UNEMAT
Empreendedorismo e Plano de
Negócios
SORRISO -MT
INFORMATIVO!!!
 Apresentação Plano de Ensino.
 Disponibilização do Material (Professor Interativo).
 Comunicação com o Professor via (Email).
priscila_pelegrini@unemat-net.br
 Faltas: Freqüência 75%.
 Material Xero Copiadora.
 Atestado Médico.
 Data de Entrega das Atividades.
 Horário de Entrada e Saída. (Quatro Aulas).
 Uso de celulares e equipamentos eletrônicos.
 Trabalhos Copiados. (Plágio):
“No Brasil o plágio é considerado crime e sua principal referência é a lei 9.610.
Todavia, a lei 9.610 é voltada para a proteção de obras comerciais.. Para fins de
trabalho acadêmico é mais adequado seguir-se as normas da ABNT, que não
admitem exceções para textos copiados”.
Empreendedorismo no Brasil (GEM, 2013)
Fonte: GEM – Global Entrepreneurship Monitor 2013.
A pesquisa “Empreendedorismo no Brasil”, realizada em 2013 pelo Global Entrepreneurship Monitor
(GEM), em parceria com o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBPQ) e o Centro de
Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV), com o apoio do Sebrae,
revela que praticamente 40 milhões de brasileiros estão empreendendo, demonstrando a importância
econômica e social do tema e a necessidade de ações governamentais ou não governamentais para sua
consolidação.O Brasil ocupa a quarta posição no ranking em número absoluto de empreendedores,
atrás da China, Índia e Nigéria.
A amostra traz 68 países pesquisados, com cobertura de 75% da população e 89% do PIB global. O
Brasil é considerado pela pesquisa um país em transição entre um modelo orientado da eficiência para
a inovação. Em relação às nove condições chaves para empreender, o Brasil apresenta um quadro
acima da média da América Latina e Caribe em todos os itens, à exceção dos
impostos/regulamentação e infra estrutura física, itens também verificados como hiato em relação à
média total dos países pesquisados.
A população economicamente ativa (TEA) no Brasil é estimada em 123 milhões de indivíduos
correspondendo às idades de 18 a 64 anos. Temos que 21 milhões (17,1%) são iniciais (17ª posição no
ranking GEM) e 19 milhões (15,5%) estabelecidos (8ª posição – GEM). Tais percentuais são
superiores à média mundial de 7,9% e 6,7%, respectivamente.
A faixa etária com a maior taxa de empreendedores (TEA) é a de 25 a 34 anos (21,9%), seguida pela
faixa etária de 35 a 44 anos (19,9%). No grupo empreendedores iniciais, essas faixas etárias
representam percentual de 33,1% e 25,8% do universo, respectivamente. Essas taxas são diferentes no
caso do empreendedorismo estabelecido. No Brasil, a maior incidência de empreendedores
estabelecidos ocorre na faixa entre 45 a 54 anos (24,3%) seguida das faixas de 35-44 anos e 55-64
Empreendedorismo no Brasil (GEM, 2013)
Fonte: GEM – Global Entrepreneurship Monitor 2013.
Em 2013, mais de 80% dos entrevistados no Brasil consideraram que abrir um negócio é uma
opção desejável de carreira. Tal constatação coloca o Brasil na sexta posição no ranking global
da pesquisa neste quesito.
Se elencarmos os principais sonhos dos brasileiros, a prioridade emerge com a aquisição da
casa própria com 45,2%, viajar pelo Brasil com 42,5% e logo após, ter seu próprio negócio com
34,6% das opiniões. Nota-se que a atividade empreendedora como carreira é fundamental para o
desenvolvimento do empreendedorismo, mas também é importante que essa opção esteja
relacionada ao empreendedorismo por oportunidade e não por necessidade, já constatado por
dados da pesquisa, com elevação da razão oportunidade/necessidade de 2,3 (2012) para 2,5
(2013).
Outro dado da pesquisa que merece destaque refere-se à participação feminina nos
empreendimentos iniciais no Brasil (participação de 52,2%). Comparativamente aos outros
países, o Brasil situa-se em 12º lugar junto com países como Colômbia, Panamá e Tailândia. O
empreendedorismo vem sendo uma opção de carreira e renda para as mulheres brasileiras.
