XV Encontro Nacional de Associações de Pais e
Pessoas com Fissura Labiopalatina
e/ou Deficiência Auditiva
XI Encontro da Rede Profis
FGA. MS. ELAINE CRISTINA MORETO PACCOLA
Coordenadora
Divisão de Saúde Auditiva, HRAC/USP
Bauru - 2015
O que é a audição??
A audição é um sentido de alerta que nos
auxilia em nossa própria defesa. Por meio dela
podemos ouvir a buzina de um automóvel ou um
alarme de incêndio.
Além disso, a audição é o principal canal pelo
qual a linguagem e fala são desenvolvidas,
permitindo que seja estabelecida a
comunicação.
Como ouvimos??
Parte Central
Parte Periférica
Orelha Interna
Cérebro
Orelha Externa
Tronco
Encefálico
Nervo
Auditivo
Orelha Média
Audição
É necessário integridade das estruturas:
orelha externa, média, interna e
estruturas centrais.
ALTERAÇÃO
DEFICIÊNCIA
AUDITIVA
O que é a Deficiência Auditiva?
Dificuldade de ouvir os sons ambientais
e/ou compreender a fala, em
decorrência de alterações no sistema
auditivo.
Quais os tipos de DA?
Condutiva
Sensorioneural
Mista
Central
Quais os graus da DA?
Audiograma
NORMAL (0-25 dB)
LEVE ( 26-40 dB)
MODERADO( 41-60 dB)
SEVERO (61 a 80 dB)
PROFUNDO
(acima de 81 dB)
Criança: 15 dB
Adulto: 20 dB
A deficiência
auditiva tem como
consequências
diversas
alterações na vida
dos indivíduos.
Características
Acometimento: unilateral ou bilateral;
Ocorrência: pré, peri ou pós-natal;
Causa: ambiental ou genética;
Transmissão: hereditária ou não;
 Parte lesionada: periférica e/ou central;
 Lesão: irreversível ou reversível;
Sem distinção: sexo, raça e idade.
 Sintomas: presentes ou ausentes;
 Instalação: súbita ou insidiosa;
 Evolução: progressiva ou estável;
  Capacidade auditiva: transitória/permanente;
 Limiar auditivo: permanente ou flutuante.
Causas
Como Prevenir??
• Crianças
Vacinação da mãe
Realização de pré-natal
Vacinação da criança
Detecção Precoce
Teste da Orelhinha
Como Prevenir??
• Adultos
Cuidado com medicamentos
Não exposição à ruídos
Cuidados com a saúde
em geral
Não estou ouvindo e agora??
LIBRAS
IC
AASI
MEDICAMENTO
FM
AASI
Deficiência Auditiva
Leve
Moderada
Severa
Profunda
Não é necessário
o uso de AASI
+ ACOMPANHAMENTOS E REABILITAÇÃO AUDITIVA
Fatores relevantes para o
prognóstico da DA








Época do aparecimento;
Época da detecção/intervenção;
Grau;
Diferenças individuais;
Reabilitação e metodologia;
Realidade sócio-econômica;
Escola;
Família.
Perda Auditiva
OMS (2015)
• 360 milhões de pessoas
no mundo tem Perda
Auditiva;
O problema está aumentando...
• 80% vivem em países
subdesenvolvidos e em
desenvolvimento.
Fonte: http://political.hear-it.org/page.dsp?page=1098
BRASIL
PERDA AUDITIVA
• Estimativa difícil de ser avaliada (carência de publicações na
área);
• 2 Estudos: BEVILACQUA, 2007; BÉRIA et al., 2007.
• Esperado de 4,8-6,8% de perdas auditivas incapacitantes;
• Demanda de adaptação de AASI: ao redor de 18 milhões de
pessoas (BEVILACQUA, 2008);
• Demanda está muito longe de ser atendida
Sistema Único de Saúde
(SUS)
Sistema único e integrado por uma rede
regionalizada de ações e serviços que visam a
redução do risco de doenças e o acesso
universal e igualitário da população para a
promoção, proteção e recuperação de sua
saúde.
(Lei Orgânica de Saúde, em 1990, com base no artigo
198 da Constituinte Federal de 1988)
Portarias Regulamentadoras
17 de setembro de 1993:
 Portaria nº 126 SAS/MS:
Implante coclear.
20 de outubro de 1999:
 Portaria nº 1278 GM/MS
Alta Complexidade
Hospitalar: Implante Coclear.
14 de novembro de 2000:
 Portaria nº 432
Alta Complexidade
Ambulatorial: AASI.
28 setembro de 2004:
 Portaria nº 2.073 GM/MS.
7 de outubro de 2004:
 Portaria nº 587 SAS/MS:
AASI
8 de outubro de 2004:
 Portaria nº 589 SAS/MS:
AASI.
Fonte: www.saude.gov.br (acesso rápido/assunto:SAS/Portarias)
Ministério da Saúde (2004)
POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO À
SAÚDE AUDITIVA
Portarias SAS 2004 e GM 2004
Institui a organização de programas nacionais de atenção a saúde auditiva
Atenção Básica
Média
Complexidade
Alta
Complexidade
Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva
Prevenção
Promoção
Avaliação
das Ações
Reabilitação
Diagnóstico
Dispensação
HA
Portarias Regulamentadoras
11 de maio de 2007:
 Portaria nº 308 SAS/MS:
AASI
3 DE MARÇO 2008:
 Portaria nº 389 GM/MS:
Redefine os Serviços de Atenção
à Saúde Auditiva.
24 DE ABRIL DE 2012:
 Portaria nº 793 GM/MS Alta
Institui a Rede de Cuidados à
Pessoa com Deficiência no
âmbito do Sistema Único de
Saúde.
25 DE JUNHO DE 2013:

