Resultados atualizados das medidas de campo
eletromagnético realizadas pelo Projecto monIT
Carla Oliveira, Daniel Sebastião, Mónica Branco, Luís M. Correia
Instituto de Telecomunicações / Instituto Superior Técnico
Universidade Técnica de Lisboa
Lisboa, Portugal
monit@lx.it.pt
Resumo — O monIT é um projeto português de comunicação de
risco que disponibiliza informação pública sobre a exposição aos
campos eletromagnéticos emitidos pelos sistemas de
comunicações móveis. Neste artigo são apresentados os resultados
globais de cerca de 10 anos de medidas de campos
eletromagnéticos realizadas no âmbito do monIT. O objetivo
principal destas medidas é o de verificar a conformidade com os
limites de exposição à radiação dos níveis de campo em locais
perto de antenas de estação base, em todo o território português.
Apresenta-se uma avaliação global dos resultados obtidos,
designadamente: a caracterização dos locais medidos, uma
análise estatística das medidas, uma comparação entre a
exposição em vários tipos de ambiente e para diversas topologias
de instalação, bem como os resultados em espaços sensíveis, entre
outros. Em termos de monitorização localizada, foram já
realizadas 592 medidas em todo o território nacional, sendo que
em 96% dos locais os valores medidos estão mais de 100 vezes
abaixo do limite mais restritivo. Em termos de monitorização
contínua, foi realizado o equivalente a mais de 54 anos de
medidas em contínuo, com 194 estações instaladas, em que 70 %
dos locais estão pelo menos 1 000 vezes abaixo do limite. A
principal conclusão é de que em todas as medidas realizadas,
contínuas e localizadas, nunca se observou um local onde o limite
de exposição à radiação mais restritivo tenha sido ultrapassado.
Palavras-chave:
radiação
electromagnética,
comunicaçóes móveis, exposição, limites
I.
medidas,
INTRODUÇÃO
O Projecto monIT [1] é uma iniciativa de comunicação de
risco desenvolvido por uma equipa do Instituto de
Telecomunicações (IT) e patrocinado pelos 3 operadores de
comunicações móveis portugueses (Optimus, TMN e
Vodafone). Tem como objetivo principal fornecer informação
relevante sobre a exposição à radiação eletromagnética. Para o
efeito, é disponibilizada num portal na Internet
(http://monit.it.pt) informação isenta sobre este tema, usando
uma linguagem acessível ao público em geral, e onde se podem
acompanhar todas as atividades da equipa do Projecto. Além
deste portal, o monIT procura informar o público mais jovem
através da realização de palestras em escolas secundárias, e
sensibilizar o público em geral através de sessões de
esclarecimento realizadas em colaboração com diversas
entidades, como autarquias ou unidades de saúde. O monIT
tem igualmente levado a cabo uma campanha de medidas de
campos eletromagnéticos por todo o território nacional que
engloba dois tipos diferentes de medidas: pontuais e contínuas.
Todos os resultados destas medidas são disponibilizados, de
forma automática e dinâmica, no portal para consulta pública.
Durante a primeira fase do Projecto monIT, foram
efetuadas medidas pontuais essencialmente em locais situados
em áreas públicas junto às antenas das redes de comunicações
móveis, abrangendo principalmente ambientes exteriores
(jardins, ruas, praças, etc.). Numa segunda fase, deu-se
preferência a locais públicos interiores (centros comerciais,
aeroportos, metro, etc.) e aos chamados locais sensíveis, como
escolas e hospitais. De salientar também que as medidas em
escolas e hospitais foram realizadas em colaboração com os
respetivos ministérios da educação e da saúde. Atualmente, dáse maior ênfase às ações de sensibilização em diversas
entidades, principalmente em estabelecimentos de ensino,
realizando-se também medidas no local. Paralelamente, têm
sido instaladas redes de monitorização contínua em
colaboração com diversas entidades, como câmaras municipais
ou escolas.
Até ao momento, foram efetuadas 592 medidas localizadas
distribuídas pelos 18 distritos do País e pelas regiões
autónomas dos Açores e da Madeira, totalizando 2 940 pontos
medidos. No caso da monitorização contínua, foram instaladas
51 redes, totalizando 194 locais medidos. Em qualquer dos dois
tipos de medida, a grande maioria dos locais analisados está
várias ordens de grandeza abaixo dos limites de exposição.
