
Dúvidas, sugestões?
Entre em contato conosco:
comercial@editorabetel.com.br
Curta nossa página e acompanhe nossas
novidades:
facebook.com/EditoraBetel
“Aquele que leva a preciosa
semente, andando e chorando,
voltará, sem dúvida, com alegria,
trazendo consigo os seus molhos”
Salmos 126.6
Programa Inteligente de
Memorização
“Liderança Cristã”
Conhecendo os segredos da liderança eficaz
3º Trimestre de 2014
Lição 1 – O perfil bíblico de um líder
Neste trimestre, estudamos sobre a liderança e o que é
necessário para entendê-la e praticá-la. Nesta lição,
falamos biblicamente sobre o perfil geral de um líder.
Há pelo menos três dimensões de vínculos relacionais
que tornam uma pessoa líder em alguma coisa. O líder
relaciona-se com pessoas, com a organização e consigo
mesmo. Aqui vimos, de maneira concisa e prática, como
essas dimensões se desenvolvem.
Biblicamente, por princípio Divino, toda a
liderança procede de Deus (Rm 13.1). Esteja
onde estiver, seja igreja ou empresa, etc., a
liderança deve ser uma forma de pôr, em
movimento, os dons recebidos de Deus. Tais
dons e aptidões devem servir para que outros
possam atingir seus objetivos, a fim de glorificar
a Cristo Jesus.
Lição 2 – Maturidade, exigência para
líderes cristãos
Na segunda lição vimos que liderança é uma
necessidade para a vida de qualquer grupo ou
organização. Tanto as organizações eclesiásticas
quanto as seculares clamam por líderes devotos.
Não há nenhuma instituição mais poderosa que a
Igreja de Cristo na terra (Mt 16.18b). Ela conta com
os maiores recursos existentes, sejam eles materiais
ou espirituais. Mesmo assim, carece de liderança
espiritual autêntica que faça a diferença no mundo.
A autêntica liderança espiritual é a que fará
diferença onde for desenvolvida. Para que isso
aconteça, é necessário respeitar o desejo
daqueles que aspiram ao ministério, orientando
e encaminhando-lhes ao treinamento. A
preparação, nesse sentido, deve acontecer, até
que, finalmente, cheguem ao pleno exercício da
função. Na verdade, muitos são ocultamente
por Deus, preparados.
Lição 3 – O líder vocacionado por Deus
Qual é o perfil da pessoa vocacionada por Deus para
liderar? (1Tm 4.12) É claro que são pessoas dotadas
de dons e aptidões que confirmem, com
comportamentos exemplares, essa vocação.
Devemos lembrar que há vários níveis de liderança,
mas nem todos serão líderes. A igreja de Cristo,
porém, reconhece prontamente aqueles que são
enviados, por Ele. Outra questão decisiva é como
alguém pode ter certeza da vocação divina?
Vejamos a seguir como identificar tal vocação.
Alguém que se considera chamado no Corpo de
Cristo para exercer liderança é alguém
convidado e jamais se impõe como líder. Ele
sabe que precisa esperar em Deus e, enquanto
isso, pratica exercícios espirituais e influencia
outros a quem pode. Até, finalmente, ser
confirmado pelo corpo da igreja onde serve
como tal, quer seja para um departamento ou
mesmo para a direção da própria igreja.
Lição 4 – O líder espiritual é comprometido
com a oração
Na quarta lição descobrimos que é uma verdadeira
incisão na alma ouvir um homem conectado a Deus.
Quando Jesus falava havia impacto, as pessoas
abandonavam o que faziam para segui-lo, ninguém
era mais o mesmo após ouvi-lo (Mt 7.29). Mesmo
assim, observamos em Jesus uma qualidade
invejável em nossos dias, a oração. Mas orar não é
fácil, é batalha, exige disciplina.
Sempre haverá tribulações para desestimular a
frequência de um líder na presença de Deus, por
isso, o líder deve ser sábio e perseverar na
oração (At 6.4). As forças contrárias à oração
precisam ser anuladas, antes que anulem a
nossa atuação no Reino.
Aprendemos que devemos superar os
obstáculos do ativismo que geram cansaço,
distração e fraqueza, e também a falta de
programa previamente estabelecido que sirva
de direção. Uma vez superados esses entraves,
mantenhamos um padrão de oração (1Ts 5.17)
para o nosso próprio crescimento espiritual.
Lição 5 – Cuidado com a família de um líder
Governar bem a própria casa é uma ordenança para
qualquer pessoa que almeja o ministério, sem isso, não
haverá enquadramento nem chances para liderar. É
evidente que não existem famílias perfeitas, mas
disciplina e educação fazem da vida exemplos a serem
copiados.
