Uma equipe com toda a sua força, sob o ponto de vista sistêmico
Anton de Kroon
Instituto Bert Hellinger - Holanda
Junho de 2012
Ordem
Você verá um time que ocupa seu próprio espaço no sistema inteiro da companhia.
Como a equipe chega e permanece lá? Ao receber aquele lugar e suas especificações da
gerência, com muita clareza. Pelo fato de a equipe receber e aceitar aquele lugar: nem
mais, nem menos, nem diferente.
Parte de um todo
Você verá uma equipe que é altamente consciente de ser uma parte de um sistema maior.
Os membros trabalham tendo em mente o benefício de toda a companhia, não apenas para
seus objetivos pessoais ou da equipe.
Origem e história
Você verá uma equipe cujos membros estão conscientes de onde vieram, como começou a
equipe, quais foram as principais mudanças na companhia como um todo e na equipe: tanto
pessoas como coisas que foram e vieram, como produtos, procedimentos, prédios,
equipamentos, etc. Os membros estão cientes de quem se beneficia e de quem paga o
preço pelo que a equipe fez no passado e está fazendo agora. Há percepção dos sucessos
e dos fracassos que fazem parte de sua história.
Todos e tudo estão sendo vistos e
reconhecidos, especialmente as questões dolorosas; ninguém e nada é excluído ou
“esquecido”.
Equilíbrio
Você verá uma equipe em equilíbrio justo com o que tira e o que dá aos seus membros, a
outras partes e à companhia como um todo.
Como o gerenciamento pode dar apoio numa forma sistêmica
Lugar
Como qualquer função, a liderança é uma parte do sistema como um todo. Ela cria a
possibilidade para que outras funções contribuam.
Esse é um processo delicado de
estabelecimento de objetivos e criação de oportunidades.
Informações: (61) 3577-2697 (61) 9223-5685 - www.sistemicaconsultoria.com
sistemicaconsultoriacursos@gmail.com / miriamcbraga@uol.com.br / miriamcbraga@gmail.com
1
Padrões
Se houver um problema persistente numa equipe, pergunte-se: onde e quando vemos mais
exemplos desse problema, em nossa empresa. É melhor observar o cenário mais amplo do
que focalizar detalhes. Não culpe um indivíduo ou equipe se eles fazem o que todo o
sistema, como um todo, faz. A mudança de um padrão que se manifesta em vários níveis na
empresa, começa com o nível mais alto mudando a si mesmo.
Comece com: Sim
Se você quiser mudar coisas, comece por aceitar a situação existente por completo. Até
mesmo dê um passo à frente ao sentir-se realmente grato – e expressando isso em voz alta
– pela situação como ela é, porque isso lhe dá a oportunidade de olhar para suas raízes. E
aí é exatamente o lugar de onde poderá surgir a mudança.
Equilíbrio
Crie um equilíbrio justo entre o receber e o dar, entre o sistema como um todo e todas as
suas partes. Faça o mesmo entre o sistema e o mundo lá for a. Aqui poderá pensar sobre
empregados, fornecedores, financiadores, clientes, ambiente, acionistas, etc. Ao se criar um
equilíbrio justo, cria-se a oportunidade de ser livre, após cada transação. Isso significa que
não há fardo do passado, nem reivindicação quanto ao futuro.
Anton de Kroon
Instituto Bert Hellinger - Holanda
Junho de 2012
Miriam Coelho Braga
Coordenação Técnica
Traduzido por Mário Fonseca para a Sistêmica Consultoria 4º módulo dos “Cursos de Pós-Graduação, Especialização Lato
Sensu: Especialização Sistêmica Fenomenológica Organizacional - Soluções em Consultoria e Coaching.”
Informações: (61) 3577-2697 (61) 9223-5685 - www.sistemicaconsultoria.com
sistemicaconsultoriacursos@gmail.com / miriamcbraga@uol.com.br / miriamcbraga@gmail.com
2
Download

Uma equipe com toda a sua força, sob o ponto de vista sistêmico