PET-Saúde 2009
Relatório de atividades dos primeiros 6 meses
dos 5 grupos de PET-Saúde da UFCSPA
Outubro 2009
PET-Saúde 2009
1. Projeto: Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde – PET - Saúde
2. Instituição de Educação Superior proponente: Universidade Federal de Ciências da Saúde de
Porto Alegre
3. Secretaria Municipal de Saúde proponente: Porto Alegre
4. Coordenador do Projeto: Maria Eugênia Bresolin Pinto
5. CPF do Coordenador: 539464300/82
6. E-mail do Coordenador: eugenia@ufcspa.edu.br
7. Cursos ou programas envolvidos:
a. Graduação em Medicina
Semestre(s): (x)1° (x) 2° ( )3° ( ) 4° ( )5° ( )6° ( )7° ( )8° ( )9°( )10° ( )11° ( )12°
b. Graduação em Nutrição
Semestre(s): ( )1° ( )2° ( )3° ( )4° (x)5° (x)6° ( )7° ( )8°
c. Graduação em Biomedicina
Semestre(s): ( )1° ( )2° (x)3° (x)4° ( )5° ( )6° ( )7° ( )8°
d. Graduação em Enfermagem
Semestre(s): (x)1° (x)2° ( )3° ( )4° ( )5° ( )6° ( )7° ( )8°
8. Numero do Projeto: 25000.219505/2008-32
INTRODUÇÃO
A Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) atualmente
compreende que a universidade deve estar cada vez mais voltada a desenvolver atividades de
extensão e curriculares em cenários de atividades que reflitam a realidade da prática profissional.
Pode-se dizer, ainda, que o objetivo consiste em estimular que o aluno transponha os muros da
instituição, amplie e enriqueça a sua visão sobre a realidade social a qual está inserido. Assim, a
UFCSPA tem como missão “Atuar no desenvolvimento, na difusão e na promoção de conhecimento
integrado em saúde, comprometendo-se com uma educação pública de qualidade e com a formação
de profissionais das Ciências da Saúde éticos, conscientes e responsáveis pelo desenvolvimento
humano, sócio-econômico, cultural e tecnológico. A partir da ação interdisciplinar no ensino, na
pesquisa e na extensão, comprometer-se ativamente com a qualidade da vida do indivíduo, da
população e com a preservação do ambiente”.
O atual projeto PET-Saúde da UFCSPA teve 5 grupos aprovados, sendo um deles vinculado
ao Curso de Biomedicina e 4 vinculados ao projeto chamado Seminário Integrador I. Este
relatório relata as atividades destes grupos desenvolvidas no período de março a outubro de 2009.
Desde o inicio do processo de trabalho o número de interessados em participar dos projetos foi
superior ao ofertado, sendo que existe lista de espera para participação de monitores, assim como
profissionais da rede de APS de Porto Alegre interessados em participar. Na tabela 1 esta
discriminado o numero de participantes por categoria.
PET-Saúde 2009
Tabela 1 - Número de integrantes do Projeto PET-Sáude da UFCSPA de março a outubro de 2009
Março-julho 2009
Agosto-outubro 2009
Tutores
5
5
Preceptores
30
30
Alunos monitores
60
60
Alunos Não-boslistas
98
87
OBJETIVOS GERAIS DO PROJETO
Inserir o acadêmico da área da saúde em atividades integradas desenvolvidas em um cenário
de Atenção Primária à Saúde, numa comunidade adscrita, em equipes multiprofissionais.
Formar o profissional da saúde com uma visão integral do processo saúde-doença e com
uma prática humanizada da assistência à saúde individual e coletiva.
Trabalhar o processo de ensino-aprendizagem dos acadêmicos com base na problematização
da realidade para a construção de um diagnóstico comunitário, propondo e executando ações
para modificar uma situação de risco e melhorar a qualidade de vida de uma comunidade;
Desenvolver o conhecimento científico no campo da Atenção Primária à Saúde, através de
pesquisa que venha conhecer, avaliar e qualificar os serviços que estarão envolvidos no
projeto, beneficiando as comunidades assistidas.
UNIDADES de SAÚDE
As unidades de Saúde que o projeto do PET - Saúde da UFCSPA se propôs a trabalhar
sofreram modificação em agosto em virtude da NOTA TÉCNICA Nº. 26/2009, que referenciava a
necessidade de que todas as Unidades deveriam ser da Estratégia de Saúde da Família (ESF). Na
tabela 2 estão as unidades em que foram desenvolvidas as atividades de março a julho de 2009 e na
tabela 3 as substituições que foram feitas.
As unidades estão localizadas em duas regiões de Porto Alegre. Na região leste da cidade, na
gerência do Distrito Sanitário Partenon-Lomba, estão localizadas 9 das unidades em que os
acadêmicos desenvolveram atividades. Na região norte na cidade, nos Distritos Sanitários NorteEixo-Baltaza e Leste-Nordeste, estão outras 9 unidades. Em 4 unidades as atividades do Seminário
Integrador I e do Curso de Biomedicina ocorreram simultaneamente em dias diferentes e mesmo
assim este trabalho paralelo apresentou bons resultados para a equipe de saúde e para os acadêmicos
envolvidos. Embora a cidade de Porto alegre não possua NASFs, as nutricionistas que
desenvolveram atividades junto as Unidades de Saúde da Família, tendo em vista que a proposta do
Seminário Integrador era de atividades de campo da Saúde Coletiva. A unidade de Saúde da Família
Maria da Conceição tem problemas com o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde.
PET-Saúde 2009
Tabela 2 – Unidades de Saúde onde são desenvolvidas as atividades do PET-Saúde de março a
julho de 2009
Gerência
Unidade
PSF Jardim Leopoldina
Norte-Eixo-Baltaza
PSF Hospital Conceição*
Unidade COINMA*
Leste-Nordeste
Partenon/Lomba
Centro
Unidade Costa e Silva
PSF Jardim Itu I
Unidade Barão de Bagé
PSF Divina Providência II
PSF Parque dos Maias
PSF Vila SESC
PSF Pitoresca I
PSF Pitoresca II
PSF Herdeiro
CNES
Projeto
2265125
Seminário Integrador I
3 grupos de Seminário
Integrador I
3 grupos do Seminário
Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
2 grupos do Seminário
Integrador I
Seminário Integrador I
2265168
2265192
2265087
2265079
2265141
2265184
2265095
2265133
2237482
5475740
2237458
PSF Panorama**
Unidade Panorama
SF Maria da Conceição
2237350
5878632
PSF Viçosa**
PSF Lomba do Pinheiro II
PSF Lomba do Pinheiro III
PSF Ernesto Araújo
Unidade Bananeiras
2264757
5473810
5473896
8006849
2237369
Unidade São Jose*
SF Modelo
2237377
5463920
*estas são unidades grande que comportam os 3 grupos de trabalho.
** as atividades são desenvolvidas em dias diferentes
PET-Saúde 2009
Tabela 3 - Unidades de Saúde onde são desenvolvidas as atividades do PET-Saúde de agosto de
2009 a março de 2010
Gerência
Unidade
PSF Jardim Leopoldina
Norte-Eixo-Baltaza
PSF Hospital Conceição*
Unidade COINMA*
Leste-Nordeste
Partenon/Lomba
Centro
CNES
Projeto
2265125
Seminário Integrador I
3 grupos de Seminário
Integrador I
3 grupos do Seminário
Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
Curso de biomedicina
Seminário Integrador I
Seminário Integrador I
2265168
Unidade Costa e Silva
PSF Jardim Itu I
Unidade Barão de Bagé
PSF Divina Providência II
PSF Parque dos Maias
PSF Vila SESC
PSF Pitoresca I
PSF Pitoresca II
PSF Herdeiro
2265192
2265087
2265079
2265141
2265184
2265095
2265133
2237482
5475740
2237458
PSF Panorama**
Unidade Panorama
2237350
5878632
SF Maria da Conceição**
PSF Viçosa**
2264757
PSF Lomba do Pinheiro II**
PSF Lomba do Pinheiro III
5473810
5473896
PSF Ernesto Araújo**
PSF São Pedro
SF Modelo
8006849
2264730
5463920
*estas são unidades grande que comportam os 3 grupos de trabalho.
**as atividades são desenvolvidas em dias diferentes.
PET-Saúde 2009
ATIVIDADES DESEMPENHADAS POR PROJETO
CURSO DE BIOMEDICINA – Biossegurança na Comunidade
Tutora: Claudia Giuliano Bica
INTRODUÇÃO
Este relatório tem como objetivo descreve as principais atividades desenvolvidas durante os
meses de março a outubro de 2009 em relação a atividade de tutoria, no Programa de Educação pelo
Trabalho em Saúde (PET Saúde).
O envolvimento no Projeto PET Saúde UFCSPA iniciou-se ainda em fevereiro com os
outros tutores em reuniões para planejamento das atividades do semestre.
Dentro do Projeto PET-Saúde/Biomedicina estão envolvidos, além da Tutora:
•
1 professora biomédica
•
6 preceptores
•
12 monitores
•
18 alunos da disciplina curricular de biossegurança do curso de Biomedicina
As atividades abrangem várias áreas:
a) Reuniões com tutores;
b) Reuniões com preceptores
c) Reuniões com monitores
d) Aulas teóricas
e) Acompanhamento das atividades práticas
f) Desenvolvimento de material de apoio
g) Desenvolvimento da logo marca do PET
h) Desenvolvimento de projeto de pesquisa/CEP
i)
Desenvolvimento
e
acompanhamento
Curso/Biomedicina)
j)
Envio de trabalhos em eventos científicos
k) Participação em reuniões do NECAAB
2 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
a) Reuniões com os tutores
de
TCC
(Trabalho
de
Conclusão
de
PET-Saúde 2009
Esta atividade tinha como objetivo o planejamento das atividades a serem desenvolvidas ao
longo do semestre. Nestas reuniões eram traçadas estratégias de ação para serem discutidas
posteriormente com os preceptores envolvidos no projeto; eram também discutidos os principais
desafios do projeto, além de ser momento de padronização das informações passadas pela nossa
Coordenadora do PET.
Nessas reuniões também se apresentava os projetos de pesquisa, discutia-se às necessidades
de cada posto de saúde, verificávamos os
objetivos das atividades de cada prática, os
procedimentos e critérios de avaliação dos alunos e monitores.
b) Reuniões com os preceptores
Como tutora procurei de imediato conhecer:
•
O local onde seria desenvolvido o Projeto do PET-Saúde/biomedicina;
•
Os preceptores envolvidos no projeto, explicando pessoalmente e particularmente o
que pretendíamos desenvolver e a que se propõem do curso de biomedicina;
Inicialmente foi apresentada a proposta do PET-Saúde/UFCSPA, a organização das
atividades teóricas e práticas e a metodologia da problematização ao grande grupo de preceptores
que participam do projeto.
Após essa explanação inicial foi feita reuniões sistemáticas e semanais (nos meses de
março/abril e maio) e depois quinzenais para acompanhamento, avaliação e discussão das
atividades peculiares e específicas de cada local de trabalho seria realizado.
O acompanhamento se dava no local onde as atividades eram desenvolvidas, geralmente as
quintas-feiras (exceções ocorreram quando organizamos atividades com a comunidade e para
termos uma maior participação, íamos aos sábados); Além da presença semanal em 4 dos 6 postos
que sou responsável (ia me revezando semanalmente), sempre que solicitada conversava por e-mail
ou por telefone com os preceptores.
c) Reuniões com os monitores
Os encontros com os monitores tiveram o objetivo de acompanhar as atividades práticas
desenvolvidas, bem como a preparação do material a ser desenvolvido, além da orientação no
projeto de pesquisa.
Os monitores foram orientados a realizar uma revisão da literatura sobre biossegurança
referente aos objetivos do nosso projeto que era:
a) Prevenção de Acidentes em Crianças;
b) Prevenção de Acidentes em Idosos;
c) Prevenção de Acidentes Ocupacionais;
PET-Saúde 2009
Feita essa breve introdução no assunto, íamos trocando os artigos e informações relevantes de
prevenção que norteavam os nossos objetivos. A medida que o trabalho começou a ser
implementado nos postos iam surgindo mais idéias que eram discutidas no grande grupo e
implementadas em outros postos que trabalhávamos.
Também criamos um grupo no e-mail que sempre íamos repassando todas as informações,
materiais desenvolvidos ou cedidos, além da troca dos artigos.
As reuniões eram sempre antecedidas das atividades, sempre as quartas-feiras com duração de
aproximadamente 1h 30 min cada uma.
Ao final deste semestre, os monitores também eram responsáveis pela condução da reunião,
devendo apresentar as atividades desenvolvidas o seu posto de saúde.
d) Aulas teóricas
Durante este período (março a agosto) fui responsável por todas as aulas teóricas da
disciplina de Biossegurança para o curso de Biomedicina.
Já no início deste segundo semestre letivo, criei a disciplina de “Biossegurança aplicada à
atenção primária” para dar continuidade ao trabalho desenvolvido na comunidade e incorporar esta
disciplina com eletiva na grade curricular dos alunos da Universidade, uma vez que a mesma não é
exclusiva dos alunos da biomedicina, sendo aberta aos demais cursos da Universidade.
e) Acompanhamento das atividades práticas
Nos dias previstos no cronograma para as atividades práticas realizei, na forma de rodízio e
sempre buscando visitar 4 locais diferentes, dos 6 sob minha responsabilidade, visitas nas Unidades
de Saúde para acompanhamento das atividades. As unidades são:
•
SF Viçosa;
•
SF Pitoresca;
•
SF Maria da Conceição;
•
SF Panorama;
•
SF Lomba;
•
Unidade São José e posteriormente em substituição a unidade SF Ernesto Araújo
O acompanhamento também é realizado pela leitura semanal dos relatórios que os monitores
me entregavam nas reuniões semanais.
Em todas as unidades o meu grupo trabalhou com 2 de objetivos distintos:
PET-Saúde 2009
1. Em um 1º momento trabalhamos dentro dos Postos de Saúde com “Gestores” buscando sempre
uma visão ampla das dificuldades e trabalhando as mais diversas forma de minimização dos
riscos relativos a prática do profissional da saúde, procurando otimizar os recursos e melhorar as
atividades de rotina, por isso:
a. Mapeamos os principais riscos envolvidos no trabalho;
b. Reunimos o grupo de profissionais e ministramos palestras sobre: riscos ocupacionais;
acidentes com matérias biológicos e segregação de resíduos em saúde, além de
distribuirmos materiais e artigos sobre o assunto.
c. Reorganizamos vários locais do posto de acordos com as “boas práticas” de
biossegurança. Trabalhamos desde a sala de recepção dos pacientes com a parte de
reorganização visual das principais informações, organizamos os arquivos, o
almoxarifado, a sala de curativo, sala de vacinas, consultórios, etc.
d. Trabalhamos de forma intensa a separação dos resíduos em saúde, principalmente a
parte referente a resíduos pérfuro-cortante, biológicos e químicos (da sala dos dentistas).
