ESCOLAS E EMPRESAS:
JUNTAS FAZENDO A QUALIDADE PARA
O DESENVOLVIMENTO
DO BEM- ESTAR SOCIAL
Prof. Ernani Augusto Brescianini
e-mail: brescianini@uol.com.br
Parceria - O papel da Escola
Para que a parceria ocorra de forma efetiva, a Escola
tem que iniciar pela quebra de preconceitos, sendo
alguns deles:

à empresa somente interessam resultados e lucros;

a empresa irá explorar a Escola;

nossos objetivos são diferentes, não é possível a parceria;

a Escola irá se descaracterizar;

a empresa não entende “nada” de Ensino e Pesquisa;

a Empresa não procura a Escola para interagir.
Parceria - O Papel da
Empresa
Da mesma forma que a Escola tem os seus preconceitos
em relação à Empresa, a Empresa os têm em relação à
Escola. Vejamos alguns:

a Escola é burocratizada;

a Escola é desorganizada;

a Escola não tem os pés no chão;

a Escola não quer criar compromissos com o mercado;

a Escola é uma “Torre de Marfim”, inatingível;

a Escola não procura a Empresa para interagir.
C O N S E L H O D IR E T O R
(C O N E C T IV ID A D E )
D IR E T O R IA D A S
A T IV ID A D E S D E
E N S IN O
(C O M P E T Ê N C IA )
DEPTO.
E S P E C IA L IZ A D O
(C O N C E IT U A Ç À O )
D IR E T O R IA D E
RELAÇÕ ES
IN S T IT U C IO N A IS E
E M P R E S A R IA IS
(C O N E C T IV ID A D E )
DEPTO.
E S P E C IA L IZ A D O
(C O N C E IT U A Ç À O )
DEPTO.
E S P E C IA L IZ A D O
(C O N C E IT U A Ç À O )
D IR E T O R IA D A S
A T IV ID A D E S
A D M IN IS T R A T IV A S
(C O M P E T Ê N C IA )
DEPTO.
E S P E C IA L IZ A D O
(C O N C E IT U A Ç À O )
Missão da Escola de Educação
Profissional
 “Promover
a educação de
qualidade,
visando
ao
atendimento da demanda na
sua área, para a promoção
do bem-estar social.”
Missão da Diretoria de Relações
Institucionais e Empresariais
 “Promover
a
interação
Escola/Empresa/Comunidade
visando à melhoria constante
da Qualidade de Ensino.”
Objetivo Geral da Diretoria de
Relações Institucionais e
Empresariais

“Desenvolver
mecanismos
de
Interação
da
Escola
com
a
comunidade
visando
ao
fornecimento de subsídios às demais
Diretorias sobre a qualidade do
ensino ministrado na Instituição.”
Objetivos específicos da DIREI
Em relação à Empresa




Envolver a alta Direção das Empresas nas
atividades da Escola;
Ouvir os setores de Recursos Humanos das
Empresas quanto ao aspecto qualitativo da
mão-de-obra formada pela Escola;
Contar com a participação das Empresas
para validação dos Currículos dos cursos;
Propiciar a participação do maior número de
pessoal das empresas nas atividades da
Escola.
Objetivos específicos da DIREI
Em relação à Escola




Envolver a Direção da Escola nas atividades
de interação;
Contar com os Coordenadores, Orientadores
e Professores como agentes de Interação
Escola/Empresa;
Valorizar o professor, aumentando sua
participação no processo de Interação
Escola/Empresa;
Oportunizar aos Professores e Alunos a
participarem
em
Projetos
envolvendo
Empresas.
Objetivos específicos da DIREI
Em relação ao marketing





Cadastrar Empresas Locais;
Divulgar as atividades da Escola através
de Catálogos, Folders, etc.;
Contar com Professores, Alunos e
Coordenadores para divulgar as ações da
Escola;
Visitar o maior número de Empresas para
expor os objetivos da Escola;
Participar em Feiras e Exposições.
MECANISMOS DE
INTERAÇÃO
ESCOLA
X
EMPRESA
Conselho
Diretor
Visitas
Gerenciais
Dia da
Indústria
Mesas
Redondas
Seminário
Egressos
Disque
Escola
Núcleos de
Pesquisas
Cursos
Extraord.
ESCOLA
Empresa
no Ensino
Estágio
p/Alunos
Inovação
Tecnológica
Recrutamento
de Estagiários
pelas Empresas
Encontro
com RH’s
Incubadora
de Empresas
Estágio de
Professores na
Empresa
Pesquisas
Tecnológicas
Produção
Escolar
Monografia
na Empresa
Para reflexão

