Biotecnologias e Valores Éticos
Sociedade Brasileira de Bioética
Búsios-RJ 2009
Márcio Fabri dos Anjos
introduzindo
Notas sobre tensão entre
Tecnociências e (Bio)Ética
1. Aspectos epistemológicos
2. Aspectos sócio-político-culturais
3. Desafios à Bioética
1. Notas de epistemologia
“Vejo a singularidade do ser humano na criação (e na
destruição) de valores. [...] os valores de que o homem
é o inventor perpétuo se revelam sempre precários”
(Lécourt 2007:23).
A pesquisa científica é objetiva, neutra
e autônoma? (Lacey 2008)
“Objetiva/imparcial”
“uma hipótese só deve ser aceita como conhecimento
científico após ser testada no curso de um rigoroso
programa de pesquisa empírica (muitas vezes
experimental) apropriado, e é considerada bem
apoiada por evidências empíricas disponíveis
baseadas em critérios cognitivos estritos (por
exemplo, adequação empírica, poder explicativo e
preditivo) que não refletem valores éticos ou sociais
particulares” (H.Lacey 2008)
“Neutralidade”
(1) resultados científicos não têm nenhum
juízo de valor ético ou social entre suas
conseqüências lógicas; e (2) em princípio,
considerados como um todo, em sua aplicação
eles podem auxiliar igualmente interesses
fomentados por qualquer uma das
perspectivas de valores éticos e sociais viáveis
mantidas no mundo de hoje, em vez de
privilegiar algumas à custa de outras. (HL)
“Autonomia”
(1) questões de metodologia científica e os critérios
para avaliar conhecimento científico estão fora da
esfera de ação de qualquer perspectiva ética
(religiosa, política, social, econômica) ou preferências
pessoais; (2) as prioridades da pesquisa, para a
atividade científica como um todo, não devem ser
moldadas por uma perspectiva de valores
particulares; e (3) as instituições científicas devem ser
constituídas de forma a poder resistir a interferências
externas (não-científicas).
Crítica à dicotomia “fato-valor”
“o conhecimento dos fatos pressupõe o
conhecimento dos valores”.
(H.Putnam. O colapso da Verdade. SP:Idéias e
Letras 2008)
Tendência atual, em vez de repensar todo o dogma (o
último dogma do empirismo?) que põe dicotomia entre
fato e valor, prefere se refugiar na “fantasia de fazer
ciência usando apenas a lógica dedutiva (Popper), a
fantasia de vindicar dedutivamente a indução
(Reichenbach), a fantasia de reduzir a ciência a um
único algoritmo simples (Carnap), a fantasia de
selecionar teorias dado um conjunto misteriosamente
disponível de ´condicionais de observação verdadeiros´
ou, alternativamente, ´estabelecidos pela psicologia´
(ambas de Quine)”. (PUTNAM, 2008:191-192)
H.Lacey: descontextualização
- Valores e Atividade Científica. 2v. SP:Editora34
- A Controvérsia sobre os Transgênicos: questões
científicas e éticas. SP: Idéias e Letras.
Representar fenômenos os descontextualiza,
ao dissociá-los de qualquer lugar que eles
possam ter em relação a arranjos sociais,
vidas e experiência humana, de qualquer
ligação com a ação humana, valores e
qualidades sensoriais, e de quaisquer
possibilidades que eles possam ganhar em
virtude de suas posições em contextos
sociais, humanos e ecológicos particulares.
Assim, na superfície de um árido e
anônimo artigo científico, ocultam-se
aventuras individuais e coletivas de
pesquisadores que hesitaram, depois
acreditaram, enfim convenceram seus
pares que por vezes puseram em jogo
sua carreira, sua reputação por causa de
uma experiência ou de uma fórmula.
(Japiassu 2009)
2. Aspectos sócio-político-culturais
Nas sociedades industriais, profundamente
marcadas pela influência da ciência e da
tecnologia, a questão do saber torna-se
cada vez mais indissociável da questão
do poder. (Japiassu 2009)
É difícil reconciliar a neutralidade e a
autonomia com o papel da tecno-ciência
ligada ao crescimento econômico, ou o da
ciência inserida na lógica do capital (“ciência
de interesses privados” – Krimsky, 2003)- HLacey
O caminho pelo qual a ciência está sendo
conduzida não se encaixa facilmente com a
neutralidade; ele serve bem os valores do capital
e do mercado, mas não os da sustentabilidade.
(Lacey 2009)
Craig Venter: promete dentro de um
ano o primeiro ser vivo montado
inteiramente em laboratório (uma
bactéria). Entende que assim, o ser
humano “terá nas mãos a arma para
derrotar a fome, o aquecimento global e
a dependência petrolífera.”
(IHU 22/9/2009)
Financiamento? “Tenho uma colaboração
com a British Petroleum: usaremos as
nossas células para transformar o carbono em
gás natural. Uma outra é com a Exxon Mobil
para produzir combustível partindo de algas
geneticamente modificadas. Nos EUA, existe
uma comunidade de investidores privados
que confia naquilo que a ciência faz.” (IHU
22/09/2009)
O empreendimento científico e tecnológico se
tornou interesse político e econômico. E logo as
decisões que ele gerou saem dos “corredores do
Poder” (C.P.Snow) e levam as controvérsias
públicas e a disputas por vezes violentas.
(Japiassu 2009)
Depois de Hiroshima e Nagasaki, “os
físicos conheceram o pecado”
(Oppenheimer)
Tendência cultural: hegemonia do
pensamento tecno-científico
Virtualmente toda a pesquisa científica
conduzida hoje dentro da abordagem
descontextualizada é tecnociência, de forma
que, cada vez mais, se supõe que a ciência
contemporânea se tornou idêntica à
tecnociência. (Lacey 2009)
3. Desafios à Bioética
Urgente tarefa de superar a
insensatez: pensar e ajudar a pensar
Identificação de valores: crítica,
intervenção/proteção
Desafio de ir contra a corrente
“O futuro comportará sempre
riscos, vicissitudes e inquietudes,
mas também poderá comportar
capacidades criativas,
desenvolvimento da compreensão e
da bondade, uma nova consciência
humana”
(Morin. Vers l´abîme?, L´Herne, 2007
Não é o caminho que é difícil, é o
difícil que é o caminho”
(Kierkegaard)
mfabri@terra.com.br
Download

Biotecnologias e Valores Éticos