Análise de Investimentos
Relatório de Análise
14 de fevereiro de 2014
Banco do Brasil
Lucro ajustado do 4T13 abaixo do esperado
Victor Luiz de Figueiredo Martins,
CNPI*
O BB registrou no 4T13 lucro líquido ajustado de R$ 2,42 bilhões, 7% abaixo dos R$ 2,62 bilhões
que esperávamos, com um ROAE anualizado de 14,2%. Este número é 7% inferior aos R$ 2,61
bilhões do 3T13 (ROAE de 15,7%). O aumento da PDD de R$ 273 milhões, em base trimestral,
explica a diferença do reportado para nossa estimativa. Em 2013 o lucro ajustado caiu 10% para
R$ 10,35 bilhões, com ROAE de 15,0%. O foco do banco permanece na melhora de eficiência
operacional, mix de carteira conservador com foco nos segmentos imobiliário e consignado,
despesas administrativas contidas, rendas de tarifas crescentes, inadimplência estável, e forte
crescimento de resultado de sua controlada BB Seguridade. Seguimos com recomendação de
COMPRA com preço justo de R$ 31,3/ação, porém o lucro abaixo do estimado e retorno mais
contido este ano cria momento desafiador para os papéis no curto prazo.
Destaques do 4T13. O lucro líquido contábil foi de R$ 3,02 bilhões, sensibilizado principalmente
pela provisão com demandas contingentes de R$ 575 milhões compensada por alienação de ações
da Itapebi, adesão ao Refis e outras, com impacto positivo de R$ 1,18 bilhão, e consequente
aumento do lucro em R$ 602 milhões. Em 2013, principalmente com o IPO da BB Seguridade que
gerou um ganho de R$ 9,82 bilhões, o lucro líquido contábil cresceu 29% para R$ 15,76 bilhões. A
Margem Financeira Bruta encerrou o 4T13 em R$ 11,96 bilhões (+2% sobre o 3T13), influenciada
positivamente pelo aumento da receita financeira com operações de crédito e principalmente pelo
resultado de tesouraria. Contudo a despesa com PDD cresceu em ambas as bases de comparação,
+7% no trimestre e +15% sobre o 4T12 totalizando R$ 4,19 bilhões, fazendo com que a margem
financeira líquida registrasse queda de 0,7% sobre o 3T13, para R$ 7,77 bilhões.
As Receitas de Serviços evoluíram 6% em base trimestral para R$ 6,18 bilhões, pelo crescimento
dos negócios com cartões (+22%) e da estratégia de realinhamento dos pacotes de serviços. O
crescimento das Despesas com Pessoal/Administrativas foi de 14% frente o 3T13, influenciado pelo
reajuste salarial, realizado integralmente a partir de out/13, com efeito retroativo a set/13, e por
maior gasto com benefícios. A carteira de crédito ampliada somou R$ 692,92 bilhões, com
crescimento de 6,2% no trimestre e de 19,3% em 12 meses, com destaque para o segmento do
agronegócio (+34,1%), enquanto para pessoas físicas (+10,6%) o guidance não foi alcançado. O
índice de inadimplência, levando em conta atrasos superiores a 90 dias, ficou em 2% ao final de
dezembro de 2013, estável frente o 3T13 e em linha com os 2,1% no encerramento de 2012.
vmartins@plannercorretora.com.br
+55 11 2172-2565
Disclosure e certificação do analista
estão localizados na última página
deste relatório.
Código
BBAS3
Recomendação
Cotação atual (R$)
R$ /ação
COMPRA
20,82
Preço justo
R$ /ação
31,30
Potencial
50,3
%
Var. 52 sem. (Min/Max)
R$ /ação
18,8 - 29,44
Dados da Ação
Total de ações
milhões
2.808,7
Ações Ordinárias
%
Free Float
%
100,0
29,8
R$ milhões
139,00
Vol. Méd, diário (1 mês)
Valor de Mercado
Desempenho da Ação
R$ milhões
Dia
Ano
BBAS3
-4,9% -14,7%
Ibovespa
-0,8%
-7,2%
-18,1%
2012
2013
2014E
6,5
5,6
5,2
18,7
15,0
14,8
11.528 10.353
11.210
Principais Múltiplos
P/L (x)
ROAE (%)
Lucro Líq. recorr. (R$ mm)
Payout (%)
40,0
40,0
40,0
Retorno Dividendo (%)
7,1
7,1
7,7
Cotação/VPA (x)
1,1
0,8
0,7
Fonte: Economá ti ca . Projeções : Pl a nner Corretora .