Portaria nº 1.274 GM/MS:
Sistema de Frequência
Modulada Pessoal (FM).
18 DE DEZEMBRO DE 2014:

Portaria nº 2.776 GM/MS :
Incorpora procedimentos para
a Atenção Especializada às
Pessoas com Deficiência
Auditiva no Sistema Único de
Saúde.
Fonte: www.saude.gov.br (acesso rápido/assunto:SAS/Portarias)
Organização da Rede de Saúde Auditiva
no Brasil
Serviços de Saúde Auditiva
Envolve equipe multidisciplinar
No Brasil, mais de 60% dos AASI são concedidos via SUS
REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE AUTIVA
GESTORES
Nacional:
Ministério da saúde
Ministro
Estadual:
Secretarias Estaduais de Saúde
Secretários
Municipal:
Secretarias ou Diretorias Municipais de Saúde
Secretários e Prefeitos
Departamentos Regionais de Saúde
(DRS)
Secretaria Estadual de Saúde do Estado de São Paulo
Subdivisão 17 DRS
Bauru e região → DRS VI (68 cidades)
Serviços Credenciados na DRS VI
 Divisão de Saúde Auditiva do HRAC/USP - Bauru;
 Clínica de Fonoaudiologia da FOB/USP - Bauru;
 Hospital das Clínicas – UNESP – Botucatu.
Mapa geográfico DRS
DRS VI
(Bauru)
Divisão de Saúde Auditiva
(DSA)
Unidade do HRAC/USP (credenciada ao SUS)
que oferece atendimento à indivíduos com
deficiência auditiva (DA), realizando:





Diagnóstico audiológico;
Seleção, indicação e adaptação de AASI;
Reabilitação auditiva e vestibular;
Acompanhamento fonoaudiológico;
Pesquisa científica.
DSA
CREDENCIADA com 4 Equipes de Alta Complexidade



Programa desde 1985;
DRS VI ( 68 cidades) e Nacional
Pacientes matriculados ~ 37 mil; ~ 20 mil ativos,
~ 16 mil (ativos) do estado de São Paulo;
 Total de AASI adaptados até Março de 2015:
64.696
Origem dos Pacientes
25
RR
68
2
AP
65
PA
79
AM
16 AC
30
02
33
RO
122
TO
MT
50
MS
GO
MA
CE RN
PI
PB
PE
AL
SE
86 BA
DF 254
303
1367
MG
67
342
176
SP
RJ
ES
PR
SC
RS
30
12
15.553 446
89
18
15
96
21
DSA
SETOR DE APOIO
Análise
Agendamento
Faturamento
Recepção
Arquivo de prontuários
Laboratório
SETOR DE ATENDIMENTO
Médico ORL
Fonoaudiologia
Serviço Social
Psicologia
Genética
Como acessar a
Rede de Saúde
Auditiva??
Criança
Atenção Básica
Ambulatório de ORL
Suspeita de DA?
DRS
Adulto ou Idoso com dificuldade
de ouvir e/ou compreender a fala
Atenção Básica
Suspeita de DA?
DRS
Paciente com queixa de
dificuldade auditiva
Secretaria
Municipal de Saúde
• Atendimento
médico e
preenchimento do
Laudo, para emissão
da APAC
Unidade de Sáude
• Validação do
encaminhamento,
com assinatura e
carimbo no Laudo
• DRS : regulação do
Caso
• Secretaria
Municipal de Saúde:
contato com o
paciente
Serviço de
Audiologia
Obrigada!!
elainepaccola@usp.br
Download

Divisão de Saúde Auditiva, HRAC/USP