A gestão democrática pressupõe a participação efetiva dos
vários
segmentos
da
comunidade
escolar
–
pais,
professores, estudantes e funcionários – em todos os
aspectos da organização da escola. Esta participação incide
diretamente nas mais diferentes etapas da gestão escolar
(planejamento, implementação e avaliação) seja no que diz
respeito à construção do projeto e processos pedagógicos
quanto às questões de natureza burocrática.
Para que a gestão democrática aconteça é fundamental criar processos e
instâncias deliberativas que a viabilizem. Nessa perspectiva, o modelo
tradicional de organização da escola ainda é um grande obstáculo, conferindo ao
diretor ou equipe diretiva as prerrogativas de decisão sobre a escola, e sua
comunidade. Mesmo com a existência de legislações que amparem a construção
de uma gestão descentralizada, é preciso que a própria instituição escolar
transforme sua cultura na perspectiva do diálogo igualitário, da horizontalidade
e do equilíbrio entre as forças que compõem a comunidade escolar.
AÇÕES DO ESTADO
Qualidade
Eficiência
Eficácia
Descentralização da Educação
Segundo Cohn (1994) a descentralização aumenta a possibilidade de interação no
âmbito local, dos recursos públicos e do não–governamentais dirigidos ao
financiamento das atividades sociais.
Na década de 80 iniciou um movimento a favor da descentralização e
democratização da gestão das escolas públicas, concentrava-se em três vertentes
básica:
a) a participação da comunidade escolar na seleção dos
diretores;
b) a criação de um conselho escolar tanto com autoridade
deliberativa quanto poder decisório;
c) repasse de recursos financeiros às escolas com consequente
aumento de sua autonomia.
Descentralização: A administração, as decisões, as ações devem ser elaboradas e
executadas de forma não hierarquizada.
Descentralização entre as # instâncias de governo
Descentralização para a escola (autonomia)
Descentralização para o mercado
Autonomia da Escola : a descentralização pedagógica
Vencendo obstáculos: a descentralização administrativa
Descentralização e Municipalização da Educação
A Constituição de 1988 introduziu os princípios da
descentralização e municipalização na gestão e implementação
das políticas sociais públicas A Constituição Federal Brasileira
de
1988,
reconheceu
administrativa.
o
Município
como
instância
Planejamento da Educação no Município
Gestão Municipal da Educação com Qualidade Social
políticoinstitucional
administrativa e
organizacional
participativa
Gestão
Orçamentária
e financeira
pedagógica
informação
ESCOLA
SOCIEDADE
GESTÃO
RECURSOS
HUMANOS
POLÍTICAS
PÚBLICAS
AUTONOMIA DA ESCOLA
ADMINISTRATIVA
GESTÃO DEMOCRÁTICA
PEDAGÓGICA
FINANCEIRA
Diretor Escolar
Gestores Escolares
Responsável pelo máximo por todo o processo escolar
e mobilização de esforços e recursos para a eficaz
realização dos objetivos educacionais.
Supervisor / Coordenador Pedagógico
Equipe pedagógica
Responsável pela orientação, acompanhamento e
avaliação dos processos educacionais.
Orientador Educacional
Responsável pelo atendimento na escola e em
especial pela ação dos professores, às necessidades
de desenvolvimento dos alunos como pessoas.
FONTE: (LÜCK, 2010, p. 15)
Visão compartilhada
Construir uma visão compartilhada é um processo contínuo que objetiva a criar
uma força viva nos corações e nas mentes de todos os integrantes. (Senge,
1995).
AS CINCO DISCIPLINAS DA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL
VISÃO
COMPARTILHADA
MAESTRIA/ DOMÍNIO
PESSOAL
Objetivo comum;
aspiração grupal;
Sonho coletivo; a
razão de ser da
organização
LIDERANÇA
INTEGRATIVA/
RACIOCÍNIO SISTÊMICO
APRENDIZAGEM
COLETIVA
Grupal; potencialização
da inteligência coletiva
ajuda mútua e evolução
em conjunto
Forma sistêmica de
pensar/ competência
coletiva em lidar com
complexidade
Aspirações e sonhos
pessoais
potencializando a
capacidade criativa de
cada indivíduo
MODELOS MENTAIS
Profundidade e
verdade nos
diálogos e no
relacionamento
entre pessoas.
Construindo uma visão
• Trabalhar junto à comunidade escolar para desenvolver a visão e os objetivos
da escola.
• Realizar reuniões formais e informais para refletir sobre a visão da escola e os
objetivos.
• Desenvolver uma ótica pró-ativa e empreendora.
• Definir o perfil e a identidade social da escola.
• Definir uma perspectiva comum e compartilhada de desenvolvimento
institucional da escola e profissional do corpo docente e técnico-administrativo
da escola.
• Desenvolver o perfil da escola.
CONFIANÇA
A interação eficaz entre líderes e os seus liderados é a
base, portanto, para a criação da confiança entre ambos.
“Líderes fortalecem o seu pessoal e a instituição, podendo criar
um legado que irá durar por muito tempo.”
1986, 24)
(Gardiner,
Aspectos da gestão – Alma
A solução de problemas
Processo decisório participativo – gerar ideias criativas.
ESCOLA – lugar para formulação e gestão das políticas educacionais.
Objetivo da Escola
O objetivo primordial da escola é o ensino e
a aprendizagem dos alunos.