Figura 1: Desempenho da ação em 12M
145
125
Guidance
ROAE ajustado
Margem Financeira Bruta
Captação
Carteira de Crédito Ampliada
Pessoas Físicas
Pessoas Jurídicas
Agronegócio
PDD sobre a carteira
Rendas de Tarifas
Despesas Administrativas
2013
Realizado em 2013
2014
14 a 17%
15,0% 12 a 15%
2 a 5%
1,5%
3 a 7%
12 a 16%
17,7% 14 a 18%
17 a 21%
19,9% 14 a 18%
14 a 18%
10,6% 12 a 16%
18 a 22%
19,5% 14 a 18%
24 a 28%
34,1% 18 a 22%
2,7 a 3%
2,8% 2,7 a 3,1%
10 a 14%
10,6%
9 a 12%
5 a 8%
7,2%
5 a 8%
-3,7%
Cotação de 13/2/2014
135
Figura 1: Principais linhas de estimativas em 2013 e 2014
58.477
52 Sem.
115
105
95
85
75
BBAS3
Fonte: Economa ti ca .
Fonte: Banco do Brasil/Planner Corretora.
Página | 1
IBOV
Análise de Investimentos
Relatório de Análise
14 de fevereiro de 2014
Banco do Brasil
Guidance. Na fig.1 são apresentados as estimativas do ano passado, os resultados alcançados no
ano e o desempenho esperado para 2014. Em 2013, os maiores desvios foram: (i) da Margem
Financeira Bruta cujo desempenho abaixo do esperado foi impactado, principalmente, pelo
crescimento da carteira de crédito em linhas de menor risco e do aumento das despesas de
captação em virtude da elevação da taxa Selic; (ii) da Captação Comercial, acima do esperado,
pela estratégia de gestão do portfólio e mix captado; (iii) do segmento de crédito PF, abaixo das
estimativas, por menor demanda dos clientes, principalmente nas linhas de empréstimo pessoal;
(iv) do segmento do Agronegócio, que repercutiu elevada demanda, notadamente nas linhas de
investimento e agroindústria, por recursos para safra agrícola 2013/2014.
Opinião. Basicamente o aumento da PDD no trimestre, explica a diferença do reportado para
nossa estimativa. Destaque para o indicador de inadimplência do BB acima de 90 dias, em 2%
permanecendo abaixo dos 3% apresentados pelo SFN no período. Com relação ao guidance para
2014, segundo o BB, as estimativas foram elaboradas considerando: (i) a rentabilização da
carteira de clientes como forma de potencializar receitas; (ii) a manutenção do atual modelo de
negócios; (iii) o alinhamento da estrutura de custos ao crescimento do volume de negócios; (iv)
os reajustes nos contratos com fornecedores e acordo coletivo de trabalho, alinhados à prática
de mercado. Destaque em 2014 para o crescimento da margem financeira bruta entre 3% e 7%, e
um ROAE entre 12% e 15%, após os 15% registrados no ano passado, antevendo um cenário de
menor crescimento de carteira este ano. A PDD sobre a carteira média entre 2,7% e 3,1% será
mais que compensada pelas receitas de serviços entre 9% e 12%. O foco do banco permanece na
melhora de eficiência operacional, mix de carteira conservador com foco nos segmentos
imobiliário e consignado, despesas administrativas mais contidas, rendas de tarifas crescentes,
inadimplência estável, e forte crescimento de resultado de sua controlada BB Seguridade.
Seguimos com recomendação de compra, porém o lucro abaixo do estimado e retorno mais
contido este ano cria momento desafiador para os papéis no curto prazo.
Figura 2: Principais Indicadores com realocações
Banco do Brasil - principais indicadores*
R$ milhões
Recei ta de Intermedi a çã o Fi na ncei ra
Des pes a de Intermedi a çã o Fi na ncei ra
Ma rgem Fi na ncei ra Bruta
Des pes a s com PDD
Ma rgem Fi na ncei ra Líqui da
Recei ta de Pres taçã o de Servi ços
Des p. com Pes s oa l /Admi ni s tra tiva s
Lucro Líqui do a jus tado
Ati vo Total
Ca rtei ra de Crédi to Ampl i a da
Pa tri môni o Líqui do
NPL >90d
ROAE a j.%
Sprea d Gl oba l %
Índi ce de Efi ci ênci a a j.
