O Uso da Internet como Ferramenta Pedagógica para o
Ensino de Filosofia: uma aplicação com alunos do ensino
médio de uma escola estadual
Andrio dos Santos Pinto, Camila Scherer da Silva, Juliana Guedes da Silva
Faculdade Cenecista de Osório (FACOS)
Rua 24 de maio, 141 – 95.520-000 – Osório – RS – Brasil
{andriosp, juguedesds}@gmail.com, bymillynha@hotmail.com
Resumo: O presente artigo descreve o projeto de uma prática de ensino
aplicado na Escola Estadual de Ensino Médio Marçal Ramos, localizada na
cidade de Caraá/RS/Brasil, com a turma de 2º ano do Ensino Médio, utilizando
como tema a “História dos Pensadores Filósofos Contada Através da Internet”.
O objetivo deste projeto foi basicamente proporcionar o conhecimento através
dos recursos que a tecnologia e a Computação possibilitam; usar a Informática
para que se possa identificar maneiras de compreender a Filosofia de uma
forma simples e de fácil entendimento para todos; favorecer a compreensão de
conteúdos da disciplina utilizando mídias visuais; oferecer ao aluno a
oportunidade de levantar hipóteses, dúvidas, questões a respeito do assunto
que está sendo trabalhado no momento, além de proporcionar o uso da
ferramenta Wix na confecção de websites.
Palavras-chave: Internet, Filosofia, prática de ensino.
1. Introdução
Se fizermos uma retrospectiva na educação e nos voltarmos para educação tradicional,
nas quais muitos de nós tivemos a base de nossa formação, podemos verificar o quanto
as aulas muitas vezes se tornavam monótonas, pois muitos professores utilizam apenas
livros, quadro e giz, fazendo com que nós copiássemos o conteúdo, sem ao menos poder
visualizar na prática o que se estava vendo na teoria. E isso acabava deixando a
aprendizagem deficitária. Com a chegada do computador nas escolas, alguns
professores começaram a usufruir desta tecnologia no seu dia a dia, o que deu um novo
olhar ao processo de ensino-aprendizagem. Mas, mesmo assim isso não atingiu uma
grande gama de professores, devido à resistência de uns e a dificuldade de outros.
O fato é que a problemática a respeito da incorporação da tecnologia pelos
processos educacionais, em relação à utilização pelos professores, está relacionada,
segundo Kalinke (2003, p. 16) “a falta de recursos e treinamento dos docentes, aliada à
carência de equipamentos e instalações nas escolas.”
Atualmente com os avanços das tecnologias e com o uso da Internet, que deu um
upgrade no uso do computador e trouxe consigo o ensino a distância, as aulas ganharam
um novo formato, os professores podem utilizar vídeos, imagens ilustrativas, artigos
científicos, ferramentas de mensagens instantâneas, softwares educativos e redes
sociais, para contextualizarem o conteúdo que estão dando na sala de aula, deixando
assim o seu aluno mais atuante com a sua aprendizagem. De acordo com Behar (2007,
p. 01):
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 9
Pode-se dizer que está se vivendo um momento de transformação, onde os
paradigmas presentes na sociedade já não estão dando mais conta das
relações, necessidades e desafios sociais, e um novo modelo educativo está
emergindo num processo ainda de construção. Está se rompendo com a idéia
de uma sociedade centrada no trabalho para uma sociedade que dá valor à
educação, dentro de uma nova totalidade, denominada em muitos contextos
da Sociedade da Informação, ou ainda, em Rede. Portanto, se faz necessário
investigar como está ocorrendo a passagem de uma Sociedade Industrial, que
privilegia a cultura do ensino, para uma Sociedade em Rede, que dá ênfase a
cultura da aprendizagem. Investigar quais são os elementos que se
transformaram e continuam se transformando durante este período e quais
entram em cena, ainda desconhecidos.
Souza e Gitahy (2010, p.27), a respeito da evolução dos recursos utilizados para
registros, complementam:
As informações que vinham sendo transferidas de séculos a séculos por meio
de recursos como a pedra, papiro, papel, giz, é hoje transmitida por meio de
bits, códigos digitais, mensagens virtuais, e-mails; essa evolução tecnológica
proporciona conhecimentos que também podem ser utilizados como recurso
educacional no ambiente escolar.
Com base nisso, o presente artigo descreve o projeto de uma prática de ensino
aplicado na Escola Estadual de Ensino Médio Marçal Ramos, localizada no município
de Caraá/RS, com a turma de 2º ano do Ensino Médio, utilizando como tema a “História
dos Pensadores Filósofos Contada Através da Internet”. E está estruturado da seguinte
forma: na seção 2 é trazido o Referencial Teórico, juntamente com as subseções 2.1
Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) Aplicadas na Educação e 2.2 Internet
e a Educação, que deu todo o aporte teórico necessário; na seção 3 é apresentada a
descrição da Metodologia Utilizada no Projeto da Prática; na seção 4 descreve-se o
Relato da Experiência vivida; encerrando com as Considerações Finais e Trabalhos
Futuros na seção 5.
2. Referencial Teórico
Neste item serão abordadas as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC)
Aplicadas na Educação e sua importância neste contexto segundo Selwyn e Sancho et
al., bem como a Internet e a Educação, trazendo as possibilidades que esta poderosa
ferramenta nos proporciona.
2.1 Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) Aplicadas na
Educação
Com o surgimento das tecnologias podemos perceber que obtivemos muitas mudanças e
que estas foram grandes e positivas para a sociedade. Podemos destacar o fato de que a
Informática trouxe melhorias no processo de ensino e aprendizagem. As TIC, além de
permitirem a adequação do contexto e as situações do processo de aprendizagem em
sala de aula, fornecem recursos didáticos adequados às diferenças e necessidades de
cada aluno.
Segundo Selwyn (2008):
[...] o uso de tecnologias para aprimorar os resultados educacionais e
promover a inclusão social na educação toma duas formas principais. A
primeira é o uso de tecnologias para promover a inclusão social em termos de
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 10
oportunidades e resultados educacionais. Há muito, as TIC – Tecnologia de
Informação e Comunicação foram promovidas como meios particularmente
apropriados para que os cidadãos desempenhassem papéis ativos na melhoria
das perspectivas educacionais. A segunda é o uso da educação para garantir a
inclusão social em termos de oportunidades e resultados tecnológicos. Neste
sentido, instituições educacionais como as escolas, as faculdades, as
bibliotecas e os museus propiciam um acesso às TIC, uma vez que se
considera que a formação em competências e perícias tecnológicas fornece
aos indivíduos as capacidades informacionais necessárias para tirar o melhor
proveito das TIC [...].
O professor de posse desses recursos tecnológicos pode apresentar seu conteúdo
em diversos formatos, até porque cada aluno tem uma forma diferente de assimilar a
informação. Além disso, com o uso das TIC podemos dispor de qualquer informação a
qualquer momento, de acordo com o nosso interesse, através da Internet. Essa
informação surge de forma cada vez mais interativa e cada vez mais depressa, que os
envolvidos no processo de ensino, muitas vezes, não conseguem assimilar.
Uma das principais dificuldades de se incorporar as TIC no processo de ensino é
o fato de haver muita resistência de alguns professores em usar os recursos tecnológicos
e que o professor ainda é considerado o detentor de todo o conhecimento. Atualmente,
com o avanço da tecnologia, o professor tem que estar em constante atualização e
explorar os benefícios que as TIC lhe oferecem, sendo mediador dessa nova forma de
ensino, auxiliando o aluno no quer for preciso para que ele seja o responsável pela sua
aprendizagem.
Sancho et.al. (2006, p.36) afirmam:
Para que o uso das TIC signifique uma transformação educativa que se
transforme em melhora, muitas coisas terão que mudar. Muitas estão nas
mãos dos próprios professores, que terão que redesenhar seu papel e sua
responsabilidade na escola atual. Mas outras tantas escapam de seu controle e
se inscrevem na esfera da direção da escola, da administração e da própria
sociedade.
2.2 A Internet e a Educação
Na literatura encontramos vários conceitos para Internet, uns mais técnicos, conforme
Weininger (1996), que diz:
A solução apresentada era um pacote tão genial quanto simples, em 1972,
esta rede militar (com o nome de ARPANET - Advanced Research Projects
Agency Net) foi aberta à comunidade científica mundial e se transformou aos
poucos na Internet. Inicialmente só utilizada por alguns institutos de pesquisa
e poucos cientistas nas universidades, a Internet ganhou o papel de uma rede
de comunicação planetária através do seu crescimento exponencial e suas
convenções mundialmente estabelecidas. No Brasil, o acesso era primeiro
restrito às universidades e alguns institutos ligados à RNP; desde 1995,
provedores comerciais dão acesso ao público em geral.
Outros partem mais para o viés pedagógico, como Brito e Purificação (2000, p.
89) que dizem que: “A Internet veio para mexer com os paradigmas educacionais em
que não cabem mais arbitrariedade de opiniões, linearidades de pensamento, um único
caminho a ser trilhando”.
O fato é que a Internet adentrou nas escolas e está presente na vida das crianças,
jovens e até mesmo dos adultos, e estes têm acesso às informações com muito mais
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 11
facilidade e rapidez. Muitas vezes estas informações ou conhecimentos acabam sendo
disseminados e confrontados entre alunos e até mesmo professores. Neste momento
conseguimos perceber uma mudança nos papéis de professor e aluno, e cabe ao
professor saber lidar com esta mudança de paradigma no processo de ensino. Para Ayala
e Boher (2000) “qualquer atividade desenvolvida em sala de aula ou fora dela, que
possa contribuir com o enriquecimento do conhecimento é considerada como parte do
currículo.” Complementando, os autores ainda afirmam que “não se pode delimitar ou
separar as atividades “essenciais” daquelas que correm fora da sala de aula, mesmo
as não planejadas.”
Com isso se leva a uma reflexão perante a utilização dos recursos tecnológicos e
na formação dos professores, para que estes possam se reciclar diante das mudanças, de
modo que saibam utilizar em prol de seus objetivos as mídias educacionais de forma
adequada. Além desta reflexão, outra referente ao perfil do professor também é
levantada, qual seria o perfil do professor na atualidade?
Brito e Purificação (2000, p. 33) respondem que:
O professor, em primeiro lugar, é um ser humano e, como tal, é construtor de
si mesmo e da sua história. Essa construção ocorre pelas ações num processo
interativo permeado pelas condições e circunstâncias que o envolvem. É
criador e criatura ao mesmo tempo: sofre influências do meio em que vive e
com os quais deve autoconstruir-se.
Além disso, os autores dizem que:
[...] a educação hoje já não pode mais manter-se somente acadêmica ou
profissional, mas necessita que os professores conheçam todo o processo de
produção e principalmente as inovações tecnológicas. Portanto estes
profissionais devem estar em sintonia com o meio tecnológico, suas
mudanças e novas invenções para poderem suprir as necessidades
educacionais que adentram a escola [...].
Portanto o professor, diante das situações, deve rever seu papel como educador
diante das mudanças e influencias que adentram a escola de tal forma a manter-se
atualizado e até mesmo ampliar ou adquirir novos conhecimentos.
Segundo Waiselfisz (2007, p.57) “na atualidade, a Internet é reconhecida como
um dos instrumentos fundamentais de acesso à informação e pedra fundamental da
sociedade do conhecimento em gestão”. Percebemos então como está sendo vista a
importância da Internet nos dias atuais e é ai que desenvolvemos o nosso projeto de
prática de ensino com o auxílio da Internet, esta ferramenta pedagógica tão poderosa.
3. Metodologia Utilizada no Projeto de Prática
O presente projeto surgiu com a ideia de utilizar as TIC nas aulas da disciplina de
Filosofia, pois uma das grandes dificuldades dos professores em trabalhar com os
conceitos desta ciência é o fato dela ser muito teórica e isso acaba causando um grande
desinteresse dos alunos pelas aulas. Diante disso lançamos a proposta de trabalharmos a
história dos pensadores filósofos com a turma do segundo ano do Ensino Médio da
Escola Estadual Marçal Ramos, situada no município de Caraá, no interior do estado do
Rio Grande do Sul, onde os alunos fizeram pesquisas através da Internet sobre a
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 12
temática determinada e com o uso da ferramenta Wix1 desenvolveram o seu próprio
website para recontar a história de um filósofo de sua escolha, à sua maneira.
O objetivo deste projeto foi basicamente proporcionar o conhecimento através
dos recursos que a tecnologia e a Computação possibilitam; usar a Informática para que
se possa identificar maneiras de compreender a Filosofia de uma forma simples e de
fácil entendimento para todos; favorecer a compreensão de conteúdos da disciplina
utilizando mídias visuais; oferecer ao aluno a oportunidade de levantar hipóteses,
dúvidas, questões a respeito do assunto que está sendo trabalhado no momento; além de
proporcionar o uso da ferramenta Wix na confecção de websites.
Dentre as metodologias optamos pela problematização, pois ela enfatiza que os
problemas a serem estudados precisam valer-se de um cenário real. Isto significa que a
sala de aula deve transcender os limites físicos da instituição, indo ao encontro dos
problemas estudados, das comunidades e instituições sociais demandantes. Deste modo,
as questões levantadas pela observação direta da realidade manifestam-se em todas as
suas contradições e idiossincrasias gerando novos temas de estudo e pesquisa para os
professores, alunos e demais atores envolvidos.
Através de um cronograma de 20 encontros, nós enquanto professores criamos
momentos de discussões por meio de situações problemas, instigando os alunos a
compreenderem as temáticas relacionando-as com os diferentes contextos dentro da
escola. Enquanto isso os alunos mergulharam na história dos principais filósofos através
da Internet, além de aprofundarem seus conhecimentos com aulas de introdução a Micro
Informática e aulas específicas para poderem aprender a utilizarem o Wix na elaboração
de seus websites. Pesquisaram imagens, assistiram vídeos, obtiveram aprofundamento
teórico que os fizeram ter compreensões diversas a respeito da temática proposta e foi
neste momento que eles puderam demonstrar os conhecimentos aprendidos e colocarem
em prática o desenvolvimento do website ressignificando a história dos pensadores
filósofos.
4. Relato da Experiência
Quando adentrarmos na sala de aula para iniciarmos a nossa prática docente e sondamos
os alunos quanto ao uso das tecnologias no seu dia a dia, percebemos que muitos ainda
não tinham tido contato com nenhum recurso tecnológico, principalmente com o
computador e a Internet, e isso nos deixou espantados, pelo fato de estarmos
vivenciando a era digital e de que a escola já havia iniciado o seu processo de
atualização ao montar um laboratório equipado com computadores e Internet. Ao
mesmo tempo, conforme nós íamos interagindo com a turma, percebemos que além de
ser uma turma heterogênea no quesito conhecimento de Informática, ela era uma turma
unida e parceira em relação a trocas de experiências e foi aí que nós iniciamos o nosso
projeto.
Iniciamos as aulas trabalhando em duplas, colocando aqueles alunos com
conhecimento, com aqueles que ainda não tinham nenhum contato e ensinamos os
conceitos básicos de Micro Informática, para depois evoluirmos para atividades
individuais, quando a turma já estava no mesmo nível.
1
http://www.wix.com
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 13
Ao iniciarmos a atividade desafio, que foi o desenvolvimento de um website
para recontar a história de um pensador filósofo através da ferramenta Wix, houve um
pouco de alegria por parte de uns alunos e de desinteresse por outros, por se tratar de um
assunto que não chama muito a atenção dos jovens. Mas, conforme a atividade foi
avançando, no decorrer das aulas, as coisas foram mudando e a empolgação tomou
conta de toda turma, principalmente no momento em que começaram a por a "mão na
massa" e desenvolver os seus websites.
Na concretização do projeto, ou seja, no último encontro, todos estavam com
seus websites prontos, cada um de forma diferente e com o seu toque especial. Fizemos
uma socialização onde todos apresentaram os seus trabalhos aos demais colegas.
Criar uma aula com vinte encontros e que agrade a todos sem que isto se torne
uma rotina, e que os alunos se interessem pelo assunto não é uma tarefa fácil.
Procuramos por vários sites maneiras de tornar a aula interessante e a cada momento
que se passava, durante o decorrer das aulas, perguntávamos a eles se estavam gostando,
se estavam entendendo, se não estava muito difícil ou fácil demais e o que podíamos
melhorar. Sempre nos diziam que a aula estava boa e que estavam gostando bastante de
fazer o website.
Acreditamos que ambas as partes, alunos e professores, aprenderam muito, pois
foi uma troca mútua de experiências, onde todos saíram beneficiados e com um
conteúdo a mais para suas vidas.
5. Considerações Finais e Trabalhos Futuros
Diante dos fatos expostos é importante frisar que o uso das TIC, em especial da Internet
no espaço escolar apresenta desafios importantes para o professor, como enfatizam
Silva (2000) e Kenski (2003). Primeiramente, se percebe o fato de que os alunos têm de
abordar todo o conteúdo repassado pelos professores de forma simultânea, da mesma
forma, em busca dos mesmos resultados, para que ao final sejam avaliados pelo seu
desempenho escolar. Em seguida, se percebe um rompimento por parte dos materiais
didáticos que são fechados e controladores da cognição e da construção de
conhecimentos. Por fim chegamos a uma revolução tecnológica onde os professores
mudam o seu perfil de detentores do saber para mediadores do conhecimento, tendo que
muitas vezes por si só romper a barreira do medo e ir em busca de formações que lhes
garantirão uma aprendizagem referente a utilização das tecnologias, bem como onde
utilizá-las dentro da sala de aula, para poderem auxiliar seus alunos, que estão
vivenciando essa quebra de paradigmas da educação.