É necessário preparar a população
para a tecnologia da informação no
futuro. Caso contrário, os menos
favorecidos formarão uma subclasse
e não terão lugar de trabalho, a não
ser para serviços repassados dos
países
desenvolvidos,
com
remuneração mais baixa.
Tendências Emergentes
COLAPSO NA CIRCULAÇÃO DA
INFORMAÇÃO
 É o tempo compreendido entre a
descoberta e a aplicação. O motor a
vapor deixou de ser curiosidade
após dezenas de anos, para tornarse comercial. Hoje, as descobertas
transformam-se em produtos da
noite para o dia.
Tendências Emergentes
CRESCIMENTO DO MERCADO
GLOBAL
O
acesso
internacional
a
informações, mercados e serviços é,
hoje em dia, lugar comum (world
wide web).
 Faz-se necessário apreender uma ou
mais línguas estrangeiras.
 Não poderá mais existir o RM.
Tendências Emergentes
CHIPS PARA COMPUTADORES SEGUEM A LEI
DE MOORE
 Um chip de silício, do mesmo tamanho da unha
de seu polegar, poderá conter toda a
complexidade de um mapa completo de todas
as estradas americanas, com capacidade de
alterar o tráfego de uma auto-estrada em um
trilionésimo de segundo.
 A capacidade básica da tecnologia do silício
dobra a cada 12 meses e são mais poderosos
que os produzidos há poucos meses atrás.
Tendências Emergentes
A EDUCAÇÃO DEVE ENFOCAR NOVAS
COMPETÊNCIAS
 Além das habilidades básicas no que se
refere à língua escrita e falada e àquela
envolvendo o raciocínio matemático,
cada estudante deverá dominar os
“3C’s”:
COMUNICAÇÃO,
COLABORAÇÃO e CRIATIVIDADE NA
RESOLUÇÃO
DE
PROBLEMAS.
Precisamos ser eternos aprendizes.
Tendências Emergentes
A FLUÊNCIA TECNOLÓGICA É UMA
HABILIDADE BÁSICA
 Significa que podemos sentar diante de um
computador e usá-lo com a mesma facilidade
com que podemos ler um livro em nossa
língua nativa.
 Foi realizado estudo pelo Bureau de Trabalho
americano sobre 54 empregos e identificouse que 8 não necessitam da fluência
tecnológica - e nenhum paga mais que o
dobro do S. M.
Tendências Emergentes
A EDUCAÇÃO DEVE PREPARAR OS
ALUNOS PARA TRABALHOS QUE
AINDA NÃO FORAM
INVENTADOS
 A pessoa que projeta, cria e mantém
sites na world wide web é hoje muito
procurada e não existia há 5 anos
atrás. Tais pessoas adquiriram essas
habilidades por si próprias.
PARCERIA
CONFIANÇA
IDENTIFICAÇÃO
CULTURAL
CONVIVÊNCIA
DIÁLOGO
Agência para o Desenvolvimento do Ensino Técnico do Paraná
“Sua melhor aliança para o
desenvolvimento do ensino técnico
do Paraná”
A
PARANATEC
foi
criada
como
uma
sociedade civil sem fins lucrativos em 28 de
agosto
de
1995,
por
iniciativa
da
comunidade que atua com a educação
profissional e com o apoio do Governo do
Estado do Paraná.
Autoridades que criaram
Ministro da Educação
Governador do Estado do Paraná
Secretário de Estado da Educação do
Paraná
SENAI-PR
SENAR-PR
SENAC-PR
CEFET-PR
SEBRAE-PR
A PARANATEC busca a excelência em suas
atividades,
procurando
congregar
os
esforços do governo, das empresas e das
instituições de ensino, cooperando para
solucionar problemas ligados a educação
profissional.
Missão...
Contribuir para o desenvolvimento da educação
profissional de qualidade, integrando escolas,
empresas e comunidade, voltada ao atendimento
da demanda na área tecnológica, para a promoção
do bem-estar da sociedade.
Objetivos...
Integrar os principais agentes do desenvolvimento setor público, comunidade empresarial e instituições
do ensino público e privado - visando proporcionar
condições para a reformulação e o aperfeiçoamento
contínuo do ensino técnico no Estado do Paraná.
Finalidades...
Promover estudos para a reformulação do ensino técnico de
forma a direcioná-lo para as reais necessidades dos
usuários humanos.
Promover a formação e a capacitação de recursos humanos.
Promover
a
consolidação
dos
colégios
e
centros
profissionalizantes dos setores primário, secundário e
terciário, compatíveis com as vocações regionais.
Finalidades...
Incentivar
e
atrair
investimentos
voltados
para
o
desenvolvimento do ensino profissionalizante, bem
como identificar fontes de recursos.
Estimular,
assessorar
e
promover
a
informação,
transferência e desenvolvimento relativos à tecnologias
estratégicas para o ensino médio.
Promover a elaboração de estudos sobre a real situação da
infra-estrutura da rede física e sua racional utilização.
Estrutura SEED...
Empresas Vinculadas
Órgãos Vinculados
FUNDEPAR
PARANATEC
Secretária
CETEPAR
U. P.
CELEM
PR EDUCAÇÃO
CE PARANÁ
Diretoria Geral
Sup.GRH
DEB
EF - EM
Sup.GE
DEE
Sup.GIE
DEJA
Estrutura PARANATEC...
CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
CONSELHO
FISCAL
SUPERINTENDÊNCIA
Diretor
Diretor Adjunto
ASSISTENTE
CONSELHO DE
DESENVOLVIMENTO
TÉCNICO POLÍTICO
AUDITORIA INTERNA
ASSESSORIA JURÍDICA
GERÊNCIA
ADMINISTRATIVA / FINANCEIRA
GERÊNCIA DE
DESENVOLVIMENTO DA
EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
GERÊNCIA
PEDAGÓGICA
CONTADOR
EQUIPE
EQUIPE
EQUIPE
TÉCNICA
TÉCNICA
TÉCNICA
Conselho de Administração ...
SEED
SENAI-PR
SENAC-PR
SENAR-PR
SEBRAE-PR
CEFET-PR
IEL-PR
ANET-PR
CITPAR
SENAT-PR
A t i v i d a d e s ...