Este artigo descreve os principais resultados obtidos e retira
algumas conclusões estatísticas das medidas efetuadas. Para
além da secção introdutória, este documento contém a
descrição e resultados da monitorização pontual (Secção II) e
monitorização contínua (Secção III), bem como alguns
comentários finais na Secção IV.
II.
MONITORIZAÇÃO LOCALIZADA
A monitorização pontual é efetuada pela equipa do monIT
que se desloca aos locais e realiza as medidas junto das antenas
de estação base das redes de comunicações móveis. As
medidas são efetuadas de acordo com o procedimento de
medida adotado pelo Projecto monIT, que segue normas
internacionais. O principal objetivo das medidas é o de
quantificar os níveis de campos eletromagnéticos existentes nos
vários locais analisados, possibilitando a comparação com os
limites de exposição humana à radiação eletromagnética
adotados em Portugal, [3], que seguem recomendações
internacionais, nomeadamente a nível europeu, [4].
Até ao momento, foram efetuadas medidas em 592 locais
públicos, em todos os distritos do território nacional, incluindo
ambas as Regiões Autónomas, Figura 1. A equipa do monIT já
efetuou medidas localizadas em 196 dos 308 concelhos
portugueses (63.6%), destacando-se a Região Autónoma da
Madeira, com pelo menos uma medida realizada em cada
concelho (100%), seguida dos distritos de Setúbal, com
medidas realizadas em 92% dos concelhos, e do Porto, com
90% dos concelhos medidos, Figura 2.
medidas, 808 pontos) e hospitais (16 medidas, 153 pontos),
Figura 3.
As medidas são realizadas com o equipamento PMM
8053A, [5], utilizando uma sonda de campo elétrico, E, com
uma largura de banda de 0.1 a 3 000 MHz. O equipamento de
medida é colocado no local escolhido, registando a variação do
valor de E durante 6 minutos. É feita uma média dos valores
obtidos durante a duração da medida, permitindo a avaliação
do nível de exposição humana.
Figura 3
Distribuição das medidas, por distrito.
Arquipélago dos Açores
Arquipélago da Madeira
Figura 2
Concelhos onde já foram realizadas medidas pontuais (escuro).
Estas medidas totalizam 2 940 pontos medidos, em
ambientes exteriores e interiores, e incluem locais como
jardins, ruas e praças e também locais mais específicos como
aeroportos (4 medidas, 59 pontos), estações de metro de Lisboa
(8 medidas, 77 pontos), centros comerciais (13 medidas, 163
pontos), estádios e recintos de espetáculos e exposições (9
medidas, 124 pontos) e locais sensíveis como escolas (149
Os resultados obtidos nas medidas são depois comparados
com os níveis de referência em vigor na legislação portuguesa,
[3], cujo limite mais restritivo na banda de frequências em
análise corresponde a 28 V/m, em termos de E, ou 2 W/m2, em
termos de densidade de potência, S.
Na Figura 4, mostram-se os resultados globais de todas as
medidas pontuais. Como se pode verificar, os valores são
apresentados relativamente ao limite mais restritivo já referido,
podendo-se concluir que, apesar do elevado número de pontos
medidos por todo o território nacional, não foram detetados
locais onde os valores excedessem os limites. Pode-se
igualmente verificar que a grande maioria dos pontos (cerca de
96 %) está pelo menos 100 vezes abaixo do referido limite.
Número de vezes abaixo do limite
Figura 1
Distribuição das medidas, por distrito.
0.0%
Limite mais restritivo (2 W/m2)
0.3%
10
3.9%
100
27.8%
1 000
45.9%
10 000
22.1%
Figura 4
Estatísticas globais das medidas pontuais (em termos de densidade
de potência).
10
100
1000
10000
Valor Médio
Figura 5
Número de vezes abaixo do limite
Na Figura 6 apresentam-se os resultados globais separados
por cenário. Destaca-se o valor médio obtido em escolas, que
se encontra mais de 1 000 vezes abaixo do limite mais
restritivo. Os valores médios mais elevados foram obtidos em
aeroportos, onde geralmente há uma maior concentração de
sistemas de comunicações.
