100% Brasileira
Divulgação do
Resultado
3T10 e 9M10
Mensagem da Presidência
Jundiaí (SP), 8 de Novembro de 2010
“Uma vez que se começa a pensar em crescimento é difícil pensar em
outra coisa”
Robert Lucas - Prêmio Nobel de Economia, 1995.
Código Bovespa
VULC3
Ações Ordinarias:
70.000.000
Valor de mercado:
R$ 1,4 bilhão (30/09/2010)
Milton Cardoso
Diretor Presidente
Edivaldo Brito
Diretor de Relações com
A indústria brasileira de calçados comemora o forte crescimento do
mercado interno e a repressão às importações ilegais que tanto
deprimiram o emprego e a renda durante 2.008 e 2.009.
Também comemoram os consumidores, que se beneficiam de produtos
de alta tecnologia a preços acessíveis, que geram emprego, renda e
desenvolvimento no Brasil, em contraposição a produtos importados a
preços de dumping que apenas drenam a energia da economia
brasileira.
A Vulcabras│azaleia sendo a maior indústria de calçados do Brasil
também se aproveita deste momento virtuoso. Nosso modelo de negócio
que integra tecnologia e produção próprias à grande capilaridade
comercial e marketing agressivo permitem-nos reagir rapidamente e
ganhar participação de mercado.
Como prevíramos, aceleramos nossa taxa anual de crescimento das
vendas de 19,5% no primeiro trimestre e de 23,0% no segundo para
37,4% no 3T10.
Investidores
dri@vulcabras.com.br
Tel: (55 11)4532 1095
Fábricas:
BRASIL: Bahia, Ceara, Rio
Grande do Sul, Sergipe
ARGENTINA: Coronel Suarez
Escritórios comerciais:
BRASIL: Rio Grande do Sul, São
Paulo
ARGENTINA: Buenos Aires
CHILE: Santiago
COLOMBIA: Santa Fé de Bogotá
PERU: Lima
ESTADOS UNIDOS: Doral
Nossos produtos evoluíram em qualidade, tecnologia e conforto, por isto
nossos preços médios de calçados no mercado interno subiram 18,2%
sobre 3T09. Nossa produtividade também se elevou e com isto
reduziram-se os custos, permitindo-nos continuar com a recuperação da
margem bruta que alcançou 33,3% neste trimestre, contra 30,7% no
anterior e 27,5% no 3T09.
Nosso lucro líquido de R$41 milhões cresceu 114% sobre o 3T09.
O natal que se aproxima promete ser o melhor já visto no Brasil em
termos de desempenho do varejo; pretendemos capturar também este
momento positivo e manter taxa expressiva de crescimento, em que
pese a base mais robusta do 4T09.
Mantemo-nos, pois, otimistas e continuamos a investir e gerar emprego,
renda nos países em que atuamos e retorno para nossos acionistas.
Monitoramos, todavia, a evolução do câmbio - que ameaça a indústria
nacional como um todo, no mercado interno e nas exportações - e a
triangulação de importações que tem crescido fortemente nos últimos
meses; assuntos que merecem e devem continuar a merecer atenção
diferenciada do governo brasileiro.
1
100% Brasileira
As informações operacionais e financeiras da Vulcabras|Azaléia são apresentadas com base em números consolidados e em milhões de Reais,
elaboradas de acordo com os padrões contábeis internacionais (IFRS), exceto se indicado de outra forma. As informações apresentadas neste
relatório referem-se respectivamente ao desempenho do terceiro trimestre de 2010 e período acumulado de janeiro a setembro de 2010,
comparados ao terceiro trimestre de 2009 e período acumulado de janeiro a setembro de 2009, exceto quando especificado de forma diversa.
Principais Destaques
•
Crescimento da Receita Líquida consolidada de 37,9% sobre o 3T09 e de 30,5 % sobre o período
acumulado de nove meses em 2009 (9M09);
•
Crescimento de 113,8% no lucro líquido do 3T10 sobre 3T09 (24,9% nos 9M10 vs 9M09);
•
O Lucro Bruto cresceu 67,5% no 3T10 (de R$ 111,5 milhões no 3T09 para R$ 186,9 milhões no
3T10), com aumento de 5,9 p.p. na margem bruta para 33,3%;
•
Crescimento de 51,5% no Lajida, com margem de 16,1%, 1,4 p.p. acima do 3T09 (14,6%);
•
Investimentos em tecnologia, desenvolvimento e modernização das fábricas de R$ 37,3
milhões no 3º. Trimestre de 2010 (R$ 86,4 milhões no acumulado de 2010);
•
Geração de 6,4 mil empregos diretos no período de 12 meses encerrado em 30 de setembro de
2010, somando 45,1 mil empregados no quadro total da Companhia.
PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS (R$ milhões)
3T09
3T10
%
9M09
9M10
%
Receita Bruta
489,8
673,1
37,4%
1.324,4
1.706,3
28,8%
Receita líquida de vendas
406,3
560,4
37,9%
1.090,3
1.423,0
30,5%
67,5%
5,9 p.p.
314,0
449,0
28,8%
31,6%
43,0%
2,8 p.p.
74,3%
23,1% 4,8 p.p.
184,5
310,4
Lucro bruto
111,5
186,9
margem bruta
27,5%
33,3%
74,4
129,7
Despesas operacionais
margem operacional
Lucro Op. Líquido antes CSLL/IRPJ
18,3%
16,9%
68,2%
21,8% 4,9 p.p.
14,8
41,4
180,8%
65,6
87,6
Lucro líquido
19,2
91,5
4,7%
41,0 113,8%
7,3% 2,6 p.p.
73,2
margem líquida
90,1
51,5%
16,1% 1,4 p.p.
176,8
LAJIDA
margem LAJIDA
Empregados
59,5
14,6%
6,7%
16,2%
38.731
33,5%
24,9%
6,4% -0,3 p.p.
213,0
20,5%
15,0% -1,2 p.p.
45.094
6.363
2
100% Brasileira
Receita Operacional Bruta
A Vulcabras|Azaléia atua na produção e comercialização de calçados esportivos, femininos, sandálias,
botas profissionais e em confecções e acessórios esportivos, por meio de 26 fábricas localizadas no
Brasil e uma na Argentina. Nossos produtos são desenvolvidos com tecnologia própria. Detemos a
liderança no mercado brasileiro de calçados esportivos e somos auto-suficientes em tecnologia,
desenvolvimento de produtos e capacidade de fabricação.
A Receita Operacional Bruta consolidada alcançou R$ 673,1 milhões no 3T10 (R$ 1.706,3 milhões nos
9M10), com aumento de 37,4% sobre o mesmo período de 2009 (28,8% no acumulado em nove meses).
Receita Operacional Bruta (R$ Milhões)
CAGR: 30,5% a.a.
28,8%
CAGR: 9,6% a.a.
1.706,3
1.505,7
1.324,4
37,4%
510,8
3T07
577,3
3T08
673,1
768,3
489,8
3T09
3T10
9M07
9M08
9M09
9M10
Nosso modelo de negócios, distinto dos principais concorrentes permitiu rápida mobilização das
atividades para atender o crescimento da demanda resultante do aumento do consumo e do combate
às importações ilegais, ao longo de 2010.
3
100% Brasileira
Composição da Receita Operacional Bruta
Por Propriedade das Marcas
Acumulado - 9M09
Acumulado - 9M10
Marcas
Licenciadas
14,0%
Marcas
Licenciadas
Marcas
29,0%
Próprias
71,0%
Marcas
Próprias
86,0%
Em linha com nosso plano estratégico, a participação das marcas próprias (Azaléia, Dijean, Olympikus,
Opanka e Vulcabras) na receita bruta tem se tornado cada vez maior. No período acumulado de 9M10,
as marcas próprias representaram 86,0% do total, contra 71,0% em 9M09.
Composição da Receita Operacional Bruta
Por Origem da Produção
Acumulado - 9M09
Acumulado - 9M10
Produção
Produção
Terceiros
8,7%
Produção
Própria
91,3%
Produção
Própria
Terceiros
95,9%
4,1%
Os produtos de fabricação própria também aumentaram a participação na Receita Bruta, e
representaram 95,9% das receitas totais nos 9M10 (91,3% em 9M09). A Vulcabras|azaléia recorre a
produção terceirizada apenas para atender parcialmente a alguns mercados no exterior com as marcas
próprias e para suprir alguns modelos de Reebok não fabricados no Brasil.
4
100% Brasileira
Receita Bruta por linha de Negócio
Acumulado - 9M2009
Acumulado – 9M2010
Rob Total: R$ 1.706,3 Milhões
Rob Total: R$ 1.324,4 Milhões
Confecções
Confecções
8,0%
12,0%
Calçados
Calçados
88,0%
92,0%
Em 9M10, o segmento de calçados (esportivos, femininos, sandálias e botas) representou 92,0% da
receita bruta da Companhia (88,0% para os 9M09). A maior participação do segmento de calçados em
relação às confecções é resultado do crescimento de 34,6% desta linha de negócios e da queda de
13,6% em confecções.
RECEITA BRUTA POR LINHA DE NEGÓCIOS (R$ Milhões)
3T09
Calçados
Confecções
Total
3T10
∆%
9M09
9M10
∆%
433,1
632,2
46,0%
1.165,5
1.569,0
34,6%
56,7
40,8
-28,0%
158,9
137,3
-13,6%
489,8
673,0
37,4%
1.324,4
1.706,3
28,8%
A evolução na receita bruta das linhas de calçados é resultado dos aumentos nos volumes vendidos e
maiores preços médios. O faturamento de confecções foi de R$ 40,8 milhões no 3T10, queda de 28,0%
sobre o 3T09 (R$ 137,3 milhões nos 9M10, queda de 13,6% sobre os 9M09).
CONFECÇÕES
RECEITA OPERACIONAL BRUTA - R$ Milhões
3T09
3T10
∆%
9M09
9M10
∆%
Futebol
33,1
20,4
-38,3%
76,2
88,5
16,2%
Coleções
23,7
20,4
-13,6%
82,7
48,8
-41,0%
Total
56,7
40,8
-28,0%
158,9
137,3
-13,6%
5
100% Brasileira
A linha de negócios de confecções está em fase de integração às atividades esportivas. O segmento de
futebol tem apresentado crescimento (16,2% na comparação 9M10 vs. 9M09) e o objetivo é extrair
todo o potencial de nossas marcas das oportunidades que estão a caminho nos esportes ao longo dos
próximos anos.
Receita Operacional Bruta por Mercado de Atuação (R$ Milhões)
Participação por Origem Geográfica
Acumulado Jan. a Set./2009
Acumulado Jan. a Set./2010
Mercado
Externo
15,0%
Mercado
Externo
14,5%
Mercado
Interno
85,0%
Mercado
Interno
85,5%
A participação dos mercados interno e externo manteve-se praticamente inalterada. Houve forte
crescimento no exterior que foi parcialmente reduzido pela variação cambial.
Receita Operacional Bruta por Mercado de Atuação (R$ Milhões)
Evolução por Origem Geográfica
353,8
273,5
Mercado Interno
247,9
Mercado Externo
198,8
214,0
1.458,4
1.125,5
1.647,2
76,1
1.068,6
2007
102,5
1.658,0
2008
2009
413,8
570,6
3T09
3T10
9M09
9M10
6
100% Brasileira
Mercado Interno
As vendas no mercado interno no 3T10 que representaram 84,6% da receita bruta e cresceram 37,3%
em relação ao mesmo período de 2009 (29,4% nos 9M10) estão assim divididas por segmento:
RECEITA BRUTA POR LINHA DE NEGÓCIOS (R$ Milhões)
MERCADO INTERNO
3T09
3T10
∆%
9M09
9M10
Calçados
Confecções
Total
∆%
360,9
536,1
48,5%
972,9
1.331,9
36,9%
54,5
34,5
-36,7%
154,3
126,5
-18,0%
415,4
570,6
37,3%
1.127,1
1.458,4
29,4%
A integração entre as atividades fabris e comerciais gera grande diferencial de agilidade e
flexibilidade no atendimento da demanda.
Nossa independência em termos de marcas, tecnologia e capacidade produtiva permite que sejamos
capazes de incorporar com maior eficiência as expectativas do consumidor aos nossos produtos e
obter maiores benefícios deste período virtuoso, à medida que novos produtos são lançados em linha
com as expectativas e desejos de nossos consumidores.
Evolução das vendas de Calçados – Mercado Interno
Vendas Físicas (Milhões de Pares)
Venda Valor (R$ Milhões)
21,7%
28,7
35,4%
1.331,9
23,6
9,1
6,9
983,4
8,4
7,5
9,0
543,9
11,5
439,5
282,3
1T09
2T09
3T09
9M09
1T10
26,0%
2T10
3T10
9M10
1T09
336,7
364,5
2T09
3T09
348,2
9M09
1T10
2T10
3T10
9M10
49,2%
Nossa capacidade de inovação e desenvolvimento de novos modelos que combinam performance,
design e conforto, agrega maior valor aos calçados e confecções a cada renovação de coleções.
7
100% Brasileira
A busca por diferenciação a cada período de lançamentos, decorrente de intensas pesquisas que
resultam em novas tecnologias de amortecimento, novas cores e tecidos, evolução no design, maior
conforto e melhor performance, garantem não só uma maior aceitação de nossos produtos como a
melhora do mix e aumentos nos preços médios. O preço médio de calçados no mercado interno foi
17,2% superior na comparação do 3T10 vs. 3T09 (12,5% nos 9M10 vs. 9M09).
VENDA FÍSICA POR LINHA DE NEGÓCIOS
MERCADO INTERNO
(Milhões - pares / peças)
3T09
3T10
∆%
9M09
9M10
Calçados
Preço Médio - Calçados
Confecções
Preço Médio - Confecções
28.7
46.37
4.9
25.55
9.1
39.52
2.1
26.06
11.5
46.73
1.8
19.34
26.4%
18.2%
-14.7%
-25.8%
23.6
41.21
6.0
25.73
∆%
21.7%
12.5%
-17.5%
-0.7%
Evolução dos preços médios (Calçados - Mercado Interno)
∆% = 18,2%
48,60
44,50
46,73
44,30
39,52
40,50
1T09
41,30
2T09
3T09
4T09
1T10
2T10
3T10
Os investimentos em comunicação por meio de diversos canais de mídia (impressa, virtual e
televisiva), os patrocínios esportivos, o licenciamento de celebridades e a comunicação nos pontos de
venda tem valorizado e estreitado o relacionamento com clientes e consumidores com as nossas
marcas.
Além disso, a Vulcabras|azaléia tem elevado o nível de serviço aos lojistas, reduzindo prazos de
entrega, oferecendo margens adequadas à realidade de cada negócio e interação constante nos
pontos de vendas.
8
100% Brasileira
Mercado Externo
As vendas no mercado externo são realizadas principalmente na Argentina, com as marcas Olympikus
e Reebok, produzidos no Brasil e na Argentina. Nossa fábrica em Coronel Suarez conta com cerca de
quatro mil empregados e segue nosso modelo de produção própria e atendimento diferenciado aos
clientes.
O cenário macroeconômico argentino vem apresentando melhoras do poder aquisitivo, crescimento do
PIB (11,8% no segundo trimestre de 2010 sobre o mesmo período de 2009) e desemprego em queda
(7,9% em setembro de 2010, versus 9% em dez. 2009). Estas condições favorecem o consumo de nossos
produtos, que apresentaram crescimento nos volumes vendidos.
VENDA FÍSICA POR LINHA DE NEGÓCIOS
MERCADO EXTERNO
(Milhões - pares / peças)
3T09
3T10
∆%
9M09
9M10
Calçados
Preço Médio - Calçados
Confecções
Preço Médio - Confecções
6,28
37,74
0,43
24,88
2,10
34,47
0,10
21,32
2,26
42,60
0,23
27,18
7,62%
23,6%
130,0%
27,5%
5,32
36,23
0,24
19,53
∆%
18,10%
4,2%
79,17%
27,4%
Em dólares, as vendas ao mercado externo apresentam evolução de 42,2% no 3T10 em relação ao 3T09
(43,2% no período acumulado de nove meses), inclusive com evolução dos preços médios, que subiram
31,8% em calçados e 36,0% em confecções na comparação trimestral (21,9% no acumulado para
calçados e 49,1% para as confecções).
RECEITA BRUTA POR LINHA DE NEGÓCIOS (US$ Milhões)
MERCADO EXTERNO
3T09
3T10
∆%
9M09
Calçados
Preço Médio (US$) - Calçados
Confecções
Preço Médio (US$) - Confecções
Total
9M10
∆%
38,7
18,47
1,2
11,43
55,0
24,35
3,6
15,54
42,1%
31,8%
205,8%
36,0%
92,4
17,38
2,2
9,37
133,1
21,18
6,1
13,97
44,0%
21,9%
174,1%
49,1%
58,4
83,0
42,2%
112,0
160,4
43,2%
9
100% Brasileira
Evolução das vendas de Calçados – Mercado Externo
Vendas Físicas (Milhões de Pares)
Venda Valor (US$ Milhões)
18,1%
44,0%
133,1
6,3
5,3
92,4
2,3
2,0
2,1
1,8
2,1
38,7
1,4
1T09
2T09
3T09
9M09
1T10
2T10
3T10
9M10
24,4
29,3
1T09
2T09
3T09
9M09
7,6%
37,5
40,6
55,0
1T10
2T10
3T10
9M10
42,1%
A maior exposição de nossas marcas – patrocínio da maratona de Buenos Aires (Reebok) e das equipes
esportivas - Lanus, Argentino Juniors e Racing no futebol e seleção nacional de vôlei (Olympikus) fortaleceu os vínculos entre as marcas e o consumidor local.
As demais vendas para o mercado externo foram realizadas para cerca de 60 países por intermédio de
nossas subsidiárias localizados na Colômbia, Peru, Chile e Estados Unidos.
Receita líquida
A Receita Liquida no 3T10 somou R$ 560,4 milhões, 37,9 % acima dos R$ 406,3 milhões apurados no
3T09 (R$ 1.423,0 milhões no período de nove meses, crescimento de 30,5%).
Evolução da Receita Operacional Líquida – R$ Milhões
CAGR: 32,2% a.a.
30,5%
1.423,0
CAGR: 10,7% a.a.
1.218,9
1.090,3
37,9%
560,4
413,4
3T07
460,2
3T08
616,1
406,3
3T09
3T10
9M07
9M08
9M09
9M10
10
100% Brasileira
Custo dos Produtos Vendidos, Resultado Bruto e Margem Bruta
Os Custos dos Produtos Vendidos (CPV) foram 26,7% maiores no 3T10 em relação ao 3T09 e
representaram 66,7% da receita operacional liquida. Comparado aos 72,5% da receita líquida
apresentados no 3T09, houve ganho de 5,8 p.p.. Com isso, o lucro bruto foi 67,5% maior e se traduziu
numa margem bruta de 33,3%.
No período de nove meses, o CPV cresceu 25,5%, e representou 68,4% da receita líquida, com margem
bruta de 31,6%, um ganho de 2,8 p.p..
No ano de 2008 havíamos concluído um agressivo projeto de investimentos de R$ 110,9 milhões e
criado 5,8 mil empregos. Sofremos com o aumento da capacidade ociosa devido à crise mundial e à
invasão de importações ilegais, mas mantivemos a decisão de não demitir pessoas. A partir do último
trimestre de 2009 retomamos o ritmo de produção e, à medida que registramos maior crescimento nas
vendas e na produção em 2010, os custos operacionais são gradualmente diluídos, fruto dos aumentos
da produtividade e da eficiência industrial.
Custos dos Produtos Vendidos (R$ Milhões)
Lucro Bruto e Margem Bruta (R$ Milhões)
33,3%
25,5%
28,8%
974,0
26,7%
314,0
776,3
27,5%
373,5
3T10
186,9
111,5
294,8
3T09
449,0
9M09
9M10
3T09
3T10
9M09
9M10
A combinação de condições mais estáveis nos custos dos suprimentos industriais e os ganhos de escala
obtidos devido aos maiores volumes comercializados e melhora no mix surtiram efeitos sobre a
melhora da margem bruta no trimestre, que subiu 5,9 p.p., de 27,5% registrados no 3T09 para 33,3%
no 3T10 (2,8 p.p. no acumulado de 28,8% em 9M09 para 31,6%).
11
100% Brasileira
Despesas Operacionais
Vendas
As despesas com vendas apresentaram aumento de 46,3% no 3T10 em relação ao 3T09, uma
concentração de 1,07p.p.. Na comparação acumulada entre os 9M10 vs. 9M09, as despesas subiram
34,3%, com uma concentração de 0,48 p.p..
As maiores despesas com vendas decorrem principalmente de maiores despesas discricionárias
(propaganda e marketing) voltadas para dar maior exposição às marcas e suportar o forte crescimento
a médio prazo.
Despesas Com Vendas
34,3%
242,6
180,6
46,3%
104,2
71,2
3T09
3T10
9M09
9M10
12
100% Brasileira
Administrativas
Continuamos a apresentar ganhos de sinergia e escala nas atividades administrativas:
As despesas administrativas foram 3,9% inferiores no 3T10 em relação ao 3T09, apresentando diluição
de 2,37 p.p. como percentual da receita liquida (redução de 13,8% nos 9M10 vs. 9M09, com diluição
de 3,82 p.p.). Este comportamento é reflexo do cumprimento das metas de contenção dos gastos fixos
implementadas na Companhia.
Já na comparação dos períodos acumulados, houve incremento de 57,5%, entre as despesas
administrativas. Este crescimento é resultado do pagamento de acordos em processos judiciais com
vistas à eliminação das causas em julgamento relativas às contingências da Azaléia, anteriores a
aquisição.
Outras Receitas/Despesas Operacionais
No 3T10 houve queda de 73,7% no valor apurado desta conta na comparação com o 3T09 (62,8% nos
9M10 vs. 9M09). Estão incluídas nesta linha as reversões de provisões com as contingências
trabalhistas, além de receitas com aluguéis, reembolso de despesas, resultado de equivalência e
outros.
R$ Milhões
Reversão de Contingências
Outros
Total
OUTRAS RECEITAS/DESPESAS OPERACIONAIS
∆%
3T09
3T10
9M09
9M10
∆%
27,1
15,1
-44,1%
70,9
20,8
-70,6%
4,4
(6,9)
-254,8%
18,9
12,5
-33,7%
31,5
8,3
-73,7%
89,8
33,4
-62,8%
O sucesso do plano de liquidação acelerada das contingências jurídicas vem permitindo a reversão de
valores provisionados, que foram 44,1% menores que as realizadas no 3T09 (70,6% em relação aos
9M09).
13
100% Brasileira
LAJIDA (Lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização)
O Lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Lajida) somou R$ 90,1 milhões no
3T10, 51,5% superior ao registrado no 3T09, com margem de 16,1% (R$ 213,0 milhões nos 9M10, 15,0%
acima dos R$ 176,8 milhões apurados nos 9M09 - margem de 16,2%).
O resultado do Lajida no 3T10 demonstra a recuperação da geração de caixa da Companhia, a medida
que os níveis de atividade são retomados e as operações ganham escala.
LAJIDA (R$ Milhões)
3T09
3T10
∆%
9M09
9M10
∆%
Resultado Operacional
14,8
41,4
179,70%
65,6
87,6
33,5%
(+) Resultado Financeiro, Liquido
22,3
15,7
-29,7%
63,9
51,0
-20,1%
(+) Depreciação/ Amortização
22,3
32,9
47,4%
47,3
74,4
57,2%
LAJIDA
59,5
90,1
51,5%
176,8
213,0
20,4%
14,6%
16,0%
16,2%
15,0%
∆ pp
% LAJIDA / ROL
1,37 pp
∆ pp
-1,25 pp
14
100% Brasileira
Despesas Financeiras
As despesas financeiras da Vulcabras|azaleia incluem despesas com juros de empréstimos bancários,
tarifas, variações monetárias e cambiais e impostos sobre aplicações. As receitas financeiras incluem
o rendimento de aplicações e ganhos cambiais.
Despesas Financeiras Líquidas (R$ Milhões)
3T09
3T10 variação %
9M09
9M10
variação %
Despesas c/ empréstimos
Receitas com aplicação
20,2
(1,1)
19,3
(0,1)
-4,7%
-89,1%
64,4
(3,5)
62,2
(0,6)
-3,5%
-83,7%
Sub total líquido
19,1
19,2
0,2%
60,9
61,6
1,1%
Serviços financeiros
(0,9)
0,5
-
(3,4)
3,1
-
Variação cambial
10,7
1,5
-85,8%
35,2
1,6
-95,5%
Ajuste a valor presente (AVP)
(6,5)
(5,5)
-16,2%
(28,9)
(15,2)
-47,4%
Despesas Financeiras Líquidas
22,3
15,7
-29,7%
63,9
51,0
-20,1%
As despesas financeiras no 3T10 foram 29,7% inferiores ao registrado no mesmo período de 2009,
reflexo da redução nas despesas com variação cambial, que foram 85,8% inferiores. Levando-se em
conta os ativos e passivos em moeda estrangeira, a exposição cambial líquida ficou limitada a R$ 6,0
milhões, uma queda de 79,4% em relação aos R$ 29,1 milhões apurados no 9M09. Na comparação
entre os períodos de 9M10 vs. 9M09 houve queda 20,1%, também fruto de menores despesas com
variação cambial (95,5%).
15
100% Brasileira
Resultado Líquido
Resultado Líquido (R$ Milhões) e Margem Líquida
151,0
13,0%
12,4%
73,2
7,3%
6,7%
6,4%
59,6
4,7%
41,0
11,8
19,2
1,4%
91,5
1,9%
5,9
3T07
3T08
3T09
3T10
Margem Líquida
9M07
9M08
9M09
9M10
Res. Líquido (R$ milhões)
No 3T10 a Companhia registrou um resultado líquido de R$ 41,0 milhões, 113,8% acima do 3T09 com
margem líquida de 7,3%. O resultado acumulado no período de nove meses soma R$ 91,5 milhões,
24,9% acima do registrado em 2009.
Financiamento Bancário
As dívidas da Vulcabras|Azaléia objetivam primordialmente o financiamento de investimentos na
construção, ampliação, capital de giro, manutenção das plantas industriais e em tecnologia. Assim,
estes financiamentos são provenientes de linhas de crédito tomadas junto a bancos e entidades de
fomento com recursos destinados a programas de incentivo à produção, geração de empregos,
inovação, pesquisa e desenvolvimento com taxas abaixo das médias praticadas pelo mercado e prazos
compatíveis com a maturação de nossos investimentos.
Encerramos o 3T10 com endividamento líquido em queda, com R$ 590,3 milhões, 3,0% inferior aos R$
608,6 milhões apurados no 3T09.
No trimestre aumentamos os financiamentos na Argentina com recursos contratados em Pesos,
conferindo maior equilíbrio entre ativos e passivos na moeda local.
16
100% Brasileira
Com isso o endividamento em moeda estrangeira passou a representar 11,3% da dívida bruta total
(4,3% no 3T09), compatível com as necessidades de capital de giro da operação local (aumento do
valor do CCL no período de R$ 47,0 milhões).
Endividamento Financeiro (R$ Milhões)
3T09
3T10
Taxas Fixas (média 6,92% a.a.)
178,4
270,8
TJLP + Juros Médios 3,88% a.a.
503,4
389,4
Moeda Estrangeira (US$ e Pesos)
30,3
84,2
Empréstimos e Financiamentos
712,1
744,4
( - ) Disponibilidades
(103,5)
(154,1)
Dívida Líquida
608,6
590,3
Curto Prazo
Longo Prazo
232,4
376,2
64,6
525,7
Total Líquido
608,6
590,3
Indicadores
3T09
1,4
0,4
3,0
9,1%
3T10
1,1
0,3
3,0
8,9%
Endividamento/Patrimonio Líquido
End. Líquido/Ativo Total
Prazo Médio (anos)
Custo Médio da Dívida (% a.a.)
