Meio Ambiente de Sociedade:
dos impactos atuais à base
biofísica aos serviços ambientais
Profa Assoc. Norma Felicidade L S Valencio e equipe
Núcleo de Estudos e Pesquisas Sociais em Desastres
Departamento de Ciências Sociais
UFSCar
PROBLEMÁTICA

MODO DE PRODUÇÀO CAPITALISTA
DESENVOLVIMENTO
=
CRESCIMENTO ECONÔMICO
=
MODELO URBANO-INDUSTRIAL
EFEITOS SOCIOAMBIENTAIS
DO PADRÃO HEGEMÔNICO
DE DESENVOLVIMENTO




AUMENTO POPULACIONAL E
ADENSAMENTO NOS NÚCLEOS URBANOS
INDIVIDUALISMO E COMPETIÇÃO
CONSUMO DE MASSA E
DESCARTABILIDADE RÁPIDA DOS BENS
EXPLORAÇÃO DESENFREADA DOS
RECURSOS NATURAIS MEIO URBANO E
RURAL ( ÁGUA, VEGETAÇÃO ETC)
RELEVANTE PROBLEMA ATUAL
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
GEEs = AQUECIMENTO GLOBAL
DERRETIMENTO DAS GELEIRAS
ELEVAÇÃO DO NÍVEL DO MAR
EFEITOS EXTREMOS DE CHUVAS E SECAS
=
Insegurança hídrica, alimentar, epidemias etc
Economia Global e Ambiente Global em conflito
COMO LIDAR COM ISSO?
QUESTIONAR O MODELO DE
DESENVOLVIMENTO ADOTADO

IMPLEMENTAR UM MODELO DE
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL



SOCIALMENTE JUSTO
ECONOMICAMENTE VIÁVEL
AMBIENTALMENTE CORRETO
AÇÕES DE POLÍTICA MULTILATERAL
PROTOCOLO DE KYOTO


a)
b)

Realizado em dezembro de 1997, em Kyoto, no Japão, resultado da 3ª Conferência das Partes da
Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, com a presença de representantes de
mais de 160 países.
Objetivos:
fixar compromissos de redução e limitação da emissão de dióxido de carbono e outros gases
responsáveis pelo efeito estufa, para os países desenvolvidos (reduzir a emissão de poluentes em
5,2% em relação aos níveis de 1990. A redução seria feita em cotas diferenciadas de até 8%,
entre 2008 e 2012, pelos países listados no Anexo 1 )
trazer a possibilidade de utilização de mecanismos de flexibilidade para que os países em
desenvolvimento possam atingir os objetivos de redução de gases do efeito estufa.
Vigência :
em 2001 EUA abandonou e em 2004 Rússia aderiu e, com mais de 55% de adesão dos
Países Anexo 1, pode vigorar ( a partir de fevereiro de 20005).
MAIORES POLUIDORES
Estados Unidos 36,1%
Rússia 17,4%
Japão 8,5%
Alemanha 7,4
Reino Unido 4,3
Canadá 3,3
Itália 3,1
Polônia 3,0
França 2,7
Austrália 2,1
Espanha 1,9
Países Baixos 1,2
República Checa 1,2
Romênia 1,2
Paises listados no Anexo 1:
Alemanha, Austrália, Áustria, Belarus, Bélgica, Bulgária, Canadá, Comunidade Européia, Dinamarca,
Espanha, Estados Unidos, Estônia, Federação Russa, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda,
Islândia, Itália, Japão, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Países Baixos,
Polônia, Portugal, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, República Tcheco-Eslovaca,
Romênia, Suécia, Suíça, Turquia e Ucrânia.
RESPONSABILIDADE BRASILEIRA COM OS EFEITOS
ADVERSOS RELACIONADOS ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS
As emissões de carbono do Brasil são ao
redor de 2,5% das mundiais
 25% são procedentes da indústria e da
agricultura modernas
 75% da agricultura tradicional, da
conversão de uso na fronteira agrícola e
das atividades madeireiras ineficientes
e/ou predatórias.
MELHOR RESULTADO
MECANISMOS DE DESENVOLVIMENTO LIMPO (MDL)
É um mecanismo de mercado que permite aos países desenvolvidos
cumprirem parte das suas metas de redução de emissão através do
financiamento de projetos de desenvolvimento sustentável nos
países emergentes e pobres.
=
O mercado de CERs - Certificados de Emissões Reduzidas ou Reduções
Certificadas de Emissão
FOCO ATUAL:
Estimular a produção de energia limpa, como a solar e a gerada a
partir de biomassa, e remover o carbono da atmosfera
Serviços ambientais
São serviços úteis
oferecidos pelos ecossistemas para o homem,
como
 a regulação de gases (produção de oxigênio e
seqüestro de carbono),
 belezas cênicas,
 conservação da biodiversidade,
 proteção de solos
 regulação das funções hídricas.
SERVIÇOS AMBIENTAIS
Um MDL é um serviço ambiental, mas
nem todo serviço ambiental conseguiu ser
um MDL .
Por exemplo:
 a proteção às florestas ainda não
devastadas.

O QUE SE PODE FAZER?





Produção e consumo de energia (fontes renováveis e
ponderação)
Meios de transportes coletivos;
Redução das emissões de GEEs e dos bens relacionados
Proteção de florestas e manejo madeireiro sustentável
assim como outras atividades extrativistas, como pesca
Políticas Públicas em prol do meio ambiente
(licenciamento de projetos com risco de alto impacto
ambiental, multas aos poluidores, incentivos para adoção
de tecnologias limpas etc)
O QUE SE PODE FAZER?







Contribuir na redução de área desflorestada
Eliminação de agroquímicos
Preservação da biodiversidade
Indústria paga para que produtores rurais possam
plantar e manter árvores
Recuperação de matas ciliares
Ecoturismo
Créditos por redução certificada de emissões de gases
de efeito estufa (RCE): empresa que emite mais do que
a sua quota (estabelecida no protocolo de Kyoto),
comprar "crédito de carbono" de outra empresa ou
projeto que consiga emitir menos do que a sua quota ou
que seqüestra carbono (MDL).
NOSSO DESAFIO
COMO ADMINSTRAR A NECESSIDADE DE:

GERAR EMPREGOS E OPORTUNIDADES
 GERAR RIQUEZAS
 PRESERVAR O MEIO AMBIENTE
???????
VAMOS FAZER UM EXERCÍCIO?
ESCOLHA
DENTRE 20 ITENS DISPONÍVEIS
O PADRÃO DE DESENVOLVIMENTO
QUE PODERIA VIGORAR
NO ESTADO DE SÃO PAULO
PARA UM MODO DE VIDA
MAIS
SUSTENTÁVEL
ONDE NOS ACHAR
NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOCIAIS EM
DESASTRES
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS
E-MAIL: desastres@terra.com.br
OBRIGADA!
Download

Meio Ambiente de Sociedade: dos impactos atuais à base