Observe o perfil de um líder descrito por Tito: “Alguém
que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que
tenha filhos crentes que não sejam acusados de
dissolução, nem sejam insubordinados”. Nesta lição
analisamos alguns cuidados que um líder deve ter em
relação a sua família.
Sendo a casa de Deus uma extensão da casa de
um líder cristão, sua vida doméstica deve ser
inspiradora. Todavia, os pais devem evitar pôr
um fardo pesado demais sobre os filhos. Assim
eles devem também lutar com muita sabedoria
por seus filhos evitando um legalismo
intransigente e a possibilidade de afastamento
da fé deles. Nesta lição aprendemos que as
cobranças que pesam sobre a família e
principalmente sobre os filhos do pastor são
muito grandes e até muitas vezes injustas, por
isso o líder, junto com a sua esposa, deve ter um
sério equilíbrio nessa questão.
Lição 6 – Liderança e sua influência
inspiradora
O estilo de liderança do Senhor Jesus foi além de
prático, muito inspirador. Ele mesmo disse: “eu vos
dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós
também” (Jo 13.15). Noutra ocasião também falou:
“aprendei de mim, que sou manso e humilde de
coração” (Mt 11.29). Tais palavras destacam a
qualidade da sua liderança inspiradora. Igualmente,
os termos “façais” e “aprendei” trazem consigo um
apelo de compromisso com o seu exemplo.
Nesta lição concluímos que a verdadeira
liderança cristã tem forma e conteúdo, por isso
ela é inspiradora. O mundo ainda aguarda vozes
de líderes cujos corações ardam através das
chamas do amor de Deus, homens que não se
contentem com nada mais neste tempo
presente senão a se oferecem como sacrifício no
altar de Cristo.
Lição 7 – A visão de um líder chamado por
Deus
Quando Deus chamou Abraão, deu-lhe um encargo e
lhe fez grandes promessas. A partir de então, uma visão
passa a dar sentido a sua vida. Todavia, essa visão
precisava se desenvolver e tomar forma, vindo a tornarse clara com a experiência do tempo e do convívio ao
lado de Deus. O desenvolvimento e a compreensão
dessa visão fizeram de Abraão um homem esperançoso
e cheio de fé no Deus que chama a existência as coisas
que ainda não são. A aquisição, o desenvolvimento e o
relacionamento de uma visão são etapas que todo líder
deve passar.
Quando falamos de fidelidade à visão confiada,
compete-nos também passá-la adiante e não
morrer com ela. Toda a visão que se encerra com a
existência de um líder indica que tudo foi feito na
pessoa dele próprio, por isso, ela morreu com ele.
Líderes geram filhos, jamais deixam a próxima
geração órfã de visão. O líder passa, mas a visão é
de gerações.
Lição 8 – O líder e suas responsabilidades
nas decisões
Os desafios, problemas e dificuldades de nossa época
são tantos que não existe uma fórmula ou modelo para
solucioná-los. Entendemos que, para cada caso, exista
um tipo de tratamento e uma solução a descobrir.
Todavia, há rumos seguros a tomar, e as Escrituras nos
dão bases muito sólidas para resolvê-los. Não
precisamos ficar à mercê da sorte, nem procrastinando,
porque Deus tem dado aos seus servos um manual e um
Espírito de sabedoria (1Jo 2.20).
Nesta lição vimos que não há como dissecar
todo esse assunto, entretanto lançamos luzes
para iluminar mentes criativas. Deus tem
sempre uma saída, um escape, uma provisão
para um servo-líder por Ele vocacionado. Não
tenha medo, porque os tempos mudam e as
situações também. Creia e seja ousado em
aplicar soluções adequadas a cada problema.
Lição 9 – Orientações bíblicas para
delegação de poderes
Não importa quão excelente seja um líder, a
unidade é tudo em um ministério aprovado. Uma
das maiores lições que um líder precisa aprender é
que ninguém pode fazer tudo sozinho. Do mesmo
modo que uma equipe necessita de bons jogadores
para ganhar, uma organização também necessita de
bons líderes para alcançar êxito.
O tempo de qualquer pessoa é precioso, mas
principalmente quando se trata de um líder de
uma organização eclesiástica. Por isso, ele deve
se concentrar em buscar, treinar e empossar
pessoas adequadas para essa organização, para
aliviarem a sua carga. Ele não estará livre das
decepções, todavia, encontrará grande
realização juntamente com a sua equipe.
