Quando todos
participam
tudo se realiza
Impresso
Especial
9912246476/2009-DR/MG
Cocatrel
CORREIOS
Órgão de divulgação da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas Ltda.
ANO XXVII
Nº 305
Julho/2011
TRÊS PONTAS-MG
2
INFORMATIVO COCATREL
Opinião
JULHO/2011
Galinha morta
Neste mês de julho vimos pela
TV a Copa América de Futebol com
vários resultados inesperados chamados de
autênticas zebras. Após a partida do Brasil
contra a Venezuela, tida como cabeça de
bagre no futebol, fomos surpreendidos com
um resultado de zero a zero e uma péssima
apresentação de nossos chamados de
craques que ganham fortunas jogando no
futebol europeu. Nosso técnico, Sr Mano
Menezes, que nunca foi campeão em time
nenhum, deu a seguinte declaração naquela
ocasião:
"Não existe mais galinha morta
no futebol" , ou seja, ninguém é bobo
mais, ou como dizemos não existe
japonês no samba. Trazendo esta historia
comparativamente para o café podemos
afirmar que no mercado de café hoje existe
sim diferenciação, ou seja, existe galinha
morta no café. Até pouco tempo o café
com qualidade não tinha diferenciação de
preços e o nosso valoroso grão era vendido
sempre no máximo como bebida dura para
melhor ou na maioria dos casos como
bebeu ou não bebeu. Hoje o diferencial
de uma bebida estritamente mole para um
café riado é extremamente significante, ou
seja, quem produzir com qualidade tem
beneficio ou valor agregado.
Nosso café ou nossa galinha dos
ovos de ouro está sendo sim valorizada
como deveria ser. O mercado cada vez
mais exigente em termos de qualidade e
certificação faz com que os produtores
busquem tecnologias e façam seus cuidados
com mais esmero, principalmente na
colheita e pós colheita. Não dá mais pra ser
amador na produção de café. Importante
também seria não confiar cegamente
nestas informações que o preço do café
irá se manter estável nos próximos 2 a
3 anos e ficar achando que não precisa
se preocupar com qualidade porque não
terá café no mercado, consumo crescente,
estoque baixo, etc...Tivemos no inicio
de Março o melhor preço praticado nos
últimos anos que chegou a R$580,00/saca,
mas um terremoto no Japão no dia 11 de
Março, fez com que o preço caísse e não
voltasse mais aos patamares de R$580,00.
Então muita coisa pode acontecer nestes
próximos 2 a 3 anos. O preço pode sim
melhorar em virtude das boas expectativas
de mercado, mas também pode sofrer
baixas alterações inclusive em função
de aumento de área de plantio, etc... Tá
na hora sim de cuidar melhor da planta,
realizar tratos culturais adequados, nutrição
correta e principalmente preservar a
qualidade do grão. Não é hora de praticar
o hino nacional: deitado eternamente em
berço esplêndido. Vamos acordar e mostrar
para o mundo que sabemos produzir com
qualidade, conquistar novos mercados,
gerando renda e melhoria da qualidade
de vida tanto dos produtores quanto do
comércio que vive em função da situação
cafeeira na nossa região.
Galinha morta então seria
produção de café sem qualidade: Dura,
Riada, rio, etc...sem se preocupar com
qualidade, mercado e suas implicações.
Não é hora de aumentar área de plantio,
mas sim cuidar bem da nossa galinha
dos ovos de ouro, procurar informações,
acessar mercado, buscar orientação técnica,
certificar a propriedade e o café , etc...,
pois afinal cobra que não anda não engole
sapo. Mercado de café é algo muitíssimo
complicado. Às vezes temos que ser um
jacaré nadando de costas em rio de piranhas
ou como um malabarista na corda bamba:
se correr o bicho pega, se ficar o bicho
come.
Edmundo Modesto de Melo
Engº Agrº MSc em FitotecniaPós graduado em cafeicultura empresarial
Coordenador Técnico Regional de Culturas
EMATER-MG/Pouso Alegre
Atenção Cooperado,
Para conhecimento de
todos, fornecemos abaixo as
condições vigentes para o seguro
sobre o transporte de café, entre
a fazenda e os armazéns da
cooperativa.
Emitida a Nota Fiscal
pela Cocatrel, para acompanhar
o café, o seguro estará
automaticamente contratado, nas
condições e valores constantes
neste documento, devendo ser
observado:
-Viagem DURANTE O DIA;
-Limite por carga R$ 100.000,00
ou 250 sacas a R$ 400,00/saco.
-Qualquer ocorrência, contatar
imediatamente a Polícia e a
Caminhões à venda
A Cocatrel está disponibilizando para venda um caminhão Ford 4000,
ano 93, com baú, sem refrigeração. Mais informações nos telefones (35) 32662177 ou 3266-2277.
O "Informativo Cocatrel" é uma publicação mensal da Assessoria de
Comunicação Social da Cocatrel dirigida a seus associados.
Conselho de Administração:
Adelino Junqueira Nogueira, Antônio Miranda Pereira, Aureliano Chaves Corrêa de Figueiredo, Francisco
Miranda de Figueiredo Filho, Lucas Pimenta da Veiga, Luiz Antônio Vinhas Oliveira, Miguel Archanjo
Figueiredo, Nivaldo Mello Tavares, Paulo Luis Rabello.
Conselho Fiscal:
Denísio Donizete Teodoro, Eduardo Barbosa de Mello, Fernando Rezende Reis, Flávio Oliveira Reis, Lea
Aparecida de Figueiredo e Marcelo Costa Pereira.
Administração: Rua Bento de Brito, 110 - Fone/Fax: (35) 3266-2277
CEP: 37190-000 - Três Pontas - MG
Edição: Árvore Assessoria de Comunicação Ltda. - Fone: (35) 3265-4416
Editor e Jornalista Responsável: Marden da Veiga e Sousa MTb: 2830/MG
Reporter: Ana Luisa Leite
Fotos: Marden, Ana Luisa, Arquivo Cocatrel
Revisão: Nivaldo Tavares.
Diagramação/Impressão: Correio Trespontano / Telefax: (35) 3265-7922
Tiragem: 5000 exemplares
Representantes: Agromídia: (11) 5092-3305 - Guerreiro Agro Marketing: (44) 3026-4457
Telefones Úteis:
Administração: (035) 3266-2277 - Fax: 3266-2223 - Setor de Apoio e de Campo (Assistência Técnica):
3265-5175 - Setor de Fabricação (Laticínios): 3266-5094 - Laboratório de Análise de Solo: 3266-2323 Setor de Fertilizantes: 3266-2285 - Departamento de Café (Armazém): 3265-6684 - Loja Três Pontas:
3266-2272 - Filial Carmo da Cachoeira: 3225-1369 - Filial Coqueiral: 3855-1119 - Filial Nepomuceno:
3861-3590 - Armazém Nepomuceno: 3861-3438 - Filial Santana da Vargem: 3858-1299 - Filial São
Paulo: (11) 3326-9868 - Filial Santos: (13) 3219-1272 / (13) 219-2736.
Quadro Social (em 31/07/2011)
4.370 associados ativos
Quadro de Pessoal (em 31/07/2011)
420 funcionários
Cursos SENAR
O Sindicato dos Produtores Rurais de Três Pontas e o Senar/Minas
comunicam aos produtores e trabalhadores rurais que os cursos de colheitadora
de café, derriçadora costal e o curso de qualidade de café (lavador, secador,
despolpador e máquina de beneficiar / terrereiro) já estão sendo agendados.
Para mais informações, procurar o Sindicato ou ligar para (35) 3265-1664/ 35
9939-3935. Falar com Antônio.
Senar/Minas, formando e qualificando o homem do campo.
Cafés personalizados
Por sugestão aprovada pelo Conselho de Administração, a partir deste
ano será cobrado um adicional de 0,4% sobre o valor de comercialização dos
cafés especiais que forem depositados nos armazéns da Cocatrel.
A medida visa cobrir as despesas de remoção desses cafés, que exigem
uma operação diferenciada e mais trabalhosa.
Venha conhecer as vantagens de se
associar a uma cooperativa de crédito
Home Page: www.cocatrel.com.br
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
[email protected]
Cooperativa de Crédito da Região de Três Pontas Ltda.