Com relação aos indicadores de solvência, houve redução na alavancagem financeira em relação ao
Patrimônio Líquido (de 1,4 vezes no 3T09 para 1,1 vezes no 3T10) e em relação aos ativos totais da
Companhia (de 0,4 vezes no 3T09 para 0,3 no 3T10).
Em relação aos vencimentos, os empréstimos da Vulcabras|azaléia estendem-se até o ano de 2018,
sendo que o prazo médio ponderado é de 3,0 anos, com 51,2% do total da dívida líquida vencendo em
período superior a um ano a um custo médio ponderado de 8,9% ao ano.
Os vencimentos mais relevantes em 2011 (R$ 323,5 milhões) referem-se a linhas de fomento de bancos
(BNDES, BNB, FINEP), dos quais cerca de 78% tendem a ser renovados pela Companhia no vencimento.
17
100% Brasileira
Perfil de Vencimento do Endividamento (R$ milhões)
Em 30.09.2010
Vencimento
2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
Empréstimos
39,9
323,5
111,1
58,8
55,9
53,5
47,5
43,7
10,5
TOTAL
Amortização
Líquida
0,0
209,3
111,1
58,8
55,9
53,5
47,5
43,7
10,5
Aplicações
(39,9)
(114,2)
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
744,3
(154,1)
590,3
Fluxo de Caixa
Demonstrativo do Fluxo de Caixa – 31.12.2009 a 30.09.2010
68
19
4
(90)
47
(74)
213
(86)
(51)
154
99
Caixa Inicial
LAJIDA
Aumento do Empréstimos Aumento do
Impostos
Exigível
- Parte
Longo Prazo relacionada
s/Lucro
Líquido
Passivo
Bancário
aumento do Pagamento Imobilizado
CCL
de
Dividendos
Intangível
Despesas
Caixa Final
Financeiras
Líquidas
As principais variações no fluxo de caixa durante o ano referem-se à entrada de recursos provenientes
da geração de caixa (Lajida) e mútuos com partes relacionadas, aumento no CCL (Capital Circulante
Líquido) devido ao crescimento das receitas, liquidação de empréstimos e pagamento dos dividendos.
18
100% Brasileira
Capital Circulante Líquido
Capital Circulante Liquido Consolidado - R$ milhões
ATIVO CIRCULANTE
Contas a receber
Estoques
Impostos a recuperar
Impostos diferidos
Despesas antecipadas
Outros
PASSIVO CIRCULANTE
Fornecedores Bens e Serviços
Impostos e contribuições a recolher
Obrigações trabalhistas e previdenciárias
Provisão para contingências
Dividendos
Outros
CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO - Aumento (Diminuição)
31/12/2009
30/09/2010
Variação CCL
555
158
31
13
88
20
865
580
255
32
33
17
917
25
97
1
(13)
(55)
(3)
52
160
24
59
2
75
28
348
145
30
114
4
1
21
315
15
(6)
(55)
(2)
74
7
33
517
602
85
O aumento de R$ 85,0 milhões no capital circulante líquido decorre: aumento do contas a receber em
razão dos aumentos na produção e nas vendas, redução da conta de fornecedores e desembolso de R$
75,1 milhões para o pagamento dos dividendos referentes ao exercício de 2008 e 2009. Registra-se
também um aumento de R$ 97 milhões nos estoques como antecipação da produção para atender a
expectativa de demanda no final de ano.
19
100% Brasileira
Investimentos
Investimentos em Imobilizado
Distribuição dos Investimentos – 9M10
Maquinas e
Equipamentos
33%
Investimentos em Imobilizado
R$ Milhões
3T09
3T10
Predios e
Instalações
27%
9M09
Imobilizado
Prédios e instalações
Máquinas e equipamentos
Moldes e outros
3,9
1,1
12,0
4,0
10,7
22,6
7,9
4,0
28,9
Total
17,0
37,3
40,8
9M10
23,0
34,6
28,8
86,4
Moldes e
Outros
40%
No terceiro trimestre foram investidos R$ 37,3 milhões (113% da depreciação), R$ 86,4 milhões nos
9M10 (116% da depreciação acumulada), sendo 40,0% (9M10) na aquisição de máquinas e
equipamentos para modernização e atualização do parque tecnológico da Companhia.
Valor Adicionado
Nos 9M10 a Vulcabras|azaleia gerou R$ 922,1 milhões conforme o critério de geração de valor
adicionado em suas atividades, que foram distribuídos da seguinte maneira:
Distribuição do Valor Adicionado
Financiadores
9,4%
Tributos
Empregados
28,4%
52,2%
Lucros Retidos
9,9%
20
100% Brasileira
Quadro de Pessoal
A Vulcabras|azaléia é um dos maiores empregadores do Brasil, tendo encerrado o terceiro trimestre
de 2010 com 45,1 mil pessoas em seu quadro, crescimento de 1,0 mil no 3T10 e 6,3 mil pessoas em 12
meses.
Estes empregados estão distribuídos em três regiões no Brasil: Na região Nordeste (Bahia, Ceará e
Sergipe) estão localizadas as atividades industriais em 26 fábricas de calçados e confecções, no Sul
(Rio Grande do Sul) as áreas de Marketing, Pesquisa e Desenvolvimento, onde cerca de 900
profissionais estão exclusivamente dedicados à pesquisa e desenvolvimento e de tecnologia de
materiais e produção. No sudeste (São Paulo) estão localizadas as áreas administrativas, comercial, de
distribuição e logística. Além disso, ainda temos operações industriais na Argentina e escritórios
comerciais no Chile, Peru, Colômbia e EUA.
Quadro de Pessoal por área geográfica – 9M10
Quadro de Pessoal
Outros
Argentina países
0,4%
9,4%
Set.09
Set.10
Brasil
34.350
40.658
Argentina
4.185
4.241
Outros países
196
195
38.731
45.094
Total
Brasil
90,2%
Responsabilidade Ambiental
As empresas do grupo Vulcabras|azaleia cumprem integralmente às normas da Legislação Ambiental
aplicável às suas atividades produtivas e investem também em melhorias contínuas, visando a
diminuição dos impactos ambientais, seja no tratamento dos efluentes líquidos, na destinação
adequada dos resíduos sólidos ou nas suas emissões atmosféricas.
Por meio do seu Programa de Tratamento de Águas Residuais, os efluentes líquidos industriais são
descartados após um processo de tratamento físico-químico realizado nas Estações de Tratamento de
Efluentes e Estações de Tratamento e Reaproveitamento de Água.
Adicionalmente, a Companhia investe em tecnologias que eliminam os resíduos gerados no processo
produtivo das fábricas e, quando a geração de resíduos é inevitável, opta-se pela reciclagem através
21
100% Brasileira
de Coleta Seletiva ou pela revenda de resíduos recicláveis às empresas licenciadas, procedimento que
também gera receitas para a Vulcabras|azaleia.
A Vulcabras|Azaléia também possui um Programa de Educação Ambiental cujo objetivo é
conscientizar os empregados sobre a importância da separação dos resíduos gerados no processo
produtivo, firmando seu comprometimento com o meio-ambiente.
