AVALIAÇÃO DE
RISCOS
29 de Setembro de 2009
José Carlos Sá, Eng.
1
Porque é que tenho
tantos acidentes de
trabalho na minha
empresa?
Porque é que os
meus operadores
não cumprem os
regulamentos
internos de S.H.T.?
Quais as medidas que
tenho de adoptar na
minha empresa para
reduzir o numero de
acidentes?
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
2
Riscos ?
As falhas ao nível da Segurança e Higiene do
Trabalho continuam a ser um dos maiores
problemas que as empresas têm por resolver
dentro das suas portas. Os motivos para que
tal aconteça prendem-se com várias situações.
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
3
Riscos ?
Alguns exemplos dessas situações…
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
4
Em busca do risco…
Falta de sensibilidade para
várias
situações,
matéria
de
segurança
do
em
higiene
e
trabalho,
com potencial para o dano;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
5
Em busca do risco…
Acções preventivas/correctivas
inadequadas face aos riscos existentes;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
6
Em busca do risco…
Desorganização dos postos de trabalho;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
7
Em busca do risco…
Manipulação de substâncias químicas
sem informação adequada (Ficha de
Dados de Segurança) em matéria de
higiene e segurança do trabalho;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
8
Em busca do risco…
Utilização de máquinas de trabalho sem
competência técnica e sem Manual de
Segurança.
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
9
Em busca do risco…
Com estas atitudes é
muito difícil conceber
um sistema de gestão
de segurança e
higiene do trabalho,
com o objectivo de
atingir o “zero
acidentes” e o “zero
dia de baixa”
resultante de doenças
profissionais.
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
10
Quais as consequências?
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
11
Análise…
►O que fazer então?
►Por onde é que devo começar?
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
12
Avaliação de Riscos
O primeiro passo a dar nas empresas em
para solucionar os problemas existentes
em matéria de H.S.T.
Realização da Avaliação de
Riscos a todas as actividades
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
13
Avaliação de Riscos
Permite determinar a origem, a natureza
e os efeitos dos riscos em presença,
possibilitando a adopção de medidas de
Controlo
do
desenvolver-se
Risco,
a
que
partir
deverão
de
um
Planeamento e Programação coerentes,
conduzindo, se possível…
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
14
Avaliação de Riscos
… à eliminação dos riscos ou à sua
redução a níveis aceitáveis, através de
medidas de engenharia, administrativas
ou outras.
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
15
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
16
Legislação
Decreto – Lei n.º 441/91, de 14 de
Novembro
Lei n.º 102/2009 de 10 de Setembro
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
17
Legislação
Lei n.º 102/2009 de 10 de Setembro
Artigo 5.º
Princípios gerais
3 — A prevenção dos riscos profissionais deve assentar numa
correcta e permanente avaliação de riscos e ser desenvolvida
segundo princípios, políticas, normas e programas (…)
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
18
Legislação
Lei n.º 102/2009 de 10 de Setembro
Artigo 15.º
Obrigações gerais do empregador
2.b — Integração da avaliação dos riscos para a segurança e a
saúde do trabalhador no conjunto das actividades da empresa(…)
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
19
Legislação
Lei n.º 102/2009 de 10 de Setembro
Artigo 42.º
Avaliação de riscos susceptíveis de efeitos
prejudiciais no património genético
3 — A avaliação de riscos deve ser feita trimestralmente, bem
como quando haja alteração das condições de trabalho
susceptível de afectar a exposição dos trabalhadores(…)
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
20
Legislação
Riscos susceptíveis de efeitos prejudiciais no
património genético (exemplos):
•As preparações e substâncias perigosas (R 46 — pode causar alterações
genéticas hereditárias / R 60 — pode comprometer a fertilidade / R 62 —
possíveis riscos de comprometer a fertilidade, etc.)
•As radiações ionizantes e as temperaturas elevadas
•As bactérias da brucela, da sífilis, o bacilo da tuberculose e os vírus da
rubéola (rubivírus)
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
21
Avaliação de Riscos
Existem várias técnicas de análise
de riscos.
VALORIZAÇÃO DO RISCO
Com o valor do risco obtido, e comparando-o com o
valor do RISCO TOLERÁVEL (que pode ser definido
por legislação, normas, etc.) emite-se um juízo sobre a
tolerabilidade do risco em questão
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
22
Avaliação de Riscos
Se da avaliação do risco se deduzir
que o risco não é tolerável…
…há que CONTROLAR O RISCO!!!
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
23
Avaliação de Riscos
►
Evitar riscos, se possível eliminandoos na origem;
►
Substituir elementos perigosos por
outros não perigosos ou menos
perigosos;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
24
Avaliação de Riscos
►
Integrar a prevenção dos riscos no
sistema de gestão da empresa;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
25
Avaliação de Riscos
►
Adoptar prioritariamente medidas de
protecção colectiva de preferência a
medidas de protecção individual;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
26
Avaliação de Riscos
►
Adaptar o trabalho ao homem;
►
Adaptação ao progresso técnico e às
alterações na informação;
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
27
Avaliação de Riscos
►
Procurar melhorar permanentemente o
nível de protecção
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
28
Objectivo Final…
• As
condições
Segurança
do
de
Higiene
Trabalho
e
dos
colaboradores da empresa, deverão
ser mais do que…
José Carlos Sá, Eng.
29
José Carlos Sá, Eng.
José Carlos Sá, Eng.
30
30
José Carlos Sá, Eng.
31
José Carlos Sá, Eng.
32
32
Como conclusão…
05-11-2015
José Carlos Sá, Eng.
33
Obrigado pela vossa
atenção!
José Carlos Sá, Eng.
(carlos_sa@esce.ipvc.pt)
34
Download

Importância da Avaliação de Riscos