Ao mesmo tempo, traz um enorme ganho para o aluno que pode visualizar
através de imagens, hipertextos, vídeos e simulações o conteúdo que está sendo
passado. A Internet é uma ferramenta muito poderosa se utilizada de forma adequada e
isso tem que ser bem alinhado com os alunos. Além dos recursos citados acima, ela
possibilita também a criação de blogs, a criação de perfis em redes sociais, pesquisas em
sites do mundo inteiro, visitação em museus virtuais, bem como outras tantas atividades
que se o professor souber instigar a criatividade dos seus alunos, a cada aula ele terá
uma surpresa. Além disso, o próprio professor pode usar estes recursos e elaborar
atividades que exploram o conteúdo a ser trabalho e, com isso, perceberá que a
aprendizagem e o gosto pelo conhecimento vão mudar.
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 14
Não há melhor indicação quanto a qual disciplina irá usar a Internet como
ferramenta apoiadora no processo de ensino-aprendizagem, conforme citamos
anteriormente, as TIC estão presentes em todas as ciências, só precisamos usá-las para
um determinado fim, que logo perceberemos o retorno que ela nos dará. Neste caso
utilizamos na disciplina de Filosofia, para trabalharmos a ressignificação da história dos
pensadores filósofos, mas este foi apenas um exemplo dentre várias que existem.
Como trabalhos futuros deixamos alinhavados o desenvolvimento de um projeto
de formação de professores em AVAs – Ambiente Virtuais de Aprendizagem para o
ensino das TIC através da Internet na modalidade à distância, além do desenvolvimento
de um projeto para elaboração de uma oficina para construção de objetos de
aprendizagem e um projeto para a elaboração de MEDs – Materiais Educacionais
Digitais com foco na Internet.
Referências
Ayala, Eduardo J. Z.; Bohrer, Carmem R.S. “As teorias educacionais como fontes das
concepções de currículo: um estudo preliminar.” Disponível em:
[http://www.ufsm.br/adeonline/ayala.html]. Acessado em: jan./2012.
Behar, Patrícia Alejandra; Passerino, Liliana; Bernarde, Maira. (2007) “Modelos
Pedagógicos para Educação a Distância: pressupostos teóricos para a construção de
objetos de aprendizagem”. Novas Tecnologias na Educação. V. 5 Nº 2, Dezembro.
Disponível
em:
[http://www.cinted.ufrgs.br/ciclo10/artigos/4b
Patricia.pdf].
Acessado em jan./2012.
Brito, Glaucia da Silva; Purificação, Ivonéia. (2000) “Curso Normal Superior.
Licenciatura para os anos iniciais do ensino fundamental. Informática na Educação”.
Curitiba: IBPEX.
Kalinke, M. A. (2003) “Internet na Educação”. Curitiba: Chain.
Kenski, Vani. (2003) “Tecnologias e ensino presencial e a distância”. Campinas:
Papirus.
Sancho, Juana Miranda et.al. (2006) “Tecnologias para transformar a educação”. Porto
Alegre: Artmed.
Selwyn, Neil. “O uso das TIC na educação e a promoção de inclusão social: uma
perspectiva crítica do Reino Unido”. Disponível em [http://www.scielo. br/pdf/es/
v29n104/a0929104.pdf]. Acessado em: jan./2012.
Silva, Marco. (2000) “Sala de aula interativa”. Rio de Janeiro: Editora Quartet.
Souza, Janice. Gitahy, Raquel. (2010) “O uso da Internet como recurso para pesquisa”.
Paranaíba: Interfaces da Educação, v.1, n.1. Disponível em: [http://periodicos.uems.
br/index.php/interfaces/article/view/1570/164]. Acessado em: jan./2012.
Waiselfisz, Julio Jacobo. (2007) “Lápis, borracha e teclado: tecnologia da informação
na educação”. 1ª edição. RITLA – Rede de Informação Tecnológica LatinoAmericana. Instituto Sangari. MEC – Ministério da Educação. Disponível em:
[http://cms.sangari.com/midias/2/47.pdf]. Acessado em: jan./2012.
Weininger, Markus J.. “O uso da Internet para fins educativos”. Disponível em:
[http://www.ced.ufsc.br/~uriel/internet.htm]. Acessado em: jan./2012.
Revista iTEC – Vol. IV, Nº 4, Jul. 2012
Página 15
Download

O Uso da Internet como Ferramenta Pedagógica para o