Trës Pontas: Rua Américo Miari, 36 - Centro - Telefax: (35) 3265-1225
Nepomuceno: Rua Carolino Soares, 52 - Centro - Fone: (35) 3861-2360
Coqueiral: Rua Humberto de Campos, 83 - Centro - Fone: (35) 3855-1435
Santana da Vargem: Rua Padre João Maciel Neiva, 31 - Centro - Fone: (35) 3858-1696
JULHO/2011
3
INFORMATIVO COCATREL
Sistema Ocemg/Sescoop-MG comemora Dia Internacional
do Cooperativismo e Cocatrel é homenageada
Governador Anastasia prestigiou a solenidade
“O cooperativismo é uma ferramenta
importante para fortalecer as economias e hoje é
reconhecido mundialmente, além de ser um
segmento em crescimento constante” – com essas
palavras o presidente do Sistema Ocemg /
Sescoop-MG, Ronaldo Scucato, abriu a
solenidade comemorativa ao 89º Dia Internacional do Cooperativismo, realizada no dia 13 de
julho em Belo Horizonte.
A cerimônia, que contou com a
presença de quase 500 pessoas, entre autoridades
estaduais, deputados, representantes e lideranças
cooperativistas, foi prestigiada pelo governador
Antonio Anastasia, que destacou a importância do
segmento para Minas. “O cooperativismo é
fundamental não só pela sua presença econômica
em diversos setores, mas também pelo fato de ser
uma atividade solidária, que estimula a harmonia
e a formação de capital junto ao trabalho para o
desenvolvimento do nosso Estado,” afirmou.
Ao destacar assuntos que movimentam a pauta do cooperativismo atualmente,
Scucato citou o Código Florestal que, segundo
ele, precisa da força e união de todos para que seja
aprovado de forma a contemplar o produtor rural.
Também se referiu à gestão cooperativista para
afirmar: “temos que perseguir, diuturnamente, o
modelo pautado na gestão ética, moral e
competente”.
O superintendente da Organização das
Cooperativas Brasileiras (OCB), Renato Nobile,
também esteve presente ao evento e enfatizou a
importância do tema escolhido pela Aliança
Cooperativa Internacional (ACI), focado na
juventude cooperativista. “A juventude é
vigorosa e a ela compete o amanhã”, disse.
Francisco Miranda recebe placa comemorativa das mãos
de Ronaldo Scucatto e Luiz Gonzaga Viana Lage,
respectivamente presidente e vice da OCEMG.
Conselheiros da Cocatrel juntos com Andrea Neves,
presidente do Servas e diretores do Sicoob Copersul.
Mérito Cooperativista
Durante a solenidade, foi outorgada a
Medalha do Mérito Cooperativista “Paulo de
Souza Lima”, mais alta comenda do cooperativismo mineiro. Este ano a homenageada foi a
presidente do Serviço Voluntário de Assistência
Social (Servas), Andrea Neves. Ao justificar a
homenagem, Ronaldo Scucato, disse que o nome
de Andrea foi aprovado por unanimidade pelos
conselhos do Sistema Ocemg/Sescoop-MG.“É
uma honra entregar-lhe a Medalha do Mérito
Cooperativista a uma cidadã letra D: democrata,
diplomata, defensora, dedicada e distributiva”,
pontuou.
Por sua vez, Andrea Neves, com
simplicidade, emocionou a todos em seu discurso
consubstanciado de recomendações de solidariedade, ajuda mútua e amor ao próximo. O papel e a
responsabilidade das pessoas públicas foram
abordados por ela num sentido maior, o bem
considerando a percepção e
preocupação com aqueles que mais precisam ou
que se encontram no abandono. “As pessoas do
bem sempre fazem dois questionamentos – o que
posso fazer para melhorar a situação – esses
ajudam muito, e outros perguntam o que precisa
ser feito – esses transformam o mundo”,
afirmou.
A condecoração foi instituída em
1991, com o objetivo de premiar pessoas que se
destacam no trabalho em prol do crescimento e
desenvolvimento do cooperativismo.
Homenagens
As cooperativas mineiras que completam 50 anos em 2011 também foram homenageadas na ocasião. Acompanhado do vicepresidente do Sistema Ocemg/Sescoop-MG,
Luiz Gonzaga Viana Lage, o presidente Ronaldo
Scucato entregou uma placa às seis entidades
cinquentenárias reconhecendo a importante
do cooperativismo mineiro. As homenageadas
deste ano foram: Cooperativa de Laticínios
Teófilo Otoni (CLTO), Cooperativa Regional
dos Cafeicultores do Vale do Rio Verde
(Cocarive), Cooperativa dos Cafeicultores da
Zona de Três Pontas (Cocatrel), Cooperativa
Agropecuária de Patrocínio (Coopa), Cooperativa dos Produtores Rurais de Itaúna (Cooperita) e Cooperativa de Consumo, Editora e de
Cultura Médica (Coopmed).
O presidente da Cocarive, Ralph
Junqueira, falou em nome das homenageadas e
referenciou o trabalho dos cooperativistas na
consolidação dessas organizações, especialmente, aqueles que deram as primeiras contribuições para que essas cooperativas fossem
criadas.
Histórico
Celebrado em todo o mundo no
primeiro sábado do mês de julho, o Dia
Internacional do Cooperativismo reconhece a
importância das cooperativas para o desenvolvimento econômico, social e cultural das
sociedades.
A data foi estipulada em 1923, em
Paris, sendo adotada pela Organização das
Nações Unidas (ONU) a partir de 1995. A
iniciativa também foi ratificada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Atualmente o movimento cooperativista está presente em mais de 100 países e
soma mais de 800 milhões de pessoas em todo o
mundo, sendo responsável por cerca de 100
milhões de postos de trabalho.
CENTRO ADMINISTRATIVO: AV. RIO DAS VELHAS, 205 BAIRRO BEATRIZ - PABX: (34) 3242.3717 . www.tdimaquinas.com.br e-mail: [email protected] - ARAGUARÍ/MG
FILIAL: ESTRADA MUNICIPAL CTP 050, 391 BAIRRO QUATIS - TEL: (35) 3265-2176 . www.tdimaquinas.com.br e-mail: [email protected] - TRÊS PONTAS/MG
4
INFORMATIVO COCATREL
Gerais
Pior seca dos
últimos 60 anos,
provoca queda de
18% na produção
da África
A África vai ajudar a aumentar a queda na produção mundial
de café em 2011-12, devido às
condições de seca anunciada como a
pior em 60 anos nos países orientais,
onde a fome deve afetar mas de 10
milhões de pessoas. Produção de café
no continente, que cresceu 11% para
17,5 milhões de sacas no ano passado,
vai cair 17,8% em 2011-12, disse
Organização Internacional do Café.
A produção será de 14,4
milhões de sacas, a mais baixa por pelo
menos quatro anos. A OIC disse que
sua previsão foi "atribuível principalmente ao pior desempenho na
Etiópia", o café da África na produção
de nação, onde faltou chuva de outubro
a dezembro, e de março a maio as
chuvas foram tardias e erráticas.
Fonte: Agnocafé
JULHO/2011
Supremo volta a julgar o Funrural inconstitucional
Ao retomar os trabalhos, o Supremo
Tribunal Federal (STF) declarou inconstitucional a cobrança do Funrural de
empregadores pessoa física.
Funrural é o nome pelo qual ficou
conhecida a contribuição previdenciária do
setor agrícola. A decisão, tomada por
unanimidade, deve ditar o destino de milhares
de ações no Judiciário, que pleiteiam a
restituição de um montante estimado em R$
11 bilhões, segundo estudo da Receita
Federal de 2010.
Desde 1992, quando o Funrural
passou a incidir sobre a receita bruta da
comercialização da produção rural, a
cobrança tem sido questionada na Justiça.
Produtores pedem para deixar de pagar os
valores atualmente e receber de volta a
quantia já recolhida.
No caso analisado, um empregador
pessoa física do Sul do país questionava a
constitucionalidade do artigo 25 da Lei n
8.212, de 1991, alterado no ano seguinte pela
Lei n 8.540. Ele argumentou que, ao definir a
forma de incidência do Funrural, o artigo
desrespeitou a regra da igualdade no custeio
da Previdência Social. Isso porque, enquanto
os demais trabalhadores recolhem valores
calculados sobre o salário, a contribuição do
setor rural incide sobre a receita da
comercialização. Essa diferença violaria o
princípio constitucional da isonomia.
Antes de 1992, o Funrural também
incidia sobre a folha de salários. Mas, devido
ao alto índice de trabalho informal no setor,
havia problemas na arrecadação. Uma
mudança legal definiu, então, que a
contribuição seria calculada sobre a
receita bruta da comercialização da produção
rural. Sucessivas alterações legais tentaram
pôr fim às discussões judiciais, mas, até o
momento, sem sucesso.
Os produtores também argumentam
que a cobrança só poderia ter sido instituída
por lei complementar. Para pessoas jurídicas,
defendem ainda que haveria dupla cobrança pois a receita bruta já é tributada pela Cofins.
