Professora: Ft. Esp. Sheila Bezerra Costa

Sinais vitais são medidas que nos fornecem
dados fisiológicos indicando as condições de
saúde da pessoa.

Os SSVV incluem a verificação de:
Temperatura (T),
 Pulso (P),
 Respiração (R),
 Pressão Arterial (PA).
 Dor!!




São mensurados como parte do exame físico
completo ou na revisão da condição do cliente;
Examinam-se as alterações dos sinais vitais
como outros achados do exame físico,
utilizando o julgamento clinico para determinar
a freqüência da verificação.
O conhecimento dos fatores que influenciam
os sinais vitais ajuda o profissional na
determinação e avaliação dos valores normais;
Fatores que alteram os sinais
vitais:
• Exercícios físicos intensos
• Alimentação
• Idade
• Estresse
• Uso de medicamentos
• Algumas doenças
Quando os sinais vitais devem ser
mensurados:
• Na prestação dos cuidados rotineiros
• Durante uma consulta
• Antes e depois de procedimentos invasivos
• Nos períodos pré, intra e pós operatórios
• Sempre que for necessário



Vários processos físicos e químicos, sob o
controle do hipotálamo, promovem a
produção ou perda de calor, mantendo nosso
organismo com temperatura mais ou menos
constante, independente das variações do
meio externo.
Indica
atividade
metabólica
TERMORREGULAÇÃO
O valor médio situa-se em torno de 36ºC
Fatores que modificam a temperatura:
• hormonais,
• exercícios físicos,
•ambientes muito quentes ou muito frios, e
• infecções.
•A temperatura pode ser mensurada em
diferentes regiões do corpo: oral, retal ou
axilar.
• A febre é um dos mecanismos de defesa do
corpo
Termômetro Clínico

Escala em °C

Corpo

Coluna de mercúrio

Bulbo

O termômetro deve estar com a coluna de
mercúrio abaixo do valor mínimo, desinfetado
(algodão umedecido com álcool 70º) e seco.
Valores de temperatura (T) axilar:






Hipotermia: temperatura abaixo de 36ºC.
Normotermia: temperatura entre 36 e 36,8ºC.
Febrícula: temperatura entre 36,9ºC e 37,4ºC.
Estado febril: temperatura entre 37,5ºC e 38ºC
Febre: temperatura entre 38ºC e 39ºC.
Pirexia ou hipertermia: temperatura entre 39,1ºC
e 40ºC.
Contra-indicada nos casos de:
 Queimaduras do tórax,
 Furúnculos axilares, e
 Fraturas dos membros superiores.
Valores normais: 36,8ºC a 37,2ºC
Contra-indicada:






para pacientes inconscientes,
desorientados ou propensos a convulsões;
em crianças muito novas ou bebês;
após ingerir líquidos quentes ou gelados,
mascar chicletes ou fumar,
e em pacientes submetidos a cirurgias de
boca, extrações dentárias,
Portadores de inflamação orofaríngea.
Avaliar a freqüência cardíaca
 Ritmo cardíaco
 A amplitude ou intensidade
 Valores normais: 60 a 100 batimentos por
minuto.
 Atividade
física, febre, dor, alteração
postural, hemorragias e calor influenciam a
freqüência da pulsação:

As artérias em que com freqüência são
verificados os pulsos:
 Artéria radial,
 Carótidas,
 Braquial,
 Femoral,
 Pediosa,
 Temporal,
 Poplítea
 Tibial posterior.
Poplítea
Pulso Radial
Pulso Femoral
Pulso Braquial
Pulso Carotídeo
Nomenclatura para alterações no
ritmo
 Regular
ou rítmico
 Irregular ou arrítmico
Nomenclatura para alteração na
amplitude
 Cheio
ou forte
 Fino ou fraco
Nomenclatura para alterações na
freqüência
 Normocárdio
ou sinusal - 60 a 100
bpm
 Taquicárdico - Maior que 100 bpm
 Bradicárdico - Menor que 60 bpm
PULSO

Fatores que influenciam freqüência:
Fator
Aumento
Diminuição
Exercício
Curta duração
Atleta
Temperatur Febre e calor
Hipotermia
a
Emoções
Dor aguda,
Dor intensa,
ansiedade
relaxamento
Hemorragia Aumenta Sis.Simp
Postura
Levan.; Sentado
Dist.Pulmão Falta Oxigenação
Deitar-se
 Avaliar
a freqüência (número de ciclos de
inspiração e expiração),
 Ritmo (regularidade desses ciclos);
 Profundidade (volume do ar inalado e
exalado em cada respiração);
 Som dos movimentos respiratórios (ruídos)
Valores:
 Eupnéia (Normal)
– 16 a 20 rpm
 Taquipnéia – acima de 20 rpm
 Bradipnéia – abaixo de 16 rpm
 Apnéia – ausência de movimento respiratório
Valores de referência de acordo
com a idade
Idade
Recém nascido
1 ano
5 anos
10 anos
Adulto
FR
40-60 mpm
25-40 mpm
20-30 mpm
15-25 mpm
16-20 mpm
A pressão arterial (PA) é a pressão exercida
pelo sangue no interior das artérias.
A força do
coração para
bombear o
sangue é
chamada de
pressão máxima,
ou sistólica.
A resistência que a artéria oferece à
passagem do sangue é chamada de
pressão mínima, ou diastólica.
 Fatores
que influenciam a
Pressão Arterial





Idade
Estresse
Raça
Medicamentos
Gênero
Média da pressão arterial
normal:

Idade
Recém nato
1 mês
1 ano
6 anos
10-13 anos
14-17 anos
Adulto médio
Idoso
Pressão(mmHG)
40
85/54
95/65
105/65
110/65
120/75
120/80
140/90
Classificação da PA para
adultos acima de 18 anos:

Categoria
Sistólica
Diastólica
Normal
Normal alta
Hipertensão
Estágio leve
Estágio moderado
Estágio grave
Estágio muito grave
< 130
130-139
<85
85-89
140-159
160-179
180-209
>210
90-99
110-109
110-119
>120
 Hipertensão
arterial
é o termo usado
para indicar pressão arterial acima da normal;
 Hipotensão
arterial
para indicar pressão
arterial abaixo da normal.

Quando a pressão arterial se encontra normal,
dizemos que a pessoa está normotensa.

Alteração:
◦ Hipertensão:
Distúrbio mais comum da pressão
arterial. Causa principal de morte
decorrentes de AVC e IAM.
Considerar: Historia familiar, fumo
obesidade,álcool, estresse, colesterol
Medida isolada pede atenção.

Alteração
◦ Hipotensão
Causada por perda de grande
quantidade de sangue, falência do
músculo cardíaco.
Esta associada a palidez, pele fria,
umidade, confusão, FC diminuída e
debito urinário diminuído.

A pressão arterial é medida em milímetros
de
mercúrio
(mmHg)
com
um
esfigmomanômetro e um estetoscópio
usualmente
na
artéria
braquial
(com
menor freqüência nas artérias poplíteas e
radial).
Diafragma
• Braquial
• Pediosa
• Poplítea
DOR
É categorizada de acordo com sua duração,
localização e etiologia.
Email: sheila_cg@hotmail.com
Facebook: Sheila Bezerra Costa