Com relação à taxa de empreendedores masculinos e femininos iniciais por necessidade, o
Brasil apresenta em 2013 média superior à regional e global e muito próximas às regionais para
oportunidades. Noruega é o destaque para empreendedorismo masculino para oportunidade e
Líbia, Singapura e Suíça para o feminino neste quesito.
Sebrae e IBQP divulgam pesquisa “GEM 2013: empreendedorismo no Brasil”
A última edição da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), um dos
destaques é que o Brasil atingiu, em 2013, a taxa mais elevada de empreendedores por
oportunidade dos últimos 12 anos. No grupo dos Empreendedores Iniciais do Brasil,
71% foram motivados por oportunidade, ou seja, identificaram uma chance de negócio
e decidiram empreender, mesmo possuindo alternativas de emprego e renda. A
pesquisa foi realizada junto a uma amostra de 10 mil indivíduos adultos no Brasil,
sendo duas mil entrevistas na Região Centro-Oeste.
Na avaliação do presidente do Sebrae, Luiz Barretto, os resultados indicam a
vitalidade do empreendedorismo no país mesmo em um período de pleno emprego. “A
perspectiva é de que os pequenos negócios continuem em uma trajetória de
crescimento, já que o mercado interno brasileiro ainda oferece muitas oportunidades
de negócios, seja para a classe média, em expansão, seja para segmentos específicos de
mercado”, avalia. Os microempreendedores individuais (MEI), microempresas e
pequenas empresas – aqueles que faturam até R$ 3,6 milhões por ano – representam
99% das empresas brasileiras e mais de 8,3 milhões de Cadastro Nacional de Pessoa
Jurídica (CNPJ).
Fonte: http://www.conaje.com.br/noticias_view/159-sebrae-e-ibqp-divulgam-pesquisa%E2%80%9Cgem-2013-empreendedorismo-no-brasil%E2%80%9D.html
26JUN2014
5 CARACTERÍSTICAS DE EMPREENDEDORES QUE FAZEM A DIFERENÇA
Entendendo empreendedorismo como um processo por meio do qual as pessoas perseguem
oportunidades, usam (e/ou buscam) recursos para criar valor a partir de suas ideias. Ser
empreendedor é acima de tudo lidar com incertezas, é fazer acontecer.
1. Faça o que você gosta:
Paixão. Esta é de longe a principal característica observada na maioria dos empreendedores de
sucesso. Se você não gosta daquilo que está fazendo, você dificilmente terá sucesso. E é essa
paixão que vai ajudá-lo a seguir em frente.
2. Tolerância ao Risco
Empreender é lidar com incertezas. Lançar-se em qualquer projeto empreendedor é arriscado.
Claro que os riscos podem ser calculados e até mesmo minimizados na fase de planejamento e
pesquisa do negócio, mas pergunte a si mesmo quais são os riscos que você é capaz e está
preparado para assumir?
3. Determinação e autoconfiança
Como um empreendedor, você não vai ter espaço para a procrastinação ou indecisão, e acima de
tudo deverá ter confiança em si mesmo para ter a capacidade de enfrentar desafios diários. A
pergunta aqui é se você é capaz de tomar decisões rapidamente, e assim, aproveitar as
oportunidades que aparecem?
26JUN2014
Cont. 5 CARACTERÍSTICAS DE EMPREENDEDORES QUE FAZEM A DIFERENÇA
4. Criatividade e persuasão
Empreendedores bem sucedidos têm a capacidade criativa para reconhecer e buscar
oportunidades. Eles enxergam oportunidade onde a maioria só vê problemas. E acima de tudo
possuem uma grande habilidade de convencimento, característica importante na busca por
apoiadores e parceiros.
5. Energia e visão
A maioria das pessoas que deseja empreender o faz como forma de se ver livres do trabalho
atual, da relação com seu chefe. Acreditam que serão ”livres”. Entretanto, ao empreender você
com certeza irá trabalhar em dobro. No início porque você é quem irá fazer tudo, e à medida que
o negócio vai crescendo seu nível de complexidade também crescerá, e mesmo contando com
uma equipe de apoio, como empreendedor você é quem deve decidir a rota a ser seguida, ter
visão estratégica.