No período de 9M10, a Vulcabras|azaleia investiu de R$ 313,6 mil no programa de gestão ambiental.
Responsabilidade Social
Humanizar as relações entre empresa e comunidade, cuidar das pessoas e valorizar a vida são ações
importantes que a Vulcabras|azaleia desenvolve através de seu Programa de Responsabilidade Social.
Podemos destacar entre estas ações, o nosso Programa de Inclusão de Deficientes – PID, que a
empresa conduz demonstrando que a verdadeira inclusão acontece quando tratamos as pessoas com
igualdade e dizemos não ao preconceito. Desenvolvemos ainda um Programa de Visita de Familiares,
cujo o objetivo é a valorização de nossos colaboradores e maior aproximação com a comunidade.
Prestar nosso apoio e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, é uma forte
preocupação da Vulcabras|azaleia, que o faz através da contribuição para o desenvolvimento das
comunidades de seu entorno, seja através do esporte, da educação ou da cultura, apoiando projetos
da comunidade e empreendendo projetos internos.
O total investido em programas de Responsabilidade Social foi R$ 6,3 milhões.
Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho – SESMT
Na Vulcabras|azaleia somos fortemente comprometidos com a segurança de nossos colaboradores e cientes
de nossas responsabilidades como maior empregador do setor na América Latina e, por isto, investimos de
forma permanente e metódica em segurança do trabalho.
Para promover a saúde, segurança e bem-estar de nossos colaboradores, diversas ações são desenvolvidas
pela equipe do SESMT (composto de médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, engenheiros e
técnicos de segurança do trabalho, entre outros).
Podemos destacar as seguintes ações: melhorias constantes em relação à ventilação e iluminação das áreas
produtivas, investimento em EPI’s e proteções para as máquinas, implantação do PPRPS – Programa de
Prevenção de Riscos em Prensas e Similares, realização de campanhas de conscientização, palestras e
22
100% Brasileira
treinamentos. O total investido nos programas voltados para a Segurança do Trabalho foi R$ 7,5
milhões.
Nossas Marcas
Com a melhor capacitação tecnológica e industrial do setor, a Vulcabras|azaleia desenvolve produtos
inovadores e altamente tecnologicos para suas marcas. Somos a única empresa do setor calçadista
capaz de fornecer ao mercado uma linha completa de calçados e artigos esportivos, produzidos em
sua quase totalidade em nossas fábricas do Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará, Sergipe, Fortaleza e
Argentina.
Os lançamentos para o segundo semestre foram apresentados ao mercado na Francal, tradicional feira
de calçados que acontece em São Paulo, em julho. Os resultados foram excelentes: batemos recorde
de vendas durante o período de três dias de feira, com mais de 1,5 milhão de pares de calçados
vendidos das marcas Azaleia, Dijean, Opanka, Olympikus e Reebok, 50% a mais que no ano passado.
A Olympikus confirmou neste trimestre sua posição como maior marca esportiva brasileira: é a marca
do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), do time de futebol
Flamengo e de diversos outros clubes, atletas e entidades. No período, novos atletas se juntaram ao
time, entre eles os jogadores das seleções masculina e feminina de vôlei Murilo (melhor jogador da Liga
Mundial e do Mundial), Mari e Sheila.
Na estratégia para os Jogos Olímpicos 2016, iniciamos o relacionamento com novas promessas do país
durante o evento de preparação com jovens atletas que participariam dos Jogos da Juventude de
Cingapura, organizado pelo COB. Apresentamos no evento os uniformes especiais para a delegação
brasileira, além de tênis customizados para os jovens atletas.
No futebol, completamos um ano de fornecimento de material esportivo ao Clube de Regatas do
Flamengo e reafirmamos nosso orgulho em fazer parte da maior torcida de futebol do país. Lançamos
no Rio de Janeiro a coleção de moda casual inspirada na tradição do clube, com destaque para as
camisas pólo de estilo retrô.
A Olympikus massificou sua presença na TV brasileira com o patrocínio da transmissão da Copa do
Mundo, que rendeu mais de mil inserções na Rede Globo. Estima-se que mais de 180 milhões de pessoas
assistiram os comerciais mais de cem vezes e puderam conhecer os dois sucessos da marca no período:
23
100% Brasileira
as tecnologias Zomax, lançada em janeiro e campeã de vendas, e TubeTech, testada pelo IBTeC
(Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos) e considerada uma das melhores
tecnologias de running de alta performance do mundo. Além da liderança em vendas de materiais
esportivos no Brasil, comemoramos o desempenho da marca em canais especializados, ficando a
frente das principais marcas internacionais, o que comprova a importância dos investimentos feitos
em alta tecnologia.
O processo de internacionalização da Olympikus é crescente. Em 2010, expandiu sua presença na
Argentina ao firmar contrato de três anos com o time de futebol Argentino Juniors, atual campeão do
Clausura, o equivalente ao Campeonato Brasileiro. A marca também está presente no país como
fornecedora oficial dos times de futebol Racing e Lanús. Além disso, marca presença em outros
esportes, vestindo a seleção argentina de vôlei e o vitorioso Bolívar, além do Liceo Naval, equipe de
rugby, esporte tradicional no país.
Entre os lançamentos em calçados, apresentados ao público na Francal, destacam-se a tecnologia Tube
Jet, com design inspirado em jatos e turbinas de avião, e a evolução da linha TubeTech, com o modelo
Neutro 2, trazendo mais avanços ao tênis que já havia sido destaque com o Prêmio de Melhor Compra da
revista especializada Contra-Relógio. Ainda durante o evento, a marca exibiu sua nova coleção de roupas e
acessórios.
No segmento de running, fechamos uma importante parceria com a World Tennis, uma das maiores
redes especializadas em tênis do Brasil. Resultado de um ano de pesquisa, o Pisada 3D, proporciona
uma avaliação completa da pisada, indicando o produto correto para cada perfil, desde atletas
profissionais a
amadores. O equipamento que armazenará grande banco de dados permitirá a
construção de uma pesquisa completa sobre a anatomia do pé brasileiro, será instalada em 238 pontos
de vendas da rede.
No segmento de calçados, a marca continua apostando em tecnologia. Sucesso nos Estados Unidos e na
Europa, o Zigh Tech chegou às lojas brasileiras em agosto, ao valor de R$ 399,90. O modelo apresenta
uma tecnologia inovadora, pois seu solado em zig zag transfere a energia da pisada horizontalmente, o que
reduz o estresse dos principais músculos da perna em até 20% e proporciona um treino mais eficiente ao
atleta. O calçado tem o campeão mundial de F1 Lewis Hamilton como garoto-propaganda mundial. No
Brasil, a campanha contemplou mídia impressa, cinema, mídia externa e ponto-de-venda.
24
100% Brasileira
A Reebok também apresentou um novo modelo da linha Full DMX o X-Fury , com cabedal em material
diferenciado e tela que proporciona maior ventilação, além do amortecimento, conforto e estabilidade. Já
na linha Kids, o Talki´n Krazy permite às crianças desenhar no cabedal do tênis.
