2a. Jornada de ENFERMAGEM
Hospital Pilar
Cloves Amorim
PUCPR/FEPAR
Curitiba, 16 de agosto de 2008.
O PACIENTE ONCOLÓGICO E
A ATUAÇÃO DA EQUIPE
MULTIPROFISSIONAL
A MORTE E A EQUIPE
MULTIPROFISSIONAL
“A MORTE DO OUTRO
CONFIGURA-SE
COMO A VIVÊNCIA
DA MORTE EM VIDA”.
SENTIMENTOS FRENTE A
MORTE
1. Negação
2. Falso otimismo
3. Superproteção
4. Intelectualização
Conceito de morte
 “Ajudar os seres
humanos
morrerem em paz
é tão importante
quanto evitar a
morte”
(BAYÉS, 2001)
COMUNICAÇÃO
“A INFORMAÇÃO DEVE
CONSISTIR EM UM
PROCESSO E NÃO
EM UM ATO
ISOLADO OU
REPETIDO, DEVE
SER CONTÍNUA E
VERDADEIRA”
(BROGGI, 1995)
RACHEL A. MENEZES
 Em busca da
boa morte:
Antropologia dos
Cuidados
Paliativos.
 RJ: FIOCRUZ e
Garamond, 2004.
A principal qualidade
do profissional de
Cuidados Paliativos
é ser muito humano,
porque técnica pode
se aprender, a
humanidade não.
(MENEZES, 2004, p. 85)
 ” O profissional deve
respeitar seus limites e
conhecer suas
dificuldades. O
profissional que tenha
baixa auto-estima vai ter
dificuldades em trabalhar
em CP, porque vai
prevalecer a idéia de que
cada paciente é um
fracasso.”
“Precisa ter muito
amor no coração e
um grande preparo
psicológico, porque
senão tiver você
pode esfriar
profissionalmente”
(MENEZES, 2004, p. 92)
TRABALHO
TRIPALIUM
(latim)
SOFRIMENTO
PRAZER
BURNOUT
No Brasil, a Lei nº 3048/99
reconhece a Síndrome de
Esgotamento Profissional como
doença de trabalho, síndrome
esta entendida como sensação
de estar “acabado”.
O QUE LEVA AO
BURNOUT
1 - Características pessoais;
2 - Característica do trabalho;
3 - Características
organizacionais.
BIOÉTICA
 “E, DE ALGUM MODO, PELOS
CUIDADOS HUMANISTAS E
HUMANIZANTES, TODOS E CADA UM
DOS PROFISSIONAIS DA EQUIPE
ESTÃO SENDO LEVADOS A PRATICAR A
PSICOLOGIA”.
 MATHILDE NÉDER, (1996)
BIOÉTICA
PRINCIPIALISTA
1979
 AUTONOMIA
 JUSTIÇA
 BENEFICÊNCIA E NÃO MALEFICÊNCIA
AUTO-ESTIMA
Sentimento de valor que acompanha
a percepção que temos de nós, é a
resposta no plano afetivo de um
processo originado no plano
cognitivo.
Gosto de ser assim ou não?
(MOYSÉS, 2001)
A MORTE ÍNTIMA: Os que vão
morrer nos ensinam a viver.
“Quando um barco
desaparece no
horizonte, ele não
deixa de existir,
apenas a vista
humana não
alcança.”
(Hennezel, 1997)
Muito obrigado pela atenção!
Cloves Amorim
cloves.amorim@pucpr.br
clovesamorim@hotmail.com
Download

2ª Jornada de Enfermagem do Hospital Pilar