Setor Farmacêutico
Grupo D:
André Villela De Freitas
Eduardo Generali
Guilherme Medeiros Bitencourt
Leandro Augusto Dos Reis
Rogerio De Menezes Corigliano
Sobre a Empresa

No Mundo




Trata-se de uma empresa de origem Americana, fundada em Nova York no
ano de 1849.
Segunda maior empresa mundial em vendas com 50 bilhões de dólares em
vendas anuais
Gastos em P&D próximo de 8 bilhões de dólares, com principal foco em
medicamentos para Oncologia
No Brasil



Atua no Brasil desde 1952, a primeira unidade fabril foi instalada em 1960
Capacidade de produção de 170 milhões de unidades/ano, contando com
cerca de 1.800 funcionários
Vendas próximas a 700 milhões de dólares no mercado brasileiro
Alto
Fatores Chaves
de Sucesso
A - Clientela
B – Concorrência
C – Econômico
D - Tecnológico
E - Social
F - Político
G - Jurídico
H - Físico
F
Grau de Impacto
A
C
B
G
D
H
Baixo
E
Baixo
Grau de Incerteza
Alto
Alto
A - Clientela
Baixo
Impacto
A
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
Devido ao número de medicamentos fabricados e vendidos pela Pfizer ela consegue atender,
praticamente, todos os segmentos de consumidores dentro do contexto da indústria farmacêutica. A
parcela de mercado não atendida pela Pfizer, ou exige que se crie algo inovador, ou não é viável o
investimento para entrar naquele setor.

Futuro
Os consumidores buscam cada vez menos o uso de medicamentos, apesar da expansão atual do setor,
medicamentos desenvolvidos com base em produtos naturais, ou medicamentos personalizados, com
dosagem específica, estão na mira dos consumidores.

Contexto
Vivemos hoje em um contexto onde a palavra do médico já não é mais a palavra final, os paciente
buscam segunda opinião, trocam informações pela internet e até mesmo com amigos e familiares. Com
isso cada vez menos são tolerados efeitos colaterais, e um efeito colateral encontrado e reconhecido em
um país costuma ter sua venda e distribuição bloqueada em questão de semanas, ou até dias, em todo o
resto do mundo. Além disso, as dosagens padrão já são questionadas se não devem ser padronizadas
para cada tipo de paciente e de tratamento.
Alto
B - Concorrência
Baixo
Impacto
B
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
O grau de concorrência é muito no mercado, mesmo onde a Pfizer é a única a possuir um agente de
peso, com a constante evolução das tecnologias e movimentos de quebra de patentes para determinados
segmentos, a concorrência está aumentando e tornando a competição ainda mais acirrada, como é
verificado pelo aumento no número de indústrias que produzem os medicamentos genéricos.

Futuro
A concorrência será ainda mais forte, a fusão com outras multinacionais de peso que possuam princípios
ativos diferentes e forte atuação em outros mercados, assim como a compra de pequenas indústrias de
medicamentos genéricos para sustentar uma produção local e diminuir a sua força, serão passos
necessários para a Pfizer manter seu posto como uma das maiores empresa farmacêuticas do mundo.

Contexto
O aumento na quebra de patentes e a quantidade de novas indústrias produtoras de medicamentos
genéricos está aumentando em um ritmo cada vez maios. A descobertas de novas moléculas provoca a
mudança em mercados completamente estabilizados causando uma substituição quase imediata do
tratamento em mercados altamente rentáveis.
Alto
C - Econômico
Baixo
Impacto
C
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
O principal meio de venda de medicamentos é através das redes de drogarias disponibilizadas em todo o
território nacional, outros grandes clientes são governos e hospitais que, pelo volume de compra,
conseguem efetuar a compra diretamente com os fabricantes.

