Conceitos Modernos
de
Arquitetura Laboratorial
Erlo Roth, MD, MBA
Salo Roth, Arquiteto Hospitalar
Espaço Inadequado
Deficiências de Espaço - 1
 Uma das não-conformidades mais freqüentes
nas auditorias do College of American
Pathologists é espaço inadequado, tanto em
quantidade como em qualidade.
 No Brasil, a freqüência de deficiências de
espaço é mais alta ainda devido ao uso de
conceitos arquitetônicos antiquados.
Deficiências de Espaço - 2
 Mal se muda para um
laboratório novo, e já se percebe
que o espaço não está
organizado da maneira ideal.
Porque a História do Espaço
Laboratorial se Repete
 Nos laboratórios clínicos ou analíticos
há apenas um elemento do futuro que
pode ser previsto com certeza:
As Coisas Mudarão
O Que Muda nos Laboratórios
 Equipamentos
– A vida média de instrumentos analíticos nos EUA é de
3-5 anos (um por mês)
 Conceitos
– O mesmo instrumento hoje faz análises em várias disciplinas: bioquímica, imunologia, hormônios e
toxicologia -- organização por tecnologia, não disciplina
 Menos encanamento e mais informática
 Menos espaço para reagentes - miniaturização
 Mudança na carga de trabalho
 O advento da robótica laboratorial
 O Core Lab
Projetos de Laboratório:
Como Eram Construídos - 1
 No passado, a maioria dos laboratórios consistia em
pequenas salas separadas por paredes fixas
(alvenaria, concreto,etc.)
 As bancadas eram feitas sob medida, em
marcenarias, ou de concreto, e montadas
permanentemente
 O encanamento e a fiação eram embutidos nas
paredes ou nas bancadas, sem acesso direto
Projetos de Laboratório:
Como Eram Construídos - 2
 Muitos
laboratórios
eram
adaptações
de casas
Como Se Respondia a Mudanças
 Quando ocorriam mudanças de tecnologia, de
equipamento, de fluxo ou carga de trabalho, havia
duas opções:
– Não fazer nada e deixar que o fluxo de trabalho,
a eficiência, o conforto, e a segurança do
trabalho deteriorassem até níveis intoleráveis
– Fazer uma reforma dispendiosa (nos EUA uma
reforma custa 50% mais por m² do que demolir
o prédio e fazer construção nova)
Consequëncias
 Difícil acesso ao encanamento e à fiação
 Má utilização do espaço
 Ergonomia e funcionalidade sempre
decrescentes
 Altos custos com manutenção e reformas
Razões Para o Alto Custo de
Reformas
 Requer contratar arquiteto e construtora
 Requer alvará
 Requer demolição de paredes, bancadas e
instalações de água, esgoto, luz, fone, etc.
 Requer reconstrução de paredes, bancadas e
instalações
 Causa interrupções no trabalho
O Novo Paradigma da Arquitetura
Laboratorial - 1
 Planejar para o futuro (10-20 anos)
 Espaços sem paredes internas (paredes ou
divisórias são dispendiosas, e representam
1% de necessidade e 99% de vaidade)
 Espaço intersticial para a fiação, o
encanamento e dutos de climatização
 Planejamento modular
O Novo Paradigma da Arquitetura
Laboratorial - 2
 Favorecer o movimento de pessoas no plano
horizontal
 Bancadas móveis e modulares
 Climatização central (unidades de janela são
ruidosas, ineficientes, não controlam a umidade e
não renovam o ar)
 Permuta fácil entre áreas técnicas e áreas
burocráticas ou administrativas
Laboratório Horizontal
O Novo Paradigma da Arquitetura
Laboratorial - 3
 Conter vapores tóxicos, microorganismos
infecciosos, e odores em capelas - não em salas
 Comunicações (telefone, informática, TV) em cabo
único (e.g., fibra óptica e protocolo ISDN ou ATM)
 Dar conforto ao funcionário e acesso ao deficiente
(cada vez mais exigidos por lei)
 Piso de vinil em rolo (manta vinílica)
Objetivos da Nova Arquitetura
 O laboratório deve ter alta funcionalidade
hoje, amanhã, e depois
 Ser um local seguro, confortável e atraente
 Estar sempre pronto para modificações a
baixo custo
 Não exigir reformas estruturais dentro de
10-20 anos
Preocupações Atuais
 Flexibilidade
 Limpeza e desinfecção
 Ergonomia
 Custos no longo prazo
Forma e Função
 “A forma deve conformar-se
com a função, e não a função se
conformar com a forma.” –
Mies van der Rohe – o pai da
arquitetura americana moderna
O Espaço Modular - 1
 Em 1970, Norman e Barker publicaram o
conceito do módulo de 3,5 x 7m (ou 3 x 6 m)
 Estas dimensões proporcionam o máximo de
superfície de bancada por área com um
corredor praticável.
