Igreja Evangélica Assembléia de Deus
Penha - SC
Lição 11– 13 de Março de 2011
Prof. Sérgio Lenz – fone (47) 9932-6230 ou 9221-4433
E-mail: sergio.joinville@gmail.com
BLOG:http://cristianismoequilibrado.blogspot.com
MSN: sergiolenz@hotmail.com
“Porque o Espírito Santo e nós mesmos resolvemos não pôr
nenhuma carga sobre vocês, a não ser estas proibições que
são, de fato, necessárias: não comam a carne de nenhum
animal que tenha sido oferecido em sacrifício aos ídolos; não
comam o sangue nem a carne de nenhum animal que tenha
sido estrangulado; e não pratiquem imoralidade sexual."(1)
At 10:45
O objetivo de um concílio eclesiástico, convocado sob
orientação divina, é preservar a unidade da Igreja no
Espírito Santo e conservar a sã doutrina.
(1)
NTLH. Edição Eletrônica
Esboço da Lição:
1 – O QUE É
UM CONCÍLIO
2 –A
IMPORTÂNCIA
DO CONCÍLIO DE
JERUSALÉM
3–A
CARTA DE
JERUSALÉM
Deveriam os cristãos gentios observar os ritos
que os cristãos judeus ainda observavam?
As decisões deste concílio, no ano 48d.C. foram
fundamentais para que a Igreja nascente não se
tornasse uma mera facção judaica.
Vamos entender mais
sobre a construção deste
novo momento da igreja.
1.1 – Definição:
É uma reunião de representantes da igreja, cujo
objetivo é deliberar acerca da:
• fé
• doutrina
• costumes
• disciplina eclesiástica
1.2 – Os concílios no Antigo Testamento:
1.3 – Os concílios em o Novo Testamento:
1 – Reunião
para
definição
sobre quem
assumiria o
lugar de
Judas
Iscariotes.
2 – Reunião
para instituir
o ministério
do diaconato
e definir os
candidatos.
3 – Reunião
para discutir
o que os
judaizantes
poderiam
exigir dos
gentios
cristãos.
A 3. reunião dos apóstolos
foi conhecida como o
Concílio de Jerusalém e:
• Foi fudamental para a
sobrevivência da igreja
como “corpo livre não
judeu.”
• Foi decisivo para que o
evangelho chegasse até
nós nos dias de hoje.
2.1 – Convocação:
A convocação não foi
oficialmente predeterminada,
ao contrário, surgiu à partir
de uma contenda nascida na
postura judaico cristã versus
a liberdade cristã gentílica.
Ritual judaico da circuncisão
O tema surgiu naturalmente:
“Deveriam os gentios
observar também os
costumes e ritos judaicos,
incluindo a circuncisão?”
2.2 – Presidência:
Se a presidência foi de Pedro,
certamente a palavra
derradeira, aquela que
resolveu a questão, foi de
Tiago.
“Um bom conselho, dado na
hora certa, é tão valioso
quanto uma bandeja de prata
coberta de maçãs de ouro.”
Pv 25:11
2.3 – Debates:
Competência define-se pôr:
“Saber agir de maneira responsável, o que
implica em integrar, transferir conhecimentos,
recursos, habilidades, que agreguem valor
econômico à organização e valor social ao
indivíduo.” (Fleury 2000)
2.3.1 – História extraída da Midrash Shochar em Yalkut Simeoni, parte 1, folha 229,
acerca de uma das reclamações de Coré concernente ao jugo severo da lei:
Havia uma viúva em nossa vizinhança que tinha 2 filhos, orfãos de
pai. Ela possuía um campo. E quando começou a ará-lo, um
sacerdote veio e disse: “Não ararás com boi e com jumento juntos”.
Quando ela começou a semear o campo ele disse: “Não semearás o
teu campo com sementes diversas”. Quando ela começou a colher e a
reunir seus molhos, ele disse: “Deixa um punhado e os cantos do
campo semeado para os pobres”. Quando ela se preparava para pisar
o grão, ele disse: “Dá-me a oferta movida, bem como o primeiro e o
segundo dízimos”. Ela fez conforme lhe fora ordenado, e então
resolveu vender o seu campo. E com isso comprou duas ovelhas, a
fim de que pudesse vestir a si mesma e aos seus familiares com a lã,
e tirar algum lucro com os cordeiros. Quando elas produziram
cordeiros, Aarão veio e disse: “Dá-me os primogênitos, pois o Deus
santo e bendito disse: Todo o primogênito, que abre a madre, será
teu.”
Cf. CHAMPLIN, R. Norman. O NT Interpretado: Vs.por Vs.. São Paulo: Ed.Candeia. Vl 3, 10 ed., 1998, p.309.
