Pesquisa e Desenvolvimento
de um Ambiente Virtual
de Tecnologia Educacional
para Docentes Universitários
(AVTE)
Miriam Struchiner
Laboratório de Tecnologias Cognitivas
Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde - NUTES
Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
Contextualizando
Educação na Sociedade da Informação
Situação Atual e Desafios
• Acelerado processo de mudanças:
transformação social, cultural e
tecnológica - novas organizações
e processos de trabalho, novas
necessidades educacionais
• Crise de excesso de produção de
conhecimentos; “Nevoeiro
informacional”: acúmulo de
informação, subinformação e
pseudoinformação (Morin, 1981)
• Não terminalidade do processo de
formação - aprender ao longo da
vida; generalização do público alvo
• Preparar indivíduos para enfrentar
situações em constante renovação
de forma crítica e reflexiva: novos
instrumentos e processos
• Estimular “aprender a aprender” - o
saber é agradável e a ignorância
uma constante. Novas
competências, habilidades e
autonomia
• Romper barreiras: espaço, tempo,
conteúdos, modelos e estratégias
de aprendizagem - abertura e
flexibilização do processo educativo
Tendências na Orientação da Formação
• De competências individuais
• Da memorização de conhecimentos
• Da assimilação de conhecimentos
• Do foco no conhecimento
enciclopédico
• Do foco no ensino
• Da resposta imediata e pontual
• De objetivos baseados em conteúdos
•A competências coletivas e institucionais
•Ao desenvolvimento cognitivo
•À sua aplicação na resolução de problemas
•Ao foco no conhecimento fundamental
•Ao foco na aprendizagem
•Ao impacto, a longo prazo
•A objetivos baseados em processos e
competências
• De eventos isolados, pontuais e finais •A processos permanentes e contínuos
•Ao compromisso dos atores, da instituição
• Do compromisso exclusivo dos
e da gerência
aprendizes
• Da avaliação centrada em resultados •À avaliação de processos
Tecnologias Educacionais
Avanços Tecnológicos e Conceituais
• Formas de representação
(integração)
• Simulações e instrumentos de
análise dos fenômenos aproximar o conhecimento da
experiência e da vida
• Interatividade e comunicação
• Ferramentas multimídia e
telecomunicações
• Relação espaço-tempo
• Facilidade de utilização
• Novos paradigmas sobre
conhecimento e aprendizagem
• TEs como elementos de
questionamento e “subversão”
do status quo: instrução X
aprendizagem.
• Necessidade de adotar um
enfoque pedagógico claro e
consistente
Tradição Acadêmica
• Ensino centrado na transmissão e
reprodução do conhecimento
(conteúdo)
• Produção de conhecimento e
questionamento do professor X
certezas da sala de aula
• Ensino e aprendizagem baseados
na “cultura da avaliação”
• Docente como figura central (fonte
e gerência) - agente de mudança
• Melhoria da qualidade do ensino
associada à técnica/instrumental
de ensino X reflexão sobre seu
conhecimento e valores sobre o
processo educativo
• Inovações tecnológicas pouco
associadas a mudanças
qualitativas no ensino, mas à
pesquisa
• Pouco intercâmbio, em geral; e
sobre práticas educativas, em
• Inovações como iniciativas isoladas
especial
e não como base para
• Pouco acesso a informações e
transformações significativas
recursos inovadores
Pressupostos
• Recursos estão disponíveis (conhecimentos, informações e ferramentas),
que podem contribuir para a melhoria da qualidade do ensino, se
integrados reflexivamente no que diz respeito às práticas educativas, às
necessidades de formação dos alunos e à natureza dos conhecimentos
envolvidos nas disciplinas.
• Novas práticas só serão possíveis, se docentes do ensino superior
decidirem incorporá-las, alavancando e contribuindo para mudanças na
cultura acadêmica.
• Tempo disponível dos docentes para buscar informações e integrar novas
abordagens e/ou tecnologias de ensino é insuficiente: sobrecarga em sala
de aula e demanda para produção acdêmica.
• Qualquer inovação no âmbito do ensino deve estar ao alcance, ser
passível de rápida e simples observação e/ou experimentação e não
configurar alta complexidade para sua incorporação.
Pressupostos
• Um processo de educação contínua para docentes só será possível se
estiver ancorado ao cotidiano docente e gerar produtos aplicáveis, para
sua real avaliação, compreensão em contexto de trabalho.
• As ofertas de formação continuada no campo da educação são, em geral,
conteudistas e não levam em conta a experiência e conhecimento dos
docentes em suas práticas (como estudantes e como docentes)e pouco
aceitas; estes consideram seus conhecimentos de conteúdo e suas
experiências discentes e docentes, o suficiente para a prática de ensino.
• Os cursos de atualização docente devem levar em conta estas limitações e
buscar linguagens adequadas, fugindo do tradicional “pedagogês” que
não dialoga com o professor e que, na verdade, o considera como uma
tábua rasa.
• A busca de um modelo de formação permanente e em serviço de docentes
do ensino superior, exige experimentação e análises e configura-se como
um desafio, por toda história da docência de nível superior e toda a cultura
acadêmcia (pesquisa X ensino X serviço).