No julgamento, o relator do caso, ministro
Ricardo Lewandowski, retomou os
argumentos considerados no julgamento do
leading case sobre o Funrural. Em fevereiro de
2010, ao analisar um processo do frigorífico
Mataboi, o Supremo derrubou o recolhimento
da contribuição feita pelas empresas que
adquirem a produção - obrigadas a reter e
repassar os valores à Previdência, como
substitutos legais dos produtores. Os ministros
entenderam que a contribuição fere o princípio
da isonomia e só poderia ser criada por lei
complementar.
Como o caso, que desta vez
envolveu diretamente um produtor rural, foi
julgado pelo mecanismo da repercussão geral,
a decisão do Supremo vale como orientação
para os demais tribunais do país.
Não está claro, no entanto, se a decisão se
estende também à cobrança do Funrural a
partir de 2001. A Fazenda argumenta que,
naquele ano, as irregularidades teriam sido
resolvidas com a edição da Lei n 10.256. É
que, nesse meio tempo, a Emenda
Constitucional nº 20 autorizou a cobrança de
contribuições sobre a receita bruta. Mas no
julgamento de ontem, apenas o ministro
Marco Aurélio se manifestou pela inconstitucionalidade da Lei n 10.256. Tanto
representantes da Fazenda como dos
produtores afirmam que é preciso aguardar a
publicação da decisão para entender se os
efeitos valem também para a nova lei.
A Fazenda adianta, porém, que
tentará evitar o rombo de R$ 11 bilhões na
Previdência, com o argumento de que os
valores questionados não poderão ser
restituídos - mas, sim, recalculados.
"Evitamos falar em impacto financeiro
porque, quando o contribuinte tentar resgatar o
que pagou, vamos defender que ele não tem
direito à restituição, e sim a um recálculo",
afirma o procurador da Fazenda Nacional
Fabrício Sarmanho, que atuou no caso
analisado pelo Supremo.
O argumento é que, com a
inconstitucionalidade da cobrança sobre a
receita da comercialização, o Funrural voltaria
então a ser calculado em 20% sobre a folha de
salários, mesmo retroativamente. "Isso vai
gerar uma nova discussão e, dependendo da
tese vencedora, o impacto na arrecadação será
zero", diz Sarmanho. A Fazenda poderá entrar
com embargos de declaração pedindo que o
Supremo esclareça esses detalhes, além da
possibilidade de cobrança a partir de 2001.
Apesar das dúvidas, o resultado de
ontem foi comemorado pelos produtores
rurais. "A decisão reforça ainda mais o
entendimento de que o Funrural é
inconstitucional", diz o advogado Carlos
Dutra, que representa mais de 400 produtores
pessoa física, além de cooperativas como a
Batavo, que discutem o assunto na Justiça.
Fonte: Valor Econômico/ Ruy Baron
JULHO/2011
5
INFORMATIVO COCATREL
Cocatrel tem novidades nos armazéns de Três Pontas
A Cocatrel adquiriu um hidrante
para os armazéns de Três Pontas,
que além de garantir a segurança
dos funcionários que trabalham
no local, também atende a norma
23 do Ministério do Trabalho
para prevenção e combate a
incêndio.
Todos os armazéns agora contam
com mangueiras e equipamento
de alarme com sinal sonoro. Doze
funcionários serão treinados para
se tornarem brigadistas e garantir
o bom uso dos novos
equipamentos.
Outra novidade nos
armazéns da cooperativa
em Três Pontas, é o
recebimento de café a
granel e big-bags. Para o
recebimento a granel, que
devem ser feitos
preferencialmente em
caminhões graneleiros ou
caçambas, a embalagem,
que pode ser bag ou saco,
será fornecida pela
Cocatrel e levada a débito
do cooperado.
Já para as big-bags, o
café será recebido em
armazém especial, com
embalagem de 1200 kg,
padronizada pela
Cocatrel, que pode ser
adquirida nas lojas da
cooperativa. Para utilizar
as big-bags, o produtor
deverá ter balança e
elevador em suas
propriedades. É
importante salientar que,
em ambos os casos, os
veículos deverão
obedecer fila normal na
entrega do café.
Entenda o que é o Georreferenciamento
de Propriedades Rurais
A partir de 2011 toda propriedade rural, independente do tamanho, precisará ter um
certificado de georreferenciamento emitido pelo Incra, ou seja, uma medição realizada de
acordo com técnicas mais modernas. A exigência está prevista na lei federal 10.267, de 2001,
regulamentada pelos decretos 4.449, de 2003, e 5.570, de 2005. Essa lei já impede que os
cartórios façam a documentação de áreas desmembradas, por exemplo, sem que tenha sido
providenciado o georrefereciamento, um trabalho que utiliza técnicas de precisão, como o GPS,
e é feito por empresas autorizadas pelo Incra.
Antecipação – O engenheiro cartógrafo do Incra, José Antonio Teixeira Oliveira
Filho, explica que o proprietário deve antecipar-se à lei e georreferenciar suas terras, “medida
que irá até mesmo valorizar a propriedade”. O engenheiro assinalou que os documentos da
grande maioria dos imóveis levam em conta, ainda, medições realizadas há décadas com
técnicas ultrapassadas e imprecisas, como teodolito e uso de corda. “É comum haver
sobreposições de áreas e extensões que não correspondem à realidade.” Ele informa que os
custos vão depender do tamanho de cada propriedade e das dificuldades para a sua elaboração,
obedecendo a critérios das empresas.
O georreferenciamento consiste na descrição do imóvel rural em suas características,
limites e confrontações, realizando o levantamento das coordenadas dos vértices definidores
dos imóveis rurais, georreferenciados ao sistema geodésico brasileiro, com precisão posicional
fixada pelo INCRA.
O trabalho de georreferenciamento envolve, além do levantamento de dados,
cálculos, análises documentais, projetos e desenhos, em consonância com o disposto na
legislação federal e na norma técnica do INCRA. O trabalho possui estreita relação com o
processo gerencial da propriedade, pois é através deste que o proprietário atualiza a situação
cartorial e cadastral da propriedade. Além disso, é com base nestes dados que o proprietário irá
unificar e gerenciar de forma mais eficiente às informações da propriedade no que diz respeito
INCRA, Receita Federal e cartório.
Quem deve fazer o georreferenciamento rural?
Os proprietários que detem o domínio direto e útil dos imóveis rurais, que desejarem
realizar alterações cartoriais como desmembramento, parcelamento, remembramento,
qualquer tipo de transferência ou em caso de utilização da propriedade para fins de
financiamento e hipoteca.
Em que implica a não realização do Georreferenciamento?
Após o vencimento dos prazos ocorre o impedimento da efetivação, de qualquer
transcrição na matricula.
Os proprietários de imóveis rurais que não fizerem o Georreferenciamento, poderão,
ter seus imóveis incluídos na lista de imóveis passiveis de incorporação para ações de reforma
agrária.(Instrução Normativa do INCRA n°9 de 13/11/02, artigo 2°item1.)
6
INFORMATIVO COCATREL
JULHO/2011
Cocatrel comemora os
N
o último domingo, 24 de julho, a
Cocatrel realizou as solenidades em
comemoração ao aniversário de 50
anos da cooperativa.
No início da manhã, o auditório, que
agora leva o nome de Juvenal Corrêa de
Figueiredo, abriu suas portas para receber cerca
de 250 pessoas entre associados, funcionários,
conselheiros e autoridades.
A mesa foi composta por João Vicente
Diniz (representante da FAEMG), Luiz Otávio
Araripe ( analista da Valorização Empresa de
Café S.A.), Gilson Ximenes (presidente do
CNC), Sérgio Eugênio Silva (vice-presidente
da Câmara Municipal de Três Pontas),
Francisco Miranda (presidente da Cocatrel),
Luciana Mendonça (prefeita municipal de Três
Pontas), João Leite ( deputado estadual),
Antônio Carlos Arantes (deputado estadual),
Silas Brasileiro (ex deputado federal), Gilvan
Mendonça Mesquita (presidente do Sindicato
Rural de Três Pontas), João Batista Olivi
(jornalista do Canal Rural) e Wilson Mourão,
(gerente regional da Emater de Alfenas).
Após o Hino Nacional, que foi
executado por Alex Tiso no saxofone, Marly
Tiso no teclado e seu filho Matheus Tiso ao
violino, foi aberta a solenidade marcada por
discursos emocionados e homenagens aos
diretores pioneiros da Cocatrel.
A partir desta data, o auditório, o
Departamento de Assistência Técnica e
Laboratório, além do Departamento de
Laticínios, passam a receber, respectivamente,
os nomes de Juvenal Corrêa de Figueiredo, Dr.
Oswaldo Campos Reis e Ary Oliveira Piedade.
Outro merecido homenageado foi o
gerente administrativo da Cocatrel José
Fabiano Scatolino, que este ano também está
completando 50 anos de serviços prestados à
cooperativa.