2. No 2º momento trabalhamos com a comunidade, ações de prevenção, a partir dos objetivos do
nosso projeto e das necessidades avaliadas pelos nossos preceptores.
a. No trabalho com a comunidade trabalhamos de formas bem diversificadas. O nosso
trabalho envolveu atividades em grupos da comunidade, grupos de pais, escolas,
creches, associações e até o serviço público da prefeitura de Porto Alegre.
b. Nestes trabalhos, focávamos a “biossegurança da comunidade”, nos aspectos de
pertinentes a prevenção de doenças e acidentes;
i. Neste contexto as crianças e os idosos tiveram a nossa especial atenção por
serem um grupo de maior risco.
c. Também realizamos visitas com as agentes de saúde, nas casas da comunidade e nessa
atividade tínhamos a oportunidade de conversarmos com as pessoas sobre a parte de
prevenção de acidentes domésticos.
d. Um outro trabalho que realizamos nos postos foi auxiliar na campanha de vacinação,
uma vez que Porto Alegre entrou na área de risco para febre Amarela, houve uma grande
procura pela vacina, o que gerou enormes filas. Desta forma, trabalhamos no auxílio na
organização das filas, na explicação a população dos riscos da vacina para grupos
especiais, nos preenchimentos das carteiras, etc.
e. Outro trabalho que surgiu, devido à pandemia da gripe H1N1 foi o trabalho em escolas e
creches atendidas pelos postos, onde trabalhamos a importância da “Lavagem de Mão”.
Os alunos organizaram diversas atividades envolvendo o assunto de maneira lúdica.
PET-Saúde 2009
Após despertarmos a motivação, fazíamos à prática da correta lavagem de mãos com as
crianças. Segue abaixo listada exemplos das diversas atividades lúdicas que
desenvolvemos:
i. Contamos histórias: Utilizamos à revista em quadrinhos da Turma da Mônica, de
1973, onde é a única vez que o personagem Cascão lava a mão. Chamamos a
atenção que a lavagem de mãos é tão importante que até o Cascão lava;
ii. Trabalhamos com fantoches de dedos, sendo os “micróbios” que habitam a nossa
mão;
iii. Cantamos músicas sobre a lavagem de mãos, principalmente as do seriado do
“Castelo Ratimbum” e a música do Arnaldo Antunes;
iv. Trabalhamos com pinturas de dedos e tinta tempera;
v. Trabalhamos jogos, palavras cruzadas e desenhos com o tema;
vi. Contamos histórias, inventadas pelos alunos sobre a importância da lavagem de
mãos.
De acordo com os objetivos propostos no nosso projeto e exemplificados acima foi possível
trabalhar em todas as unidades atendidas pelo projeto. Entretanto, segue abaixo outros exemplos
individuais que realizamos na comunidade.
•
Viçosa;
o Projeto do “Lixo”: Neste projeto, os alunos trabalharam em conjunto com a
comunidade, uma vez que o lixo é um grande problema de saúde pública. Junto
com as crianças da escola atendidas pelo posto, eles contaram histórias,
passaram filme sobre o lixo na comunidade em forma de desenho animado e
conversaram com as crianças sobre a importância de não se colocar o lixo na
rua.
•
Pitoresca;
o Projeto Pediculose: Desenvolvido a partir dos alunos constatarem que vários
medicamentos para o tratamento da pediculose estarem “por vencer” e na escola
atendida pelo posto ter um infestação de piolhos.
Os alunos realizaram 2 atividades: uma com as crianças explicando os
principais sintomas e manifestações dos piolhos e outra atividade com os
pais, explicando a mesma coisa em uma outra linguagem, feito isso, os
pais que quisessem levar o medicamento, bastava conversar com a
médica do posto que participou desta atividade.
PET-Saúde 2009
o De acordo com o levantamento das necessidades de treinamento dos
profissionais do posto, foi elencado com objetivo o treinamento em incêndio,
então o grupo de alunos marcou um treinamento no sábado, na Escola de
Bombeiro e todos os profissionais do posto participaram. Para isso também os
alunos tiveram que mobilizar ofício, extintores de incêndio, gasolina, etc.
•
Maria da Conceição
o Fechamento dos Bueiros: a partir de uma visita a comunidade local, o médico do
posto relatou as alunas que as crianças se acidentavam muito devido a tampas
dos bueiros estarem quebradas, com os ferros expostos e sujos. Sempre havia
crianças no posto para levar “pontos”, além é claro de nos dias de chuva, todo o
esgoto invadir as casas das pessoas. A partir deste fato os alunos entraram em
contato com o serviço público da prefeitura que cuida dos esgotos e
providenciaram a troca e limpeza dos bueiros. Resultado: Nenhuma criança mais
se cortou nos ferros das tampas, além da água suja não invadir mais casa casas.
A população ficou muito agradecida com a iniciativa, pois aguardava esta
serviço a 5 anos.
•
Panorama
o Palestra na aldeia Indígena: A partir da solicitação de uma agente de saúde da
FUNAI para os alunos sobre prevenção de doenças sexualmente transmissíveis,
os alunos prepararam um material ilustrativo e com autorização da FUNAI e
ônibus especial foram até a Aldeia Indígena e realizaram uma palestra para o
grupo de índios.
•
Lomba
o Trabalho com os profissionais da Higienização: A partir da constatação da
necessidade levantada pela preceptora em relação aos profissionais da limpeza
do posto, realizamos um treinamento/palestra onde falamos da importância da
separação dos resíduos em saúde, dos cuidados e dos EPIs necessários a esta
atividade. Esclarecemos dúvidas e orientamos sobre as práticas seguras.
•
São José e posteriormente em substituição a unidade Ernesto Araújo
o Dias das Mães: A partir dos festejos do Dia das Mães promovido pela creche
que o posto atende, os alunos, em contato com a direção da escola realizaram
uma palestra que antecedeu a apresentação das crianças sobre acidentes na
PET-Saúde 2009
primeira infância. Os alunos levaram cartazes do CIT, explicaram os locais de
risco em casa, deram dicas e distribuíram vários panfletos sobre o tema. O
enfoque foi dado para acidentes domésticos, acidentes com produtos de limpeza
e com animais peçonhentos. Distribuímos ímas de geladeira com o telefone
0800 do centro de informações toxicológicas a todas as mães.
o Palestra com Professores da Escola: A partir da solicitação da direção da escola,
preocupada com o tema que estávamos trabalhando a mesma sugeriu que
orientássemos sobre como auxiliar as crianças em caso de acidentes. Então os
alunos conversaram com o pessoal da liga do Trauma da Universidade e
marcaram uma palestra. Neste dia os professores puderam esclarecer as dúvidas
a respeito de como proceder em caso de “engasgadura” e outros “acidentes”
freqüentes com as crianças.
Todas estas ações foram desenvolvidas seguindo a metodologia da problematização, onde o
grupo observou a realidade, elencou pontos-chave, buscou a literatura sobre o tema, gerou hipóteses
de solução e desenvolveu a ação com a comunidade.
f) Projeto de pesquisa
O projeto de pesquisa está em fase de coleta de dados, foram realizadas inúmeras reuniões e
encontros com os monitores. O tema escolhido foi baseado no nosso objetivo, onde buscamos
trabalhar um levantamento de dados baseados nas rotinas assistenciais de Hospitais de Referência.
Para isso elaboramos os projetos e já submetemos todos ao CEP da nossa Instituição e
quando pertinente, também submetemos ao CEP da Prefeitura de Porto Alegre.
Já obtivemos a aprovação de todos e estamos atualmente em fase de coleta de dados.
Segue relação dos projetos oriundos do PET-Saúde aprovados no CEP.
•
Acidentes Domésticos na Infância (Parecer 922/09)
Objetivo: Identificar os acidentes domésticos na infância registrados em um serviço de
referência de pronto socorro de Porto Alegre.
•
Resultados obtidos através de uma intervenção em saúde em uma comunidade em Porto Alegre
(Parecer: em análise)
Objetivo: Identificar o número de consultas realizadas no ESF, antes e depois da intervenção
feita pelos alunos em relação a troca dos boeiros.
•
Análise da adequação da antibioticoprofilaxia no serviço de cirurgia de um hospital de trauma
de Porto Alegre (Parecer 919/09).
PET-Saúde 2009
Objetivo: Analisar a adequação dos procedimentos relacionados a antibioticoprofilaxia,
confrontando com o que foi proposto pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
frente as medidas de prevenção de infecção nos acidentes traumáticos.
•
Prevalência de Acidentes Domésticos Envolvendo Idosos em um Hospital de Porto Alegre em
2008. (Parecer 954/09)
Objetivo: Determinar a prevalência de tipos de acidentes envolvendo idosos, com base em um
hospital de pronto socorro de Porto Alegre, estabelecendo relações com o sexo, a idade, local de
acidente, tipos de acidentes com respectivo tipo de lesão e uso de medicações e de doenças prévias.
•
Acidentes com material biológico em um hospital público de Porto Alegre (Parecer 935/09)
Objetivo: identificar a freqüência as características dos acidentes com material biológico ocorridos
no período 2006 a 2009/I com profissionais do Hospital Pronto Socorro de Porto.
•
Acidentes típicos de trabalho envolvendo materiais biológicos com profissionais de saúde de um
hospital escola e fatores associados no período de 2005 a 2008. (Parecer 943/09).
Objetivo: Identificar o perfil dos acidentes de trabalho envolvendo material biológico em
profissionais de saúde de um hospital escola de Porto Alegre através da análise de dados estatísticos
arquivados no órgão responsável pelo atendimento dos mesmos na instituição, no período de janeiro
de 2005 a dezembro de 2008.
Desenvolvimento e acompanhamento de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso/Biomedicina)
A partir do Projeto PET-Saúde, um dos alunos do último ano do curso de biomedicina ficou
tão interessado nesta problemática que optou por fazer o seu trabalho de conclusão. Desta
forma, venho orientando ele nesta atividade. Este projeto foi também aprovado pelo nosso
CEP, sob o nº de parecer 09/973.
AVALIAÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAIS BIOLÓGICOS EM
MÉDICOS RESIDENTES E ACADÊMICOS DE UM HOSPITAL ESCOLA DE PORTO
ALEGRE
Resumo: Os acidentes ocupacionais constituem um importante problema de saúde pública no
Brasil, atingindo principalmente adultos jovens e causando elevado número de casos de invalidez
permanente e até óbitos. A transmissão ocupacional dos patógenos veiculados ao sangue é
usualmente associada com a violação dos princípios básicos de biossegurança e controle de
infecção. Evidências em diferentes países têm demonstrado que a maioria dos acidentes com
PET-Saúde 2009
profissionais da saúde estão relacionados á objetos pérfuro-cortantes. Objetivos: Levantamento de
dados relacionados com acidentes ocupacionais com material biológico, envolvendo médicos
residentes e acadêmicos de janeiro de 2007 a julho de 2009. Materiais e Métodos: Trata-se de um
estudo histórico, descritivo, exploratório de vigilância epidemiológica de acidentes ocupacionais.
Resultados e Discussão: No período do estudo foram relatados no hospital escola 166 acidentes de
trabalho, correspondendo a 2,23% da população de estudo. Ao caracterizarmos os acidentes levando
em consideração a categoria estudantil, vimos que os “Estagiários Técnicos de Enfermagem” são os
que mais se envolvem em acidentes (31,93%), seguidos dos “Médicos Residentes” (28,92%) e dos
“Acadêmicos de Medicina” (26,51%), representando 85,36% dos 166 acidentes de trabalho no
período do estudo. A faixa etária mais relacionada a acidentes foi a de 20 a 29 anos, na qual está
incluída a maioria dos estudantes e médicos residentes, sendo que o principal motivo relatado pelos
acidentados foi o descuido próprio. A categoria profissional, idade e causa do acidente, neste
estudo, evidenciam que medidas educativas devem ser tomadas para prevenção efetiva destes
acidentes.
Palavras-chave:
Acidentes
de
Trabalho;
Médicos
Residentes;
Acadêmicos;
Biossegurança.
g) Apresentação de trabalhos em eventos científicos
II Semana Científica da UFCSPA - 13 a 16 de outubro 2009, Porto Alegre. Segue abaixo a
lista dos trabalhos apresentados.
1. Acidentes Domésticos: um Risco à Saúde Infantil; Gabriela Albiero
2. Promoção de Noções Básicas de Prevenção em Saúde em uma Creche de Porto Alegre.
Braga, B.L.R.; Bica,C.; Menti, C.; Goebel, C.S.; Sambrano, G.
3. O Biomédico Atuando com Biossegurança em um Estabemento de Saúde; Pereira, R e
Bica, CG.
4. Antibioticoprofilaxia em Procedimentos Cirúrgicos; Bezerra, GP e Bica, CG.
5. Educação Sexual para Jovens de uma Aldeia Indígena da Lomba do Pinheiro de Porto
Alegre; RANGEL JO; SILVA SS; BICA CG.
6. A Experiência da Atuação dos Profissionais Biomédicos através do Estágio em um
Serviço de Saúde Voltado a Atenção Primária à Saúde. CORRÊA, L. T; BEZERRA, G. P;
CORRÊA, G. T; BICA, C. G. UFCSPA, Faculdade de Biomedicina. Programa de
Educação pelo Trabalho – Pet-Saúde; UBS Lomba do Pinheiro, Porto Alegre/ RS.
7. Uma Nova Maneira de Conscientizar Crianças sobre Risco de Acidentes Domésticos.
SANDI, NLF; GOUVEIA, FES; WEWNICZ, A; LIMA, AM; BASSO, GG; SILVA, JN;
PILZ, LK; GÉA, LP; TORTORELLA, M; e BICA, CG.
PET-Saúde 2009
8. Avaliação de Acidentes de Trabalho com Materiais Biológicos em Acadêmicos Sem
Vínculo Empregatício de Um Hospital Escola de Porto Alegre. SOUZA RT; BICA CG.
9. Ação Educativa e Preventiva Junto a Comunidade da Zona Leste de Porto Alegre; Jéssica
Miethicki da Silva Gonçalves e Bica, CG.
10. Biossegurança: Uma Questão de Prevenção; Santos LG e Bica, CG.
11. O Trabalho em Equipe na Saúde Coletiva Fazendo a Diferença. Pavim, B; Albiero, G e
Bica, CG.
12. Prevenção de Acidentes Domésticos e Ocupacionais: A biossegurança em uma
experiência no PSF e na comunidade Local: Gouveia, FES; Sândi, NLF; WEWNICZ, A;
Lima, AM; Basso, GG; Silva, JN; Pilt, LK; Gea, LP; Tortorella, M; Goebel, C; Bica, CG.
