Melhora do equilíbrio nos pacientes com doença de
Parkinson após treinamento motor e cognitivo
Pompeu, JE; Mendes, F; Modenesi, A; Oliveira, TP; Silva, KG; Zomignani, AP; Piemonte, MEP
Universidade de São Paulo – Faculdade de Fisioterapia – Laboratório de Aprendizagem Motora
Departamento de Neurociências e Comportamento
Introdução
A instabilidade postural é um dos sintomas mais incapacitantes da DP, uma vez
que leva à perda progressiva da independência dos pacientes nas atividades da
vida diária, pricipalmente nas tarefas de atenção dividida. Infelizmente, este
sintoma é o menos responsivo ao tratamento medicamentoso. A estratégia mais
efetiva para a melhora do equilíbrio de pacientes com doença de Parkinson ainda
não foi definida. Entretanto, é sabido que a deficiência no controle de respostas
automáticas, essenciais para o controle do equilíbrio, está associada à
instabilidade postural apresentada por estes pacientes, que são mais suscetíveis
à quedas durante o desempenho de tarefas de atenção dividida. Assim, um
programa de treinamento foi desenvolvido para a melhora do equilíbrio de
pacientes com doença de Parkinson, no qual as respostas automáticas de
equilíbrio serão estimuladas sob condições de alta demanda cognitiva.
Resultados
Figura 1. Escala de Equilíbrio de Berg
Figura 2. Unipedal Instance Test
Objetivo
O objetivo deste estudo foi comparar a eficácia do treinamento motor e cognitivo
versus o treinamento motor por si só para melhorar o equilíbrio e o desempenho
funcional em pacientes com doença de Parkinson (DP).
Método
Trata-se de um ensaio clínico cego randomizado no qual um programa de
treinamento foi concebido para melhorar o equilíbrio em pacientes com DP em
condições de alta demanda cognitiva.
Figura 3 Índice do Andar Dinâmico (IAD)
Figura 4 Postural Stress Test
Vinte pacientes com DP, com média de idade de 65,7 anos (DP = 8,24), 12
homens e 8 mulheres, nas fases I e II da doença, segundo a Classificação de
Hoehn e Yahr, sem sintomas de depressão e demência fizeram parte do
estudo.
Os pacientes foram divididos aleatoriamente em grupo experimental (GE), que
foi submetido a 14 (duas por semana) sessões treinamento motor e cognitivo
(TMC), ou grupo controle (GC), submetido a 14 (duas por semana) sessões de
treinamento motor (MT).
Ambos os tipos de treinamento foram precedidos por 30 minutos de exercícios
de mobilidade global.
Após o aquecimento, os pacientes do TMC treinaram atividades por meio do
videogame Nintendo Wii Fit Plus,composto de 10 tarefas diferentes que
exigiam ajustes posturais associados a tarefas cognitivas.
Conclusão
O TMC mostrou-se superior ao TM para melhorar os ajustes posturais
compensatórios e antecipatórios de pacientes com DP e promoveu melhor
equilíbrio durante a marcha.
Os pacientes do grupo TM permaneceram na mesma sala e foram submetidos
a exercícios com a mesma exigência motora do grupo TMC, mas sem tarefas
cognitivas associadas.
As seguintes medidas foram comparadas:
(1)Escala de Equilíbrio de Berg (EEB), para avaliar os ajustes antecipatórios;
(2)Postural Stress Test (PST), para avaliar os ajustes compensatórios;
(3)Índice do Andar Dinâmico (IAD) , para avaliar o equilíbrio durante a marcha;
(4)Unipedal Instance Test (UST), para avaliar o equilíbrio em apoio unipodal.
Ft. Ddo José Eduardo Pompeu
j.e.pompeu@usp.br
As avaliações foram realizadas antes do treino (AT) e 7 (DT) dias após o
término do treinamento. A análise foi feita por meio da ANOVA de medidas
repetidas e pós hoc test de Tukey.
www.postersession.com
Download

36x48 Vertical Poster