Limite mais restritivo (2W/m2)
1
10
100
1000
10000
50 100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600 650 700 750 800 850
Distância [m]
Figura 7
Resultados para ambientes exteriores, em termos de densidade de
potência, em função da distância à antena.
Valor Máximo
Valores médio e máximo por distrito, em termos de densidade de
potência, comparativamente ao limite mais restritivo.
Limite mais restritivo (2 W/m2)
1
0
Número de vezes abaixo do limte
1
na Figura 8 apresentam-se todos os pontos medidos, em função
da distância às antenas, para ambientes interiores e exteriores,
respetivamente. Os resultados são apresentados relativamente
ao limite mais restritivo e como se pode observar nas figuras, a
distribuição dos pontos em ambos os cenários é quase
independente da distância às antenas.
Número de vezes abaixo do limte
Limite mais restritivo (2W/m2)
Aveiro
Beja
Braga
Bragança
Castelo Branco
Coimbra
Évora
Faro
Funchal
Guarda
Leiria
Lisboa
Ponta Delgada
Portalegre
Porto
Santarém
Setúbal
Viana do Castelo
Vila Real
Viseu
Número de vezes abaixo do limite
Na Figura 5, apresentam-se os resultados globais de todas
as medidas efetuadas, em termos de valor médio e máximo da
densidade de potência, para cada distrito. Verifica-se
novamente que não foram detetados valores acima do limite
em nenhuma situação. Analisando os valores obtidos, observase que os valores médios estão pelo menos 100 vezes abaixo do
limite em todos os distritos.
Limite mais restritivo (2 W/m2)
1
10
100
1000
10000
0
5
10
15
20
25
30
35
40
Distância [m]
10
Figura 8
100
1000
10000
Valor Médio
Figura 6
Valor Máximo
Valores médio e máximo por ambiente, em termos de densidade de
potência, comparativamente ao limite mais restritivo.
As conclusões obtidas tornam-se ainda mais relevantes,
uma vez que se toma sempre a perspetiva de pior caso em cada
medida, ou seja, o procedimento de medida estabelece que, em
cada local, os pontos a medir são aqueles onde se registam os
valores de campo eletromagnético mais elevados. Em termos
globais, os valores medidos estão, em média, mais de 370
vezes abaixo do limite de exposição mais restritivo.
Existem vários fatores que influenciam os resultados
obtidos, como o ambiente de instalação (interior ou exterior), a
topologia da instalação das antenas (topo de edifício, fachada,
etc.), o número de estações base ou a presença de outros
emissores na vizinhança do local de medida, [6]. Na Figura 7 e
Resultados para ambientes interiores, em termos de densidade de
potência, em função da distância à antena.
Como seria de esperar, nos ambientes interiores as
distâncias envolvidas são mais reduzidas, mas em ambos os
casos, para cada distância podem ser observados valores mais
reduzidos e mais elevados dos níveis de radiação
eletromagnética. Ainda assim, apresentam-se as retas
majorantes, incluídas nas figuras, que permitem estabelecer os
valores máximos observados em todas as medidas realizadas
até ao momento, (1) e (2), para ambiente exterior e interior,
respetivamente.
[ ]
(1)
[ ]
(2)
Relativamente às diferenças observadas entre os ambientes
exterior e interior, verifica-se que o comportamento é
semelhante em ambos os cenários, apesar da grande diferença
no número de pontos medidos em cada um dos ambientes, pois
em ambos os tipos de cenário existem valores mais elevados e
mais reduzidos. Estas semelhanças podem-se explicar pelo
facto da potência de emissão mais reduzida nos ambientes
interiores acabar por ser compensada pela menor distância até
às antenas.
III.
MONITORIZAÇÃO CONTÍNUA
A monitorização contínua tem como objetivo avaliar a
variação dos campos eletromagnéticos de uma forma contínua
no tempo (tipicamente durante 3 meses), em cada local de
instalação. Os valores medidos são comparados com os limites
de exposição à radiação, utilizando-se um intervalo de 3
minutos entre amostras.
equivalente a mais de 54 anos de monitorização contínua
realizada.