Fonte: Por Priscila Zuini, de EXAME. com
Empreendedorismo
“O empreendedorismo é uma revolução silenciosa,
que será para o século 21 mais do que a revolução
industrial foi para o século 20” .
Timmons, 1990
"O analfabeto do século XXI
não será aquele que não
conseguir ler nem escrever,
mas aquele que não puder
aprender, desaprender e, no
fim, aprender de novo".
Alvin Toffler
"Se você quer ter algo
que nunca teve, terá de
fazer algo que nunca fez.”
Margueritte
Reeve
CENÁRIOS...
Novos desafios para o
empreendedor...
REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA
INTEGRAÇÃO DE
MERCADOS
PERFIL DE
DESENVOLVIMENTO
Fonte: SEBRAE-SP
ENVELHECIMENTO DA
POPULAÇÃO
O mundo está buscando um novo tipo
de empreendedor
• Ético e cidadão
• Cooperativo
• Inovador
• Consciente com o meio
ambiente
Fonte: SEBRAE-SP
Quem é o empreendedor?
“O empreendedor é aquele que destrói a ordem econômica existente
através da introdução de novos produtos e serviços, pela criação de
novas formas de organização, ou pela exploração de novos recursos
e materiais”
Joseph Schumpeter, 1949
“O empreendedor é aquele que faz acontecer, antecipa-se aos fatos e
tem uma visão futura da organização”
Dornelas, 2001
“O empreendedor é alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar
oportunidade, buscando e gerenciando recursos para transformar a
oportunidade em negócio de sucesso”
Timmons, 2001
Quem é o empreendedor?
“O empreendedor imagina, desenvolve e realiza visões” (Filion)
“O empreendedor é alguém que sonha e tenta transformar o seu sonho
em realidade”
(Dolabela)
 Para que o empreendedorismo ocorra nas organizações
haverá a necessidade de pessoas que o façam acontecer.
 Portanto, o empreendedor é aquele que percebe uma
oportunidade e cria meios (nova empresa, área de negócio,
etc.) para persegui-la.
Características dos empreendedores

São visionários, organizados e dedicados

São otimistas, determinados e dinâmicos

Sabem explorar ao máximo as oportunidades

Fazem a diferença, pois sabem tomar decisões

São líderes, formadores de equipes e bem relacionados

Possuem conhecimento e são apaixonados pelo negócio

São independentes e constroem seus próprios destinos

Planejam sempre, para assumir riscos calculados e criar
valor para a sociedade
PERFIL DO
EMPREENDEDOR
 Autoconfiante, inovador, realista, tolerante a incertezas
 Arrisca moderadamente, sem medo de errar e do
ridículo
 Sonhador e comprometido, é um trabalhador incansável
 Tem objetivos pessoais, atitudes, filosofia e valores
 Conhece o negócio, a rede de relações e o time
gerencial
 Intuitivo, otimista, competente, visionário e hábil
gerencialmente
 Tem energia, autonomia e necessidade de realização,
por isso, questiona e enfrenta normas, autoridades e
tradições
Perfil do empreendedor
Alta
Criatividade
Inventor
Empreendedor
e
Inovação
A grande maioria
Gerente,
Administrador
Baixa
Habilidades gerenciais e visão de negócios
Alta
HABILIDADES DO EMPREENDEDOR
(negociação)
 Saber ouvir
 Jamais deixar o outro em desvantagem
 Saber exatamente o que deseja, objetivos claros
 Conhecimento profundo do parceiro da negociação
Abertura e franqueza entre os negociadores: desarme
Faz parte da vida do empreendedor negociar com clientes
fornecedores, sócios, colaboradores, terceirizados e bancos
O PERFIL DO EMPREGADO
 Não se preocupa em transformar as necessidades dos
clientes em produtos/serviços
 Descuida de outros conhecimentos que não sejam voltados
à sua especialidade
 Raramente é agente de inovações, não é pró-ativo, não é
criativo, não gera mudanças e não muda a si mesmo,
precisando de comando de outros para trabalhar
 Não busca conhecer o negócio como um todo: a cadeia
produtiva, a dinâmica dos mercados, a evolução do setor
 Não se preocupa com o que não existe ou não é feito; tenta
entender, especializar-se e melhorar somente o que existe
O PERFIL DO EMPREGADO
 Prioriza o que se passa dentro da organização, em
detrimento do que acontece fora
 Não lê o meio ambiente externo: as ameaças e
oportunidades, executa mais do que aprende
 Não se preocupa em formar a sua rede de relações,
estabelece baixo nível de comunicações
 Tem medo do erro (é punido em nosso sistema de ensino
e em nossa sociedade) e não o toma como fonte de
aprendizagem
 Colabora na construção e realização dos sonhos do empreendedor
e do mercado
Situações favoráveis ao empreendedor
 Educação (nível de escolaridade)
 Necessidades financeiras pessoais
 Economia local, regional e nacional
 Oportunidades alternativas de carreira
 Experiência (trabalho, hobby, interesses…)
 Redes sociais de relacionamento (network)
 Modelos de referência (família, amigos, empreendedores)
O NEGÓCIO
(Uma nova empresa ou uma empresa nova?)