13. A Biossegurança em Busca de Uma Comunidade Melhor; Pinheiro JL e Bica, CG.
14. Palestras Multidisciplinares para Adolescentes de uma Escola da Comunidade da Lomba
do Pinheiro de Porto Alegre; RANGEL JO; SILVA SS; BICA CG.
Gostaria de salientar que dos trabalhos apresentados na semana científica da Universidade,
obtivemos 2 prêmios de “Destaque da Sessão” através dos alunos: Rafael Teixeira e Nathalie Sandi.
VII Congresso Brasileiro de Biossegurança e I Simpósio de Biossegurança
- 12 a 14 de novembro 2009, Santa Cruz do Sul.
•
A BIOSSEGURANÇA E A VIVENCIA NA PRÁTICA PROFISSIONAL.
Claudia. UFCSPA
BICA,
•
AÇÃO EDUCATIVA E PREVENTIVA DE BIOSSEGURANÇA JUNTO A
COMUNIDADE DE PORTO ALEGRE. Alessandra Welter Preissler, Ana Paula
Aquistapase Dagnino, Bruna Coruja da Silva, Jéssica Hellen Poletto Boneto, Jéssica
Miethicki da Silva Gonçalves, Maiara Isabel Ferreira da Silva, Marcella Ody Piva e Claudia
Bica.
•
AVALIAÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAIS BIOLÓGICOS EM
ACADÊMICOS DE UM HOSPITAL ESCOLA DE PORTO ALEGRE. Rafael Teixeira de
Souza e Claudia Giuliano Bica
•
BIOSSEGURANÇA: UMA PRÁTICA EM SAÚDE COLETIVA. PAVIM, Bibianna;
ALBIERO, Gabriela; SPERRY, Guilherme; PINHEIRO, Jaqueline; PROENÇA, Letícia;
SANTS, Lígia; BARBOSA, Silvia; GOEBEL, Cristine; BICA, Claudia
•
UMA NOVA MANEIRA DE CONSCIENTIZAR CRIANÇAS SOBRE RISCO DE
ACIDENTES DOMÉSTICOS. SANDI, Nathallie L. F.; GOUVEIA, Filipe E. S.; LIMA,
Ariéle M.; BASSO, Gabriela G.; PILZ, Luísa; GÉA, Luiza; GOEBEL, Cristine e BICA,
Claudia. UFCSPA
•
PET-Saúde 2009
PROMOÇÃO DE NOÇÕES BÁSICAS DE PREVENÇÃO EM SAÚDE NUMA
COMUNIDADE ESCOLAR DE PORTO ALEGRE. BRAGA, B.L.R.; GOEBEL, C.S.;
SAMBRANO, G.; BICA,C.
•
BIOSSEGURANÇA EM UM ESTABELECIMENTO DE SAÚDE: A ATUAÇÃO DO
BIOMÉDICO. Pereira, R; Kvitko, D; Lütkemeyer, LM; Fortis, MF; Marcondes, NA;
Marian, RB; Mirandolli, TB; de Souza, RT; Pinto, TR; Bica, CG.
•
ACIDENTES DOMÉSTICOS NA INFÂNCIA. ALBIERO, Gabriela; PAVIM, Bibianna;
GOEBEL, Cristine; BICA, Cláudia; UFCSPA
•
A DIFICULDADE DA IMPLEMENTAÇÃO DE HÁBITOS SEGUROS EM POSTOS DE
SAÚDE: A TEORIA VERSUS A PRÁTICA. Carolina Fialho Menti e Claudia G. Bica (98)
•
ACIDENTES TÍPICOS DE TRABALHO EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE DE UM
HOSPITAL-ESCOLA E SEUS FATORES ASSOCIADOS. RANGEL, Juliana O.; SOUZA,
Sabrina e BICA, Claudia. UFCSPA (102)
•
PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS E OCUPACIONAIS: A
BIOSSEGURANÇA EM UMA EXPERIÊNCIA NO PSF E NA COMUNIDADE LOCAL.
Nathallie Louise Fernandes Sandi, Filipe Eduardo Smolinski Gouveia, Aline Werenicz,
Juliane Nascimento da Silva, Marianne Tortorella, Graciela Antunes, Cristine Goebel e
Claúdia Giuliano Bica (108)
•
ANÁLISE DA ADEQUAÇÃO DA ANTIBIOTICOPROFILAXIA NO SERVIÇO DE
CIRURGIA DE UM HOSPITAL PÚBLICO DE PORTO ALEGRE. PINHEIRO, Glícia;
TREVIZAN, Laura; BICA, Claudia. UFCSPA
•
REVISÃO DOS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO ASSOCIADOS A QUEDAS EM
IDOSOS ATENDIDOS EM UMA COMUNIDADE ATENDIDA POR UMA UNIDADE
BÁSICA DE SAÚDE EM PORTO ALEGRE. Rafael Teixeira de Souza, Thais Regina e
Claudia Bica
•
ACIDENTES DOMÉSTICOS ENVOLVENDO IDOSOS EM UM HOSPITAL DE PORTO
ALEGRE EM 2008 Braga, B.L.R.; Sambrano, G.; Goebel, C.S.; Bica C.
Desenvolvimento de material de apoio
Para trabalharmos a parte de Biossegurança na comunidade foi preciso desenvolvermos
folder. Para isso os alunos buscaram uma bibliografia atualizada das causas e dos fatores de
risco de acidentes. Criamos os folders e durante as visitas na comunidade conversávamos com
as pessoas, explicávamos o folder e deixávamos o material educativo.
PET-Saúde 2009
Desenvolvimento da logo marca do PET
A criação da logo marca do nosso projeto foi desenvolvida por um dos nosso alunos e escolhida
pela grande grupo simbolizando o trabalho em equipe focado no projeto.
PET-Saúde 2009
Participação em reuniões do NECAAB
A partir da implantação do Projeto PET-Saúde na nossa Instituição, institui-se o grupo de
trabalho chamado o núcleo NECAAB. Desde então participo de todas as reuniões deste grupo.
Já elaboramos o regulamento interno de funcionamento, e neste momento nos reunimos 1 vez
ao mês para discutirmos as ações do núcleo frente a atenção primária a saúde.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Todas as atividades desenvolvidas pelos grupos foram discutidas com as equipes com a
possibilidade destas se manterem nos próximos semestres, além de programarmos outras conforme
a necessidade.
Acredito que todos os envolvidos tiveram a sua parcela de contribuição para o trabalho da
equipe e comunidades, porém para medirmos resultados ainda é muito recente. Cabe salientar que
salientar o envolvimento dos alunos em todas as atividades propostas, tanto dos monitores como
dos alunos que freqüentam a disciplina.
Tenho certeza que como atividade de ensino pelo trabalho é uma grande experiência para todos
os envolvidos.
PET-Saúde 2009
SEMINARIO INTEGRADOR I
Cursos de Medicina, Enfermagem e Nutrição.
Tutores. Maria Eugenia Bresolin Pinto, Aline Correa de Souza, Cíntia Gama e Marcelo
Gonçalves Rodrigues
O Seminário Integrador I é composto por alunos das disciplinas curriculares do primeiro
ano, Medicina e Comunidade do Curso de Medicina e Saúde Comunitária do Curso de
Enfermagem, e do terceiro ano, Saúde Coletiva do Curso de Nutrição, que realizaram atividades
teóricas e práticas em conjunto. Os grupos de alunos eram compostos de forma interdisciplinar
contemplando integrantes dos três cursos. Da mesma forma os preceptores e tutores atuaram de
forma interdisciplinar. As atividades tanto práticas como teóricas ocorreram nas sextas-feiras das
14h às 17h.
Os tutores e preceptores envolvidos têm a tarefa de trabalhar o entendimento dos conceitos
de campo e núcleo de atuação de Gastão Wagner Campos1, vivenciando isto nas atividades a serem
desenvolvidas nas Unidades. Como forma de organização do trabalho, tendo de pesquisa como de
ensino, foram realizadas reuniões entre os tutores, com os preceptores e com o monitores.
Atividades de organização e treinamento dos preceptores
As atividades do PET-Saúde UFCSPA iniciaram no mês de fevereiro após a provação do
projeto. Desde fevereiro ocorreram cinco encontros entre os tutores para organizar a
operacionalização das atividades, sendo o primeiro em 17 de fevereiro. Em 18 de fevereiro houve
uma reunião na SMS com a representante do EE/CGADSS/SMS e ED/CGADSS/SMS para a
definição de aspectos administrativos como a necessidade de adequação do convênio entre as
instituições, que foi repassado para a Pró-reitora de Planejamento, Evelise Fraga, com os contatos
da SMS e que no momento se encontra em andamento.
No inicio do semestre ocorreram encontros gerais entre preceptores e tutores para organização
da disciplina Seminário Integrador e esclarecimentos sobre dados cadastrais e recebimento do
benefício.
•
Ocorreram três encontros em março (3, 11 e 12) com os preceptores para esclarecimento de
dúvidas e preenchimento de cadastros e divisão dos grupos.
•
I Encontro de Preceptores do PET-Saúde UFCSPA nos dias 21 de março e 4 de abril
(sábado) das 8:30 às 12h na UFCSPA, ocorreram para orientação das atividades baseadas
fundamentação da metodologia da disciplina com o propósito de abordar método da
problematização, com a participação de professores Núcleo de Apoio Pedagógico da
PET-Saúde 2009
universidade e das atividades que seriam realizadas com os acadêmicos nas Unidades de
Saúde, para que os discursos dos diferentes integrantes do projeto fossem convergentes. As
reuniões foram estruturadas de forma que em um segundo momento, cada tutor se reunisse
com seu grupo de preceptores para maiores esclarecimentos específicos para aplicação da
metodologia da disciplina na realidade das unidades. Assim como também o planejamento
do projeto de pesquisa. Tais atividades ocorrem na universidade, com carga horária total de
sete horas, além de um encontro sendo via EaD
(Ensino a Distância), utilizando a
ferramenta moodle. Esse espaço foi criado para os tutores e preceptores disponibilizarem
materiais complementares e também para organização dessas reuniões. Nestes dois
encontros foram levantadas demandas de assuntos de interesse dos preceptores para os
encontros de educação continuada que ocorrem um sábado por mês. Nestes já foram
abordados: Ética na APS; Aspectos históricos e antropológicos da Saúde Publica;
Metodologia de pesquisa qualitativa e quantitativa; Metodologia de ensino. Esta sendo
montada a programação dos próximos meses. No segundo momento é feita uma reunião
entre os preceptores e o tutor para a discussão do progresso das atividades com os
acadêmicos.
Atividades de Coordenação
No período de fevereiro ocorreram algumas reuniões (2) com a gerente do distrito PartenonLomba do Pinheiro para a discussão da listagem de preceptores e unidades de saúde fariam parte do
Projeto naquela região.
Apresentação dos Projetos de Biosegurança e do Seminário Integrador na reunião da
gerência distrital Partenon –Lomba do Pinheiro no dia 19 de março de 2009.
Apresentação dos Projetos de Biosegurança e do Seminário Integrador nas reuniões dos
Conselhos Locais de Saúde do Partenon (1º/04/09) e da Lomba do Pinheiro (08/04/09).
No período de fevereiro e março foi realizado o cadastramento dos 5 tutores, 30 preceptores
e 60 alunos bolsistas e mais 90 alunos não-bolsistas (alunos que estão cursando as disciplinas) no
sistema SIG do PET-Saúde. Este processo consistia em cadastrar o individuo, realizado em
conjunto com a estagiaria do Departamento de Saúde Coletiva, providenciar a assinatura do
cadastro e envio dos mesmos à Brasília. Na ultima semana realizamos a substituição de dois alunos
bolsistas por desistência dos mesmos pela dificuldade de cumprir os horários com o projeto. Foram
chamados para substituí-los dois alunos que já vinham acompanhando as atividades como
voluntários.
PET-Saúde 2009
Participação no I Encontro de Coordenadores do PET-Saúde em Brasília no período de 2627 de março de 2009, onde foram abordados assuntos pertinentes à parte administrativa do PETSaúde saúde, bem como questões operacionais dos projetos.
Mensalmente é realizada a folha de pagamento das bolsas até o dia 25 de cada mês e
controlado a entrada e saída de bolsistas.
Reuniões com os tutores
Estas atividades tinham como objetivo o planejamento das atividades da disciplina
Seminário Integrador I, tais como: definições dos temas das aulas teóricas e objetivos de cada
atividade prática, divisão das aulas teóricas, procedimentos e critérios de avaliação dos alunos e
monitores, organização do I e II Encontro dos Preceptores do PET Saúde UFCSPA. Participei
também de uma reunião na Gerência Distrital de Saúde Lomba/Partenon e outra na com os chefes
das Unidades de Saúde deste distrito para apresentação da proposta do PET UFCSPA. Estes
encontros entre os tutores ocorreram nos dias: 17 de fevereiro, 11 de março, 19 de março, 07 de
abril, 16 de abril, 07 de maio, 13 de maio, 24 de junho, 29 de junho e 07 de agosto.
Os grupos de trabalho do Seminário Integrador I
A divisão dos grupos de trabalho está apresentada no anexo I.
Tutor
Os tutores do PET-Saúde foram indicados pela UFCSPA. Eles são os professores vinculados
às disciplinas curriculares ou eletivas que estarão desenvolvendo atividades junto ao projeto do
PET-Saúde desta instituição, neste projeto serão 4 tutores (2 Médicos de Família e Comunidade, 1
enfermeira e 1 nutricionista). Cada tutor trabalha com um grupo de 6 Preceptores e 12 Monitores2
(alunos bolsistas) e com um grupo de 18 a 24 alunos não bolsistas pertencentes aos cursos de
medicina, enfermagem e nutrição.
O tutor dá apoio aos preceptores nas atividades, sendo
consultado sobre qualquer dificuldade que ocorresse, para que possam ser tomadas as providências
necessárias. Cada tutor está vinculado a uma das linhas de pesquisas propostas para o
desenvolvimento de conhecimento em APS.
Preceptor
Os preceptores do PET-Saúde foram indicados pela Secretária Municipal de Saúde de Porto
Alegre (11 preceptores) e pelo Serviço de Saúde Comunitária do GHC (13 preceptores). Cada
preceptor está vinculado a um tutor e irá trabalhar com 2 monitores e 3 a 4 alunos de graduação,
sendo que estes podem ser dos cursos de medicina, de enfermagem e de nutrição. O preceptor
PET-Saúde 2009
deverá exercer esta função por pelo menos 8 horas semanais, como parte das atividades normais da
Equipe de Saúde da Família (ESF) à qual ele seja vinculado. Os preceptores foram convidados a se
vincular a uma das linhas de pesquisas propostas e auxiliar em todo o processo, podendo desta
forma ser autor do conhecimento desenvolvido.