As redes de monitorização contínua são constituídas por
uma ou várias estações programadas remotamente [7], que
interagem com uma interface web responsável pelo
armazenamento automático dos dados enviados pelas estações
e pela sua publicação no portal, com um mínimo de
intervenção manual. Estas redes são instaladas em colaboração
com câmaras municipais, cabendo à autarquia a escolha dos
locais onde se instalam os equipamentos, ou em colaboração
com outras entidades em que a equipa do monIT realize ações
de sensibilização, como escolas secundárias.
Figura 10 Distribuição das redes instaladas por tipo de entidade.
As estações medem os valores de radiação de forma
contínua e, em horas pré-programadas, enviam os dados via
GSM para um servidor do Projecto. Os dados recebidos são
então processados pela interface web, sendo de seguida
disponibilizados para consulta pública no portal do Projecto
monIT.
Figura 9
Variação da densidade de potência ao longo de um dia, para uma
dada estação, relativamente ao limite mais restritivo.
Já foram instaladas 51 redes de monitorização contínua em
16 dos 18 distritos de Portugal continental, num total de 194
locais, 31 em colaboração com autarquias, e 14 com escolas
secundárias, Figura 10. Tipicamente, cada estação está
instalada por um período mínimo de 3 meses, originando uma
vasta quantidade de dados e permitindo a elaboração de alguns
estudos sobre a variação temporal num dado local ou mesmo
sobre a influência do ambiente de instalação, Figura 11, nos
resultados e na própria variação dos valores obtidos. Em
termos de duração das medidas, temos atualmente o
Urbano;
87%
Figura 11 Distribuição de estações por ambiente de instalação.
Na Figura 12, apresentam-se os resultados globais para
todas as estações, em termos de valores médios da densidade
de potência, ao longo das 24 horas do dia, para os dois tipos de
ambiente. Como se pode verificar, nas estações instaladas em
ambiente urbano, os valores medidos são mais elevados do que
nas estações instaladas em ambiente rural, sendo, no entanto,
os valores bastante baixos em qualquer um dos cenários,
quando comparados com o limite mais restritivo de exposição
de 2 W/m2. Pode-se também comprovar novamente que os
valores medidos durante o período diurno são mais elevados do
que durante o período noturno, verificando-se esta tendência
nos dois tipos de ambiente, havendo, no entanto, uma variação
mais pronunciada nas estações instaladas em ambiente urbano.
Densidade de Potência [mW/m2]
Na Figura 9, apresenta-se um exemplo dos resultados
diários de uma dada estação, tal como são apresentados no
portal do Projecto. O visitante do portal pode escolher entre
visualizar os resultados do último dia, semana, mês ou de todo
o período de medida. Como se pode verificar na figura, existe
uma variação ao longo do dia, observando-se valores
ligeiramente mais elevados durante o período diurno, pois é o
período em que existem mais utilizadores ativos nos sistemas
de comunicações móveis.
Rural;
13%
3
2.5
2
1.5
1
0.5
0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23
Hora
Rural
Urbano
Figura 12 Média da variação de densidade de potência por hora, por
ambiente de instalação.
Finalmente, apresentam-se os resultados globais de todas as
medidas contínuas já efetuadas, quando comparadas com o
limite mais restritivo, Figura 13. Como se pode verificar, todos
os valores medidos estão pelo menos 10 vezes abaixo do
limite, estando na sua grande maioria (mais de 70 %) pelo
menos 1 000 vezes abaixo do mesmo.
A monitorização contínua é o outro tipo de medidas
realizadas pela equipa do Projecto, caracterizando-se pela
instalação de equipamentos autónomos que fazem uma
medição dos níveis de radiação eletromagnética em contínuo.
Os dados das medidas são depois enviados e processados de
forma automática, sem intervenção humana, sendo finalmente
disponibilizados no portal do Projecto.
Relativamente aos resultados da monitorização contínua,
até ao momento foram instaladas 51 redes de monitorização,
num total de 194 estações, tipicamente por um período mínimo
de 3 meses. Não foram detetados valores acima do limite em
nenhum dos locais analisados, estando a grande maioria dos
valores medidos, pelo menos 1 000 vezes abaixo do mesmo
(mais de 70 %).
Figura 13 Resultados globais das medidas contínuas, em termos de densidade
de potência.
IV.
CONCLUSÕES
O Projecto monIT é uma iniciativa de comunicação do
risco associado à exposição aos campos eletromagnéticos
provenientes de antenas de sistemas de comunicações móveis.