Rotas
alternativas
Iniciar novo negócio
Comprar uma
empresa
Contratar uma
Franquia
Assumir empresa
familiar
VISÃO DO NEGÓCIO
VISÃO DO NEGÓCIO
VISÃO DO NEGÓCIO
VISÃO DO NEGÓCIO
VISÃO DO NEGÓCIO
A oportunidade de negócios

Empreendedores potenciais que não sabem
identificar o mercado alvo não estão preparados
para implementar seus projetos empresariais.
Eles apenas tiveram uma idéia, mas não
identificaram uma necessidade de mercado!
Fontes de idéias
 Franquias
 Olhar nas ruas
 Pesquisa universitária
 Experiência de emprego
 Mudanças demográficas e sociais
 Caos econômico, crises, atrasos
 Experiência enquanto consumidores
 Idéias que deram certo em outros lugares
 Uso das capacidades e habilidades pessoais
SEBRAE lista os 6 maiores erros de quem vai
à falência...
1° Falta de planejamento: Muitos empresários começam a atuar sem
fazer um plano de negócio. Antes de abrir uma empresa, é preciso
estudar todos os aspectos que envolvem o negócio. Deve-se pesquisar
quem será o público-alvo, fornecedores, custos fixos e variáveis,
concorrência e localização adequada. Quanto mais informações o
empreendedor tiver sobre seu ramo de atividade, maiores são as chances
de sucesso.
2° Copiar modelos existentes: É um equívoco reproduzir integralmente
um modelo de negócio que já existe no mercado sem fazer inovações.
No curto prazo, a cópia pode até trazer lucro, mas no médio prazo tende
a não funcionar. O ideal é que o empreendedor se inspire em casos de
sucesso para abrir seu negócio, mas saiba adaptá-lo à sua realidade para
criar diferenciais. Para ter sucesso, é necessário haver alguma inovação
em relação ao produto ou serviço oferecido pela concorrência.
3° Não acompanhar a rotina da empresa: Deixar a empresa só nas
mãos de terceiros é arriscado. A dedicação é uma das principais
qualidades de um empreendedor. Ele deve separar um determinado
período do seu dia para verificar de perto a rotina de cada área da
empresa. Se ele não tiver condições de fazê-lo, uma alternativa é
trazer pessoas qualificadas para supervisionar cada setor. Porém, o
empresário deve estar presente na empresa para fiscalizar o trabalho
e para resolver problemas.
4° Descontrole do fluxo de caixa: Muitos empresários se perdem
quando o assunto é administração. A empresa deve adotar um
sistema de controle da entrada e saída de dinheiro. Em empresas
menores, uma simples planilha consegue resolver o problema. Já
empresas maiores podem optar por aplicativos mais elaborados para
fazer este controle. Além disso, é preciso ter o hábito de checar as
contas, de preferência todos os dias, e saber planejar o pagamento e
recebimento dos recursos.
5° Falta de divulgação da marca: Não se pode esperar que o
boca-a-boca garanta o sucesso da empresa. Para um marketing
mais eficiente, o empresário tem de entender o mercado que
quer atingir, saber onde o público dele está e do que ele gosta.
A partir destas informações, estabelece-se uma estratégia e a
propaganda ideal é direcionada para os clientes.