Monitor
O monitor está vinculado a um tutor e a um preceptor e deverá dedicar 8 horas semanas para
as atividades de monitoria e pesquisa. As atividades de monitoria são as realizadas em dupla e se
referem às atividades práticas vinculadas ao acompanhamento dos alunos nas ESFs. As atividades
de pesquisa serão realizadas vinculadas ao tutor que está vinculado a um dos eixos de pesquisa em
APS.
As atividades do seminário integrador I
Atividades Teóricas
Elas são desenvolvidas em grande grupo com dos os acadêmicos não bolsistas e tem por objetivo
promover uma base teórica para o desenvolvimento das atividades práticas. Eles são expositivas
dialogadas e envolvem os tutores fazendo vinculo com os preceptores.
Aula 1 – Todos os tutores
• Introdução ao Seminário Integrador I
• História natural da doença: fatores que afetam a saúde da pessoa.
• Níveis de prevenção e promoção de saúde.
Aula 2 – Maria Eugenia Pinto, Aline Souza e Cíntia Gama
• Fatores culturais e saúde
• Antropologia e sociologia da Saúde
• Genograma
Aula 3 - Airton Stein
• Diagnóstico de saúde em comunidade: indicadores, métodos de avaliação;
Divisão dos Grupos;
Aula 4 – Marcelo G Rodrigues
• Territorialização
Aula 5 – Maria Eugenia Pinto
• Princípios da intervenção comunitária em saúde.
• Modificação de hábitos em uma comunidade.
• Modificação de hábitos nos indivíduos.
Aula 6 – Aline Souza e Eliane Rabin
• Interdisciplinaridade - Trabalho em Equipe
PET-Saúde 2009
Aula 7 – Todos os tutores
• Discussão das atividades práticas e busca de evidência
Aula 8 – Todos os tutores
• Avaliação junto aos alunos das atividades realizadas
Atividades práticas
Elas são desenvolvidas nas Unidades de Saúde e
1ª Visita as unidades de saúde de APS - Comunidade e território
• Conhecer a Unidade de Saúde (US) e a equipe de saúde;
• Caminhar pelo território de atuação da US identificando o que pode influenciar a atividade
da equipe de saúde (área de risco, acidentes geográficos).
2ª Visita as unidades de saúde de APS – Diagnóstico breve da comunidade
• Conversar sobre os problemas e prioridades identificados pela comunidade e pela equipe de
saúde (semelhanças e diferenças);
• Fazer um breve diagnóstico da comunidade.
3ª Visita a Associação Comunitária e/ou recursos da comunidade
• Visita a associação comunitária ou grupo de usuários indicado pelo preceptor;
• Contato com pessoas da comunidade;
• Conhecer a historia da comunidade ou do grupo.
4ª Visita as unidades de saúde de APS – Vivência na UBS
• Acompanhar as atividades dos profissionais da US (consulta médica, de enfermagem de
nutrição, sala de vacina);
• Conhecer a importância do trabalho de cada profissional no funcionamento da equipe e na
atenção ao usuário do serviço;
• Trabalho de equipe (ver uma discussão de caso em conjunto).
5ª Visita as unidades de saúde de APS – Problematização
• Técnica de “história de vida”
• Utilizar a problematização como ferramenta para eleger uma situação que será trabalhada
nos próximos encontros;
• A situação elegida deve ser passível de uma intervenção de promoção de saúde ou de
prevenção de doenças.
6ª Visita as unidades de saúde de APS – Problematização
Discussão das atividades práticas e busca de evidência na UFCSPA
• Apresentação de 15 minutos pelos 6 grupos vinculados ao tutor da situação e da discussão
realizada junto ao preceptor;
• Discussão das situações;
• Busca de evidências e de referências para auxiliar.
7ª Visita as unidades de saúde de APS – Operacionalização
• Discussão com o preceptor e com a equipe sobre as contribuições do encontro com os
tutores realizado na semana anterior;
PET-Saúde 2009
•
Planejamento de ações para trabalhar a situação elegida.
8ª Visita as unidades de saúde de APS – Operacionalização
• Execução do plano de ação.
9ª Visita as unidades de saúde de APS – Operacionalização
• Execução do plano de ação.
10ª Visita as unidades de saúde de APS - Seminário de avaliação interno com as equipes e
comunidade
• Execução do plano de ação;
• Avaliação junto à comunidade e à equipe.
Após cada atividade prática, o acadêmico deveria entrar na sala virtual do Seminário Integrador
I e realizar uma reflexão no seu diário, isto deveria ocorrer no máximo até à próxima atividade
prática. Este diário era lido periodicamente pelos tutores, preceptores e monitores vinculado ao
acadêmico, sendo uma forma de monitoramento e avaliação das atividades que estavam sendo
realizadas e do desempenho do acadêmico.
No Anexo II está o cronograma das atividades teóricas e práticas do primeiro semestre de
2009.
Referências
(1) Campos GWS. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Ciência
& Saúde Coletiva 2000; 5(2):219-230.
(2) Secretaria de Gestão do trabalho e da educação na saúde. Seleção para o Programa de
Educação pelo Trabalho para a saúde - PET-SAÚDE. edital nº 12, 81-82. 3-9-2008. ISSN
1677-7069.
Avaliação das atividades pelos acadêmicos:
O SI foi avaliado pelos acadêmicos através de um questionário (ANEXO III)
com questões abertas e fechadas, elaborado pelos tutores, e os dados foram analisados
através da análise de frequência. Ao serem questionados se a disciplina os tornou mais
aptos a trabalharem com profissionais de outras áreas, 96% responderam “Certamente
sim” ou “Sim”, 94,6% afirmaram que se sentiram parte de uma equipe e 82% gostariam
que fossem oferecidas outras atividades envolvendo alunos de cursos diferentes no
mesmo ambiente. Quanto à identificação de uma situação-problema e ações de
prevenção e promoção de saúde de forma coletiva, 93% e 91% afirmaram que se
consideram mais aptos para a realizarem estas atividades, respectivamente. Quanto as
discussões realizadas na US sobre problematização, 96% afirmaram que se sentiram
satisfeitos. Cerca de 85% dos alunos responderam “Certamente sim” ou “Sim” ao serem
indagados se o conteúdo da disciplina foi importante para sua formação em termos de
habilidades, atitudes e conhecimentos e 55,5% responderam que não se sentiram
satisfeitos com as atividades teóricas da disciplina. Ficou claro que o projeto trouxe
satisfação para todos os envolvidos (profissionais de saúde, acadêmicos e professores) e
para as comunidades que foram beneficiadas.
Comentários finais
Os resultados obtidos nas avaliações e acompanhamento dos alunos sugerem que
os objetivos do SI de inseri-los em equipes multiprofissionais, capacitá-los para
problematizar a realidade e planejar ações de modificação de situação de risco em
equipes multiprofissionais foram alcançados. Os próprios acadêmicos consideraram que
a participação no SI foi importante para a sua formação acadêmica. Em relação às
atividades teóricas, elas foram modificadas para o segundo semestre de atividades, de
maneira que possa proporcionar maior associação com as atividades práticas.
É necessário, no entanto, aprofundar a investigação como esta experiência
poderá influenciar na formação final deste profissional de saúde e se ele estará mais
apto para integrar as equipes multiprofissionais que são propostas pelo SUS.
Aptidões:
60%
50%
Você se considera mais apto a
realizar ações de prevenção e
promoção de saúde forma coletiva?
40%
30%
20%
10%
0%
Certamente
sim
Sim
Mais ou
menos
Não
Você se considera mais apto a
identificar uma situação-problema e
elaborar um plano de ação?
O conteúdo da disciplina foi importante para sua formação?
60%
Em termos de conhecimento
50%
40%
30%
Em termos de habilidades
20%
10%
0%
Certam ente Sim
sim
Mais ou
m enos
Não
Em termos de atitudes
Discussões na US e atividades teóricas:
70%
60%
Como foi sua satisfação em
relação à discussão realizadas
na US sobre problematização?
50%
40%
30%
20%
10%
0%
Muito Satisfeito PoucoInsatisfeito
satisfeito
satisfeito
Como foi sua satisfação em
relação às atividades teóricas?
DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES POR TUTOR
Professora Cíntia Gama
INTRODUÇÃO
Este relatório descreve as atividades desenvolvidas durante o primeiro semestre
(março a agosto) de 2009 da tutora, Cíntia Mendes Gama no Programa de Educação
pelo Trabalho em Saúde (PET Saúde). O envolvimento com esse programa foi iniciado
em novembro de 2008 desde a gestão do projeto após ter sido designada pela
coordenadora do Curso de Nutrição como professor vinculado a esta atividade. A partir
de fevereiro do corrente ano o envolvimento foi para o planejamento e execução das
seguintes atividades: a) reuniões com tutores, b) reuniões com preceptores, c) reuniões
com monitores, d) aulas teóricas, e) acompanhamento das atividades práticas e diários
pela Plataforma MOODLE, f) desenvolvimento de projeto de pesquisa, g) Apresentação
de trabalhos em eventos científicos e h) Reuniões do NECAAB (Núcleo de Excelência
Clínica Aplicada à Atenção Básica)
A seguir serão descritas as atividades em cada uma das áreas.
b) Reuniões com os preceptores
No decorrer do semestre duas reuniões gerais ocorreram para apresentação da
proposta da formação continuada, apresentação dos trabalhos realizados pelos alunos e
também apresentação do NECAAB.
Em outros encontros específicos com os preceptores do meu grupo foram
discutidas questões referentes a cada local de atividade. Além da atividade de
elaboração do projeto de pesquisa.
Estes encontros ocorreram presencialmente nos dias: 03 de março, 26 de março,
14 de abril, 26 de maio, 02 de junho, 08 de julho e 14 de julho. O acompanhamento das
atividades dos preceptores também é realizado pelo telefone e email conforme a
necessidade de cada um. Outro contato é via moodle, ferramenta utilizada para a
disciplina seminário Integrador, principalmente no espaço para os diários de campo. O
preceptor também acompanha os relatos dos alunos, não somente para leitura, mas para
escrever comentários.
c) Reuniões com os monitores
Em primeiro momento ocorreram reuniões gerais (03 e 10 de março), isto é,
reuniões com todos os monitores e tutores para apresentar a proposta da disciplina
Seminário Integrador e a divisão de dois monitores por unidade de saúde, totalizando
doze monitores por tutor. Também, para esclarecimentos sobre o preenchimento das
fichas para cadastro e recebimento do benefício. O número de total de monitores, no
meu caso, foi de 13 alunos, pois uma aluna do Programa de Iniciação à Docência da
universidade vinculou-se ao programa PET.
Os encontros com os monitores tiveram o objetivo de acompanhar as
atividades práticas desenvolvidas, bem como a preparação do projeto de pesquisa. Os
monitores foram orientados quanto a metodologia adotada PET-Saúde; organização das
atividades (endereços, listas de freqüência, cronograma, avaliação, relatório e outros);
utilização da ferramenta moodle; pagamento da bolsa; objetivo da pesquisa do grupo;
avaliação do entendimento dos alunos referente a disciplina; proposta de apresentação
dos trabalhos em eventos científicos; e, esclarecimentos sobre NECAAB, além de
esclarecimentos das demandas.
Cada monitor apresentou artigo científico referente ao projeto de pesquisa
Qualidade de Vida e Coping Religioso/Espiritualidade. Ocorreram discussões sobre os
temas mudança de comportamento e metodologia da problematização a partir de artigos
que tratavam sobre esses assuntos
As reuniões ocorreram nos dias: 19 de março, 02 de abril, 14 de abril, 17 de
abril, 07 de maio, 18 de maio, 08 de junho, 15 de junho, 28 de junho, 06 de julho e 20
de agosto, com duração de aproximadamente 1h cada uma.
O acompanhamento das atividades de cada grupo de monitores foi realizado
via email e via moodle semanalmente, a partir dos relatórios sobre o planejamento e
realização das aulas práticas nas unidades de saúde. Ou em reuniões especificas,
conforme a necessidade.
d) Aulas teóricas
Durante este período (março a agosto) estive presente em todas as aulas teóricas
da disciplina Seminário Integrador I, exceto a aula referente ao tema equipe
interdisiciplinar. As aulas sob minha responsabilidade foram as aulas sobre Aspectos
Culturais e saúde, além das aulas sob responsabilidade de todos os tutores (discussão
das aulas práticas, busca de evidências e apresentação das atividades realizadas). Tais
atividades referem-se ao primeiro semestre. As aulas teóricas do segundo semestre,
ministradas no mês de agosto, foram as seguintes: Introdução ao Seminário Integrador I,
Conceitos de Saúde-doença, Fatores culturais e saúde, Midia e Saúde, APS Territorialização e Meio Ambiente e Saúde. Participei de ambos os dias de aula (21 e 28
de agosto), tendo sido responsável pelos temas Mídia e Meio Ambiente relacionados à
saúde.
e) Acompanhamento das atividades práticas
Nos dias previstos no cronograma para as atividades práticas realizei, na forma
de rodízio, visitas nas Unidades de Saúde para acompanhamento das atividades na
Unidade de Saúde (US) Barão de Bagé, na US Bananeiras, na US SESC, na US São
José e US Parque dos Maias. O total de cinco unidades sob minha responsabilidade é
pelo fato de que na US São José foram alocados dois grupos de alunos,
consequentemente com a monitoria de 4 alunos.
O acompanhamento também é realizado pela leitura semanal dos diários que os
alunos colocam na sala virtual da disciplina.
US Barão de Bagé
Nesta Unidade de saúde o grupo realizou um projeto para verificar o grau de
importância atribuído aos problemas de saúde de acordo com a percepção da
comunidade. Foi elaborado um questionário com a abordagem sobre o conceito de
saúde, bem-estar, lazer e acesso à unidade de saúde. Os resultados apresentados são
subsídios para compreender as expectativas e vivências dos usuários em relação aos
contextos sociais, culturais e de saúde. A relação entre higiene, bem-estar, alimentação,
acesso à US, alegria e felicidade e saúde apresentada pela comunidade é uma ferramenta
para intervenções da equipe de saúde.
UBS Bananeiras
O lixo foi um tema eleito, pelos moradores de uma comunidade, como um problema
relevante. Em um encontro com moradores da comunidade, profissionais de saúde e
professores de uma escola infantil foram realizadas palestra e dinâmica de grupo focal
para abordagem sobre os perigos e potenciais resoluções a curto e médio prazo.
US Parque dos Maias
Os acadêmicos desta unidade realizaram a busca ativa de usuários cadastrados no
grupo de hipertensos e considerados com baixa adesão. A proposta dessa pesquisa foi
restabelecer o vinculo com a atividade de educação em saúde realizada em grupo. Esse
trabalho possibilitou o entendimento dos motivos da não participação atividade de
grupo ofertada equipe de saúde. Os resultados permitiram melhorar o processo de
sensibilização da população para participar do grupo.