Futuro
Adotar um modelos de vendas onde o cliente compra nas drogarias apenas a quantidade de comprimidos
necessária para o tratamento que ele necessita, ou a personalização de determinados medicamentos
para doenças raras e específicas, é um modelo necessário para a sobrevivência na indústria
farmacêutica no futuro.
Portanto, além de manter o alto orçamento em pesquisa e desenvolvimento em patamares elevados,
também será necessária a criação de um forte cadeia produtiva local para atender aos mercados
específicos, a aliança com pequenos produtores de medicamentos pode gerar frutos para minimizar o
risco e contemplar a velocidade necessária para a produção deste medicamento.
Pode-se também vislumbrar um mercado onde os hospitais decidam entrar de forma a aumentar sua
renda e diversificar o seu negócio, vendendo os medicamentos necessários a seus pacientes.
Alto
C - Econômico
Baixo
Impacto
C
Baixo

Incerteza
Alto
Contexto
Os custos de pesquisa e produção estão cada vez mais elevados, além das etapas de regulamentação
de uma nova molécula estar cada vez mais rígida, aliada a forte concorrência no setor, exige da empresa
um maior afinco em atuar de formas diferenciadas dos seus concorrentes. Ainda hoje o maior foco das
empresas está em obter moléculas únicas que possam gerar medicamentos de alto valor agregado.
O maior ativo de uma empresa do setor é o pipeline de novos medicamentos, ou seja, a quantidade e
tipos de moléculas que estão sendo estudadas para desenvolvimento de novos medicamentos. A compra
da Wyeth pela Pfizer ocorreu exatamente em um momento onde a empresa estava com um pipeline fraco
em relação aos seus concorrentes.
Impacto
Alto
D - Tecnológico
Baixo
D
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
Está extremamente bem posicionada em relação aos seus concorrentes, com 4 laboratórios divididos
entre a Europa, Estados Unidos e Japão, tem acesso, quase que imediato, a última tecnologia disponível
para aprimorar seu processo de pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos.

Futuro
Continuar a busca incessante por novos equipamentos e tecnologias que possam acelerar o processo de
pesquisa e desenvolvimento, o investimento pesado nesse segmento permite a Pfizer se manter como
uma das maiores empresas do ramo farmacêutico. Existem duas grandes vertentes que podem reduzir os
riscos do negócio que são:
1 – A utilização de centros de pesquisa e desenvolvimento em conjunto com outra grande indústria que
atue em um mercado diferente, ou através de um acordo entre as partes que os mercados são divididos
por local, assim é possível diminuir os riscos, apesar da divisão dos ganhos.
2 – Dedicar parte do capital da empresa para projetos como o [email protected], da universidade de
Stanford, que utiliza a internet como forma de criar um supercomputador com os recursos de
colaboradores que não ganham para ajudar o projeto, mas auxilia no desdobramentos das moléculas.
Impacto
Alto
D - Tecnológico
Baixo
D
Baixo

Incerteza
Alto
Contexto
Apesar da queda contínua dos preços dos componentes tecnológicos, os custos podem ficar
extremamente elevados considerando que a atualização se torna uma constante devido a velocidade com
que a atualização tecnológica está ocorrendo. Ter o melhor equipamento hoje, não necessariamente
significa possuir o melhor equipamento amanhã, o que dificulta o desenvolvimento da empresa no longo
prazo.
Novo Modelo de Negócio

Considerando que o principal ativo da indústria farmacêutica é o pipeline de novos medicamentos, a
Pfizer poderia se desfazer de quase todas as suas unidades Fabris, e focar apenas no seu negócio
principal, investindo em pesquisa e desenvolvimento, terceirizando a sua produção em cada país de
forma regional com acordo com pequenas e médias indústrias locais.

Dessa forma a Pfizer seria uma empresa de pesquisa e gerenciamento da marca, fabricando apenas
seus medicamentos mais rentáveis, ou que necessitem de maior expertise.
Impacto
Alto
E - Social
Baixo
E
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
Por meio de parcerias com o terceiro setor, a empresa realiza iniciativas de apoio a comunidade onde está
inserida, focando principalmente Educação e Saúde. Prezando pela sustentabilidade dessas iniciativas, a
companhia contribui também com entidades filantrópicas, comunidades em situação de emergência e
apoio a causas específicas, como a de ambientes livres de tabaco, preservação do meio ambiente e
voluntariado.