O modelo feminino Easy Tone, que virou febre no primeiro semestre por sua solução inovadora de
calçado funcional, ao tonificar músculos chaves realizando atividades do dia-a-dia, começou a ser
fabricado nas unidades fabris da Vulcabras|azaleia no Brasil para atender ainda melhor a demanda no
que diz respeito à volume e distribuição. Testado pela Universidade de Delaware, nos Estados Unidos,
o tênis colabora para exercitar em até 28% a mais os músculos localizados na região dos glúteos
durante o seu uso. Os tendões posteriores (coxa) e panturrilhas tendem a aumentar sua atividade em
11% com o modelo nos pés.
O marketing esportivo continua sendo a grande vitrine de produtos tecnológicos para a Reebok na
linha de confecção. A marca patrocina os times Cruzeiro, São Paulo e Internacional, que disputa pela
segunda vez o Mundial da FIFA, que acontecerá em dezembro em Abu Dhabi. Para esse grande
evento, a marca lançou uma coleção que será usada pelo Inter exclusivamente no Mundial. As
camisetas trazem, na manga direita, um logotipo como homenagem à conquista da Libertadores 2010.
Ainda no âmbito esportivo, a Reebok lançou os uniformes e coleções de peças casuais para os clubes
patrocinados. O torcedor do São Paulo F.C conta com a nova “Camisa do Torcedor”, que faz
referência ao uniforme da seleção paulista. O novo modelo traz a mesma gola pólo de 1940 com novos
detalhes, e a exclusiva tecnologia play-dry, que acelera a eliminação da umidade e reduz contato do
suor com corpo.
A Vulcabras|azaleia vê na marca de chinelos Opanka uma grande oportunidade, já que o mercado de
chinelos cresce a cada ano e a tendência mundial é por chinelos de conforto. Sob o conceito “Tá em
todas”, a marca traduz o estilo de quem tem o espírito de curtir a vida com muito conforto e
versatilidade.
A marca realizou no trimestre ações de marketing para se relacionar com o público jovem e
internauta, como a promoção Saco Mágico, onde os internautas concorreram a presentes inusitados. A
Opanka participou com três prêmios surpresas durante este período.
A marca também realizou parceria com grandes clientes, como o evento de moda da rede Pompéia, o
"Pompéia Fashion Week", levando o ator e garoto-propaganda da marca Paulo Vilhena para desfilar a
nova coleção.
25
100% Brasileira
A Azaleia, presente há 50 anos no mercado, é uma das marcas brasileiras que mais exportam, com
forte presença no continente sul americano. Em julho, na Francal, a marca apresentou sua maior
coleção dos últimos anos.
Destaque para linha Grazi Azaleia, que completa mais um ano de licenciamento e já representa uma
das coleções mais lembradas pelas consumidoras.
A marca voltou à Rede Globo em setembro para apresentar sua campanha de lançamento da coleção
primavera verão 2011 Grazi Azaleia, destacando as novas cores e variação de três saltos: rasteira,
salto alto e anabela.
Dentre as ações cooperadas com os principais clientes, a marca também realizou um importante
projeto com a rede Oscar Calçados, participando da décima edição do Oscar Fashion Days, evento de
moda que apresenta ao consumidor final os lançamentos em calçados, acessórios e roupas para o
verão. Grazi Massafera desfilou os lançamentos para o verão 2011 da marca de calçados femininos,
gerando ótima repercussão na imprensa.
Dijean
é
a
marca
de
calçados
voltada
para
o
público
adolescente
feminino.
A
diversidade de modelos e estilos busca atender este público tão seletivo. A linha Dijean NEO foi
criada em 2008 para atender as meninas que buscam beleza e conforto. Desenvolvidas em EVA, as
coleções trazem como grande diferencial a leveza e o design arrojado, antecipando tudo que há de
novo.
Depois de retornar à Rede Globo com a atriz Thaila Ayala como garota-propaganda, a marca agitou as
comunidades de moda ao criar um site totalmente interativo para sua linha Neo. O portal
www.neo.etc.br passa a ser um ponto de encontro das comunidades de moda com muita
interatividade, permitindo que as garotas possam opinar sobre o estilo de outras meninas e também
ter seu próprio look avaliado. Essa ferramenta criou uma grande rede social de moda para jovens
formadoras de opinião.
26
100% Brasileira
Declaração da Diretoria
Em atendimento à instrução CVM 480/09, a Diretoria declarou em 08 de Novembro de 2010 que
revisou, discutiu e concorda com as Informações Trimestrais de setembro de 2010 da
Vulcabras|Azaléia e com as opiniões constantes no Parecer dos Auditores Independentes.
Auditoria Independente
Em atendimento à instrução CVM 381/03 informamos que a KPMG Auditores Independentes prestou
somente serviços de auditoria no período de 2010.
As informações não financeiras da Vulcabras|azaléia e suas controladas, as informações pró-formas,
assim como as referentes às expectativas da administração quanto ao desempenho futuro das
Companhias, não foram revisadas pelos auditores independentes.
Informações adicionais
Conversão das demonstrações financeiras em reais para o dólar norteamericano
As demonstrações financeiras da Companhia foram preparadas em reais e de acordo com as práticas
contábeis adotadas no Brasil. A conversão dos balanços patrimoniais e das demonstrações de
resultados para dólares norte-americanos está sendo apresentada para facilitar o entendimento de
nossos números por leitores estrangeiros. A opinião dos auditores independentes refere-se somente as
demonstrações oficiais da Companhia, elaboradas em Reais. Os balanços patrimoniais e as
demonstrações de resultados em dólares norte-americanos estão sendo apresentados somente para a
conveniência dos leitores e representa a conversão dos valores em Reais para dólares norteamericanos pelos seguintes critérios:
Os balanços patrimoniais foram convertidos pela taxa de encerramento dos exercícios findos em 30 de
Setembro de 2010 e 2009, conforme divulgado pelo Banco Central do Brasil no montante de R$ 1,694
por US$ 1,00 set/2010, R$ 1,741 por US$ 1,00 dez/2009 e R$ 1,778 por US$ 1,00 em set./2009. Os
ganhos e perdas resultantes das diferenças entre os valores históricos do capital e reservas e o valor
traduzido a taxa corrente foram reconhecidos como ajustes acumulado de tradução, no patrimônio
líquido.
As demonstrações de resultados dos exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e 2008 foram
convertidas pelas taxas médias mensais, exceto pelo lucro líquido dos exercícios que foram
convertidos pela taxa de câmbio do encerramento dos respectivos exercícios. As diferenças
resultantes do processo de conversão pelas taxas médias históricas e pelas taxas de encerramento dos
27
100% Brasileira
exercícios nos respectivos anos foram reconhecidas como ganho ou perda na tradução, no resultado
dos exercícios.
Esta conversão dos balanços patrimoniais e dos resultados dos exercícios não deve ser interpretada
como uma informação complementar as demonstrações financeiras oficiais da Companhia e não deve
ser considerada como a representação das demonstrações financeiras preparadas na moeda corrente
nacional (Real) traduzidas para dólares norte-americanos por esta ou qualquer outra taxa de câmbio.