UBS São José
O tema qualidade de vida com ênfase em rede social foi o propósito para criação de
um grupo de convivência de idosos. O grupo surgiu a partir grande demanda de pessoas
desse grupo etário e, segundo a percepção desse grupo uma atividade de convivência
atenderia ao fortalecimento de rede social, como também ações educativas em saúde
com enfoque de acordo com a demanda do próprio grupo. As atividades foram
organizadas de forma que cada encontro fossem realizadas atividades de lazer (jogos e
dança) além palestras e lanches educativos (degustação de preparações alimentares). Os
temas abordados foram sobre diabetes, hipertensão e obesidade.
US SESC
O grupo realizou uma atividade educativa em uma escola da área de abrangência da
US. O tema prevenção de parasitoses através da higiene pessoal e dos alimentos foi
escolhido devido a alta taxa de parasitoses como um dos problemas vividos pela
comunidade. Além de considerar a crianças como multiplicadoras de práticas saudáveis.
Foi realizada uma peça de teatro pedagógica para alunos da 1ª a 3ª série do ensino
fundamental. A proposta foi de um teatro interativo em que as crianças se integrassem
aos personagens e fizessem um exercício de fixação sobre motivos para cada prática
referente a higiene pessoal. Com isso, foi possível dar continuidade a proposta de
atividade de extensão realizada pela equipe da US junto à escola.
Todas estas ações foram desenvolvidas seguindo a metodologia da problematização
Manguarez, sendo que cada grupo observou a realidade, elencou pontos-chave, buscou a
literatura sobre o tema, gerou hipóteses de solução e desenvolveu a ação com a
comunidade.
f) Projeto de pesquisa
O projeto de pesquisa intitulado “Avaliação da auto-percepção da qualidade
de vida e sua correlação com a espiritualidade/religiosidade em adultos de uma
comunidade da periferia da cidade de Porto Alegre – RS” até o mês de agosto foi
elaborado e encaminhado para o Comitê de Ética em Pesquisa do Grupo Hospitalar
Conceição (GHC). Foram realizadas reuniões com os preceptores do GHC, pois são
estes que compõe a equipe de profissionais que realizarão a pesquisa, além de um
pesquisador da Escola de Saúde Pública – RS, especialista nessa linha de pesquisa e de
um professor da UFCSPA, também coordenador de projetos de pesquisa do GHC.
Os encontros realizados no GHC ocorreram nos dias: 26 de março, 14 de abril, 26
de maio, 02 de junho e 14 de julho. Entre abril a agosto as reuniões com os monitores
tiveram como pauta a apresentação de artigos sobre o tema e também inicio do
treinamento para coleta de dados. A previsão de encerramento das entrevistas é abril de
2010.
h) Participação como membro do NECAAB – UFCSPA
O grupo de tutores, junto com os Pró-Reitores de Graduação e de Extensão e
Assuntos Comunitários criaram o Núcleo de Excelência Clínica Aplicada à Atenção
Básica. Dentre os membros desse núcleo estão os tutores, preceptores e monitores do
PET-Saúde. Cada tutor se responsabilizou por convidar os preceptores e monitores.
Além de ser membro do núcleo como tutor, também, represento o corpo docente do
Curso de Nutrição. As reuniões ocorreram nos dias 24 de junho, 15 de julho e 19 de
agosto tendo como pauta a apresentação da proposta do núcleo e a elaboração do
regimento. Para seguir uma segunda etapa da elaboração do regimento foi criada uma
comissão composta por um professor da universidade, um profissional do serviço de
saúde conveniado com a universidade e um aluno. Fiz parte dessa comissão que se
reuniu no dia 3 de julho. Na reunião do mês de agosto foi apresentado o regimento e
este finalizado.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Todas as atividades desenvolvidas pelos grupos foram discutidas com as equipes
com a possibilidade destas se manterem nos próximos semestres. As discussões sempre
foram pautadas no propósito de que as atividades devem qualificar o serviço de saúde,
pois não há interesse que as atividades sejam pontuais sem a possibilidade de
continuidade pela equipe.
As dificuldades encontradas no segundo semestre foi para adequação das US quanto
à equipe de saúde da família. A adequação foi realizada com sucesso. Foram realizadas
reuniões com os novos preceptores para esclarecimentos sobre a metodologia adotada
para implantação da disciplina.
Professora Aline Souza
INTRODUÇÃO
Este relatório descreve as atividades desenvolvidas durante os meses de março a
agosto de 2009 da tutora, no Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde (PET
Saúde). Iniciei o meu envolvimento no PET Saúde UFCSPA ainda em fevereiro com os
outros tutores em reuniões para planejamento das atividades do semestre.
As atividades abrangem sete áreas: a) reuniões com tutores, b) reuniões com
preceptores, c) reuniões com monitores, d) aulas teóricas, e) acompanhamento das
atividades práticas e diários pela Plataforma MOODLE, f) desenvolvimento de projeto
de pesquisa e g) Apresentação de trabalhos em eventos científicos.
A seguir serão descritas as atividades em cada uma das áreas.
DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
b) Reuniões com os preceptores
Nos encontros específicos com os preceptores do meu grupo foram discutidas
questões específicas de cada local de atividade. Estes encontros ocorreram
presencialmente nos dias: 03 de março, 26 de março, 31 de março, 23 de abril, 08 de
julho. O acompanhamento das atividades dos preceptores também é realizado pelo
telefone conforme a necessidade de cada um.
c) Reuniões com os monitores
Os encontros com os monitores tiveram o objetivo de acompanhar as
atividades práticas desenvolvidas, bem como a preparação do projeto de pesquisa. Os
monitores foram orientados a realizar uma revisão da literatura sobre acesso aos
serviços de saúde e sobre ações de combate ao tabagismo. Foi criada uma pasta na sala
virtual no moodle da disciplina Seminário Integrador I, onde eles postaram os artigos
pesquisados e fichas de leituras. Cada monitor apresentou o artigo pesquisado e junto
com eles teve início a estruturação do projeto de pesquisa intitulado: Ações de combate
ao tabagismo na Atenção Primária à Saúde (APS). As reuniões ocorreram nos dias: 03
de março, 10 de março, 18 de março, 25 de março, 01 de abril, 08 de abril, 15 de abril,
22 de abril, 06 de maio, 13 de maio e 27 de maio, 10 de junho, 17 de junho, 24 de
junho, 08 de julho, 15 de julho, 18 de agosto e 25 de agosto, com duração de
aproximadamente 1h cada uma.
d) Aulas teóricas
Durante este período (março a agosto) estive presente em todas as aulas teóricas
da disciplina Seminário Integrador I. As aulas que ficaram sob minha responsabilidade
foram: Práticas terapêuticas, Hábitos de Higiene na Comunidade, Interdisciplinaridade e
Trabalho em Equipe.
e) Acompanhamento das atividades práticas
Nos dias previstos no cronograma para as atividades práticas realizei, na forma
de rodízio, visitas nas Unidades de Saúde para acompanhamento das atividades na ESF
Viçosa, na ESF Herdeiros, na US Conceição, na UBS Panorama e no CS Modelo. O
acompanhamento também é realizado pela leitura semanal dos diários que os alunos
colocam na sala virtual da disciplina.
ESF Viçosa
Nesta Unidade de saúde o grupo realizou um projeto de cadastramento e avaliação
das pessoas acamadas residentes na área de abrangência. Esta atividade teve grande
contribuição para a equipe de saúde, visto que a partir deste projeto os profissionais
puderam conhecer o perfil dos acamados e seus cuidadores, podendo assim organizar
um programa de cuidado para esta população.
ESF Herdeiros
Nesta unidade de saúde o grupo realizou um projeto que abordou o tema da
alimentação para pessoas com hipertensão arterial sistêmica (HAS). Os alunos,
monitores e preceptora organizaram uma atividade educativa para os agentes
comunitários de saúde com uma nutricionista. Desta forma, as informações podem ser
multiplicadas para as pessoas com HAS. O grupo também elaborou um folder com dicas
de alimentação saudável que foi disponibilizado na unidade de saúde. A atividade
contribuiu na educação permanente dos agentes comunitários, sendo, esta uma forma de
valorização destes profissionais.
US Conceição
Em função de a população atendida por esta unidade ser de classe média, e não
utilizar com freqüência os serviços que esta oferece. Então o grupo teve a idéia de
construir um web site com todas as informações sobre os serviços oferecidos pela UBS.
Desta forma, a população que em sua maioria tem acesso a internet tem o acesso
facilitado a unidade.
UBS Panorama
O grupo que realizou atividades na UBS Panorama realizou uma pesquisa de
avaliação da satisfação de usuários e funcionários em relação aos serviços oferecidos.
Ao final do período foi realizada uma reunião com os funcionários onde foram
apresentados todos os resultados e os profissionais puderam refletir sobre a sua prática.
O retorno para os usuários foi realizado por meio de um banner que ficou na unidade.
CS Modelo
Os acadêmicos desta unidade realizaram atividades em uma das comunidades
atendidas pelo serviço com enfoque na questão do lixo. Foram realizadas atividades
com as crianças da creche comunitária, e também uma campanha de vacinação contra o
tétano e a hepatite B, visto que a maioria dos moradores trabalha com coleta de
materiais recicláveis e há o risco de contaminação.
f) Projeto de pesquisa
O projeto de pesquisa está em fase de coleta de dados, foram realizadas inúmeras
reuniões e encontros com os monitores, com o preceptor da US Conceição e com
professora da Enfermagem UFCSPA. O tema escolhido foi avaliação das ações de
combate ao tabagismo que são desenvolvidas na APS. Foi realizado também um
encontro com a equipe de Monitoramento e Avaliação da APS do Grupo Hospitalar
Conceição a fim de se avaliar o interesse do serviço para a realização desta pesquisa. Os
encontros realizados no GHC ocorreram nos dias: 26 de março, 31 de março, 16 de abril
e 23 de abril. O projeto foi encaminhado e aprovado pelos Comitês de Ética em
Pesquisa da UFCSPA e do GHC. A previsão é que até abril de 2010 estarão encerradas
as entrevistas da primeira fase do projeto, que engloba os participantes (n: 235) e
coordenadores (n: 8) dos grupos de fumantes.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Todas as atividades desenvolvidas pelos grupos foram discutidas com as equipes
com a possibilidade destas se manterem nos próximos semestres. Acredito que todas
tiveram a sua parcela de contribuição para o trabalho da equipe e comunidades, porém
para medirmos resultados ainda é muito recente.
Professora Maria Eugenia Bresolin Pinto
INTRODUÇÃO
Este relatório descreve as atividades desenvolvidas durante os meses de março a
agosto de 2009 da tutora, no Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde (PET
Saúde). Iniciei o meu envolvimento no PET Saúde UFCSPA ainda em fevereiro com os
outros tutores em reuniões para planejamento das atividades do semestre.
DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
b) Reuniões com os preceptores
Nos encontros específicos com os preceptores do meu grupo foram discutidas
questões específicas de cada local de atividade. Estes encontros ocorreram
presencialmente nos dias: 03 de março, 26 de março, 31 de março, 23 de abril, 08 de
julho. O acompanhamento das atividades dos preceptores também é realizado pelo
telefone conforme a necessidade de cada um, via sala virtual (Moodle).
c) Reuniões com os monitores
Os encontros com os monitores tiveram o objetivo de acompanhar as atividades
práticas desenvolvidas, bem como a preparação do projeto de pesquisa. Os monitores
foram orientados a realizar uma revisão da literatura sobre acesso aos serviços de saúde
e sobre ações de combate ao tabagismo. Foi criada uma pasta na sala virtual no moodle
da disciplina Seminário Integrador I, onde eles postaram os artigos pesquisados e fichas
de leituras. Cada monitor apresentou o artigo pesquisado e junto com eles teve início a
estruturação do projeto de pesquisa intitulado: “Abordagem Centrada na Pessoa em
Unidades de Saúde de Porto Alegre: A percepção de quem é cuidado”. As reuniões
ocorreram 4 em março, 3 em abril, 3 em maio, 2 em junho, 3 em julho, 2 em agosto e 3
em setembro e 2 em outubro.
d) Aulas teóricas
Durante este período (março a agosto) estive presente em todas as aulas teóricas
da disciplina Seminário Integrador I. As aulas que ficaram sob minha responsabilidade
foram: fatores sócio-culturais e a influencia na saúde e na doença, Historia Natural das
doenças, Níveis de prevenção, Mudança de Hábitos na comunidade e nos individuos.
e) Acompanhamento das atividades práticas
Nos dias previstos no cronograma para as atividades práticas realizei, na forma
de rodízio, visitas nas Unidades de Saúde para acompanhamento das atividades na SF
Costa e Silva, na US Conceição, na SF Divina Providencia e no US COINMA. O
acompanhamento também é realizado pela leitura semanal dos diários que os alunos
colocam na sala virtual da disciplina.
ESF Costa e Silva
Nesta unidade de saúde o grupo realizou um projeto que ayuxiliou a implemtnação
de um grupo de hipertensão arterial sistêmica (HAS). Os alunos, monitores e preceptora
organizaram uma atividade educativa para a comunidade orientando sobre as
complicações da doença e forma de tratamento. O grupo também elaborou um folder
com dicas de alimentação saudável que foi disponibilizado na unidade de saúde. Houve
o envolvimento também dos profissionais da unidade de saúde, pois a manutenção do
grupo será realizada pelos residentes e pela MFC da unidade.
US Conceição – 2 preceptores
Em função de a população atendida por esta unidade ser de classe média, e não
utilizar com freqüência os serviços que esta oferece. Então o grupo teve a idéia de
construir um web site com todas as informações sobre os serviços oferecidos pela UBS.
Desta forma, a população que em sua maioria tem acesso a internet tem o acesso
facilitado a unidade.
SF Divina Providencia
Ao conhecer a realizada desta unidade de saúde e de sua população foi identificado
pelo grupo que o numero de casos de tuberculose (TB) foram identificados é superior ao
esperado pelas projeções epidemiológicas. O grupo que realizou atividades na UBS
decidiu aumentar o conhecimento geral da população sobre TB, objetivando aumentar o
número de Sintomáticos Respiratórios identificados e investigados. O grupo criou
panfletos auto-explicativos que mostram para população quais são os principais sinais e
sintomas da TB, estimulando as pessoas a perceberem alguém que possa estar com a
doença, encaminhando essa pessoa à Unidade. A linguagem moderna e clara utilizada
foi importante para que no momento esteja em tramitação o processo de inclusão dessa
abordagem não apenas nesta unidade, mas também em todas as unidades de saúde do
serviço de saúde comunitária do GHC.