6° Não se adaptar às necessidades do mercado: Aquele
empresário resistente às mudanças e fechado às novidades
tende a ficar para trás. É importante que o empreendedor
sempre se mantenha antenado às tendências do seu ramo de
atividade. Ler matérias em jornais, sites e revistas ou
conversar com clientes e fornecedores é de grande ajuda para
conseguir mais informações sobre o mercado. O consumidor
quer novidade e quem não se adaptar tende a perder espaço.
É POSSIVEL ENSINAR ALGUEM
A SE TORNAR EMPREENDEDOR?
Essa questão polêmica tem sido debatida em vários fóruns, com boas
argumentações dos dois lados, mas sem que se chegue a uma conclusão
sobre a formação do empreendedor.
Para Filion, “o treinamento para a atividade empreendedora deve capacitar
o empreendedor para imaginar e identificar visões, desenvolver habilidades
para sonhos realistas”, enquanto o treinamento para gerentes “enfatiza as
habilidades analíticas”.
É certo e reconhecido que trazer o tema do empreendimento para a ordem
do dia tem permitido a pessoas que não haviam pensado concretamente
nessa possibilidade se entusiasmar com a idéia de empreender e se fazer a
pergunta: por que não eu?
O processo empreendedor também foi mitificado ao longo do tempo.
Apresentamos alguns mitos que se consolidaram e que não refletem as
questões reais vividas pelo empreendedor.
Mito e Realidade sobre os Empreendedores
Mito 1 – Empreendedores não são feitos, nascem
Realidade – A capacidade criativa de identificar e aproveitar uma
oportunidade vem depois de 10 anos de experiência que conduz a um
recolhimento de padrões. O empreendedor é feito pela acumulação das
habilidades, Know-how, experiência e contatos em um período tempo.
Logo, empreendedores acumulam experiência e se preparam para o salto
empreendedor.
Mito 2 – Qualquer um pode começar um negócio
Realidade – Os empreendedores que reconhecem a diferença entre idéia
e oportunidade e pensam grande o suficiente têm maiores chances de
sucesso. A parte mais fácil é começar. Difícil é sobreviver. Talvez somente
uma entre 10 a 20 novas empresas que sobrevivem cinco anos ou mais
consiga obter ganhos de capital.
Mito e Realidade sobre os
Empreendedores
Mito 3 – Empreendedores são jogadores
Realidade – Empreendedores de sucesso assumem riscos calculados,
minimizam riscos, tentam influenciar a sorte.
Mito 4 – Empreendedores querem espetáculos só para si
Realidade – O empreendedor individual geralmente ganha a vida. É difícil
ter um negócio de alto potencial sozinho. Os empreendedores de sucesso
constroem uma equipe. Acham que 100% de nada é nada. Eles trabalham para
aumentar o bolo, em vez de tirar a maior parte dele.
Mito 5 – Empreendedores são os seus próprios chefes e completamente
independentes
Realidade – Está longe de ser independente e serve a muitos senhores
(sócios, investidores, clientes, fornecedores, empregados, credores, família).
Mito e Realidade sobre os
Empreendedores
Mito 6 – Empreendedores trabalham mais tempo e mais duro do que
gerentes em grandes empresas
Realidade – Não há evidências nas pesquisas, cujos resultados às vezes
dizem que sim, às vezes que não.
Mito 7 – Empreendedores experimentam grande estresse e pagam alto
preço
Realidade – É verdade, mas não mais que em outras profissões. Mas eles
acham o seu trabalho mais gratificante. São mais ricos e não querem se
aposentar.
Mito 8 – Começar um negócio é arriscado e frequentemente acaba em
falência
 Realidade – Os empreendedores talentosos e experientes (que sabem
identificar e agarrar oportunidades e atrair os recursos financeiros e outros)
frequentemente alcançam o sucesso. Além disso, a empresa entra em falência,
mas o empreendedor não. A falência é, muitas vezes, o fogo que tempera o aço
Mito e Realidade sobre os
Empreendedores
Mito 9 – Dinheiro é o mais importante ingrediente para se começar o negócio
Realidade – Se as outras partes e talentos existirem, o dinheiro virá. Não quer
dizer que se o empreendedor tem dinheiro vá ter sucesso. O dinheiro é um dos
ingredientes menos importantes. È, para o empreendedor, o que o pincel e a tinta são
para o pintor: ferramenta inerte que, nas mãos certas, pode criar maravilhas. Mesmo
depois de ter feito alguns milhões de dólares, um empreendedor irá trabalhar
incessantemente em uma nova visão para construir outra empresa.