28
100% Brasileira
Anexo I – Balanços Patrimoniais Consolidados (em milhares de Reais)
Vulcabras S.A. Consolidado
(Companhia aberta)
Balanços patrimoniais
em 30 de setembro de 2010, 2009 e 31 de dezembro de 2009
(Em milhares de Reais)
Consolidado
Ativo
Circulante
Caixa e equivalente caixa
Aplicações financeiras
Contas a receber de clientes
Estoques
Impostos a recuperar
Despesas antecipadas
Outros créditos
Não circulante
Aplicações financeiras
Impostos a recuperar
Impostos diferidos
Depósitos judiciais
Partes relacionadas
Despesas antecipadas
Outros créditos
Investimentos
Imobilizado
Propriedade para investimento
Intangível
Diferido
Consolidado
30/9/2010
31/12/2009
30/9/2009
151.736
289
579.581
254.799
32.415
33.147
17.484
96.801
288
555.007
157.553
30.821
88.043
19.940
101.283
355
464.586
173.462
29.457
91.934
38.440
1.069.451
948.453
899.517
2.034
18.544
25.409
7.302
9.680
1.327
4.352
2.140
24.486
19.270
10.149
9.680
1.942
4.326
1.878
20.513
24.362
11.586
1.784
10.921
68.648
71.993
71.044
22.121
321.177
3.990
245.331
275
20.180
277.808
4.136
276.573
607
19.434
280.311
4.894
264.099
735
592.894
579.304
569.473
1.730.993
1.599.750
1.540.034
Passivo
Circulante
Financiamentos e empréstimos
Financiamentos incentivados
Debêntures
Fornecedores
Impostos e contribuições a recolher
Programa de Recuperação Fiscal - REFIS
Salários e férias a pagar
Provisão para contingências
Impostos diferidos sobre reavaliação do imobilizado
Outras contas a pagar
Dividendos
Imposto de renda e contribuição social
Não circulante
Financiamentos e empréstimos
Financiamentos incentivados
Partes relacionadas
Programa de Recuperação Fiscal – REFIS
Provisão para contingências
Impostos diferidos sobre reavaliação do imobilizado
Adiantamento para futuro aumento de capital
Provisão para indenizações
Outras contas a pagar
Participações de acionistas não controladores
Patrimônio líquido
Capital social
Reservas de reavaliação
Ajustes de avaliação patrimonial
Reserva de lucros
Lucro do período
30/9/2010
31/12/2009
30/9/2009
217.589
1.064
144.956
30.117
79
113.691
4.057
816
19.563
754
-
187.328
637
92.746
159.529
22.792
385
58.595
1.718
816
28.139
75.136
507
213.236
709
122.004
143.586
20.966
75.464
2.173
816
34.721
663
-
532.686
628.328
614.338
520.731
5.004
73.503
2.835
14.095
8.462
14.481
29.044
440.346
4.585
5.655
2.835
19.499
9.219
13.716
37.813
372.579
3.601
3.322
28.491
9.258
5.655
13.144
40.198
668.155
533.668
476.248
123
120
114
200.000
18.379
31
220.123
91.496
200.000
19.571
850
217.213
-
200.000
19.966
(89)
174.992
54.465
530.029
437.634
449.334
1.730.993
1.599.750
1.540.034
29
100% Brasileira
Anexo II – Demonstrações de Resultados Consolidados (em milhares de Reais)
30
100% Brasileira
Annex III – Consolidated Balance Sheets (in thousand Dollar)
Vulcabras S.A. - Consolidated
(Publicly-held company)
Balance sheets
30 of june 2010, 2009 and 31 December 2009
(in thousands of dollar)
Consolidated
Assets
Current assets
Available funds, cash and banks
Financial investments
Trade accounts receivable
Inventories
Recoverable taxes
Prepaid expenses
Other accounts receivable
Noncurrent assets
Financial investments
Recoverable taxes
Deferred taxes
Legal deposits
Related parties
Prepaid expenses
Other accounts receivable
Investments
Property, plant and equipment
Property for investment
Intangible assets
Deferred charges
Consolidated
30/9/2010
31/12/2009
30/9/2009
89.562
171
342.097
150.395
19.133
19.565
10.319
55.594
166
318.750
90.485
17.701
50.565
11.451
56.961
200
261.282
97.555
16.567
51.704
21.617
631.242
544.712
505.886
1.201
10.946
14.998
4.310
5.714
783
2.569
1.229
14.063
11.068
5.829
5.559
1.115
2.484
1.056
11.536
13.701
6.516
5.444
1.003
697
40.521
41.347
39.953
13.057
189.575
2.355
144.806
162
11.590
159.550
2.375
158.840
349
10.930
157.647
2.752
148.529
413
349.955
332.704
320.271
Liabilities
Current liabilities
Loans and financing
Financing incentives
Debentures
Accounts payable to suppliers
Taxes payable
Fiscal recovery program - REFIS
Salaries and vacation pay
Provision for contingencies
Deferred taxes on fixed assets revaluation
Other accounts payable
Dividends
Non Current
Loans and financing
Financing incentives
Related parties
Fiscal recovery program - REFIS
Provision for contingencies
Deferred taxes on fixed assets revaluation
Advance for future capital increase
Provision for compensations
Other accounts payable
Non-Controlling Interest
Shareholders' equity
Social capital
Revaluation reserve
Equity valuation adjustments
Profit reserves
Profit
1.021.718
918.763
866.110
30/9/2010
31/12/2009
30/9/2009
128.432
628
85.560
17.777
47
67.106
2.395
482
11.547
445
107.586
366
53.266
91.620
13.090
221
33.652
987
469
16.451
43.152
119.924
399
68.615
48.530
11.791
42.441
1.222
459
51.749
373
314.419
360.860
345.503
307.361
2.954
43.385
1.673
8.320
4.995
8.547
17.142
252.898
2.633
3.248
1.628
11.199
5.295
7.877
21.716
209.538
2.025
1.868
16.023
5.207
3.180
7.392
22.607
394.377
306.494
267.840
73
69
64
85.580
7.864
45164
122.484
51.757
85.580
8.374
488
156.898
-
85.580
8.543
14.177
74.878
69.525
312.849
251.340
252.703
1.021.718
918.763
866.110
31
100% Brasileira
Annex IV – Income Statemens (in thousand Dollar)
1
100% Brasileira
CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
Pedro Grendene Bartelle
Alexandre Grendene Bartelle
Milton Cardoso dos Santos Filho
Presidente
Vice-Presidente
2º Vice-Presidente
DIRETORIA
Milton Cardoso dos Santos Filho
Presidente
Ademir Anildo Dreger
Diretor de Tecnologia
André Luiz da Silva Gluher
Diretor de Planejamento
Edivaldo Rogério de Brito
Diretor Administrativo e Financeiro
Eduardo Pereira Lara
Diretor de Operações
Flávio de Carvalho Bento
Diretor Industrial
Marco Antonio Sá Martins
Diretor de Operações - Argentina
Pedro Bartelle
Diretor de Marketing
Diretor de Relações com Investidores
Edivaldo Rogério de Brito
RESPONSÁVEL TÉCNICO
Manoel Damião da Silveira Neto
Contador - CRC - 1 RJ 052266 O-2 "S" - SP
2
Download

Adicionar aos Downloads