Lição 10 – Um líder em crescimento
constante
Na décima lição aprendemos que uma liderança
solidificada crescerá em todo o tempo. Para
algumas pessoas as circunstâncias adversas podem
ser pedras de tropeços, mas para líderes de visão, as
circunstâncias podem se tornar ferramentas pelas
quais avançarão e obterão sucesso. Os servos de
Deus cresceram independentemente de fatores
externos, eles nunca olham para fora, mas para
dentro si, para a visão que Deus tem neles
implantado (Fp 3.14).
Para ser bem sucedido em tudo quanto faz em
termos de liderança sem dúvida há um conjunto
de atitudes como foi brevemente demonstrado
nesta lição. Porém, tudo isso pode ser resumido
numa única palavra: “diligência”, que representa
zelo, dedicação e amor constante ao que se faz.
Se Josafá e tantos outros agiram assim, por que
não fazê-lo também?
Lição 11 – Pecados capitais de uma
liderança
A definição básica de pecado no grego é “hamartia”, e
significa: “errar o alvo”. Pecar é desvincular-se do
propósito original de Deus, que é alcançar
determinado objetivo. Com o pecado não se brinca, e
aquele que está ativo no exercício de liderança deve
trabalhar preventivamente vigiando. Quem está sob a
pressão da tentação deve se resguardar orando,
resistindo ou até mesmo fugindo (1Co 6.18),
dependendo da natureza da tentação. Portanto,
vimos que é imprescindível conhecermos os principais
pecados ligados à liderança e algumas de suas
consequências.
Nesta lição aprendemos que existem algumas
atitudes que são fundamentais para que o líder
possa encarar tais pecados e evitá-los, a saber:
prudência na conduta pessoal sempre, orar,
vigiar e ter um momento devocional consistente
para resistir às astutas ciladas do diabo (Ef 6.11).
Lição 12 – O maior legado de um líder
Um pai responsável sempre age pensando em deixar
uma herança para seus filhos. Em relação à organização
Igreja, um líder deve ver a si mesmo como um pai que
busca deixar tesouros para seus filhos (2Co 12.14). Nós
seres humanos fomos criados para reprodução (Gn
1.28). Nossa história não termina em nós, daí a
necessidade de compreendermos o que significa
deixarmos um legado para a posteridade.
Uma coisa deve ficar muito clara: O maior
legado de um líder é trabalhar para que a igreja
ou organização se mantenha depois dele, tendo
a alegria e o zelo em preparar e deixar alguém
que ame a Deus, respeite o povo, e siga a visão
deixada pelo seu legado.
Lição 13 – Jesus, o modelo inigualável de
liderança
O maior modelo de liderança será sempre Jesus
Cristo. Desde sua anunciação já se previa um Messias
com qualidades jamais vistas pelos seres humanos.
Jesus Cristo é o homem perfeito, o modelo para uma
vida saudável, feliz e vitoriosa. Não existe líder que
não deseje ser como Jesus. Na última lição vimos três
pilares principais sobre os quais a liderança
messiânica repousou, os quais nos servem de base
para o desempenho do papel de liderança.
Jesus, até hoje, é um enigma para muitas
pessoas. Seguir a Jesus não é somente um
desafio, mas uma contracultura que nos conduz
a viver de um modo diferente e regrado. O que
sobressai em Jesus é sua qualidade de vida, sua
maneira de agir, sua justiça, verdade,
integridade e santidade. E como seguidores,
basta-nos apenas seguir seu exemplo de vida:
“Porque eu vos dei o exemplo, para que, como
eu vos fiz, façais vós também” (Jo 13.15).
Nossa Mensagem para você, aluno da EBD
Prezado (a) aluno (a) da Escola Bíblica Dominical, a paz do
Senhor! Muito obrigado por ter caminhado conosco durante
o 3º Trimestre de 2014. Esperamos ter contribuído para o
enriquecimento de seus conhecimentos. Que Deus possa lhe
abençoar e lhe dar forças para continuar conosco nesta
árdua, mas recompensadora tarefa, de semear a “boa
semente”. Agradecemos também ao comentarista deste
trimestre, Pastor Abner de Cássio Ferreira, pelas edificantes
lições ministradas ao longo desses três meses que se
passaram.
Contamos com a sua presença em nossas próximas aulas
dominicais. Deus abençoe você e toda a sua família.
Editora Betel, setembro de 2014
Referências
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa Editora Betel
Revista Jovens e Adultos: Liderança Cristã, 3º
Trimestre 2014 - Editora Betel
Download

PIM - Jovens e Adultos