Duas palestras também fizeram parte
das comemorações. A primeira foi a do Sr. Luiz
Otávio Araripe, sobre as “Perspectivas para o
Mercado de Café 2011 / 2012 + 3 anos, e a outra
foi a do jornalista do Canal Rural João Batista
Olivi, que também abordou este assunto.
Além das palestras, a Cocatrel recebeu
a bênção do deputado João Leite, que é membro
da Igreja Batista Central e do Frei Ivair, da
Igreja Católica.
À noite foi realizada missa em Ação de
Graças à Cocatrel, na Igreja Matriz Nossa
Senhora D'Ajuda, que também contou com a
presença de muitos associados, colaboradores e
membros do conselho da cooperativa.
JULHO/2011
INFORMATIVO COCATREL
seus 50 anos de atividade
7
8
INFORMATIVO COCATREL
JULHO/2011
Artigo Técnico
Ferrugem Tardia, Phoma e Mancha de Ascochyta
As doenças representam os fatores
mais limitantes para a produção e
produtividade do café, tanto para os
pequenos agricultores de base familiar,
como para os grandes produtores em escala
empresarial, podendo causar perdas que
chegam a inviabilizar a exploração da
cultura.
O cafeeiro é atacado por vários
patógenos como fungos, bactérias, nematóides e vírus, que se associados a problemas intrínsecos da planta ou a fatores
ambientais do local de implantação da
cultura, bem como ao manejo inadequado
das lavouras, principalmente na formação
das mudas, causam problemas significativos na cultura o que acarretará em sérios
prejuízos para o produtor (Ventura et al.,
2007).
No caso da ferrugem a ocorrência
de temperaturas mais elevadas e de chuvas
ocasionais durante o período de abril a julho
(outono/inverno), tem permitido a manutenção de níveis elevados da doença até o
final do ciclo (julho/agosto). A causa
primária da ferrugem tardia é, então, a
permanência de umidade, que condiciona a
germinação dos esporos e a infecção das
folhas. Outra causa importante é o controle
deficiente no período correto. Se os
produtos, as doses, a época e a tecnologia de
aplicação não resultaram em boa eficiência,
vão permanecer, nos cafeeiros, ainda um
percentual de folhas atacadas, na faixa de
10-20%, que em condições
climáticas favoráveis pode evoluir, aí
causando prejuízos e preocupação como
maior nível de inóculo residual para o
próximo ciclo, perdas sobre a produção e
maiores danos sobre as plantas (Matiello,
2005). Por isso lavouras que vão produzir
bem na próxima safra é importante fazer o
controle químico da ferrugem para que a
lavoura não perca muitas folhas e facilite o
controle da mesma no ano seguinte.
Outras doenças que prezam
grande atenção nessa época são a Phoma e a
Mancha de Ascochyta, estas se manifestam
principalmente em lavouras de maior
altitude, expostas a ventos fortes e frios
com faces voltadas para o Sul, Sudeste e
Leste ou beiras de lagos e represas onde se
tem um micro clima com maior umidade
que associado com o frio é uma condição
ideal para desenvolvimento do fungo.
No caso da Phoma independente
da espécie envolvida, o fungo ataca folhas,
flores, frutos e ramos do cafeeiro,
produzindo lesões bem características. Os
danos causados por essa doença se fazem
refletir diretamente na produção, uma vez
que ocorre a morte dos botões florais, das
brotações novas, queda de frutinhos e má
granação dos frutos devido à desfolha,
comprometendo o desenvolvimento e a
futura produção. Ataques sucessivos da
doença acarretam intenso brotamento dos
ramos laterais, reduzindo o arejamento e a
35-3222-3727
ciano 35-3222-3727-Antonildes/Leandro
magenta amarelo preto
Contato:
35-9989-5734 -35-9989-0517 -fibrasfkl.com
penetração de luz no interior do
cafeeiro (Souza, 2009).
Mancha de Ascochyta é uma
doença causada por Ascochyta spp, fungo
semelhante ao da Phoma, cujos sintomas
são bem distintos no que se refere as lesões,
de cor marrom clara, de formato mais
arredondado, com anéis concêntricos e
situadas mais no meio do limbo foliar
também em folhas mais velhas (Matiello,
2005).
A penetração dos fungos tanto da
Phoma quanto da Ascochyta é facilitada por
danos mecânicos nos tecidos da planta,
produzido pela colheita, por insetos ou pelo
roçar de folhas tenras causados pelos
ventos. É muito importante que os
produtores se atentem para o controle
tomando tanto medidas preventivas como
químicas para que não acarretar em
prejuízos para próxima safra.
Para o manejo da doença o
controle preventivo vem se mostrando o de
maior sucesso e para isso é necessário que o
produtor adote algumas medidas como:
- Evitar a instalação da lavoura em áreas
sujeitas a ventos frios;
- Fazer o controle com fungicidas
específicos durante os períodos favoráveis
à doença;
- Instalação de quebra-ventos provisórios
ou definitivos desde a implantação da
lavoura;
- Equilibrar as adubações uma vez que o
excesso de nitrogênio favorece a doença;
- Controlar preventivamente com fungicidas específicos principalmente nas fases
pós-colheita, pré-florada e pós-florada,
onde a doença ocorre sistematicamente,
sempre consultar um técnico.
É muito importante que os
cooperados consultem o Departamento de
Assistência Técnica da COCATREL para
que através de uma visita à lavoura
possamos avaliar e recomendar a mais
eficiente medida de controle.
Wander de Faria Pereira,
Tecnólogo em Cafeicultura e Téc. em
Agropecuária
da COCATREL (filial de Coqueiral)
JULHO/2011
INFORMATIVO COCATREL
Dia Nacional do Campo Limpo
Você está convidado para o Dia Nacional do Campo Limpo, 2011.
Participe das comemorações e ajude a difundir práticas
sustentáveis como a logística reversa das embalagens vazias de
defensivos agrícolas. Sua presença é muito importante.
Local: AREA. Central de Recebimentos de Embalagens Vazias de
Agrotóxicos de Três Pontas.
Rua: Barão da Boa Esperança nº 2340, Catumbi – TP - MG
Data: 18/08/2011 (Quinta-feira) de 8:00 às 17:00 hs - Solenidade: 9:00 hs
9
10
JULHO/2011
INFORMATIVO COCATREL
Para refletir
Plantas Medicinais
O poder da determinação
O garoto era o encarregado de chegar
mais cedo, todos os dias, e acender o carvão no
antiquado fogão, a fim de aquecer a sala antes da
chegada da professora e dos colegas. Era uma
escola rural e todos os dias, o menino atendia à
sua obrigação. Certa manhã, quando chegaram a
professora e os meninos, a escola estava em
chamas. O garoto foi retirado, inconsciente do
prédio. Mais morto do que vivo.
Toda a parte inferior de seu corpo
estava tomada por queimaduras sérias. De sua
cama, pôde ouvir o médico dizendo para sua mãe
que ele não tinha chances de viver. Segundo o
médico, morrer seria uma bênção para o
pequeno, pois o fogo tinha arrasado toda a parte
inferior do seu corpo. Mas o corajoso menino
decidiu que iria viver. Tanto lutou que
sobreviveu.
Então, outra vez, ele ouviu o mesmo
médico dizendo para sua mãe que ele estava
condenado a viver como um inválido. Seus
membros inferiores estavam inutilizados. De
novo, o garoto tomou uma decisão: ele voltaria a
andar, não importa o que custasse. Infelizmente,
da cintura para baixo, ele não tinha controle
motor. As suas pernas finas estavam ali
penduradas, mas inúteis.
Quando recebeu alta do hospital, sua
mãe o levou para casa. Todos os dias massageava
as suas pernas. Mas ele não sentia nada. Nem
sensação, nem controle, nada. Contudo, não
desistia. Ele queria voltar a andar.
Certo dia, a mãe o colocou na cadeira
de rodas, e o levou para o quintal, para tomar sol.
Ele ficou ali, olhando a cerca, a poucos metros.
Então, se jogou no chão e se arrastou pela grama,
até a cerca. Com esforço imenso agarrou-se à
cerca e se levantou. Começou a se
arrastar, estaca após estaca, ao redor do quintal.
Estava decidido a andar. Fez isso em todos os
outros dias, até ter aplainado um caminho junto
à cerca. Ele queria andar. E andaria. Daria vida
outra vez àquelas pernas. Por fim, depois de
massagens diárias e muita determinação, ele
conseguiu a habilidade de ficar de pé, depois
dar uns passos, embora vacilantes. Finalmente,
caminhar. Depois, correr.
Começou andando até à escola.
