João Luiz Villas Boas Lemes
Engenheiro Ambiental
Supervisor de Produção Cooperlagos
AFINAL, O QUE É LIXO?
LIXO - Chamamos de lixo tudo aquilo que não nos
serve mais e jogamos fora. Os dicionários de língua
portuguesa definem a palavra como sendo: coisas
inúteis, imprestáveis, velhas, sem valor; aquilo que
se varre para tornar limpa uma casa ou uma cidade;
entulho; qualquer material produzido pelo homem
que perde a utilidade e é descartado.
O QUE É RECICLAGEM?
RECICLAGEM - É um conjunto de técnicas que tem por
finalidade aproveitar os detritos e reutiliza-los no ciclo
de produção de que saíram. E o resultado de uma série
de atividades, pela qual materiais que se tornariam
lixo,
ou
estão
no
lixo,
são
desviados,
coletados,
separados e processados para serem usados como
matéria-prima na manufatura de novos produtos.
COLETA SELETIVA
Sistema de recolhimento de materiais
recicláveis previamente separados na
fonte geradora
O SUCESSO DA COLETA SELETIVA
ESTÁ NA SENSIBILZAÇÃO E
CONSCIENTIZAÇÂO DA POPULAÇÃO
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
Informativo:
GERAÇÃO DIÁRIA DE RESÍDUOS:
Resíduos Domiciliares
345 toneladas
Resíduos de Saúde
5 toneladas
Resíduos de Construção
750 toneladas
1.100 toneladas / dia
Aproximadamente 200 caminhões de resíduos por dia
Obs: Não estão incluídos neste diagnóstico os resíduos
recicláveis coletados por catadores e resíduos industriais.
Trabalhando com os 3 “R”
1º “R”: REDUZIR
2º “R”: REUTILIZAR
3º “R”: RECICLAR

PAPÉIS:
O que separar?
Jornais, revistas, cadernos, panfletos, papelão, caixas, embalagens tetra
pak, papel sulfite, papel de fax, fotografias, envelopes, cartolinas.

PLÁSTICOS:
Garrafas PET, garrafas de água e de sucos, embalagens de produtos de
limpeza, de shampoos, vasilhas de margarina, copos descartáveis,
brinquedos, sacolas, embalagens de plástico mole (arroz, açúcar,
macarrão, biscoitos, salgadinhos), canos de PVC.

METAIS:
Latas em geral (tinta, alimentos, refrigerante), panelas, embalagens de
marmitex, fios, arames.

VIDROS:
Garrafas em geral (bebidas, suco, azeite), vidro de palmito, garrafão.

OUTROS:
Óleo de cozinha usado, isopor (apenas de embalagens de
eletroeletrônicos).
Tempo de decomposição de
alguns materiais recicláveis
PAPEL E PAPELÃO
LATA DE AÇO
EMBALAGEM LONGA VIDA
PLÁSTICOS
LATAS DE ALUMÍNIO
6 MESES
+ DE 100 ANOS
+ DE 100 ANOS
ATÉ 450 ANOS
DE 200 A 500 ANOS
ISOPOR
INDETERMINADO
VIDRO
INDETERMINADO
SACOS E SACOLAS PLÁSTICAS
+ DE 100 ANOS
Valores referenciais, pois o tempo de decomposição está diretamente
relacionado ao volume do material e as condições em que ele está
disposto no solo
CICLO DA COLETA SELETIVA
COMUNIDADE
NOVOS
PRODUTOS PARA
CONSUMO
COOPERATIVAS
DE
CATADORES
EMPRESAS
DE
RECICLAGEM
Vantagens da Coleta Seletiva
Redução dos materiais enviados aos aterros
sanitários
Vantagens da Coleta Seletiva
Redução da extração de recursos naturais
Vantagens da Coleta Seletiva
Geração de renda, através da inclusão social
COLETA SELETIVA
“Reciclando o lixo e
Transformando vidas”
Educação
Ambiental
junto aos
munícipes
Ensinando-os a
separar os
materiais
recicláveis
Coleta regular
porta a porta
Colaboração da
População
Carrinhos
dimensionados
para exigir
menor esforço
do catador
Transporte
do material
reciclável
dos Pontos de
Apoio para o
Barracão
Central
Ponto de Apoio
Jardim Nazareth – Avenida Sólon Varginha (2005)
Ponto de Apoio
Ponto de Apoio
Ponto de Apoio
Separação dos materiais
recicláveis
Prensagem dos materiais
Comercialização dos materiais
Atualmente são
comercializadas
80 toneladas /
mês
Endereço: Rua Dr. Cenobelino de Barros
Serra, 884 – Parque Industrial, São José do
Rio Preto.
Tel/Fax: (17) 3212-1530
Email: cooperlagosrp@yahoo.com.br
Download

palestra - clique aqui!!!