SF COINMA – 2 preceptores
Nos encontros na Unidade de Saúde Coinma, envolvendo visitas ao território,
conhecimento e vivência da rotina da unidade bem como conversas com moradores da
comunidade. Com o conhecimento construído nos encontros e com o uso da
metodologia de problematização, o grupo decidiu abordar a promoção de saúde em uma
ação em uma escola pública da região. A atividade ocorreu por meio de uma Feira de
Saúde realizada na Escola Estadual Toyama, abrangendo quatro setores – nutrição e
promoção de hábitos de higiene para crianças estudantes de 1ª a 4ª série e prevenção de
drogas e educação sexual para 5ª a 8ª série.
Todas estas ações foram desenvolvidas seguindo a metodologia da problematização,
onde o grupo observou a realidade, elencou pontos-chave, buscou a literatura sobre o
tema, gerou hipóteses de solução e desenvolveu a ação com a comunidade.
f) Projeto de pesquisa
Dois projetos de pesquisa estão sendo desenvolvidos, ambos no comitê de ética
do Grupo Hospitalar Conceição: um sobre a “Abordagem Centrada na Pessoa em
Unidades de Saúde de Porto Alegre: A percepção de quem é cuidado” e outro sobre
“Conhecimento dos profissionais de saúde inseridos em unidades de saúde do serviço de
saúde comunitária grupo hospitalar conceição sobre a atuação fonoaudiológica”. O
segundo esta sendo desenvolvido em conjunto com as monitoras que são da área da
fonoaudiologia.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Todas as atividades desenvolvidas pelos grupos foram discutidas com as equipes
com a possibilidade destas se manterem nos próximos semestres. Acredito que todas
tiveram a sua parcela de contribuição para o trabalho da equipe e comunidades, porém
para medirmos resultados ainda é muito recente.
Professor Marcelo Gonçalves Rodrigues
INTRODUÇÃO
Este relatório descreve as atividades desenvolvidas durante os meses de março a
agosto de 2009 do tutor, no Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde (PET
Saúde). As atividades foram iniciadas em fevereiro, através de
reuniões para
planejamento das atividades do semestre com os outros tutores do programa.
b) Reuniões com os preceptores
Inicialmente, foi apresentada a proposta do PET-Saúde / UFCSPA, a
organização das atividades teóricas e práticas, além da metodologia da problematização.
Esta metodologia está sendo desenvolvida em cada uma das Unidades de Saúde e os
preceptores realizaram várias discussões sobre sua aplicabilidade. Realizou-se encontros
em duas manhãs de sábado nas dependências da universidade. Nos encontros
específicos dos preceptores do grupo foram discutidas questões específicas de cada
local de atividade, além de discutidas questões relativas ao projeto de pesquisa. O
acompanhamento das atividades dos preceptores também foi realizado por telefone e
visitas aos campos de estágio, conforme a necessidade de cada um.
c) Reuniões com os monitores
Os encontros com os monitores tiveram o objetivo de acompanhar as atividades
práticas desenvolvidas, bem como a preparação do projeto de pesquisa. Os monitores
foram orientados a realizar uma revisão da literatura sobre acesso atendimento
domiciliar e sobrecarga de cuidadores, sendo discutidos nas reuniões quinzenais
realizadas na UFCSPA.. Cada monitor apresentou o artigo pesquisado e junto com eles
teve início a estruturação do projeto de pesquisa intitulado: Avaliação da sobrecarga dos
cuidadores de pacientes inscritos no Programa de Atendimento Domiciliar das unidades
de saúde do SSC/HNSC – Estudo transversal”. As reuniões foram com uma
periodicidade quinzenal, com duração aproximada de 1hora.
d) Aulas teóricas
Durante este período (março a agosto), a participação do tutor deu-se em
diversas aulas teóricas da disciplina Seminário Integrador I. As aulas ministradas pelo
tutor foram: Territorialização; Cultura, Saúde e Doença e Diagnóstico de Comunidade.
e) Acompanhamento das atividades práticas
Nos dias previstos no cronograma para as atividades práticas foram realizadas,
na forma de rodízio, visitas nas Unidades de Saúde para acompanhamento das
atividades na ESF Pitoresca, na ESF Lomba do Pinheiro, ESF Ernesto Araújo, na US
Barão de Bagé, US Coinma e na US Jd Itu. O acompanhamento também foi realizado
pela leitura semanal dos diários que os alunos colocam na sala virtual da disciplina.
ESF Pitoresca
Nesta Unidade de saúde o grupo realizou um projeto de trabalhar com crianças da
Escola Municipal de Ensino Infantil Jardim Bento Gonçalves, sendo esta a creche da
área de abrangência da equipe. Foram realizados jogos educativos e atividades sobre a
temática do cuidado / destino do lixo domiciliar.
ESF Lomba do Pinheiro
Nesta unidade de saúde o grupo realizou um projeto que abordou o tema gestação na
adolescência, sendo identificado como um dos principais problemas do local, em
levantamento realizado com a equipe, escola, acadêmicos e comunidade. A intervenção
deu-se na Escola Estadual Rafaela Remião, onde se conversou com adolescentes da 8ª
série do ensino fundamental e 1º ano do ensino médio.
ESF Ernesto Araújo
O grupo identificou como demanda do território a falta de grupos de educação em
saúde, através de relatos de membros da comunidade, demandas da equipe e prevalência
de HAS e DM como morbidades importantes na região. Organizou-se material
educativo e palestras para a comunidade. A atividade, além de ajudar na reestruturação
dos grupos na unidade, auxiliou na percepção da importância do trabalho em equipe.
US Coinma
O grupo de trabalho identificou como problema a falta de ações de promoção de
saúde junto a comunidade, principalmente escolares. O projeto foi de realizar uma Feira
de Saúde, com objetivos de promover saúde pela base (crianças e adolescentes), ligando
esse conceito à definição de educação, além de fortalecer o vínculo entre a Unidade de
Saúde e a comunidade.
Os temas sugeridos pela escola foram: Educação nutricional, educação sexual e
prevenção ao uso de drogas. Além desses temas, foi incorporado a recreação infantil,
voltada para hábitos de higiene.
Os alunos e preceptores envolvidos acreditam que a feira foi útil para fornecer um
projeto de promoção de saúde para comunidade (à escola, nessa situação), que poderá
ter continuidade, e dessa forma, fortalecer o vínculo com a Unidade de Saúde.
US Barão de Bagé
As atividades desenvolvidas pelo grupo foram avaliar a percepção de saúde e
doença dos usuários da unidade de saúde, além de um breve diagnóstico de
comunidade. Eleito como problema principal, a escolha partiu da discussão sobre as
diferentes visões de saúde e doença que temos, de acordo com nossas vivências,
culturas e estrato social.
Após a análise dos questionários, concluiram que problemas percebidos por eles,
alunos e monitores (gravidez na adolescência entre outros), não tinham a mesma
repercussão entre os moradores daquela comunidade, assim como questões de saúde,
educação, cultura e lazer. Além disso, puderam vivenciar outros pontos positivos, tais
como a introdução dos alunos à elaboração de um projeto de pesquisa (aplicação de
questionários e análise de dados), a elaboração de um diagnóstico de comunidade e a
oportunidade de uma maior aproximação com os usuários dos serviços de saúde, através
das próprias entrevistas, encontro com moradores importantes e antigos da comunidade,
caminhadas, etc.
US Jardim Itu
O trabalho desenvolvido na unidade de saúde do Jd Itu teve como tema escolhido
para intervenção o “Combate ao Crack na Escola”, em parceria com a preceptora local
responsável e com funcionários do serviço de Psicologia da UBS, através do método de
“problematização”. A partir da definição, foram discutidos artigos relacionados ao
consumo de crack e elaboração de um esboço do projeto de intervenção na comunidade
"Combate ao Crack na Escola".
Realizou-se visita à Escola Estadual Itália para apresentação da proposta de
intervenção à direção e à coordenação pedagógica e, após a concordância de todos
envolvidos, iniciou-se a preparação para o trabalho com os alunos da Escola Estadual
Itália e discussão sobre como abordar o assunto de drogas com crianças.
A intervenção ocorreu com os alunos da sexta série do ensino fundamental, através
de dinâmicas de grupo, roda de conversa (com perguntas e respostas), além da
distribuição de material informativo.
Ao final da atividade, realizou-se avaliação, tanto na escola quanto na unidade de saúde,
sendo positiva.
f) Projeto de pesquisa
O projeto de pesquisa está em fase de aprovação nos Comitês de Ética em
Pesquisa das instituições envolvidas (UFCSPA e Grupo Hospitalar Conceição). Foram
realizadas reuniões com os monitores e preceptores envolvidos no projeto, os quais
participaram de todas as etapas de elaboração, incluindo as revisões finais do
instrumento de pesquisa e organização do projeto piloto. O tema identificado pelas
instituições envolvidas foi a avaliação do serviço de atendimento domiciliar, enfocado
na sobrecarga dos cuidadores informais. A previsão de aplicação dos questionérios é de
60 – 90 dias, onde se espera concluir até janeiro de 2010. Revisão de literatura, entrada
dos dados e controle de qualidade serão feitas concomitantes.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Todas as atividades desenvolvidas pelos grupos foram discutidas com as equipes e
comunidades, com a possibilidade destas se manterem nos próximos semestres.
Apresentação de trabalhos em eventos científicos referentes ao Seminário
Integrador I
X Congresso Iberoamericano de Extension Universitaria – 5 a 9 de outubro,
Montevideo, Uruguai: Apresentação ORAL
• “Experiência Interdisciplinar Em Equipe Multiprofissional Na Graduação Na
Atenção Primária A Saúde - Pet-Saúde UFCSPA”
Autores: Maria Eugênia Bresolin Pinto, Aline Corrêa de Souza, Cíntia Mendes
Gama, Marcelo Rodrigues Gonçalves.
II Semana Científica da UFCSPA - 13 a 16 de outubro 2009, Porto Alegre.
Categoria: Programa de Educação pelo Trabalho
• Intervenção educacional para controle Hipertensão Arterial
Acadêmicos: Amanda dos Santos Fragoso, Claudia Raulino Tramontt, Moacyr
Christopher G. G. Salem, Nathan Lucchese Bellé, Aline Corrêa de Souza (Tutora
PET)
•
Avaliações das Ações de Combate ao Tabagismo na Atenção Primária a Saúde
Priscila Bisotto Nunes, Larissa Garcia, Daniele Harter e Samira Gonçalves
(Monitoras PET), Aline Corrêa de Souza (Tutora PET)
•
Avaliação do Grau de Satisfação dos Usuários e Funcionários de uma unidade
Básica de Saúde
Samira Gonçalves, Priscila Bisotto Nunes, Larissa Garcia, Daniele Harter
Monitoras PET), Aline Corrêa de Souza (Tutora PET)
•
Construindo um Site como Alternativa de Comunicação entre a Unidade e a
Comunidade
Acadêmicos: Michele Janaina Gracioli. Amanda Linn, Diana, Aline Corrêa de
Souza, Maria Eugenia Pinto (Tutoras PET)
•
Agentes Comunitários de Saúde e a Importância desse Profissional na APS
Patrícia Keitel da Silva, Mariana Reis (Monitoras PET), Aline Corrêa de Souza
(Tutora PET)
• Programa de Educação para o Trabalho: Avaliação da Disciplina Seminário
Integrador
Acadêmicos: Maria Laura Louzada (bolsista de iniciação à docência)
Aine Corrêa de Souza, Cíntia Mendes Gama, Marcelo Rodrigues Gonçalves,
Maria Eugênia Bresolin Pinto (Tutores PET)
•
“Avaliação da adesão ao tratamento para hipertensão em um grupo de
hipertensos atendidos na Unidade de Saúde Parque dos Maias”
Acadêmicos: Willian R. Menegazzo, Maria Laura Louzada, Letícia Mariani
Preceptor: Rosane Glasenapp
Tutor: Cíntia Mendes Gama
• “Entendendo o Paciente em seu Contexto Social, Cultural e de Saúde, Sob sua
Óptica: um Relato de Caso”
Acadêmicos: Luiz Artur Portella, Gessica Steindorff, Priscila Daht, Thanielle
Simionato, Eduardo Staevie, Letícia Ruas, Giovanna Lopes, Luiza Flores, Marcelo
Maineri, Rodrigo Mariano, Thiago Araujo
Preceptores: Lena de Lima, Silvia Tramontini
Tutores: Cíntia Mendes Gama, Marcelo Rodrigues Gonçalves
• “Reinclusão social do idoso na rede de Atenção Primária à Saúde”
Acadêmicos: Andresa Nery, Camila Gadenz, Fernanda Goltz, Maite Moraes
Preceptores: Márcia Lago, Vânia Caurio
Tutor: Cíntia Mendes Gama
• “Promoção de hábitos de higiene na escola Marechal Mallet”
Acadêmicos: Mariana de Leon Ferreira Lupchinski; Natassia Lehmann
Preceptor: Margaret Ivanir Schneider
Tutor: Cíntia Mendes Gama
• "Como Cuidar do Seu Lixo"
Acadêmicos: Marcelo Kemel Zago, Aline Dal Pozzo Antunes
Preceptor: Nina Rosa Britto Araujo
Tutor: Cíntia Mendes Gama
“Relato de Experiência: Atividade de Acadêmicos Monitores do Projeto PETSaúde na Unidade Básica de Saúde Hospital Conceição, no Primeiro Semestre
de 20”
Acadêmico Leonardo Olijnyk
Preceptor: Jose Mauro Lopez
Tutor Maria Eugenia Pinto
Este trabalho tirou primeiro lugar na categoria PET-Saúde da II Semana
Científica da UFCSPA de 2009
•
“Fonoaudiologia na Atenção Primária à Saúde: Conhecimento dos Profissionais
de Saúde Inseridos nas Unidades do Serviço de Saúde Comunitária do Grupo
Hospitalar Conceição.”
Acadêmica: Christiane Koehler
Tutor: Maria Eugenia Bresolin Pinto
•
• “Intervenção de alunos da UFCSPA em uma Unidade de Saúde de Porto Alegre”
Acadêmicos: Luisa Muller e Bruno Prado
Preceptora: Leda Curra
Tutor: Maria Eugenia B Pinto
Entendendo o Paciente em seu Contexto Social, Cultural e de Saúde, Sob sua
Óptica: um Relato de Caso.
PORTELLA, LAC; DAHT, P; SIMIONATO, T; STEINDORFF, GN (Monitores);;
ARAUJO, TB; LOPES, G; MAINERI, M; MARIANO, R; DA SILVA, LR;
STAEVIE, EO; THOMPSON FLORES, LFC (Acadêmicos). DE LIMA, L;
TRAMONTINI, S (Preceptoras); GONÇALVES, MR; GAMA, CM (Tutores);
•
• Lomba Do Pinheiro: Uma Aprendizagem Baseada na Problematização
HESSEL,CT; PEDROLLO, EF (Monitoras); BURLACENCKO, L (Preceptora);
GONÇALVES, MR (Tutor)
• Implantação de Grupo de Hipertensão e Diabetes no PSF Ernesto Araújo
BRAGA, DO; SILVA RMF (Monitoras); FIN, EO; ERNANI, L; RECH, PVB;
MANTELLI, RA (Acadêmicos); STÜRMER PL (Preceptor); GONÇALVES, MR
(Tutor).