Depois, decidiu que chegaria correndo. Pelo
simples prazer de correr. Muitos anos depois,
na faculdade, ele entrou para a equipe de
atletismo. Mais tarde, esse jovem que ninguém
esperava que sobrevivesse, que diziam jamais
voltaria a andar, muito menos correr, bateu o
recorde mundial de velocidade em uma corrida
de uma milha, no Madison Square Garden.
Seu nome: Glenn Cunningham.
*** Determinação tem a ver com vontade. E
vontade acionada é certeza de objetivo
alcançado. Para isso, no entanto, se fazem
necessários alguns fatores como o real desejo
de querer, a persistência na execução do
programa que seja estabelecido e o objetivo a
alcançar.
Desta forma, se seu objetivo é nobre,
persiga-o sem cansaço, guardando a certeza de
que o haverá de atingir, em algum momento.
Importante: esqueça frases como não
posso. Ou não tenho grande força de vontade
quanto gostaria. Trata-se de querer, trabalhar
pela conquista, perseverando até o fim.
Colaboração: Berenice Pieve Brito
Manjericão
Nativo da Índia, onde é cultivado quase que como planta sagrada, o
manjericão é uma das mais importantes
ervas culinárias. Sua mística espalhou-se
pelo mundo, sendo usado, pelos gregos
ortodoxos em rituais religiosos, e no
interior do México, como “talismã do
amor”. Com folhas decorativas e saborosas, dão um toque poético a diversos
tipos de pratos.
Uso culinário: o manjericão é ideal para
saladas, pratos de massa, omeletes,
sanduíches e molhos à base de tomate. É
famoso no preparo de pratos al pesto
típicos da cozinha italiana. As folhas do
manjericão são muito delicadas. Procure
acrescentá-lo ao prato cozido, no último
instante.
Uso terapêutico: suas folhas são
conhecidas como um natural e suave
sedativo para tratar de enjôos, vômitos e
dor de estômago. Ele favorece aos que
têm digestão difícil, gazes e dores de
cabeça em conseqüência de alimentação
pesada ou inadequada. Facilita o funcionamento dos intestinos e é diurético. É
bom para tosses, vômitos e mau hálito.
Ajuda no tratamento de infecções de pele,
em uso externo. É, também, usado como
um repelente natural de insetos.
Replantio: para que sua planta continue a
crescer e tenha maior longevidade é
recomendado o replantio. Em um vaso
maior, em uma jardineira ou em um
canteiro de jardim sua planta encontrará
uma área de solo mais ampla, favorecendo a continuidade do desenvolvimento de sua raiz.
Dicas do agrônomo: quando o manjericão florir, corte o pendão floral. Isto
manterá o vigor da planta e aumentará sua
longevidade. O manjericão apresenta
sintomas de queima de folha e poderá
morrer em temperaturas abaixo de 6ºC. O
ciclo do manjericão é variável, dependendo do manejo e do clima. Chega a
produzir durante 3 anos, em condições
climáticas favoráveis.
JULHO/2011
INFORMATIVO COCATREL
11
Oportunidades
Para anunciar gratuitamente
nesta coluna, basta entregar as
informações para Carla, na Administração.
Como se trata de uma prestação de
serviço aos associados, não publicaremos
anúncios de firmas ou pessoas não
vinculadas à COCATREL.
VENDE-SE
- Selecta ano 2008 ( semi-nova) e 1 colhedeira TDI
ano 2005 em ótimo estado. Tratar 35 9137 4376;
- Sítio localizado município de Campos Gerais, à
500 mts.da água de Furnas, terreiro de café, e água
com queda natural. Tratar 35 9840 1808 ou 8706
5611 com Solope
- Carreta de madeira para 70 medidas. Tratar 35
8809 3236 ou 35 3265 3651
- Cota de Sócio Proprietário do TOC ( Pça.
Esportes). Valor 800,00. Tratar 35 9828 4548
- Máquina de beneficiar café (D'Andrea) 4 sacas
por hora compacta em ótimo estado. Tratar 35
9901 1558
- Potros Manga-larga (Paulista) Manga-larga
Marchador e Pampa. Rancho Santa Inês. Adriano
Mesquita 35 9971 6661
- Mula mestre de carroça e terreiro de café. Uma
carroça com arreiamento completo (semi novo).
Tratar 35 9947 0743 Adalton ou 35 9952 7307 Vitor
- Pampa vermelha ano 96 em ótimo estado. Tratar
35 3265 2203 ou 8837 4002
- Estrutura completa para mercado. Tratar com
Ademir 35 8832 1016
- Cama box Cealy (2em 1); e um sofa cama
(Lerval). Tratar 35 3266 1924 ou 35 9993 0804
- 35 Litros de terra no Corrego do Ouro, com 3.500
pés de café novo, 800 esqueletado, poste dentro
terreno +- 60 mts de fundo (água funda). Tratar 35
8807 7687 com Vaguinho à noite.
- Motor Agrale estacionário modelo M790, 2
cilindros, 27 cavalos, 3.000 Rpm, 1.270 cilindradas
com apenas 30 hs.de uso. Contatos 35 3265 2330
- Fatiadora de frios, marca Filizola em ótimo
estado de conservação. Tratar 35 3265 2013 ou
35 9901 3745
- Irrigação completa, 70 varas de 2" e 70 de 3",
motor blindado 7 1/5, seminovo. Tratar 35 9904
6444
- 4 casas de colono para desmanche, para
aproveitamento do material, valor R$3.000,00
(R$750,00 cada casa), distância 13 Km do centro
de Três Pontas estrada sentido Pontalete. Tratar
35 9963 6281
- 7, ¾ alqueires de terra no Corrego da Venda,
sendo 3,5 de café e o restante em pasto, 1 casa
de colono, terreiro cimentado, máquina de limpar
café e 15 KVA de força. Tratar 35 9951 7428 com
Márcio Moreira
- Vectra 98/98 CD completo, motor novo com
garantia. Tratar com André 35 9931 4451 ou 8867
6722 (documentação já paga)
- Fazenda em Três Corações bem estruturada, perto
do asfalto. Tratar 35 9915 0669 com Jorge
- Secador Vertical (Pinhalense) 18.000 Lts.;
Secador vertical (Weber) 15.000 Lts. ; Lavador
Palini 10.000 Lts./hs. Tratar 35 9979 1528 ou 8802
1223 com Edilson
- Sítio a 4 Km. de Santo Antônio Cruzeiro, divisa
Nepomuceno e Coqueiral , sendo 35.000 pés de
café, casa, tulha, 10 cavalos de Cemig, 500 mts.
De terreiro cimentado, o restante é pasto e roça
de milho, com muita água, 10 alqueires total,
totalmente plano. Tratar 35 9973 5181
- Conjunto semi-novo Urso Branco e Dragão Sol.
Tratar 35 3265 6010
- Mesa de sinuca tamanho oficial 3x10/1x68. Tratar
com Danilo Mansur 35 8859 0425 em Carmo da
Cachoeira
- Conjunto Dragão Sol e Urso Branco semi-novo
com descascador de café Pinhalense 200 arrobas.
Tratar com Marcos 35 9964 2021
- Sítio na comunidade do Cajuru dos Franciscos,
município de Boa Esperança, área de 9,5 alqueires
(23 hectares), casa sede, tulha, terreiro pavimentado
(600m²), pomar, água, café formado e área para
implantação, área para milho, pasto e reserva
florestal. Contatos: Hugo J. Azevedo (35) 9967
2842/8868 2770; email para fotos: [email protected]
yahoo.com.br ou Cláudio Silvério (35) 3 858 1459
em Santana da Vargem-MG.
- D20 93/94 em excelente estado. Tratar com Clóvis
35 3861 1527 ou 35 9132 2780
- Sítio com quase 3 alqueires, casa sede ótima, boa
tulha, terreiro de café, casa de caseiro e nascente
de água na Charneca. Tratar 35 3265 5567 com
Marta ou Fernando
- Imóvel residencial localizado na bairro Ouro
Verde, com 126 m² de construção; com terreno
de 426 m², residência com 3 quartos, sala,
copa, cozinha e banheiro, garagem para 4
carros, despensa. Contato 35 3265 3671 Preço:
R$200.000,00
- Ótima casa de 4 quartos no Bairro Jardim
Filadélfia, em Três Pontas, com 350 m² de
construção em terreno de 600 m², com quintal
arborizado. Tratar 9919 2272
- Fazenda de 200 alqueires, em Luminárias, terra
nua, toda mecanizável, oito nascentes, divisa com
rio. Tratar 9958 4437
- Sítio em Carmo da Cachoeira, 26 alqueires, com
café, na margem da Fernão Dias. Tratar 9958-4437.
- Sítio de dez alqueires na margem da Fernão Dias.
