AUDIOVISUAL - ROTEIRO
Prof. Franthiesco Ballerini
www.franthiescoballerini.com
franthiesco@yahoo.com.br
O QUE É ROTEIRO?
“Uma história contada em imagens, diálogo e
descrição, dentro do contexto de uma estrutura
dramática”, Syd Field.
 “O roteirista está muito mais perto do diretor, da
imagem, do que do escritor. O roteiro é um
princípio de um processo visual, e não o final de
um processo literário”, Jean-Claude Carrière.

TRÊS ASPECTOS DO ROTEIRO
Logos – é a palavra, o discurso, a organização
verbal de um roteiro, sua estrutura geral.
 Pathos – é o drama, o dramático, a vida, a ação,
o conflito cotidiano que gera acontecimentos.
Dramas e tragédias pessoais, ou divertimento.
 Ethos – a ética, a moral, o significado último da
história, suas implicações sociais, políticas,
existenciais e anímicas. É a intenção, o que o
roteirista e diretor querem dizer. Pode ser uma
resposta ou várias perguntas. Ex.: linguagem
clássica (respostas), linguagem autoral
(perguntas).

ETAPAS DE UM ROTEIRO
Syd Field
 “Escrever um roteiro é um processo passo a
passo. Um passo de cada vez. Primeiro, encontrase um tema; depois, estrutura-se a ideia, em
seguida, definem-se os personagens; mais tarde,
procuram-se os dados que façam falta;
posteriormente, estrutura-se o primeiro ato em
fichas; então, escreve-se o roteiro, dia a dia. O
primeiro ato, o segundo, o terceiro. Quando o
primeiro rascunho está pronto, fazem-se uma
revisão profunda e as alterações necessárias para
o ajustar à dimensão adequada. Por último, é
preciso poli-lo até estar pronto para ser visto por
todos.”

IDEIA E CONFLITO
Ideia - uma ideia, fato, acontecimento que
provoca no escritor a necessidade de relatar. Mas
buscar uma ideia válida hoje não é fácil. Algo que
pareça novo, diferente de tudo que foi feito.
 Conflito – A base do trabalho do roteirista.
Enquanto a ideia é algo abstrato, o conflito deve
ser concretizado em palavras: fazer um esboço,
imaginar a história, começando por uma frase
que chama-se story line. Ela é a condensação do
conflito básico. Ex.: “A história conta o drama de
uma mulher que mata seus quatro filhos e depois
enlouquece”. Algo breve, conciso, eficaz, não
passando de cinco linhas.

PERSONAGENS
Quem vai viver esse conflito básico?
 Há teóricos que dizem que são os personagens
que dão origem ao conflito básico. Pode ser. Ex.:
personagens históricos, mitos, figuras religiosas.
 Personagem é o ponto de atenção mais imediato
do espectador. É preciso aprofundá-lo ao máximo
possível dentro do tempo e da ação.
 No papel, o personagem é desenvolvido através
da elaboração do argumento ou sinopse. Ex.:
“Minha história começa na Catalunha, ano 1000.
Arnau é um cavaleiro medieval, dono de terras,
que provoca a inveja dos outros nobres...o
cunhado tenta matá-lo”.

PERSONAGENS

Na sinopse, é importante descrever o caráter dos
personagens principais. Sinopse é o reino do
personagem, é ela quem vai viver essa história,
onde e quando a situamos.
AÇÃO DRAMÁTICA
Aqui é COMO vamos contar esse conflitos básico
vivido pelos personagens. É preciso construir
uma ESTRUTURA, momento de maior
criatividade do roteirista.
 Filmes são estruturados em sequências,
organizados em unidades de ação, compostas por
cenas. Estrutura é, portanto, a organização do
enredo em cenas.
 Os italianos chamam isso de escaletta.

TEMPO DRAMÁTICO
Algo muito relativo, mas também o segredo de
uma boa narrativa.
 Quanto tempo terá cada cena? Ao colocar os
diálogos nas cenas, começa-se a perceber quanto
tempo durará cada uma delas.
 Pronto isso, temos o PRIMEIRO RASCUNHO do
roteiro, que passará por várias revisões
posteriores.
 Atenção: a noção de tempo varia na linguagem
clássica, autoral europeia, oriental (japonesa),
televisão etc.

UNIDADE DRAMÁTICA
Aqui o roteiro está pronto para ser filmado.
 É quando o diretor vai trabalhar com o roteiro,
com as cenas. “Amanhã vamos rodar a cena 85”.
 Roteiro final é o guia de construção do produto
audiovisual.
 O Roteiro Literário e o Roteiro Técnico são
diferentes. Às vezes podem ser juntos. O Roteiro
Literário contém os pormenores para a
descrição da cena. O Roteiro Técnico contém
questões como luz, som, movimentos de câmera
etc.

TIPOS DE ROTEIRO (GÊNEROS)
Aventura – Ação, Mistério, Musical. Indiana
Jones, Pânico, Chicago.
 Comédia – Romântica, Musical, Infanto-Juvenil.
Se eu Fosse Você, Cantando na Chuva, Os
Trapalhões
 Crime – Psicológico, Ação, Social. Psicose,
Identidade Bourne, Capote.
 Drama – Romântico, Comédia, Melodrama.
Notting Hill, Amelie Poulin, Volver.
 Outros – Guerra, Terror, Animação,
Documentário.
 “Relativize a questão de gêneros”!

REFLEXÃO FINAL
Profundidade de personagem em:
 2 horas de filme Linguagem Clássica
 2 horas de filme Linguagem Autoral
 Franquia cinematográfica
 Série Televisiva


Exemplos, cuidados e dicas.
AULA PRÁTICA
Assistir a um trecho do filme ‘O Ano em que
Meus Pais Saíram de Férias’ (Cao
Hamburger).
 Identificar todos os itens citados em aula.
 Posteriormente, analisar estes itens e como
foram escritos no roteiro do filme (Coleção
Aplauso: livro-roteiro do filme).

Download

arquivo1 - franthiesco ballerini