Mito 10 – Empreendedores devem ser novos e com energia
Realidade – Idade não é barreira. A idade média de empreendedores de sucesso
(Higher potential business) é perto dos 35, mas há numerosos exemplos de
empreendedores de 60 anos de idade. O que é importante: Know-how, experiência e
rede de relacionamentos.
Mito e Realidade sobre os
Empreendedores
Mito 11 – Empreendedores são motivados pela busca do todo poderoso dólar
Realidade – Empreendedores de sucesso buscam construir empresas nas quais
possam realizar ganhos de capital no longo prazo. Não procuram satisfação
imediata de grandes salários e aparência. Buscam realização pessoal, controle dos
seus próprios destinos e realização dos seus sonhos. O dinheiro é visto como uma
ferramenta.
Mito 12 – Empreendedores buscam poder e controle sobre terceiros
Realidade – O poder é antes um subproduto do que uma força motivadora. O
empreendedor busca responsabilidade, realização e resultados.
Mito 13 – Se o empreendedor é talentoso, o sucesso vai acontecer em um ou
dois anos
Realidade – Raramente um negócio tem solidez em menos de três ou quatro
anos. Máxima entre os capitalistas de risco: “O limão amadurece em dois anos e
meio, mas as pérolas levam sete ou oito.”
Mito e Realidade sobre os
Empreendedores
Mito 14 – Qualquer empreendedor com uma boa idéia pode
levantar capital
Realidade – Nos Estados Unidos, somente um a três em cada 100
conseguem capital.
Mito 15 – Se um empreendedor tem capital inicial suficiente, não
pode perder a chance
Realidade – O oposto é frequentemente verdade, isto é, muito
dinheiro no princípio cria euforia e a “síndrome de criança estragada.”
Lembretes do mestre Peter Drucker
1. Na administração estratégica, a eficiência é importante, mas a eficácia é vital.
2. Defender o ontem, isto é, não inovar, é mais arriscado do que fazer o amanhã.
3. Deve-se aprender a ver as mudanças sociais, tecnológicas, econômicas e
demográficas como oportunidades e não como ameaças.
4. Os empreendedores mais bem-sucedidos que conheci sempre foram homens e
mulheres humildes, que tinham consciência de que o sucesso de hoje pode ser o
fracasso de amanhã e vice-versa.
5. Inovação é trabalho. Ações sistemáticas, deliberadas e disciplinadas são o que
realmente conduzem uma empresa ao progresso.
6. Nunca misture unidades administrativas a unidades empreendedoras.
7. A pesquisa de marketing é um instrumento que pode ser utilizado para descobrir o
que os clientes compram, como compram e assim por diante.
8. A simplicidade tende ao desenvolvimento, e a complexidade à desintegração.
9. O jogo empreendedor sempre se concentra no mercado e é dirigido pelo mercado.
10.Aqueles que sobrevivem tendem a evoluir.
Empreendedorismo
10 Dicas para ser um Empreendedor
1. Boas idéias são comuns a muitas pessoas. A diferença está
naqueles que conseguem fazer as idéias transformarem-se em
realidade, isto é, implementar as idéias. A maioria das pessoas
fica apenas na 'boa idéia' e não passa para a ação. O
empreendedor passa do pensamento à ação e faz as coisas
acontecerem;
2. Todo empreendedor tem uma verdadeira paixão por aquilo
que faz. Paixão faz a diferença. Entusiasmo e Paixão são as
principais características de um empreendedor!