Tratar 9958 4437
- Casa no bairro Filadélfia, em Três Pontas, Rua
Abel Alves 193. Tratar 9958 4437
- Dragão Sol e Urso Branco (ótimo estado) tratar
tel: 3265 6010
- Caminhonete Pampa 1.8 , ano 94 em ótimo estado
de conservação. Tratar 35 9858 1302
- Motor Yamar B9 em perfeito estado de
funcionamento (Diesel). Tratar 35 9932 4230
- 2 Vans , anos 95 e 98. Tratar com Romeu 35
8836 9745
- Caminhonete Rural F 75. Tratar com João Isidoro
Zacaroni 35 9815 1577 ou 3861 2022
- Casa em Nepomuceno à Rua Espírito Santo 217 Centro. Tratar com João Isidoro Zacaroni 35 9815
1577 ou 3861 2022
- Ford Pampa 91/92 em bom estado de conservação,
único dono. Tratar com José Aristides 35 3265 2146
- Tanque ETSCHEID com capacidade para 800
Lts.. Tratar 35 9165 8492- Vende-se um imóvel
residencial à R. Barão da Boa Esperança, 136,
com 1462 m² de terreno, sendo 460 m² de área
construída. Tratar: 35 3265 4368 ou 35 9829 1413
- Máquina de beneficiar café marca Blasi,
produção da máquina 50 scs/dia, em bom estado
de conservação.Tratar com Gilmar 35 3221 2322
em Varginha ou 35 9934 2228
- Carreta para 2,5 Ton.; Arruador Borrachão;
Roçadeira Kamak Lazeral; Tanque d'agua 2.000
Lts; Misturador de Trato p/ criação suíno; Estrutura
completa baias, pocilgas, maternidades p/ criação
suínos. Tratar 35 9914 2183
- 20 alqueires na Barra do Pinhal município de
Coqueiral. Tratar 35 9845 8146
- Tanque de expansão Alfa Laval 700 Lts., seminovo. Tratar 35 9836 7064
- Passat - LS, ano 1980. Todo original, único dono.
Tratar: 35 3265 2252
- Uma fazenda de 100 alqueires, cerca de 200 mil
pés de café. Para este ano, 1.800 sacas de café,
em Carmo da Cachoeira, a 500 m da Fernão Dias.
Pagamento em 3 anos. Tratar: 35 9958-4437 ou
9924 5250
- Sítio de 20 alqueires cheio de café. Troca-se em
imóveis, a 1 km da Fernão Dias, em Carmo da
Cachoeira. Tratar: 35 9958 4437 ou 9924 5250
-Uma fazenda em Carmo da Cachoeira com 42
alqueires. Pagamento em até 3 anos. Tratar: 35
9958 4437 ou 9924 5250
- Caminhonete Estrada 2005/2006, direção
hidráulica. R$ 24.000,00. Tratar: 35 9828 4548
- Tanque de leite 800 litros em bom estado de
conservação. Tratar 9165 8492, à noite
- Engenho de cana, capacidade 900 lts./h.;
alambique para 750 lts. de garapa e 3 dornas para
10.000 lts. de cachaça. Tratar 35 9974 3461 com
Geraldo Magela
- Mourões de eucalipto tratado. Tratar 35 8807
2658, com Danilo
- Vende-se um moinho de pedra que pode ser
tocado a água ou a eletricidade. Com armação de
madeira e revestido de chapa em excelente estado
de conservação. Entrar em contato com Nicinho:
35 9812 9851
- Trator Valmet 68 agricola, ano 90, embreagem
dupla, direção hidráulica totalmente revisado.
Tratar 35 9836 7064
. Trator Agrale 4.100, ano 96. Totalmente revisado.
Tratar 35 9836 7064
- Barracão com 330m² de terreno e 300m² de
construção. Rua Profa. Leocádia Piedade 23, bairro
Santana, em três Pontas. Tratar 9818 7257
- Áreas de 1 alqueire nas proximidades do distrito
de Martinho Campos (Quilombo), em Três Pontas,
ao lado da estrada municipal e a 4 Km do Pontalete.
Tratar 9906 2949
- Casa no bairro Vila Rosa situada na Av. Oswaldo
Cruz 2777 com 550m. de terreno e 140m de
construção. Tratar pelo fone 35 8818 6050
- Restaurante com 8 anos de funcionamento. Tratar
pelo fone 35 8818 6050
- Sítio Formiga 12.10 hectares com 20.000 pés
de café á 2 Km da cidade de Três Pontas. Tratar
35 9916 9848
- Sítio denominado Charneca. Tratar 35 9907 3679
com Fernando
- Impressora HP Deskjet F 4180 All-in-one; Fax
Panasonic KXPF 85 LA; Livros Jurídicos. Tratar
35 3266 6046
- Propriedade rural: 51 ha. a 13 Km de Carmo da
Cachoeira , 11 Km de asfalto e 2 Km de estrada
de terra, Km 733 da Br 381 - CC? TC. Mais
informações 35 881 9955
- Mini Touro, mini vaca e novilha. Tratar 35
9100 6323
- 2 terrenos 466 m² - Rua Antônio Baptista Castro
28 e 29 Bairro Santa Marta, em Três Pontas. Tratar
35 9900 3948 ou 9199 2924
- Fornalha (D'andreia) usada. Tratar com Walter
Bucha 9971 6827
- Conjunto semi novo Urso Branco e Dragão Sol.
Tratar 35 3265 6010
- 17,5 alqueires de terra no Córrego da Venda,
sendo 9 de café e o restante em pasto, 3 casas de
colono, terreiro cimentado, máquina de limpar
café, picadeira, curral e 15 KVA de força. Tratar
35 9951 7428
- Novilhas Nelore e Bezerras Nelore, região de Três
Pontas. Tratar 11 7515 4040
- Fusca 1966, motor 1300. Valor: R$ 3.000,00.
Telefone de contato: (35) 9917 0012, com Patrícia
- Um carro Tempra, ano 95, preto, 4 portas,
completo. Valor: R$11.500,00. Tratar: (35) 9906
5863
- Mourões de eucalipto. Tratar com Reinaldo
Assunção, fone 3265 6149
- Móveis usados de boa qualidade. Tratar 35 8847
6645 com Clóvis Araújo
- Máquina de beneficiar café 80scs/dia. Tratar 35
9934 7300 ou 9807 9181 em Carmo da Cachoeira
- Lenha para secador. Tratar 9914 2183 ou 9829
2807
- Sítio a 3 Km do Córrego do Ouro, 5 alqueires,
terra mecanizada, casa boa, água natural, curral,
energia elétrica 15 KWA. Tel 9927 4275 com Célio
- Casa em ótimo estado de conservação na Av.
Manoel Piedade Rabelo, centro, região comercial.
Área construída de 147 m², com 3 quartos, sala,
copa, cozinha, 2 banheiros, garagem, área de
serviço e casinha de quintal com 3 cômodos. Área
total de 456 metros. Tratar: (35) 9957 5052
- Trator Valmet 62 Agricola ano 79 , ou troca-se
por trator cafeeiro ou carro e motocicleta; valor
12.000,00. Tratar com Gilmar (35) 9910 2115
- 78 ha de terra no município de Coqueiral a 1 Km
da BR 265. Tratar 35 9996 0703
- 10 alqueires de terra, sendo 7 de pastagem, 22.000
pés de café, curral, rancho, casa de empregado, luz,
água, terra de cultura. Perto do Rio Grande a 11
Km de Nepomuceno. Tratar com Antônio Naves
35 9904 4712
- Filhotes de Fila, Beagle e Bullterrier. Tratar 35
9971-8689.
- Terreno 1.200m no Jardim das Acácias (Boa
Vista). Tratar 35 3265-3142.
- 49,61 hectares em Carmo da Cachoeria-MG a 8
Km do centro, próximo a Rod. Fernão Dias, ao lado
da Comunidade do Trigueirinho, terra de cultura,
Casa, energia elétrica, boa água, açude, 90.000 pés
de café em produção sendo 40.000 pés de café com
idade de 3 anos. Tratar 35 8861 2130, com Gil César
- Mudas de cedro australiano. Viveiro na Rua Alvim
Anastácio 100, em Cana Verde. Tratar 9925 8447
VENDE-SE OU TROCA-SE
- Trator cafeeiro Walmet 6/2 completo por outro
Trator 785 traçado. Tratar 35 9904 6444
- Trator Agrale modelo 4.100 com pouco uso na
movimentação de embarcação (totalmente novo).
Tratar 35 9927 4275 com Célio
- Torrador de café Pinhalense , 20 Lts. de café, à gaz
e elétrico , e 1 moedor de café profissional. Tratar à
Rua Luiz Furtado de Abreu 209 - Centro - Santana
da Vargem ou 35 9872 5301
- Terreno em Córrego do Ouro, saída p/ Fama com
720 m² todo murado e escriturado. Tel 35 9927
4275 com Célio
- Por móveis e veículos 7 fazendas e sítios em
Carmo da Cachoeira, a 1 Km da Fernão Dias, uma
tendo pesqueiro. Tratar com Carlos 35 9992 2812
ou 9958 4437
- Por casa um galpão de 125 m² situado à Rua Dr.