Gestão da Educação Profissional de Nível Técnico mantidos
pelo Poder Público Estadual.

Controle de todos os cursos técnicos ofertados no Estado,
com exceção dos mantidos pelo Poder Público Federal.

Movimentação financeira de programas da Secretaria de
Estado da Educação.

Consultorias relacionadas à educação profissional.
C o n s u l t o r i a s ...

Desenvolvimento e capacitação de recursos humanos
para a educação profissional.

Integração e interação escola/empresa/governo para o
desenvolvimento conjunto da educação profissional.

Desenvolvimento de projetos de gestão para a educação
profissional.

Desenvolvimento de currículos para cursos de educação
profissional.
CONCLUSÃO

Vivenciamos uma mudança acelerada
numa economia que, cada vez mais, se
globaliza. O desafio para nossas
escolas é colocado de modo claro por
Jack Welch, da GE, quando diz que: “Se
a taxa de mudanças dentro de uma
Instituição for menor do que a taxa das
ocorridas fora da mesma, o fim está à
vista”.
CONCLUSÃO

Escolas que ignorarem as tendências que
delineiam o amanhã, deixarão de ser
relevantes na vida de seus alunos e
rapidamente desaparecerão. Devemos
transformar todas as Instituições formais
de aprendizagem, da pré-escola até a
Universidade,
para
assegurar
que
estamos preparando pessoas para o seu
futuro - não para o nosso passado.
CONCLUSION
Empresa y Escuela tienen una función
común que condiciona la necessidad de
uma convivencia bien estrecha.
La Empresa es la experiencia, la Escuela es
la inteligencia y la conceptualización de
soluciones.
Juntas, Empresa - Escuela, constituyen las
entidades agentes y responsables para el
desarollo económico y social del país.
Download

ESCOLAS E EMPRESAS: