Simulações Clínicas na Web
para Treinamento de
Protocolos Clínicos
Renato M.E. Sabbatini, PhD
Núcleo de Informática Biomédica
UNICAMP
O Problema




O uso dos protocolos clínicos está rapidamente
se tornando a base principal da prática da
medicina baseada em evidência
Devido à complexidade dos protocolos, há a
necessidade de suporte computacional
A aderência aos protocolos é dependente da
intensidade e da eficácia do treinamento dos
profissionais clínicos no seu uso
A melhor maneira de aprender protocolos é
através do seu uso em resolução de problemas
A Proposta




Para aumentar a eficácia do treinamento em
uso de protocolos clínicos, implementar
simulações clínicas computadorizadas
A simulação incorpora os fluxogramas e as
regras de decisão do protocolo clínico
O aprendiz interage com a simulação, utilizando
essas regras em uma situação prática, sem
riscos para pacientes reais
O sistema também avalia o aprendiz e reforça o
aprendizado através de feedback imediato
Simulações Baseadas na Web





Acesso imediato e universal, uso em intranets e
na Internet
Interface GUI e navegabilidade bem conhecidas
e padronizadas, não necessitando treinamento
Fácil montagem de fluxos condicionais através
de hipertexto
Fácil e atrativa incorporação de recursos
multimídia (vídeo, áudio, imagens, etc.)
Incorporação de recursos de execução
distribuida (JavaScript, JAVA, etc.)
Trabalhos Anteriores






1983: Uso de simulação matemática de sistemas em
microcomputadores no ensino de fisiologia
1990: MEDTEST: um sistema para desenvolvimento de
simulações clínicas em computadores
1992: Uma linguagem e simulador para desenvolvimento
de sistemas de simulação clínica
1995: Simulações clinicas baseadas na Web para ensino
de cirurgia plástica craniofacial (Hospital Virtual Brasileiro)
1998: Aplicações da Internet no ensino a distância baseado
em computador
2000: Sistema genérico de autoria de simulações clínicas
baseadas na Web
Protocolos
Clínicos
AHCPR
Angina Instável: Objetivos
Clínicos (1)



For all patients, anti-ischemic therapy should be
instituted promptly in the ED as soon as a working
diagnosis of unstable angina is established.
Therapy should be directed toward relieving symptoms
and stabilizing the patient by preventing ischemic
complications, particularly recurrent unstable angina
The patient should be moved from the ED to the most
appropriate environment to monitor complications and
minimize psychological stress and cardiac work.
However, initial medical therapy in the ED should not be
delayed while triage arrangements are made.
Angina Instável: Objetivos
Clínicos (2)




Stabilization of acutely ill patients is the most urgent
initial objective.
Patients presenting with symptoms suggestive of
unstable angina who are stable, triage to the appropriate
care environment is the most important early task.
Determine whether the patient is having an acute MI and
has indications for thrombolytic or other reperfusion
therapy.
If initial evaluation makes clear that high-risk
characteristics are not present, it is reasonable to
address stabilization and triage of all patients as if they
were in a high-risk category.
Abordagem no Manejo


The initial evaluation of the patient with symptoms
suggesting possible unstable angina should be done by
a medical practitioner in a facility equipped to perform an
ECG and not over the telephone (strength of evidence =
B).
Patients with suspected unstable angina who have a
symptom duration >20 minutes, hemodynamic instability,
or recent loss of consciousness should generally be
referred to na ED. Other patients with suspected
unstable angina may be seen initially either in an ED or
in na outpatient facility at the discretion of the attending
physician (strength of evidence = C).
Simulação Baseada em
Protocolos





Os pontos de decisão obrigatória e facultativa do
protocolo são identificados e formulados
É montado um fluxograma de um caso clínico
representativo, em que os pontos de decisão são
representados na ordem correta
Alternativas incorretas, com as respectivas
conseqüências, também são representadas
Feedback, justificativas e explicações para cada ponto
crítico do protocolo são elaborados e inseridos
Possibilidades de retrocesso e reforma de decisão
Simulação Baseada em Protocolo
Paciente telefona e relata sintomas indicativos de angina instável
Fazer perguntas adicionais
Parece ser angina instável?
Sim
Remover para
Fazer ECG
Não
Informar paciente
Follow-Up
Não sei
Fazer perguntas
adicionais
Projeto em Andamento:
GuideLineWeb


Uso de simulações clínicas interativas baseadas
em protocolos como ponto central de cursos online para a Web, baseados na resolução de
problemas (PBL)
Acoplado a outras ferramentas de aprendizado
on-line:



Textos sobre protocolos clínicos em áreas
específicas de diagnóstico e tratamento
Recursos de informação para busca, localização e
construção de conhecimento pelo aluno
Interatividade on-line com o tutor
GuideLineWeb: Objetivos




Desenvolver um sistema shell que permita a criação
de simulações clínicas na forma de um conjunto
interligado de páginas em HTML
Implementar uma tecnologia simples de travessia
em profundidade
Permitir a colocação de imagens, glossário, links
para recursos na Internet, etc. através do hipertexto
Fácil de usar, centrado em base de dados
Execução de uma Simulação em
Hipertexto
Questão 1
Alternativa A
Alternativa B
Alternativa C
Conseqüência A
Questão 2 2
Resposta C C
Alternativa A
Alternativa B
Alternativa C
Cada tela é
um HTML
separado
Soluções para Geração de uma
Simulação na Web (1)

Simulação baseada em base de dados
dinâmica: travessia do fluxograma em
tempo real, com páginas geradas “on the
fly”


Vantagens: modelo genérico, elegância,
implementação de fluxos complexos,
facilidade de realização de mudanças
Desvantagens: necessidade de servidor de
BD, complexidade de implementação
Soluções para Geração de uma
Simulação na Web (2)

Simulação baseada em páginas estáticas:
geração das páginas “off-line” por um
software de gerenciamento


Vantagens: facilidade de utilização, rapidez
no processo de autoria, trabalho off-line, sem
necessidade de servidor de BD
Desvantagens: menor facilidade de
realização de mudanças, perda do acesso
dinâmico, necessidade de ter a ferramenta
Recursos Adicionais





Hipervínculos para artigos, sites, etc., que
complementam o aprendizado e permitem o
aprofundamento
Documentação da travessia (“tracking”) para
pontuação e documentação para o instrutor
(envio por email ou gravação em BD no
servidor)
Implementação de questionários de autoavaliação baseados na Web
Interatividade on-line com o tutor
Resolução em grupo
Avaliação do Aprendiz




Índice quantitativo de aderência ao protocolo,
identificação dos erros cometidos
Aplicação de questionários pré- e póssimulação, com correção automática
Reaplicação da simulação em caso de
desempenho abaixo de critério
Simulações com graus crescentes de
dificuldade
Conclusões



As simulações clínicas baseadas em protocolo
podem ser um excelente recurso instrucional
para aumentar a aderência a protocolos em
organizações clínicas
Podem também ser uma ferramenta adicional
de aprendizado em cursos a distância baseados
na Web
Sua adoção e utilização nos contextos clínicos e
educacionais é possivel apenas se existirem
ferramentas fáceis de autoria baseada em
protocolo
Endereço para Contato




Núcleo de Informática Biomédica
Universidade Estadual de Campinas
Caixa Postal 6005, Campinas, SP
CEP 13083-970
Email: sabbatin@nib.unicamp.br
WWW: http://www.nib.unicamp.br
Tel: (019) 3289-9800 ramais 141/129
Download

Simulações Clínicas na Web para Treinamento de Protocolos Clínicos