2.3.1 – História extraída da Midrash Shochar em Yalkut Simeoni, parte 1, folha 229,
acerca de uma das reclamações de Coré concernente ao jugo severo da lei:
Ela cedeu as suas exigências, e lhe deu dois cordeiros. Ao chegar o
tempo de tosquiar as ovelhas, ele disse: “Dá-me as primicias da lã”.
Depois de a viúva ter feito assim, ela disse: “Não posso tolerar esse
homem; matarei minhas ovelhas e as comerei”. Mas quando ela matou
as ovelhas, Aarão veio e disse: “Dá-me o ombro, a queixada e o
ventrículo”. E a viúva disse: “Embora eu tenha abatido as minhas
ovelhas, não consegui livrar-me desse homem; portanto consagro tudo a
Deus”. Então, Aarão disse: “Tudo pertence a mim, pois o Deus Santo
disse: Tudo quanto for consagrado em Israel será dele, ou seja, dos
sacerdotes”. Por conseguinte, ele tomou as duas carcaças inteiras e se foi
embora, deixando a viúva e seus dois filhos orfãos avassalados de
aflição.
A respeito dessa história Adam Clarke diz: “Temos aqui um quadro
terrível da lei ritual mosaica; […] pôde ser dito: “… um jugo quem nem
nossos pais puderam suportar, nem nós…”
Cf. CHAMPLIN, R. Norman. O NT Interpretado: Vs.por Vs.. São Paulo: Ed.Candeia. Vl 3, 10 ed., 1998, p.309.
2.4 – O pronunciamento decisivo de Tiago:
O discurso de Tiago consiste em 3 pontos principais:
1. Dirigiu-se respeitosamente a todos indicando que desejava
uma solução pacífica e honesta que fosse interessante a
todos.
2. Em sua narração histórica, procurou abordar os pontos
fundamentais da discussão, para em seguida, juntar-se a
Pedro e Paulo no argumento de que a experiência era
superiora ao mero argumento acadêmico teórico.
3. Na conclusão ele propõe a isenção da observação dos rituais
judaicos, sem contudo abrir mão da necessidade de impor
algumas regras a fim de não haver escândalos em práticas
perniciosas ao evangelho.
3.1 – Da salvação pela graça:
O homem será salvo, ou seja, completamente redimido da força e
poder do pecado através transformação do corpo.
O homem está sendo salvo, à medida que progride na santificação,
estreitando assim os laços de amor com o seu Senhor.
O homem está salvo, pois o planejamento ocorreu na eternidade
e a execução ocorreu no calvário através de Cristo Jesus.
3.2 – Da comida sacrificada aos ídolos:
Interessante observar em Paulo:
•Escreveu aos Coríntios (predominantemente gentios) que não
deveriam perguntar donde vinha a carne a ser consumida com ações
de graças.
•No concílio de Jerusalém, Paulo cedeu às suas afirmações e aceitou
que não se deveria comprar e consumir as carnes que eram
negociadas nesses mercados.
•Escreveu aos Romanos (misto de judeus e gentios), e recomenda a
não comer carne, se isto escandalizar o seu irmão…
Às vezes é preciso perder para ganhar, ou, é melhor perder na paz do
que ganhar na guerra, pois o uso de todas estas coisas se perderão.
3.3 – Da ingestão de sangue e de carne sufocada:
•De um lado, existia a recomendação para não fazerem
mais como os gentios ainda faziam, ou seja, ingeriam o
sangue misturado a vinho nos sacrifícios ou preparavam
diversos pratos com sangue, inclusive a própria carne
sufocada no mesmo.
•Por outro lado havia a recomendação para não causar
escândalo com os irmãos vindo do judaísmo ou
novos/fracos na fé.
•De qualquer maneira, passados os tempos, a proibição
continua válida em diversas comunidades, mesmo
havendo acabado o problema do cristianismo judaizante.
3.4 – Das relações sexuais ilícitas:
A verdade da questão,
entretanto, é que a fornicação
e todos os vícios sexuais do
gentios eram reputados por
eles como indiferentes. O
código moral dos gentios era
revoltante para os judeus, e a
igreja cristã procurou, através
dos conselhos de Tiago, nivelar
um pouco melhor esse código.
Que o exemplo dos santos apóstolos mova a
Igreja de Cristo a livrar-se de toda briga local, a
fim de mostrar a sua vocação universal e eterna.
O mesmo Espírito que dirigiu o Concílio de
Jerusalém faz-se presente no meio de seu povo,
inspirando os ministros do Evangelho a tomarem
decisões de conformidade com a Bíblia Sagrada.
Interessante, o concílio convocado para combater
o legalismo judaizante tornou a Igreja de Cristo
19
mais santa e pura.
Download

O Primeiro Concílio da Igreja de Cristo