AVTE: proposta
Utilizar as NTICs para desenvolver um Ambiente Virtual de Tecnologia
Educacional para docentes universitários oferecendo recursos, materiais,
cursos e espaço para o intercâmbio de idéias e experiências que
contribuam para mudanças qualitativas no processo educativo na
universidade.
Pretende-se apoiar a construção e hospedagem de uma comunidade virtual
formada por docentes universitários da área da saúde e pesquisadores em
educação e tecnologia educacional.
- Construir uma linguagem compatível e adequada, que permita estabelecer uma
comunicação produtiva e que contribua para o desenvolvimento do trabalho
docente.
- Levar em conta conhecimentos, experiências e valores dos professores sobre
ensino-aprendizagem.
- Levar em conta o pouco tempo disponível para atividades de atualização em
ensino.
- Desenvolver uma atividade, onde após seu processo os docentes participantes
tenham produtos concretos que poderão utilizar
AVTE
Aspectos Metodológicos e Conceituais
Ambiente Virtual de Tecnologia Educacional
Conceito de Ambientes de Aprendizagem
• Ambiente = local, espaço onde ocorre a aprendizagem (lugar aberto)
– utiliza ferramentas
– recebe orientação e suporte
– interage com outras pessoas
Ambiente de aprendizagem (flexível) X de ensino (estruturado,
controlado, diretivo)
Comunidades de aprendizagem - processo social construído por
meio do diálogo, da participação e da colaboração (Wilson, 1996)
Ambientes de Ensino-Aprendizagem
Principais Elementos
Segundo Perkins (1993), todo ambiente de aprendizagem possui os
elementos abaixo. A combinação e ênfase dada aos elementos
configura diferentes abordagens - construtivista ou objetivista:
• Bancos de Informação: fontes de informação/conhecimento
• Blocos de Notas (Symbol Pads): espaço para o aluno
registrar as informações recebidas ou pesquisadas
• Phenomenaria: oferece exemplos e demonstrações de
fenômenos
• Kits para Construção: problemas, projetos, laboratórios
• Ferramentas de Gerência: para organizar, monitorar e avaliar
Concepção da experiência dos participantes
• O processo de aprendizagem em EAD deve ser entendido como
um processo de construção dos participantes, com base em:
suas próprias vivências e experiências prévias
interações com ferramentas
interações/negociações de significados, experiências e
conhecimentos de outras pessoas envolvidas; colaboração.
• O participante deve ter acesso garantido a informações, materiais
educativos de qualidade, a pessoas com diferentes níveis e tipos de
experiência nas questões abordadas, num ambiente propício ao
questionamento, autonomia e voz e à troca, bem como à orientação
construtiva.
Modelo Conceitual do Processo da Atividade
Ferramenta
Sujeito
Objeto
Produção
Regras
Comunidade
Org. do Trabalho
(modificado a partir de Jonassen e Rohrer-Murphy (1999)
e de Hung e Wong (2000))
AVTE
Internet no Ensino Superior:
recursos e aplicações
Internet no Ensino Superior:
recursos e aplicações
Informações iniciais
Perfil dos Participantes
Participantes por Faixa Etária
4
3
20 - 29
30 - 39
40 - 49
12
50 - 59
12
Atividade Profissional
12
14
12
10
8
6
4
2
0
8
4
1
N/
Re
sp
on
de
u
on
it o
r
1
M
so
rT
it u
la
r
En
fe
rm
ei
ra
Es
ta
gi
ár
io
dj
un
to
Pr
of
es
lia
r
so
rA
ux
i
Pr
of
es
so
rA
ss
is
te
nt
e
1
Pr
of
es
so
rA
Pr
of
es
3
1
Perfil dos Participantes
No. de Professores(as)
Tempo de Experiência no Ensino
Superior
16
14
12
10
8
6
4
2
0
14
11
6
Área de Atuação
4
9
3
menos de 5 anos
entre 5 e 15 anos
mais de 15 anos
1
6
1 2
Enfermagem
Gestão em Saúde e RH
Educação Física
Saúde Coletiva
Ciências Biológicas
3
2
Informática
Medicina
Ciência da Informação
Odontologia
Perfil dos Participantes
Número de Professores(as)
Tempo que Utiliza a Internet
30
26
25
20
15
Freqüência que Acessa a Internet
10
5
2
3
Semanal
n=2
0
Menos de 2 anos
Entre 2 anos e 4
anos
Mais de 4 anos
Diariamente
n=29
Perfil dos Participantes
Local de onde acessa a Internet
16
14
12
10
8
6
4
2
0
15
13
3
Casa
Universidade
Casa e
Universidade
Recursos que costumam utilizar da Internet
www
31
e-mail
31
chat
5
fóruns
16
ftp
25
comércio eletrônico
13
Página Pessoal
8
Outros (T utoria,Videoconferência, Cursos) 3
Perfil dos Participantes
Uso da Internet
no Contexto Educacional
Não
n=1
Não
Respondid
n=2
Em termos
n=2
Sim
n=26
Laboratório de Tecnologias Cognitivas
NUTES/UFRJ
LTC@nutes.ufrj.br
http://ltc-ead.nutes.ufrj.br
Download

AVTE - (LTC) de NUTES