– Largura superior a 3,5 m desperdiça espaço
– Largura inferior a 3 m não permite a passagem
quando duas pessoas estiverem sentadas
O Espaço Modular - 2
11' - 0"
22' - 0"
Módulo Padrão
O Espaço Modular - 3
8' - 0"
22' - 0"
Módulo Muito Estreito
16' - 6"
O Espaço Modular - 4
Módulo Muito Largo
O Espaço Modular - 5
21' - 5 31/32"
21' - 12"
O Espaço Modular - 6
22' - 0"
18' - 6 1/32"
O Espaço Modular - 7
22' - 0"
20' - 5 31/32"
Bancadas - Tipos
 Bancadas descartáveis:
– marcenaria e concreto
 Bancadas semiduráveis:
– modulares fixas, de metal
 Bancadas duráveis:
– modulares móveis, de metal
– modulares móveis, de material sintético
Sistemas de Bancadas
Marcenaria - 1
 Vantagens
– Feitas sob medida
– Disponíveis de
muitos
fornecedores
– Preços de aquisição
inicialmente mais
baixos
Sistemas de Bancadas
Marcenaria - 2
 Desvantagens
–
–
–
–
–
–
–
Instalação demorada e dispendiosa
Difícil desinfecção de gavetas, etc.
Inflexíveis (tampos de altura fixa, etc.)
Difícil acesso ao encanamento e à fiação
Difícil reparo e reposição de componentes
Sujeitos a cupim
Pouco aproveitáveis em caso de reforma
Sistemas de Bancadas
Concreto
 Extremamente
duráveis
 Imutáveis
 Quebram
vidraria
 Descartáveis
Sistemas de Bancadas
Fixas de Metal - 1
 Vantagens
– Muitos componentes
aproveitáveis em caso
de reforma
– Resistentes a cupim
– Todas as superfícies
são desinfetáveis
– Mais fácil reposição de
certos componentes
(e.g., portas e gavetas)
Sistemas de Bancadas
Fixas de Metal - 2
 Desvantagens
– Menos flexíveis que as modulares móveis
– Instalação mais demorada e cara que as modulares móveis
– Os tampos e painéis não são aproveitáveis em caso de
reforma
– O metal pode enferrujar
– Acesso mais difícil ao encanamento e à fiação que as
modulares móveis
Sistema Móvel Modular
Herman Miller for Healthcare
Herman Miller for Healthcare
 Criado
específicamente
para
laboratórios
 Mais de 1.000
instalações em
laboratórios nos
EUA
Herman Miller for Healthcare
 Ocupa
menos
espaço que
outros
sistemas
pois
dispensa
paredes e
divisórias
Herman Miller for Healthcare
 Instalação
rápida e
econômica
 Resistente ao
cupim e à
marezia
Herman Miller for Healthcare
 Fácil acesso
ao
encanamento
e à fiação. Os
painéis que os
cobrem são
removíveis
pelo usuário
Herman Miller for Healthcare
 Bancadas flexíveis
e móveis:
– Tampo de altura
ajustáveis
– Armários,
prateleiras e
gaveteiros
removíveis
– Sistema apenas
apoiado no soalho
(sem parafusos)
Herman Miller for Healthcare
 Componentes
podem ser
acrescentados a
qualquer
momento quando
o orçamento
permitir
Herman Miller for Healthcare
 Alterações feitas pelo
próprio usuário com
apenas duas
ferramentas (chave
Allen e chave de
fenda).
