Intercambialidade Biossimilares
Andre Abrahão, MD
São Paulo, 18 de Agosto de 2015
Conflito de Interesse
Diretor Médico da Merck
Intercambialidade
Interchangeable
(of two things) capable of being put or used in the place of each other:interchange
able symbols.
2.(of one thing) capable of replacing or changing places with somethingelse:an inte
rchangeable part.
dicionary.com
Intercambiável
Significa que duas coisas diferentes podem ser usadas alternadamente com o
mesmo propósito sem o que o resultado seja prejudicado.
dicionario.com
3
Produtos Biológicos e suas aplicações
terapêuticas
Vacinas
Terapias
celulares
Interferons
Hormônios/
Produtos
Biológicos
Proteínas
recombinantes
Anticorpos
Monoclonais
Hormônios
Terapias
genéticas
Biológicos Revolucionando diversas
áreas, principalmente doenças crônicas
Reumatologia
Oncologia
Sistema Nervoso
Gastroenterologia
Dermatologia
Biossimilares: Tema complexo
Diferenças entre produtos biológicos
e sintéticos
Biológicos
Sintéticos
Tamanho1
Alto peso molecular
Baixo peso molecular
Estrutura1
Complexa
Simples
Heterogêneo
Homogêneo
Estabilidade1
Instável – sensibilidade no processo, composição e
armazenamento
Relativamente estável
Manufatura2
Produzido em células-vivas
Sínteses químicas simples e bem
definidas
Alta complexidade nos testes
Processos bem definidos e mais simples
Heterogeneidade1
Caracterização3
1 – Declereck. Generics and Biosimilares Initiative Journal 2012;1:13-62 – Kelly and Mir. BMJ 2009;339:666-93-EMA. Q&A on biosimilar medicines (similar medicinal products). 27 Sept 2012
Custos e implicações de tratamentos com
produtos biológicos
 A adoção de produtos biológicos está aumentando a pressão sobre os profissionais de
saúde1
 Tratamentos com produtos biológicos são geralmente mais caros do que drogas
sintéticas1
 Complexidade de manufatura, altos custos de pesquisa e desenvolvimento, alta
barreira mercadológica são fatores que fazem o custo dos biológicos serem altos1
 Escolha do tratamento acaba sendo restrito ao aspecto financeiro do paciente.
 Dados de custo-efetividade dos produtos biológicos ainda precisam ser mais estudos2
Necessidade de um tratamento mais acessível a população
8
1 – Kelly and Mir. BMJ 2009;339:666-9
2- Beresniak et al. Clin Exp Rheumatol 2013;31:400-8
O que é um Biossimilar?
O que é um biossimilar:
São medicamentos similares a um medicamento biológico que já
obteve autorização (registro) para comercialização como medicamento
de referência biológico e com os quais foram comparados em termos de
qualidade, segurança e eficácia caracterizando a biossimilaridade.
9
Reflexões
• São cópias (cópias são geralmente mal aceitas)?
• Os testes não são suficientes?
• Falta informação sobre eficácia e segurança a longo
prazo ?
• O SUS e os planos de saúde vão adotar para
economizar os custos?
10
Comprovação da Biossimilaridade
Plano de farmacovigilância e
demonstração de eficácia com perfil
segurança comparável em pacientes
(modelo sensível) e avaliação de
imunogenicidade
Comparabilidade PK e PD (humanos)
Ensaios in vivo e in vitro para confirmação de
biossimilaridade e toxicidade (inclusive em
animais)
Extensa caracterização molecular e
atividade biológica – comparabalidade
da estrutura e qualidade do produto
Informações Completas
1
1
R. Alten,B.N.Cronstein/SeminarsinArthritisandRheumatism44(2015)S2–S8
Diferenças entre produtos
biossimilares e genéricos
Biológicos
Sintéticos
Tamanho1
Alto peso molecular
Baixo peso molecular
Estrutura1
Complexa
Simples
Heterogêneo
Homogêneo
Estabilidade1
Instável – sensibilidade no processo, composição e
armazenamento
Relativamente estável
Manufatura2
Produzido em células-vivas
Sínteses químicas simples e bem
definidas
Alta complexidade nos testes
Processos bem definidos e mais simples
Biossimilares
Genéricos
Similar, mas não idêntico ao produto de referência
Cópias idênticas ao produto referência
>140 milhões de Euros
1-3 Milhões de Euros
Heterogeneidade1
Caracterização3
Similaridade ao produto
de referência3
Custo estimado para
desenvolvimento3-4
1
2
1 – Declereck. Generics and Biosimilares Initiative Journal 2012;1:13-6
2 – Kelly and Mir. BMJ 2009;339:666-9
3 – EMA. Q&A on biosimilar medicines (similar medicinal products). 27 Sept 2012
4 – Generics and Biossimilares Research. Available at:
www.gabionline.net/Biosimilars/Research/Small-molecule-versus-biological-drugs
Intercambialidade
• Para ser considerado intercambiável pelo FDA o biossimilar deve atender as
seguintes condições:
• O medicamento é biossimilar ao produto de referência
• Deve se esperar o mesmo resultado clínico que o produto de referência em
qualquer paciente
• Os riscos relacionados a eficácia e segurança de produtos administrados
repetidamente ou com alternâncias de produtos (referência e biossimilar) não
podem ser maior do que os riscos do uso do produto de referência sem
alternância.
• O medicamento intercambiável pode ser substituído pelo referência sem a
intervenção do HCP
BPCI act.