Integração Ensino-serviço: o PET-SAÚDE como Proposta de Intervenção na
Realidade de uma Comunidade e sua Unidade de Saúde
MATTIAZZI, AP; SIQUEIRA, GB (Monitores); Gonçalves, MR (Tutor).
•
Categoria: Programa de Iniciação Científica
•
“Programa de Educação para o Trabalho: Avaliação da Disciplina Seminário
Integrador”
Acadêmicos: Maria Laura Louzada
Tutor: Aline Corrêa de Souza, Cíntia Mendes Gama, Marcelo Rodrigues
Gonçalves, Maria Eugênia Bresolin Pinto.
47° Congresso Brasileiro de Educação Médica - COBEM 2009 20 a 25 de outubro,
Curitiba
• Agentes Comunitários de Saúde e a Importância Desse Profissional na APS
Patrícia Keitel da Silva, Mariana Reis (Monitoras PET), Aline Corrêa de Souza, Maria
Eugenia Pinto (Tutoras PET)
4º Congresso Multidisciplinar de Saúde Comunitária do MERCOSUL 28 a 30 de
outubro de 2009, Gramado - RS
• Experiência interdisciplinar em equipe multiprofissional na graduação em
cenário de atenção primaria a saúde - PET-saúde UFCSPA
Tutores: Aline Corrêa de Souza, Cíntia Mendes Gama, Marcelo Rodrigues Gonçalves,
Maria Eugênia Bresolin Pinto.
•
Metodologias para Avaliação da Sobrecarga de Cuidadores: Revisão de
Literatura
BRAGA, DO; SILVA RMF (Monitoras); GONÇALVES, MR (Tutor)
XVI Jornada Fonoaudiológica de Bauru " Profª. Drª. Kátia de Freitas Alvarenga",
de 26 a 29 de agosto de 2009 em Bauru, São Paulo, foi apresentado o painel:
• " CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE INSERIDOS EM
UNIDADES DO SERVIÇO DE SAÚDE COMUNITÁRIA DO GRUPO
HOSPITALAR
CONCEIÇÃO
SOBRE
A
ATUAÇÃO
FONOAUDIOLÓGICA".
Autores: Reis, Mariana Citton Padilha dos; Keitel, Patrícia; Koehler, Cristine;
Bortolini, Vaneila; Gadenz, Camila Dalbosco; Bier, Bianca de Almeida; Nery,
Andresa Ramos; Pinto, Maria Eugênia Bresolin; Damiani, Lizandra Konflanz de
Lima.
17º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia e 1º Congresso Ibero-Americano de
Fonoaudiologia, 21 a 24 de outubro de 2009 em Salvador, Baiha, foi apresentado o
painel:
• “ANÁLISE DO CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
INSERIDOS NAS UNIDADES DE SAÚDE DO SERVIÇO COMUNITÁRIO
DO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO EM RELAÇÃO AO TRABALHO
FONOAUDIOLÓGICO”
Autores: Keitel, Patrícia; Reis, Mariana Citton Padilha dos; Koehler, Cristine;
Bortolini, Vaneila; Gadenz, Camila Dalbosco; Bier, Bianca de Almeida; Nery,
Andresa Ramos; Pinto, Maria Eugênia Bresolin; Damiani, Lizandra Konflanz de
Lima.
NECAAB
Em abril de 2009 foi encaminhado a Pro-reitoria de Graduação e a Pro-reitoria
de extensão e assuntos comunitários a solicitação de criação do Núcleo de Excelência
em Clínica Aplicada a Atenção Básica (NECAAB) com a seguinte formação:
I - Bolsistas das três modalidades de bolsas previstas no PET - Saúde;
• 5 Tutores Acadêmicos:
• 5 representantes dos preceptores e 5 suplentes:
• 5 representantes dos bolsistas de iniciação a docência e 5 suplentes;
II – Um docente representante de cada curso da UFCSPA, a saber: Biomedicina,
Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Medicina, Psicologia;
III - Professores e/ou pesquisadores vinculados aos cursos de graduação integrantes do
PET-Saúde;
IV – Serão eleitos no inicio de 2009 um aluno representante e um suplente de cada
curso de graduação da Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia,
Nutrição, Medicina, Psicologia.
V – Outros
Um representante da SMS de Porto Alegre nível central
Um representante da SMS de Porto Alegre gerência distrital onde ocorre o projeto PETSaúde;
Um representante do SSC- GHC;
Um representante da Pró-reitoria de graduação;
Um representante da Pró-reitoria de extensão e assuntos comunitários;
Desde maio vêm ocorrendo reuniões mensais, onde são discutidos assuntos
referentes a estruturação do próprio NECAAB com o seu regimento interno (ANEXO
IV) que está aguardando a aprovação no Conselho de Ensino e Pequisa (CONSEPE)
desta instituição. No mês de setembro foi apresentado um relato dos projetos PETSaúde no primeiro semestre e discutido as dificuldades e metas alcançadas. No sem de
outubro foi empossado o Professor Marcelo Rodrigues Gonçalves como coordenador do
NECAAB. Dentre as metas a serem desenvolvidos está a criação de um distrito
docentes assistencial na região norte de Porto Alegre em parceria com a SMS e o
Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição, gerenciado pelo
Ministério da Saúde, proporcionando desta forma uma consolidação do processo de
integração ensino serviço, principalmente no cenário da APS.
CONSIDERAÇÕES FINAIS do RELATÓRIO
Os projetos do PET-Saúde da UFCSPA mostraram-se importantes em diferentes
aspectos dentro da Universidade. Entre estes aspectos encontra-se a valorização do
cenário da APS como ambiente de ensino e a quebra de alguns paradigmas relacionados
aos serviços de saúde vinculados ao SUS, tais como qualidade da atenção prestada à
população, dedicação e comprometimento dos profissionais, além da superação diária
dos atritos e insuficiências com diálogo e conhecimentos.
No curso de Biomedicina, a saúde pública despertou um interesse renovado
como área de atuação. Embora faça parte do currículo e seja uma possibilidade como
área de atuação do biomédico, as atividades desenvolvidas nesta área ficavam restritas
ao campo teórico e visitas a locais de assistência, apenas com intuito observacional.. Os
trabalhos desenvolvidos na disciplina de Biossegurança obtiveram destaque dentro desta
e de outras instituições, principalmente nos congressos em que foram apresentados e no
Conselho de Biomedicina., que,em visita realizada à UFCSPA no dia 07/10/2009,
através do Delegado do Conselho Regional de Biomedicina - 1ª região, Dr. Renato
Minozzo, ouviu da diretora do Curso de Biomedicina, Dra Liane Rotta, as ações
desenvolvidas pelo Curso no Programa PET - Biossegurança Aplicada à Comunidade,
sob coordenação da Profª Cláudia Bica. O conselheiro elogiou o trabalho desenvolvido
pelo grupo e manifestou o interesse de que o mesmo seja apresentado no II Congresso
Internacional de Bioanálises, VI Congresso Sul-Brasileiro e X Semana Gaúcha de
Biomedicina, a realizar-se de 25 a 27 de agosto de 2010, ressaltando também a extrema
relevância das ações desenvolvidas pelo biomédico na área da saúde pública.
Acreditamos que as metas e objetivos do PET- Biossegurança estão sendo alcançadas e
até superadas nestes aspectos, tendo em vista que este mesmo trabalho tem sido
elogiado e solicitado para ser realizado em outras unidades do mesmo distrito de saúde e
do SSC-GHC, onde ocorre as atividades dos outros grupos PET-Saúde. No ensino e no
desenvolvimento de conhecimento, alguns acadêmicos têm olhado para APS como
possibilidade de desenvolvimento de projetos de pesquisa e de trabalhos de conclusão
de curso o que gera uma área de atuação real e apropriada para o Biomédico.
Nos cursos de medicina, enfermagem e nutrição as possibilidades reais de
trabalhar em equipe e com projetos de promoção de saúde e prevenção de doenças
desde a graduação tende a ter frutos futuros, embora já tenhamos verificado uma maior
motivação neste tipo de atividade, menos freqüentes em outros momentos. Os alunos
manifestaram o interesse de atividades em conjunto com outros cursos nas avaliações do
fim do semestre. No momento, a instituição estuda algumas modificações no currículo
da medicina, visando uma maior inserção na APS. Os cursos novos como enfermagem,
fisioterapia, psicologia e fonoaudiologia já tem uma ênfase para a área de saúde coletiva
e APS.
Os serviços e a população também obtiveram ganhos com as atividades do PETSaúde, tendo em vista que os projetos de cada unidade eram discutidos e decididos com
a própria comunidade. Alem disto, os profissionais envolvidos passaram pelo processo
de atualização formal e indireta, tanto para as atividades que iriam desenvolver, mas
também pela motivação oriunda dos questionamentos e pelo envolvimento dos
acadêmicos. A comunidade contribui para a formação de um profissional de saúde mais
sintonizado como a realidade e o com o SUS.
Como dificuldades e barreiras, ainda precisamos divulgar para os professores,
principalmente para as áreas clínicas da medicina, o trabalho que vem sendo
desenvolvido pelo PET-Saúde. Com a apropriação dos outros professores e dos
acadêmicos do projeto fica mais fácil o desencadeamento das discussões para que as
mudanças necessárias nos currículos sejam realizadas com propriedade. Os diretores
dos cursos envolvidos tem apoiado às estratégias adotadas por este projeto e vem
acompanhando o desenvolvimento do mesmo. A Reitoria tem apoiado esta iniciativa,
inclusive financiando as copias dos questionários e outros materiais de apoio que
possibilitam que as pesquisas sejam realizadas.
Como metas para os próximos seis meses estão:
1. A finalização das pesquisas que já estão em andamento;
2. Desenvolvimento de um instrumento de avaliação dos preceptores;
3. Consolidação dos trabalhos que já em desenvolvimento e implementação de
novos, assim como a transformação de alguns deles em atividade de
extensão;
4. Avanço no desenvolvimento do projeto do Distrito Docente Assistencial;
5. Consolidação do NECAAB como o espaço para a discussão sobre o papel
APS na diversificação dos cenários de prática;
A UFCSPA, uma universidade voltada para área da saúde, não poderia se furtar
de participar deste processo desencadeado pelos Ministérios da Saúde e da Educação de
crescimento e qualificação do SUS e dos futuros profissionais de saúde do Brasil, desta
forma, agradecemos oportunidade de participar do PET-Saúde 2009..
Atenciosamente,
Maria Eugênia Bresolin Pinto
Chefe do Departamento de Saúde Coletiva da UFCSPA
Coordenadora do PET-Saúde UFCSPA 2009
ANEXO I – Divisão de grupos do 1º Semestre 2009
Tutor
Preceptores
Monitores
GHC Nutricionista 1
Bianca de Almeida Bier
Aline Gerlah
Cristine Koehler
U Costa e Silva
fono
Alunos
Tutor
Leonardo Comerlatto*
Paula Frank*
Angélica Chini
Preceptores
Monitores
ESF MFC 7
Renata de Melo Felipe da Silva
Pablo Strurmer
Daiane Braga
SF Morro da Cruz
Medicina
Maria Eugênia Aydos
Leticia Rodrigues
GHC MFC 4
Renato Kist de Mello
José Mauro
Ana Paula Serafini
Pauline Josende
Carla Berger
Vanise Grassi
Bruna Caponi
U Jardim Itu
Maria Eugenia Bresolin Pinto
Maria Elisa Kelen
GHC MFC 2
Renato David
Ricardo Melnick
Octaviano Sagrilo
U Divina Providência
Medicina
Lorenza Todeschini
Pedro Henrique Borges
Cláudia Severgnini Eugênio
Priscila Janaína Appelt
GHC MFC 3
Luisa Lima Müller
Leda Cura
Bruno C de Oliveira Prado
U Coima
Medicina
Lorien Zarif
Pedro Henriquete Comerlatto
Dayane Degner Ribeiro Brasil
Roberta Ritter Spier
GHC ENF 2
Tiago Royer
Aline Iara de Souza
Veridiana Borges Costa
U Coima
Luan Lacerda
Medicina
Priscila Contiero
Débora Vacaro Fogazzi
Marcelo Rodrigues Gonçalves
Leonardo Olijnyk
Medicina
Medicina
Japão (medicina)
Simone Valvassori
Vaneila Bortolini (fono)
U Conceição
Luana Carlos
Rafaela Dumcke
Diana da Costa Paglizrini
Eduarda de Oliveira Fin
Lucas Matte
Rebeca Jesus
Elisângela de Fraga Vidal
Priscila Blauth Timótheo
GHC MFC 5
Anna Paula Facco Mattiazzi
Ricardo Fagundes
Gutemberg de Siqueira
U Coima
Medicina
Luciana Costa
Renata Silva
Gabriela dos Santos David
Priscila de Souza da Silva
ESF MFC 6
Vanessa Brendler
Luisa Fitarelli
Martin Taborda
Verena Rovigatti
Riad El Kadri
SF Pitoresca
Medicina
Geiciéli da Silva
Taís K. da Silva
GHC ENF 4
Bruna Caon Gentil
Silvia
Bruna Souza
U Barão de Bage
Luiza Flores
Rodrigo Mariano
Fono
Raquel dos Reis Brum
GHC ENF 3
Lucas Ernani*
Rafaela Mantelli*
Patricia Villas Boas Rech
GHC MFC 1
U Conceição
Alunos
Giovanna de Carli Lopes
Eduardo de Oliveira Staevie
ESF MFC 4
Claudia Hessel
Larissa Bularcenko
Elis Pedrollo
SF Lomba do Pinheiro
Nutrição
Gustavo Hahn
Sinara Orige
Tanise Mendoça Pirovano
Claudia Hessel
ESF Médico 2
Larissa Pacheco Garcia
Rosa Maria Teixeira
Priscilla Bisoto Nunes
UBS Panorama
Medicina
Matias Scheneider
Aline Sousa de Avila
Bruna Senna Rodrigues
GHC Nutricionista 2
Priscila Daht
Lena de Lima
Thanielle Simionato
U Jardim Leopoldina
Marcelo Maineri
Medicina
Tanara Vogel Pinheiro
GHC MFC 7
Lariana Stefanello
Itemar
Fernanda Bereta dos Reis
U Conceição
Medicina
Leticia Ruas da Silva
SMS Nutricionista 3
Maitê Barcelos
Maria Claudia Luce
Amanda Chalup Linn
Marcia Lago
Fernanda Goltz
Thiago Souza
Carolina C. C. C. da Silva
U São Jose
Micheli gracioli
Nutrição
Patrícia Keitel da Silva
Catia Lima
Mariana Citton Padilha dos Reis
SF Herdeiros
Fono
Nathan Belle
Amanda dos Santos Fragoso
Claudia Raulino Tramontt
Moacyr Salem
SMS Nutricionista 2
Daniele Lazzarotto Harter
Vania Frantz
Samira Gonçalves
UBS Panorama
Nutrição
Mariana Porto
Anna Paula Aquino Correa
Vandré Casagrande
SMS Nutricionista 4
Aline Dal Pozzo Antunes
Nina Rosa
Marcelo Kemel Zago
US Bananeiras
Medicina
Thiago de Carvalho
Rafaela Apratto
Tiago Pereira de Leão
SF Modelo
Medicina
Richard Demjanczuk Pereira
Karine Lima
Isabela Cristina Coelho da Cunha
Medicina
SF Viçosa
Tiago Passos
Bárbara Rebeca C. Pott
Natassia Lehman
Mariana Lozekann
Margaret Schneider
Mariana Lupchinki
Vanderleia Breda
U SESC
Medicina
Bárbara Salvagni
Samantha Peixoto da Silva
Natalia Camillo
ESF Enfermagem 6
Andressa Ramos Nery
Mariana Serig
William Souza
Vania Caurio
Camila Dalbosco
Victor Dezotti
Ana Olívia W.S. Souza
UBS São José
Fono
Daiane Teixeira Ferreira
ESF MFC 5
Maria rita Meyer
GHC ENF 1
Daniele Lazzarotto Harter
ESF MFC 1
E20
Lucianna Schimitt
Cintia Mendes Gama
Aline Corrêa de Souza
Débora Baú
ESF Enfermagem 4
Thiago Araujo
Fernanda Putz Pereira
Juliana Mariante Giesta
GHC MFC 6
Leticia G Mariani
Rodrigo Lima
Rosane Glasenapp
Willian Mengazzo
André Pedroso
U Parque dos Maias
Nattassia Machado
Daniela Atti Scheffel
Bruna Dutra
Medicina
Mateus Reis
Willian Adame
Bruna Maryana Silveira
Larissa Fitarelli Pistóia
ANEXO II - Cronograma 1º semestre de 2009
Dia
06/03
13/03
20/03
27/03
03/04
10/04
17/04
Assunto
Introdução ao Seminário Integrador I
História natural da doença: fatores que afetam a saúde da pessoa.