 Gavetas
intercambiáveis, de 3
profundidades
Herman Miller for Healthcare
 Alterações rápidas quando as funções mudam
Herman Miller for Healthcare
De função sentada para função em pé
Herman Miller for Healthcare
 Aproveita o espaço acima dos balcões
Herman Miller for Healthcare
 Intercambiabili-
dade entre área
técnica e área
administrativa.
 Compatibilidade
com o sistema
Action Office I,
fabricado no
Brasil pela
Teperman
Herman Miller for Healthcare
 Capelas
 Prateleiras
de altura
variável,
abertas ou
fechadas
Herman Miller for Healthcare
 Bancadas sobre rodas para instrumentos que
necessitam manutenção pela traseira ou causam
vibração
Herman Miller for Heathcare
 Fácil limpeza
(lavagem e
desinfecção)
 Tampos, gavetas,
armários sem frestas
inacessíveis
 Acesso ao soalho,
sempre que desejável
 Vários acabamentos,
conforme necessário
Chemsurf G vs. Corian
 Sem qualquer dano por  Ácido sulfúrico a 77%, ácido acético
ácido sulfúrico a 96%,
ácido nítrico a 30%,
ácido acético glacial,
fenol a 85%, NaOH
concentrado,
clorofórmio - após 24
horas.
 Corantes como violeta
de genciana e Wright
não deixaram manchas
após 24 horas.
a 90%, clorofórmio, cloreto de
metileno, fenol a 40%, ácido
tricloroacético a 10% - após 16
horas, danificam a superfície e
exigem que ela seja lixada.
 Giemsa, azul de Trypan, acridine
orange, safranina e cristal de violeta
deixaram manchas dentro de poucos
minutos. Se esfregadadas com
acetona prontamente, a maioria das
manchas de Giemsa e Safranina
saíram, mas não as de cristal de
violeta e do azul de Trypan.
Ergonomia
 Cadeiras ajustáveis em altura, inclinação, largura
dos braços. Tampos de altura ajustável.
Ergonomia
 Cadeiras altas com estribo ajustável
Herman Miller for Healthcare
 Garantia de 10 anos.
 Componentes compatíveis e peças de
reposição disponíveis por 10 anos.
 Programa de troca de componentes usados
por recondicionados.
 Durabilidade reconhecida
internacionalmente.
Custos no Longo Prazo
80
70
60
50
Segunda Reforma
40
Primeira Reforma
Inicial
30
20
10
0
Tradicional
HMiller
Referências
 Laboratory Design; Proposed Guideline.
NCCLS documento GP18-P (ISBN 1-56238261-6). NCCLS, 940 W. Valley Road, Suite
1400, Wayne, PA 19087-1898, 1994
 Barker JH, Blank CH, Steere NV: Designing
a Laboratory. Washington, DC: American
Public Health Association, 1989.
Endereço
Salo Roth, Arquiteto
Praça do Serimbura, 60/703C
12243-909 S. José dos Campos
(012) 3341-8203
E-mail: sroth@uol.com.br
www.labex-co.com
Objetivos da Nova Arquitetura
 O laboratório deve ter alta funcionalidade
hoje, amanhã, e depois
 Ser um local seguro, confortável e atraente
 Estar sempre pronto para modificações
imediatas a baixo custo
 Não exigir reformas estruturais dentro de
10-20 anos
Download

Auditores - 1