•
Lei de 2009 aprovada pelo congresso americano dividindo os biossimilares em duas
categorias: Os Biossimilares e os Intercambiáveis
Biossimilares
Intercambiáveis
•
Comprovou biossimilaridade
•
Comprovou biossimilaridade
•
Não pode ser substituído
automaticamente – prescrição específica
•
Pode ser substituído automaticamente –
prescrição não específica
•
Necessidade de maiores esforços de
marketing
•
Menor necessidade com relação ao
marketing
•
Não há proteção contra outros
competidores no mercado
•
Proteção contra competição prevista em lei
•
A intercambialiadade não é um prerequisito para biossimilaridade
•
Maior custo de desenvolvimento devido a
necessidade de realização de estudos de
intercambialidade
http://www.fda.gov/Drugs/GuidanceComplianceRegulatoryInformation/Guidances/default.htm
Intercambialidade
Biologics Price Competition and Innovation Act of 2009
‘‘(B) INTERCHANGEABILITY.—An application (or a supplement to an application) submitted under this subsection may include
information demonstrating that the biological product meets the standards described in paragraph (4).
‘‘(3) EVALUATION BY SECRETARY.—Upon review of an application (or a supplement to an application) submitted under this
subsection, the Secretary shall license the biological product under this subsection if—
‘‘(A) the Secretary determines that the information submitted in the application (or the supplement) is sufficient to show that
the biological product— ‘‘(i) is biosimilar to the reference product; or ‘‘(ii) meets the standards described in paragraph (4), and
therefore is interchangeable with the reference product; and
‘‘(B) the applicant (or other appropriate person) consents to the inspection of the facility that is the subject of the application, in
accordance with subsection (c).
‘‘(4) SAFETY STANDARDS FOR DETERMINING INTERCHANGEABILITY.—Upon review of an application submitted under this
subsection or any supplement to such application, the Secretary shall determine the biological product to be interchangeable
with the reference product if the Secretary determines that the information submitted in the application (or a supplement to
such application) is sufficient to show that—
‘‘(A) the biological product— ‘‘(i) is biosimilar to the reference product; and ‘‘(ii) can be expected to produce the same clinical
result as the reference product in any given patient; and
‘‘(B) for a biological product that is administered more than once to an individual, the risk in terms of safety or diminished
efficacy of alternating or switching between use of the biological product and the reference product is not greater than the risk
of using the reference product without such alternation or switch.
http://www.fda.gov/downloads/Drugs/GuidanceComplianceRegulatoryInformation/ucm216146.pdf
15
NOR-Switch Trial
1
6
Presentation title in footer | 00 Month 0000
NOR-study
• Desenho de estudo para avaliação da intercambialidade
bancado pelo governo da Noruega. Caso do Remicade com
altos custos para o sistema de reembolso nacional.
• Estudo onde um braço troca de tratamento (biossimilar →
referência → biossimilar) e controle é mantido no mesmo
tratamento.
• Existiriam riscos maiores no tratamento alternado relativo a
perda de eficácia e possível aumento de questões relativas
a segurança (imunogenicidade) , além de questões éticas
envolvidas para comprovar intercambialidade.
17
Reembolso e Viabilidade de Política
de Saúde
• Processo de Aprovação de Biossimilares Noruega
Noruega: Reembolso completo para doenças crônicas
18
O que diz cada agência sobre
Intercambialidade?
Ainda em discussão
sobre aceitação da
intercambialidade,
contudo o
posicionamento
atual é que o
produto apenas será
considerado
intercambiável caso
seja demonstrado
por estudos clínicos
para esta finalidade
1
9
Decisão da
intercambialidade
entre os
biossimilares e os
biológicos de
referência será uma
decisão individual de
cada país e não do
EMA
A Agência
Canadense não
declara
intercambialidade
entre biológicos e
biossimilares. A
decisão é clínica
O FDA pode designar
um biossimilar como
intercambiável com
o biológico de
referência mas a
decisão sobre
substituição fica a
cargo de cada estado
americano.
Questões chaves para
intercambialidade
• Apesar de não ser um requerimento para o exercício da
comparabilidade ainda é necessário maiores informações sobre
intercambialiadade.
• Os estudos para avaliação da intercambialidade são complexos e de
difícil execução. É necessário uma reavaliação e maior flexibilidade
nos desenhos de estudos de acordo com a molécula e a indicação,
• A imunogenicidade é um fator inerente a produtos biológicos tanto o
referência quanto o biossimiliar, contudo é preciso avaliar o impacto
da imunogenicidade entre alterar o tratamento (switch) e não alterar.
• Entender melhor a relação entre a extrapolação das indicações e
intercambialidade. O biossimilar é intercambiável para todas?
• Como será feita a farmacovigilância? Nomenclatura do produtos (INN)
20
Conclusões
• A intercambialidade é um tema relevante e precisa de uma evolução e
decisão.
• Importa em termos de Saúde Pública e Acesso.
• Decisão compartilhada entre medico e paciente
• Independente de ser referência ou biosimilar, o importante é garantir a
eficácia e principalmente a segurnaça = qualidade
• Estudos de intercambialidade são difíceis, longos, muito caros e com
muitos pacientes seriam inviáveis.
• Agências devem levar em consideração estes pontos para avaliação da
intercambialidade, evitando qualquer barreira comercial.
21
André Abrahão
Medical Director Merck
andre.abrahao@merckgroup.com
Download

Intercambialidade - IPD