AVES DE RAPINA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL – EXPERIÊNCIA DA
HAYABUSA NO RIO GRANDE DO SUL
Denise Giani¹, Ana Paula Morel, Guilherme Cavalcante da Silveira, Julian Stocker Luiz
Laura Andréa Lindenmeyer-Sousa e Luiz Gustavo Trainini da Silva.
1
Hayabusa Consultoria Ambiental Ltda.
E-mail: denise@hayabusaambiental.com.br
Palavras chaves: rapinantes, cultura, sensibilização
Devido aos hábitos alimentares e comportamento predatório, as aves de rapina são,
historicamente, associadas à maus presságios. De acordo com trabalhos anteriores
(MENQ, W. (2013) Aves de Rapina Brasil – Corujas: entre lendas, mitos, deuses e
demônios. Disponível em: www.avesderapinabrasil.com/materias/corujas_crendices.htm),
as corujas e as águias são os grupos mais associado a lendas, com um histórico cultural
de associação ao azar. Por outro lado, muitos povos cultuam esses animais como
símbolo da busca pelo saber, fonte de proteção e inspiração. O objetivo desse trabalho é
descrever a experiência da Hayabusa Consultoria Ambiental LTDA. em atividades de
educação ambiental no sul do Brasil. As principais espécies de aves de rapina utilizadas
nos trabalhos de educação ambiental foram: gavião-asa-de-telha (Parabuteo unicinctus),
falcão-de-coleira (Falco femoralis), coruja-de-igreja (Tyto furcata) e jacurutu (Bubo
virginianus). Foram propiciadas situações de aprendizagem a fim de desmistificar lendas
e disseminar a importância das aves de rapina e da fauna nativa. O contato direto entre
público e aves, através de palestras, encontros e participações em eventos, foi a principal
metodologia utilizada. As atividades foram realizadas sob forma expositiva-dialogada,
valorizando e inserindo a cultura local e fatos cotidianos em debates, a fim de elucidar
dúvidas. Em outubro de 2014, indivíduos das espécies de rapinantes supracitadas
integraram atividades relacionadas ao “Dia da Ave”, uma parceria entre a Hayabusa e o
Parque Zoológico de Sapucaia do Sul (FZB/RS). As aves ainda participaram de outro
evento, realizado em uma escola municipal de São Leopoldo/RS, experiência realizada
com alunos de quarto ano. Posteriormente, os alunos confeccionaram um mural com
representações relativas ao aprendizado propiciado pela atividade. O mural contou com
desenhos de árvores, gaiolas abertas e a seguinte frase (citada durante a palestra):
“Querem ver pássaros nas suas casas? Plantem árvores, como pitangueira, que dá fruta
e serve de alimento”. A educação ambiental, principalmente relacionada à ornitologia e à
preservação da avifauna, é de extrema importância para o despertar do interesse e da
sensibilização em crianças. Atividades que envolvam a presença física de aves de rapina
são fundamentalmente importantes para forjar a imagem negativa associada a essas
aves. A transmissão do conhecimento científico de forma adequada pode auxiliar
mudanças de paradigmas culturais e, ainda, a mitigação de impactos antrópicos sobre a
comunidade de rapinantes.
Download

aves de rapina na educação ambiental – experiência da