Carvalho de Mendonça 1118 na margem da rodovia
.Tratar 35 9956 2972 com Nilson
VENDE OU ALUGA-SE
- Caminhão caçamba. Tratat 35 8417 0501 com
Toninho
COMPRA-SE
- Sulcador lateral do Agrale 4x100. Tratar 35
9940 6334
- Éguas de qualquer raça para reprodução e cavalos
de sela. Rancho Santa Inês . Adriano Mesquita
35 9971 6661
- Carreta de Bascular hidráulica. Tratar 35 9971
7769
- Tanque pulverizador com capacidade para 2.000
Lts.Tratar com Renato Mansur em Carmo da
Cachoeira 35 3225 1577
- Uma casa no centro de Três Pontas. Tratar: 35
9828 4548
- Apartamento ou casa em Três Pontas com 3
quartos, sala, 2 banheiros, cozinha e garagem,
com área de serviço. Imóvel em bom estado de
conservação, na área central. Tratar 3265 3671
ou 3265 2409
- Propriedade rural com cerca de 500 hectares para
plantio de milho e soja. Tratar com: Arnaldo. Tel.:
(35) 9916 0239
- Eucalipto para produção de cal. Tratar direto com
A repetição dos anúncios deverá ser confirmada a cada edição.
Os anúncios não confirmados serão retirados.
a fábrica, fone (35) 9979 3891
TROCA-SE
- Casa por uma Colhedeira Vital com recolhedor e
ensacador. Tratar com Mauro 35 9904 6444
ALUGA-SE
-Ampla sala na Praça Tristão Nogueira, 116-A (Pça
da Fonte). Exelente para consultórios e escritórios.
Tratar tel: 3265 6010
- Aluguel de pasto. Tratar 9805 4278 ou 8859 8259
- Trator de aluguel e implementos , trincha,
esqueletadeira, decotadeira, plantadeira,
subsolador, carreta, basculante, ensiladeira, grades
esparramadeiras de calcário e bombas p/ foliar.
Tratar 9971 6163
- Tratores agrícolas e cafeeiro para diversos tipos
de serviços: Arado, grade de arrasto, plantadeira
de 4 linhas (Plantio direto), adubador, sulcador,
subsolador, plataforma, ensiladeira, bomba (foliar
e herbicida), roçadeira. Tratar pelos fones 8807
0781 ou 9971 5595
- Betoneira. Tratar 9971 8560
- Trator Valmet para aração de terra e subsolagem,
e trator cafeeiro. Tratar 3265 2977 ou 9969 6255
- Trator de Esteira (Tratores Novos): Terraplenagem,
gradagem, subsolagem, etc; com Fernando Silva
Filho ou Eduardo. Rua Américo Miari , 392 em
Três Pontas ou 35 3265 1092 ou 9989 5002 ou
9971 5977
- Esqueletadeira e decotadeira para café. Tratar
9971 8560
- Trator Valmet para vários tipos de serviços. Tratar
com José Carlos, fone 9971 8205
- Trator cafeeiro para serviços de adubação foliar,
aplicação de herbicida, roçadeira (1,5 m de corte),
grade cafeeira, plantio de cereais, esparrama de
palha e calcário. Tratar com Zezinho Vinhas.
Fone: 9949 8531
- Máquina de esteira, carregadeira, caminhão
basculante, Pá carregadeira e retro-escavadeira.
Tratar com Paulinho - fone: 3265 5053 ou 9953
4870
- Trator de esteira. Tratar com Renato Sérgio Alves
Castro, pelo fone: 9988 7530
- Trator com esqueletadeira e despontadeira de café.
Tratar pelo 9959 2807
SERVIÇOS
- Levantamentos topográficos; Topografia em
geral; Partilhas; Terraplenagens; Loteamentos;
Desmembramentos. Contato Gabriel Fonseca Técnico Agrimensor 35 8849 6402 ou 35 3067 2209
- Aluga-se trator para aplicação de herbicidas,
foliares e outros serviços para cultivo de milho
e soja. Tratar com Arnaldo. Tel.: (35) 9916 0239
- RCastro Assessoria e Consultoria em Produção
Industrial e Segurança do Trabalho. Tratar 35 8842
8183 com Rodrigo de Castro Carvalho
- Assistência técnica em sítios e fazendas.
Engenheiro Agrônomo José Corrêa Figueiredo
Miranda. Tel (35) 8853 3476 ou (35) 3265 6910
- Presto serviço de administração rural, com
amplo conhecimento na área. Tenho experiência
como operador de colheitadeira de café, motorista
autônomo de caminhão, manutenção e operação
de tratores. Tratar com Jeremias, (35) 8803 1162
- Reforma de residências, sondagem de solo,
piso polido e terreiro de café. Tratar com Danilo
Gazola, 9971 5323
- Corta-se lavoura de café com motossera. Serviços
grátis em troca de lenha. Tratar 8837 5767, com
Carlos
- Elaboramos projetos de engenharia e executamos
obras em geral. Também prestamos serviços na área
ambiental, tais como outorga de água, regularização
e licenciamento ambiental. Falar com o engenheiro
Antônio Garcia, fone 9808 6285
- Plantio de grama para campos, fazendas e
residências, com manutenção e plantio de flores e
mudas de árvores. Tratar (35) 3223 5015 ou 9925
4794, com Cláudio
- Técnico agrícola oferece seus serviços para
administrar fazenda ou outros serviços, tendo um
amplo conhecimento na área da cafeicultura e
pecuária leiteira. Especialista em classificação e
degustação de café. Telefone para contato: (35)
9117 1973
- Montagem, manutenção e reforma de máquinas
agrícolas (secador de café, lavador de café,
beneficio de café). Contatos: Carlos M. Ferraz da
Silva ou Leonardo H. Miranda. Tel. (35) 9105 6028
- Cadastramento, CPR e custeio agrícola para
o Banco do Brasil. Pindorama Planejamento
Agropecuário. Fone: 3265 2093 / 9971 5825
- Telefonia rural, alarmes, antenas, conserto de
celular. Dixitel, rua Frei Caneca 98, fone 3265 1056
- Viveiro Luiz do Táxi. Mudas de café em geral,
aceitam-se encomendas e pronta entrega. Tratar
(35) 3265 6693 ou 9971 5245 ou à Rua Espírito
Santo 1419, Santa Edwirges
- Serviços de colheitadeiras de milho e máquinas
volantes de beneficiar café. Contatos: (35) 9964
1080 e 3861 1563
- Perfuração de poços artesianos. Tratar com Célio,
fone 9197 2192
- Galpões pré-fabricados em concreto armado.
Entregamos montado. Tratar com Luiz Antônio.
Fone (35) 9802 0042
- Serviços de topografia em geral e venda de
máquinas agrícolas para café e cereais. Tratar com
Marco Antônio Barbosa Miranda pelos fones 3265
6219 ou 9971 6960
- Serviços de trator de aluguel do preparo ao
plantio, um trabalho sério, com racionalidade.
Exclusividade: plantio direto (c/ 4 linhas p/ milho).
Adauto/Arnaldo 9913 1772
- Serviço de motoserra, cisternas, construção civil
em geral. Tratar com Gasolina pelo 3265-5366
ou 9967 5327
Índice de Chuvas
Dados comparativos (em mm³)
Ano Jan Fev
2009 386 262,5
2010 252,5 96,5
2011 326 146
Dados pluviométricos de Três Pontas
Mar Abr Mai Jun
Jul Ago Set Out Nov Dez
237,5 109,5 32,5 58,5 35 35 177 143,5 75 517,5
108 20 20,5 12
15
0
67,5 68 255 173,5
273 49,5 2,5 41
Ano
2009
2010
2011
Dados pluviométricos de Nepomuceno
Jan Fev Mar Abr Mai Jun
Jul Ago Set Out Nov Dez
331 262,5 163,5 138,5 44 31 22,5 31 119 129,5 136 394
100,5 102 112 33,5 8,5 6,5 13
0
54 56
297 234
446 65 281 102,5 17 35
Ano
2009
2010
2011
Dados pluviométricos de Santana da Vargem
Jan Fev Mar Abr Mai Jun
Jul Ago Set Out Nov Dez
366 229 160 245 29 29
21
64 231 150 163,5 393,5
185 119 101,5 37,5 2,5 10
10,5 0
62 76,5 269,5 210
362 105 289,5 27,5 17,5 35
Ano
2009
2010
2011
Dados pluviométricos de Coqueiral
Jan Fev Mar Abr Mai Jun
Jul Ago Set Out Nov Dez
365 270 217,5 227,5 40 17,5 32,5 20 170 97,5 122,5 365
115 167,5 172,5 62,5 7,5 3,5
35
0 57,5 82,5 202,5 272,5
522,5 65 320 115 30
46
Ano
2009
2010
2011
Jan
272
291,5
500,5
Dados pluviométricos de Carmo da Cachoeira
Fev Mar Abr Mai Jun
Jul Ago Set Out Nov Dez
272 335,5 99 23,5 37,5 21
45 178,5 135,5 142,5 364
183 197 41 12,5 21,5 11,5 0
74,5 184,5 298 336,5
53 263 133 13 25
Fonte: Depto. de Assistência Técnica Cocatrel
12
Gente da Terra
Marden da Veiga e Sousa
No mês em que a Cocatrel
completa 50 anos, é justo conhecermos
um pouco da história de quem
acompanhou o desenvolvimento da
cooperativa desde o início de suas
atividades.