Futuro
Manutenção dos projetos atuais e investimentos em novas iniciativas de apoio a tratamentos de doenças
crônicas são essenciais para a estratégia de posicionamento da indústria farmacêutica no mercado global.

Contexto
Muitas organizações que tinham somente ações filantrópicas, hoje por uma questão estratégica e até
mesmo de sobrevivência, estão partindo para uma administração com responsabilidade social.
A prática da responsabilidade social, deve ser encarada hoje como uma forma criativa e inovadora de
gestão empresarial, pois atualmente as dificuldades sociais não são mais problemas exclusivos dos
estados e governos, eles passaram a ser divididos com a iniciativa privada.
Alto
F - Político
Baixo
Impacto
F
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
A pressão social por maior acesso a medicamentos a preços menores é cada vez maior, as grandes
empresas do setor estão com sua reputação em baixa por serem consideradas “capitalistas” pelos altos
lucros apresentados, apesar do alto risco do negócio.

Futuro
Essa pressão social tende a aumentar significativamente, a adoção de novo modelos de vendas citado
em tópicos anteriores, e a venda a preços diferenciados de medicamentos contra doenças como AIDS e
Câncer a países com população predominantemente abaixo da linha da pobreza criará um campo aberto
para a melhora na reputação da empresa.

Contexto
A venda de medicamentos que combatem doenças como AIDS e Câncer a preços elevados, e a venda
em doses fechadas de medicamentos em todos os segmentos, além do poder de convencimento
financeiro perante médicos e clínicas, cria vantagens que aumenta o poder da Pfizer diante de outros
competidores, dificultando ainda mais a entrada de novos competidores no negócio.
Alto
G - Jurídico
Baixo
Impacto
G
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
A preocupação principal da empresa, atualmente, está relacionada à defesa da patente dos seus
medicamentos e, ainda, questões relacionadas aos direitos dos consumidores.

Futuro
Existe uma tendência mundial no sentido de “democratizar” o acesso a todo e qualquer medicamento, o
que deve gerar questionamentos relacionados às patentes dos produtos desenvolvidos pela empresa. A
empresa deve, obrigatoriamente, estar atenta para os passos que estão sendo dados nesse sentido, para
não ser pega de surpresa.

Contexto
O contexto existente está relacionado diretamente aos aspectos do futuro acima mencionados, ou seja, a
empresa deve ficar atenta à tendência de “democratização” no que se refere ao acesso a medicamentos,
o que poderia gerar impacto extremamente negativo para a empresa.
Impacto
Alto
H - Físico
Baixo
H
Baixo
Incerteza
Alto

Atual
Hoje, a farmacêutica emprega 33 mil funcionários em todo mundo, no Brasil são cerca de mil e
quatrocentos, a Pfizer tem 78 fábricas espalhadas pelos 5 continentes.
Os pilares da pesquisa cientifica da Pfizer se constituem de 4 centros de pesquisa , nos EUA, na
Europa e no Japão.

Futuro
A companhia afirmou que vai fechar oito fábricas, na Irlanda, nos EUA e em Porto Rico até o fim de 2015.
A fabricação também será reduzida em seis outras plantas, no Reino Unido, na Alemanha, na Irlanda, em
Porto Rico e nos EUA. Isso representa a primeira fase do plano de reestruturação da empresa, que visa
se adequar ao mercado em que opera, que muda rapidamente e é extremamente competitivo.

Contexto
Depois de apresentar queda no lucro do primeiro trimestre, a Pfizer anunciou um plano de
reestruturação com a Wyeth, empresa comprada em 2009. A companhia informou que houve impacto
das despesas associadas com a compra Wyeth e que vai trabalhar para e criar uma organização de
manufatura e oferta completamente alinhada com seu negócio.
Download

Setor Farmacêutico