Ba s i l éi a
4T12
3T13
4T13
24.868
28.412
31.971
12.835
16.670
20.010
12.033
11.742
11.961
3.636
3.915
4.188
8.397
7.827
7.773
5.484
5.819
6.177
7.499
7.399
8.432
3.180
2.610
2.424
1.149.308 1.259.260 1.303.915
580.799
652.294
692.915
61.499
65.924
72.225
2,1%
2,0%
2,0%
21,2%
15,7%
14,2%
5,0%
4,4%
4,4%
43,4%
43,5%
46,7%
14,8%
15,2%
14,5%
var
trim
12,5%
20,0%
1,9%
7,0%
-0,7%
6,2%
14,0%
-7,1%
3,5%
6,2%
9,6%
0,0 pp
-1,5 pp
0,0 pp
3,2 pp
-0,7 pp
var
2012
2013
var
12m
28,6%
104.525
113.997 9,1%
55,9%
58.796
67.584 14,9%
-0,6%
45.729
46.413 1,5%
15,2%
14.651
15.600 6,5%
-7,4%
31.078
30.813 -0,9%
12,6%
21.071
23.301 10,6%
12,4%
28.194
30.222 7,2%
-23,8%
11.528
10.353 -10,2%
13,5% 1.149.308 1.303.915 13,5%
19,3%
580.799
692.915 19,3%
17,4%
61.499
72.225 17,4%
-0,1 pp
2,1%
2,0% -0,1 pp
-7,0 pp
18,7%
15,0% -3,7 pp
-0,6 pp
5,1%
4,4% -0,7 pp
3,3 pp
43,2%
44,4% 1,2 pp
-0,3 pp
14,8%
14,5% -0,3 pp
Fonte: BB/Planner Corretora; DRE*: Principais indicadores com realocações.
Página | 2
Análise de Investimentos
Relatório de Análise
14 de fevereiro de 2014
Banco do Brasil
Parâmetros do Rating da Ação
Nossos parâmetros de rating levam em consideração o potencial de valorização da ação, do mercado, aqui refletido
pelo Índice Bovespa, e um prêmio, adotado neste caso como a taxa de juro real no Brasil, e se necessário ponderação
do analista. Dessa forma teremos:
Compra: Quando a expectativa do analista para a valorização da ação for superior ao potencial de valorização do
Índice Bovespa, mais o prêmio.
Neutro: Quando a expectativa do analista para a valorização da ação for em linha com o potencial de valorização do
Índice Bovespa, mais o prêmio.
Venda: Quando a expectativa do analista para a valorização da ação for inferior ao potencial de valorização do Índice
Bovespa, mais o prêmio.
EQUIPE
Mario Roberto Mariante, CNPI*
mmariante@plannercorretora.com.br
Cristiano de Barros Caris
ccaris@plannercorretora.com.br
Luiz Francisco Caetano, CNPI
lcaetano@plannercorretora.com.br
Victor Luiz de Figueiredo Martins, CNPI
vmartins@plannercorretora.com.br
Ricardo Tadeu Martins, CNPI
rmartins@plannercorretora.com.br
DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções
referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste
relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e
nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da
Planner Corretora de Valores.
(*) Conforme o artigo 16, parágrafo único, da ICVM 483, declaro ser inteiramente responsável pelas informações e afirmações contidas neste relatório de análise.
Declaração do(s) analista(s) de valores mobiliários (de investimento), nos termos do art. 17 da ICVM 483
O(s) analista(s) de valores mobiliários (de investimento) envolvido(s) na elaboração deste relatório declara(m) que as recomendações contidas neste refletem
exclusivamente sua(s) opinião(ões) pessoal(is) sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em
relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.
Declaração do empregador do analista, nos termos do art. 18 da ICVM 483
A Planner Corretora e demais empresas do Grupo declaram que podem ser remuneradas por serviços prestados à(s) companhia(s) analisada(s) neste relatório.
Página | 3
Download

Banco do Brasil