José Fabiano Scatolino é o
funcionário mais antigo da Cocatrel.
Atualmente ocupa o cargo de Gerente
Administrativo da empresa, mas exerce
também a função de Contador, tendo sido
o responsável pela assinatura de todos os
balanços e procedimentos contábeis da
Cocatrel até hoje.
Scatolino, como é mais
conhecido, testemunhou a evolução dos
recursos tecnológicos aplicados nas
tarefas de escrituração contábil,
processos administrativos e de
comunicação, que passaram por
profundos aperfeiçoamentos nas últimas
cinco décadas. Além de atuar na Cocatrel,
ele teve participação importante em duas
outras organizações: a Cerco –
Cooperativa de Eletrificação Rural de
Coqueiral e o Sindicato Rural de Três
Pontas.
Primeiro entre os sete filhos do
casal Aristides Scatolino e Alcina Pereira,
nasceu em Santana da Vargem e, ainda
menino, acompanhou a família na
mudança para Três Pontas, em 1944. “Me
orgulho muito do meu pai. Ele
demonstrou um cuidado muito especial
com os filhos quando abriu mão de sua
situação como comerciante bem
estabelecido para reiniciar suas
atividades numa cidade maior onde havia
uma grande concorrência. Mas isso não o
assustava porque o que ele pretendia era
dar melhor estudo aos filhos, pensando no
futuro de cada um”, lembra.
Scatolino cursou o primário em
Santana da Vargem e, em Três Pontas,
estudou no Ginásio São Luiz e se formou
como Técnico em Contabilidade na
antiga Escola de Comércio Nossa
Senhora D'Ajuda, em 1954. No início dos
anos 70 concluiu o curso de
Administração e Ciências Contábeis, na
primeira turma da FACECA, em
Varginha.
“Em 1951, antes mesmo de me
formar em Contabilidade, fui trabalhar na
agência do Banco Nacional de Minas
Gerais, em Três Pontas. O meu primeiro
chefe foi o João Geraldo Marcheti, que
era o contador da agência. Nesse período
eu e meu primo Anselmo montamos um
escritório de contabilidade, que prestava
Primeiro balanço contábil da cooperativa
onde constam as assinaturas da primeira
diretoria e José Scatolino.
INFORMATIVO COCATREL
JULHO/2011
Desde o início
José Scatolino examino a primeiro diário da Cocatrel
todo tipo de escrituração
comercial. No banco as atividades eram as
práticas bancárias. Entre outras funções,
fui caixa e contador da agência”, conta ele.
Na juventude, Scatolino gostava
de jogar futebol, das pescarias no Rio
Verde, do footing na praça da matriz, do
cinema do Rojão. Tinha uma motocicleta
BSA inglesa, de 250 cilindradas, mas
reclama que nessa época o asfalto mais
próximo era de Caxambu para o Rio de
Janeiro. Outro hobby que sempre manteve
foi a fotografia, desde os tempos das
primeiras máquinas “caixotinho” da
Kodak.
O casamento com Maria Elisa
Campos, aconteceu em 1954. Eles já se
conheciam desde os tempos do ginásio e se
formaram juntos na Escola de Comércio.
Tiveram cinco filhos.
Sua história profissional se ajusta
com a da Cocatrel. “Eu estava trabalhando
no banco, quando chegaram o Sebastião
Resende e o Antônio Araújo. Eles
insistiram para eu assumir a contabilidade
da cooperativa que havia sido
recentemente criada. Isso representava um
grande desafio para mim, mas aceitei. A
Cocatrel foi criada pela primeira diretoria:
Juvenal Corrêa, Dr. Oswaldo e Ary
Piedade, com ajuda do Sebastião Resende,
que era um batalhador. Ia nas fazendas
colhendo assinaturas, atrás de cooperados.
Nessa época, o IBC – Instituto Brasileiro
do Café, estimulou a criação de
várias cooperativas, inclusive
financiando a infraestrutura de armazéns
e maquinário. A reunião inicial para
criação da Cocatrel foi em 1960. Levou
um tempo para se organizar, até que
entrou oficialmente em atividade em 18
de julho de 1961. As instalações iniciais
eram no armazém de café adquirido do
Bertolino Marcheti, na Rua Minas
Gerais. Tinha espaço para estocagem,
umas poucas máquinas de rebenefício e
um pequeno escritório no cômodo da
sobreloja”, recorda.
Ele explica que a principal
virtude da cooperativa foi a conquista de
autonomia para armazenar e
comercializar o café dos associados.
Antes, era o comprador que administrava
o café do produtor, inclusive fazendo a
classificação e, muitas vezes, havia
queixas a respeito disso. O intermediário
era quem mais lucrava nas transações
com café.
“No início houve grandes
desafios. O financiamento junto ao IBC
já havia sido quitado, mas havia
necessidade de novos recursos para o
próprio custeio da cooperativa. Em 1964
foi criado o Departamento de Laticínios,
atraindo novos associados. Naquela
época, era uma luta a busca de recursos
bancários. Chegávamos a passar várias
horas, sentados, esperando atendimento.
Na diretoria da Cerco (Cooperativa de
Eletrificação Rural de Coqueiral).
Na solenidade de comemoração dos 50 anos
da cooperativa, recebendo homenagens da
Prefeitura de Três Pontas e Cocatrel.
:
BNCC - Banco Nacional de
Crédito Cooperativo, que aliviou a
situação financeira. Com o trabalho dos
sucessivos dirigentes, a Cocatrel foi se
desenvolvendo, ganhando credibilidade.
E na medida em que ganhou a confiança
dos próprios cooperados, eles passaram a
entregar toda a produção, fortalecendo a
organização. Era necessário ampliar a
estrutura e, para isso, foi adquirido o
armazém da Rua Vicente Celestino, que
pertencia à empresa Pinto Lopes
Exportadora, do Paulo Loures. A partir daí
houve uma dinamização dos negócios e a
Cocatrel se fortaleceu, expandindo seus
serviços, sua estrutura, seu quadro social.
Isso se deve à credibilidade adquirida e
mantida até hoje”, afirma.
Scatolino acompanhou de perto o
avanço dos processos administrativos e as
tecnologias utilizadas. “A comunicação
era problemática e precisávamos estar em
contato direto com nosso corretor em
Santos, o Paulo Rogner. O sistema de
telefonia ainda era muito deficiente, com
muita demora e ruídos. Implantamos a
comunicação via rádio amador, mas havia
muita interferência, muita gente ouvia as
conversas. Outra opção foi o uso de Telex,
um tipo de email primitivo, que usava
linha telefônica para enviar mensagens
escritas. Porém, sempre havia a
necessidade de deslocamento até o porto
de Santos, levando as amostras de café
para realização de negócios. Costumo
dizer que eu, o Paulo Rogner e o Manoel
Rabelo Piedade, somados, temos quase
150 anos de experiência da Cocatrel”.
Em relação aos procedimentos
contábeis, ele diz que a Cocatrel sempre
adotou os mais modernos recursos
disponíveis em cada época, e destaca três
fases de inovações: o uso das máquinas
Audit, específicas para contabilidade; o
início da informatização dos
procedimentos, em 1989; e a digitalização
dos processos contábeis e fiscais,
iniciados recentemente, que incluem, por
exemplo, a Nota Fiscal Eletrônica e os
Demonstrativos de Movimentação
disponibilizados em tempo real.
Quando perguntado sobre seus
projetos pessoais, afirma que apenas
pretende seguir olhando em frente, sem se
prender ao passado. Pensando bem, foi
assim que ele participou, dia após dia,
superando
desafios, conduzindo
soluções e ajudando a construir a bela
história desses 50 anos da Cocatrel.
Sua família reunida na comemoração dos 50
anos da cooperativa.
Download

Impresso Especial