Através de um portal na internet, http://monit.it.pt,
disponibiliza-se diversa informação relacionada com a
exposição a campos eletromagnéticos, bem como os resultados
das medidas de radiação eletromagnética efetuadas pela equipa
do Projecto.
No âmbito do Projecto monIT são efetuados dois tipos de
medidas de campos eletromagnéticos. Um deles, são as
medidas realizadas pontualmente em locais públicos junto às
antenas dos sistemas de comunicações móveis (jardins, ruas,
praças, centros comerciais, aeroportos, etc.). Até ao momento
foram realizadas 592 medidas pontuais em locais distribuídos
por todos os distritos do País e pelas Regiões Autónomas da
Madeira e dos Açores, totalizando 2 940 pontos medidos.
Os resultados da campanha de monitorização localizada
mostram que não foram detetados quaisquer locais onde os
limites fossem excedidos, sendo que em cerca de 96 % dos
locais os valores estão pelo menos 100 vezes abaixo do limite
mais restritivo (em termos de densidade de potência). Esta
conclusão é ainda mais relevante uma vez que, de acordo com
o procedimento de medida, se toma uma perspetiva de pior
caso em cada local analisado.
O elevado número de medidas realizadas até ao momento
permite, por exemplo, analisar os efeitos de determinados
parâmetros nos resultados obtidos, como a distância às antenas
ou o ambiente de instalação (exterior ou interior). Verifica-se
que os resultados obtidos em ambos os ambientes são
semelhantes, apesar das distâncias às antenas envolvidas nas
medidas interiores serem mais reduzidas. De facto, em ambos
os cenários podem ser encontrados valores mais elevados ou
mais baixos para cada distância.
A elevada quantidade de dados obtidos permitiu estudar o
efeito do ambiente de instalação nos resultados obtidos, bem
como analisar as variações dos valores medidos ao longo do
tempo. Verificou-se que existe alguma variação entre os
resultados obtidos pelas estações instaladas em ambientes
urbanos e rurais, sendo os valores mais elevados registados nas
estações em ambientes urbanos. Em qualquer tipo de cenário é
visível uma variação dos valores ao longo do dia, sendo os
valores mais elevados durante o período diurno (período em
que existem mais utilizadores ativos nos sistemas de
comunicações móveis).
Em conclusão, em todas as medidas realizadas, contínuas e
localizadas, nunca se observou um local onde o limite de
exposição à radiação mais restritivo tenha sido ultrapassado.
REFERÊNCIAS
[1]
[2]
[3]
[4]
[5]
[6]
[7]
http://monit.it.pt.
Carpinteiro,G., Oliveira,C., Correia,L.M. e Fernandes,C., “A Procedure
for Measurement of Electromagnetic Radiation in the presence of
Multiple Base Stations”, em Proc. of COST281 Workshop on RF
Exposure Assessment, Paris, França, Set. 2004.
República Portuguesa, Portaria Nº. 1421/2004 de 23 de Novembro,
Diário da República Nº. 275 (Série I B), Lisboa, Portugal, Nov. 2004.
Conselho da União Europeia, “Recomendação do Conselho de 12 de
Julho de 1999, relativa à limitação da exposição da população aos
campos electromagnéticos (0 Hz – 300 GHz)”, Jornal Oficial das
Comunidades Europeias, L 199/59, Bruxelas, Bélgica, Jul. 1999.
PMM 8053A The Solutions for Every Electrosmog Problem, Catalogue,
PMM
Safety
Products,
Segrate,
Italy,
2003.
(www.pmm.it/main/safetyproducts.asp#8053).
Sebastião,D., Ladeira,D., Antunes,M., Correia,L.M., “Influence of
Temporal and Spatial Sampling Parameters on Electromagnetic Field
Measurements”, em Proc. of VTC’2008 Fall - IEEE 68th Vehicular
Technology Conference, Calgary, Canadá, Sep. 2008.
Narda, Remote Monitoring of Electromagnetic Fields, Narda Area
Monitor System 2600, Catalogue, Narda Safety Test Solutions,
Pfullingen,
Alemanha,
2003.
http://www.nardasts.de/pdf/datenblatt/e_area_monitor_2600.pdf.
Download

Resultados atualizados das medidas de campo