Níveis de prevenção e promoção de saúde.
Fatores culturais e saúde
Antropologia e sociologia da Saúde
Diagnóstico de saúde em comunidade: indicadores, métodos de avaliação.
Atividade
Expositiva
Professor
Expositiva
Preparação para visita – Territorialização
Divisão dos Grupos
1ª Visita a unidades de saúde de APS - Comunidade e território
Expositiva e trabalho em
grupo
Atividade prática
Professores e Monitores
Expositiva, seguida de curta e
trechos de filmes.
M Eugenia Pinto
Carolina Reppold
Atividade prática
Professores e Monitores
Atividade prática
Expositiva
Atividade prática
Atividade prática
Atividade prática
Trabalho em grupo
Atividade prática
Atividade prática
Atividade prática
Atividade prática
Avaliação
Avaliação - teórica
Professores e Monitores
Aline Souza
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Professores e Monitores
Mª Eugênia B Pinto
Expositiva
Mª Eugênia B Pinto, Cíntia Gama
e Aline Souza
Airton Stein
Marcelo Gonçalves
Feriado – Páscoa
Princípios da intervenção comunitária em saúde.
Modificação de hábitos em uma comunidade.
Modificação de hábitos nos indivíduos.
24/04
01/05
08/05
15/05
22/05
29/05
05/06
12/06
19/06
26/06
03/07
10/07
17/07
2ª Visita a unidades de saúde de APS – Dx breve da comunidade
Feriado – dia do trabalho
3ª Visita a Associação Comunitária e recursos da comunidade (2)
Interdisciplinaridade - Trabalho em Equipe
4ª Visita a unidades de saúde de APS – Vivência na UBS
5ª Visita a unidades de saúde de APS – Problematização
6ª Visita a unidades de saúde de APS – Problematização
Discussão das atividades práticas e busca de evidência
7ª Visita a unidades de saúde de APS – Problematização
8ª Visita a unidades de saúde de APS – Operacionalização
9ª Visita a unidades de saúde de APS - Operacionalização
10ª Visita a unidades de saúde de APS - Seminário de avaliação interno com as equipes e
comunidade
Seminário de avaliação de encerramento – em grupo com cada Tutor e geral
Professores e Monitores
ANEXO III
Avaliação do Seminário Integrador I: 1-2009
Disciplinas: Medicina e comunidade, Saúde e comunidade, Saúde Coletiva e nutrição
Professores responsáveis: Aline Souza, Cíntia Gama, Maria Eugenia B Pinto e Marcelo
R Gonçalves
Unidade de atividades práticas:
Preceptor:
1.Como você avalia a estrutura física da Unidade que
vc fez as atividades práticas?
( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Mais ou menos
( ) Ruim
( ) Muito ruim
2.Como você avalia a preceptoria quanto
conhecimento sobre os assuntos discutidos?
( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Mais ou menos
( ) Ruim
( ) Muito ruim
ao
3.Como você avalia a preceptoria quanto
disponibilidade?
( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Mais ou menos
( ) Ruim
( ) Muito ruim
à
4. Como você avalia a participação dos monitores
quanto à disponibilidade?
( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Mais ou menos
( ) Ruim
( ) Muito ruim
5. Como você avalia a participação dos monitores
quanto à contribuição para os trabalhos realizados?
( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Mais ou menos
( ) Ruim
( ) Muito ruim
6.Você se considera mais apto, após a disciplina, a
realizar um trabalho com profissionais de outras áreas?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
7.Você se considera mais apto, após a disciplina, a
identificar uma situação-problema e pensar em elaborar
um plano de ação?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
8.Você se considera mais apto, após a disciplina, a
realizar ações de prevenção e promoção de saúde de
forma coletiva?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
9. Você se sentiu parte de uma equipe de trabalho?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
10.O conteúdo oferecido pela disciplina em termos de
conhecimento foi importante para a sua formação?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
11. O conteúdo oferecido pela disciplina em termos de
habilidades foi importante para a sua formação?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
12.O conteúdo oferecido pela disciplina em termos de
atitudes foi importante para a sua formação?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
13.Como foi a sua satisfação em relação à discussão
realizadas
nas
Unidades
de
Saúde
sobre
problematização?
( ) Muito satisfeito
( ) Satisfeito
( ) Pouco
satisfeito ( ) Insatisfeito ( ) Muito Insatisfeito
14.Como foi a sua satisfação em relação às atividades
teóricas da disciplina?
( ) Muito satisfeito
( ) Satisfeito
( ) Pouco
satisfeito ( ) Insatisfeito ( ) Muito Insatisfeito
Comente:___________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
15.Você gostaria que fossem oferecidas outras
disciplinas e atividades práticas que envolvessem outros
cursos?
( ) Certamente sim ( ) Sim ( ) Mais ou menos
( ) Não
( ) Certamente não
Pense qual era sua opinião a respeito desta disciplina há
cinco meses e agora e assinale uma das alternativas
abaixo:
(a) A disciplina foi melhor do que eu imaginava.
(b) A disciplina pior do que eu imaginava.
(c) A disciplina mais ou menos o que imaginava.
(d) A disciplina exatamente o que eu imaginava.
Dê uma nota geral (zero a 10) para a Disciplina: ___
Comente sobre a disciplina que você realizou. Você
pode contribuir para corrigir possíveis problemas e
expandir boas experiências para as próximas turmas:
ANEXO IV
Núcleo de Excelência Clínica Aplicada na Atenção Básica (NECAAB) da UFCSPA
REGULAMENTO DO NECAAB
CAPÍTULO I – DEFINIÇÃO E OBJETIVOS
Artigo 1º - Definição
1 - O Núcleo de Excelência Clínica Aplicada na Atenção Básica (NECAAB) é uma
estrutura institucional de caráter permanente, de natureza interdisciplinar, que visa o
acompanhamento e a promoção de atividades acadêmicas no ambiente da
Atenção Primaria à Saúde (APS).
O NECAAB segue as determinações do edital
número 12, de 3 de setembro de 2008, da Secretaria de Gestão do Trabalho e da
Educação na Saúde do Ministério da Saúde.
Artigo 2º - Objetivos
1 – É objetivo geral do NECAAB: acompanhar as atividades de ensino, extensão e
pesquisa vinculadas Serviços de Saúde de APS de Porto Alegre.
2 – São objetivos específicos do NECAAB:
I. Coordenar a inserção dos alunos na rede de atenção primária à saúde;
II. Elaborar projetos de mudanças curriculares que promovam a inserção dos alunos na
rede atenção primária à saúde;
III. Desenvolver ações para a formação continuada dos preceptores dos serviços
vinculados à Estratégia Saúde da Família;
IV. Incentivar e produzir pesquisa voltada para a qualificação da atenção primária à
saúde;
V. Coordenar a revisão de protocolos para a atenção primária à saúde e às
necessidades do SUS;
VI. Incentivar e promover a formação de tutores acadêmicos vinculados à Universidade
para a orientação docente de ensino, extensão e pesquisa voltada para a atenção
primária à saúde;
VII. Incentivar atividades de extensão voltadas às necessidades das comunidades
adscritas aos serviços de APS;
VIII. Acompanhar e avaliar as atividades desenvolvidas no PET-saúde da UFCSPA;
CAPÍTULO II -CONSTITUIÇÃO E COODENAÇÃO
Artigo 3º - Constituição
1 – São membros do NECAAB:
a) O Coordenador do Programa de Educação pelo Trabalho para Saúde (PET-Saúde)
da UFCSPA;
b) Representantes dos bolsistas das três modalidades de bolsas previstas no PETSaúde:
I. Todos os Tutores Acadêmicos do PET-Saúde;
II. Um representante e um suplente dos preceptores para cada grupo de PETSaúde;
III. Um representante e um suplente dos bolsistas de iniciação a docência de cada
grupo de PET-Saúde;
c) Um docente representante de cada curso de graduação da UFCSPA;
d) Um discente de cada curso de graduação da UFCSPA;
e) Um representante da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre;
f)
Um representante da(s) Gerência(s) do(s) distrito(s) onde ocorrerem às atividades
do PET-Saúde;
g) Um representante do Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar
Conceição;
h) Um representante da Pró-Reitoria de Graduação da UFCSPA
i)
Um representante da Pró-Reitoria de Extensão da UFCSPA.
j)
Um representante da Pró-Reitoria de Pós-graduação da UFCSPA.
2 - São colaboradores do NECAAB os docentes que tenham interesse por esta área e
que sejam aprovados pela maioria absoluta dos membros do NECAAB.
Parágrafo único - Em caso de ausência sem justificativa em 3 reuniões consecutivas
ou 5 alternadas no período de uma gestão, o membro efetivo deverá ser substituído.
Artigo 4 º - Órgão de Administração:
1 – São órgãos de administração do NECAAB: Coordenação, Vice-Coordenação,
comissões e assessorias.
Artigo 5º - Origem e Competência do Coordenador e do Vice-Coordenador:
1 – A Coordenação e a Vice-coordenação serão indicadas pela Pró-Reitoria de
Graduação para um mandato de dois anos, podendo ter nova indicação somente
uma vez consecutivamente.
2 - Compete ao Coordenador:
a) Cumprir e fazer cumprir o regulamento do NECAAB;
b) Incentivar o planejamento e coordenar ações desenvolvidas pelo NECAAB;
c) Promover a obtenção de recursos: humanos, financeiros e materiais necessários ao
desenvolvimento dos projetos, no âmbito do NECAAB;
d) Acompanhar e avaliar o desenvolvimento dos projetos em curso, no âmbito do
NECAAB;
e) Eleger, juntamente com os membros do NECAAB, as comissões e assessorias sempre
que houver necessidade.
f) Em caso de votação se ocorrer empate, o coordenador dará o voto de desempate.
3 - Compete ao Vice-Coordenador:
a) Auxiliar a coordenação a alcançar os objetivos do NECAAB;
b) Promover e incentivar as atividades e projetos desenvolvidos pelo NECAAB;
c) Selecionar referências de interesse para o NECAAB;
d) Representar o NECAAB, quando necessário.
e) Substituir o coordenador quando de sua impossibilidade.
Parágrafo Único – Os cargos de Coordenador e Vice-Coordenador serão indicados
pela Pró-reitoria de Graduação, tendo em vista que este núcleo está vinculado a esta
e, desta forma, obedece ao regimento da UFCSPA.
Artigo 6º - Origem e Competências das Comissões:
1 – As Comissões serão compostas e formadas de acordo com as necessidades de
trabalho sendo definidas pela plenária do NECAAB.
2 – Com relação às competências das comissões, estas atuarão quão necessárias, no
desenvolvimento de ações estratégicas visando o alcance dos objetivos propostos no
Artigo 2º.
CAPÍTULO IV - DAS REUNIÔES
Artigo 7º - O NECAAB reunir-se-á uma vez por mês de forma ordinária para atender as
necessidades de trabalho.
1
–
O
Coordenador
ou
o
Vice-coordenador
poderão
convocar
reuniões
extraordinárias sempre que necessário.
2 – As convocações deverão ocorrer com no mínimo de 72 horas de antecedência e
constar à pauta dos temas a serem tratados na reunião.
3 – Em todas as reuniões devem-se lavrar atas.
4 – Qualquer membro do NECAAB poderá solicitar pauta através do Coordenador.
5 – Para a solicitação de reunião extraordinária, pelos demais membros, deverá ser
encaminhada solicitação por escrito ao Coordenador do NECAAB com no mínimo três
assinaturas de membros efetivos, indicando a pauta e a justificativa para a solicitação.
CAPÍTULO V – DAS DISPOSIÇÔES GERAIS
1 – O NECAAB dispõe para seu funcionamento e resoluções os seguintes dispositivos:
Artigo 8º – Ao final de cada ano deverá ser discutido o plano de trabalho do NECAAB
para o ano seguinte que após aprovado deverá ser encaminhado à Reitoria da
UFCSPA.
Artigo 9º – A Coordenação do NECAAB deverá apresentar a plenária ao final do ano
relatório das atividades desenvolvidas ao longo do período, que depois de aprovado
em plenária deverá ser encaminhado a Reitoria da UFCSPA.
Artigo 10º - Os casos omissos neste regimento interno serão resolvidos em Assembléia
Geral do NECAAB e em grau de recurso pelo CONSEPE da UFCSPA.
Artigo 11º - O presente regulamento interno entra em vigor na data de sua aprovação
pelos seus membros.
Download

Relatório de atividades dos primeiros 6 meses dos 5 grupos de PET