3. O empreendedor é aquele que consegue escolher entre várias
alternativas e não fica pensando no que deixou para trás. Sabe
ter foco e fica focado no que quer;
4. O empreendedor tem profundo conhecimento daquilo que
quer e daquilo que faz e se esforça continuadamente para
aumentar esse conhecimento sob todas as formas possíveis;
5. O empreendedor tem uma tenacidade incrível.Ele não desiste!
Empreendedorismo
2 – 10 Dicas para ser um Empreendedor
6. O empreendedor acredita na sua própria capacidade. Tem
alto grau de autoconfiança;
7. O empreendedor não tem fracassos. Ele vê os 'fracassos'
como oportunidades de aprendizagem e segue em frente;
8. O empreendedor faz uso de sua imaginação. Ele imagina-se
sempre vencedor;
9. O empreendedor tem sempre uma visão de vários cenários
pela frente. Tem, na cabeça, várias alternativas para vencer;
10. O empreendedor nunca se acha uma 'vítima'. Ele não fica
parado, reclamando das coisas e dos acontecimentos. Ele age
para modificar a realidade!
Empreendedorismo
Tendências e Oportunidades
1. Envelhecimento da população
3. Educação Permanente
- Residências menores;
- Publicações especializadas;
- Pisos antiderrapantes;
-
- Serviços à domicílio;
- Alimentos dietéticos;
- Porções menores;
Livros de referência;
Cd-Rom;
Banco de dados;
Internet;
Serviços de treinamento.
- Turismo da terceira idade.
2. Cuidados com a forma física 4. Casais trabalhando fora
- Academia;
- Aparelhos de ginástica;
- Roupas esportivas;
- Dietas.
- Serviços de limpeza e
manutenção domiciliar;
- Transporte escolar;
- Creches.
Empreendedorismo
Tendências e Oportunidades
5. Globalização
- Importação;
- Exportação;
- Hotéis;
- Viagens.
6. Aumento do número
de solteiros
7. Isolamento social
-
Telefonia;
Internet;
Comércio eletrônico;
Produtos de segurança.
8. Expansão do setor
de eventos
- Atividades de lazer;
- Cultura e entretenimento;
- Turismo;
- Alimentos congelados.
-
Viagem;
Hospedagem;
Serviços a congressistas;
Publicações.
Empreendedorismo
Tendências e Oportunidades
9. Produtos à moda antiga
- Artesanato;
- Geléias e doces caseiros;
- Restaurantes de comida regional;
- Móveis antigos.
10. Aumento da produtividade
- Terceirização de serviços;
- Trabalho autônomo;
- Empreendedorismo.
Empreendedorismo
Oportunidades no Cenário (2000 a 2020)
1. O encasulamento
- Tendência a buscar proteção (segurança);
- O casulo armado (posse de armas para autodefesa);
- O casulo nômade (o automóvel como casulo: refeições no carro,
automóvel com telefone, televisão, etc.);
- O casulo socializado (convívio com grupos restritos de amigos)
- Quanto mais o local de trabalho se assemelhar a um casulo, mais
felizes e produtivos serão os funcionários.
2. A aventura da fantasia
- Escape físico e emocional do casulo, mas sem risco. Em vez de viajar
para o deserto do Saara, ouvir música.
Empreendedorismo
Oportunidades no Cenário (2000 a 2020)
3. Pequenas indulgências
- Pequenos presentes, sem o estresse das compras caras.
Mercado cada vez mais importante para objetos de pequeno valor,
para campanhas de desconto e promoções.
4. Ergonomia
- O “feito sob medida”, o “fiz do meu jeito”: individualização,
personalização.
5. Pular fora
- “Ser” torna-se mais importante do que “ter”. Tendência a
juntar experiência, bens, aquisições feitas ao longo da vida e
partir para um projeto pessoal prazeroso, de auto-realização
Empreendedorismo
Oportunidades no Cenário (2000 a 2020)
6. Volta ao passado
- Eternamente jovem. Tendência a procurar manter a liberdade da
juventude, o descompromisso, a energia, os sonhos.
7. Sobreviver
- Saúde, mais anos de vida, volta à natureza.
8. Consumidor vigilante
- Autodefesa em relação a preços, produtos, etc.
9. As 99 vidas
- Simplificar para viver mais.
10. SOS (Salve o social).
- Ambientalismo, Terceiro Setor, cidadania.
RELATÓRIO: EMPREENDEDORISMO NO
BRASIL – 2013
GEM: GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR
INSTITUTO BRASILEIRO DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE (IBQP)
Download

Empreendedorismo - UNEMAT – Campus de Sinop