Tarefa a cargo do
docente
ORGANIZAÇÃO E GESTÃO
A organização e a gestão referem-se ao conjunto de normas,
diretrizes, estrutura organizacional, ações e procedimentos que
asseguram a racionalização do uso de recursos humanos,
materiais, financeiros e intelectuais assim como a coordenação
e o acompanhamento do trabalho das pessoas.
 A organização e a gestão são meios para atingir as finalidades do ensino
 A qualidade do ensino e aprendizagem passa mediante procedimentos
pedagógico-didáticos para propiciar melhores resultados de aprendizagem
 Se os alunos continuam apresentando baixo rendimento escolar e
aprendizagens não consolidadas, é de pouca valia inovações como gestão
democrática, eleições para diretor, introdução de modernos equipamentos e
outras ações.
Organização do Sistema Escolar
 Políticas educacionais
 Diretrizes legais
 Relações entre escola e sociedade
Funcionamento da escola
 Organização interna
 Formas de gestão
 Currículo
 Métodos de ensino
 Relacionamento professor-aluno
 participação da comunidade
Seis áreas de atuação da organização
 O planejamento e o projeto pedagógico-curricular
 A organização e o desenvolvimento do currículo
 A organização e o desenvolvimento do ensino
 As práticas de gestão técnico-administrativas e
pedagógico-curriculares
 O desenvolvimento profissional
 A avaliação institucional e da aprendizagem
SEIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E DA GESTÃO
DA ESCOLA
exigências sociais,
econômicas, políticas,
tecnológicas, culturas,
etc.
CURRÍCULO
OBJETIVOS
PROJETO
qualidade
cognitiva e
operativa das
aprendizagens
ENSINO
Resultados de
estudos e
pesquisas
educacionais
Necessidades e
demandas do
sistema de
ensino, escola,
sala de aula,
comunidade.
CULTURA ORGANIZACIONAL
COMUNIDADE DE APRENDIZAGEM
PRÁTICAS DE
GESTÃO
AVALIAÇÃO
DESENVOLVIMENTO
PROFISSIONAL
Fonte: LIBÂNEO, 2007, p. 356
GESTÃO EDUCACIONAL CENTRADA NA ESCOLA
Perspectiva Neoliberal
Perspectiva sociocrítica
a escola é o centro das políticas,
a
libera
das
educativo, um espaço de formação e
Estado,
de aprendizagem. Os profissionais
boa
parte
responsabilidades
deixando
escolas
organizar
às
a
e
educacionais.
do
comunidades
e
às
iniciativa
de
planejar,
avaliar
os
serviços
escola
constitui
um
ambiente
podem decidir sobre seu trabalho e
aprender mais sobre sua profissão.
Função Social da Escola
 Espaço de livre circulação de ideologias
 Agência que reproduz as relações sociais
 Organização inserida na sociedade global (sociedade do conhecimento)
 Sabedoria de viver junto
 Respeito às diferenças
 Compromisso com um mundo mais humano e justo
 Transmissão de valores e da consciência social
Perfil do Diretor da escola eficaz
Área Administrativa
 Visão de conjunto e de futuro sobre o trabalho educacional e o papel da escola na
comunidade.
 Conhecimento de política e da legislação educacional.
 Habilidade de planejamento e compreensão do seu papel na orientação do
trabalho conjunto.
 Habilidade de manejo e controle do orçamento.
 Habilidade de organização do trabalho educacional.
 Habilidade de acompanhamento e monitoramento de programas, projetos e
ações.
 Habilidade de avaliação diagnóstica, formativa e somativa.
Perfil do Diretor da escola eficaz
Área de relacionamento
interpessoal/inteligência emocional
 Habilidade de tomar decisões eficazmente.
 Habilidade de resolver problemas criativamente e de emprego de grande
variedade de técnicas.
Compreensão da dinâmica de relacionamento e comunicação interpessoal.
 Habilidade de se comunicar eficazmente.
 Habilidade de mobilizar a equipe escolar e comunidade local.
 Habilidade de facilitar a realização de processos de atuação colaborativa.
 Habilidade de desenvolver equipes.
 Habilidade de negociar e resolver conflitos.
 Habilidade de avaliar e da feedback construtivo ao trabalho dos outros.
Perfil do Diretor da escola eficaz
Área pedagógica
 Compreensão dos fundamentos e bases da ação educacional
 Compreensão da relação entre ações pedagógicas e seus resultados na
aprendizagem e formação dos alunos.
 Conhecimento sobre organização do currículo e articulação entre seus
componentes e processos.
 Habilidade de mobilização da equipe escolar para a promoção dos
objetivos educacionais da escola.
 Habilidade de orientação e feedback ao trabalho pedagógico.
LIÇÕES QUE O GESTOR PRECISA APRENDER
1- A escola como sistema
2- A liderança como serviço
3- A escola tem responsabilidade social
4- A necessidade do planejamento
5- Trabalho cooperativo/sujeito coletivo
LIÇÕES QUE O GESTOR PRECISA APRENDER
6- Programa de Formação Continuada
7- Capacidade de Comunicação
8- Estabelecer aliança com o professor
9- Parceria com a família
10- Sintonia com a realidade
11- Compromisso político-social
PARTICIPAÇÃO
Devem
participar
todos
os
envolvidos no cotidiano escolar
(professores,
estudantes,
funcionários, pais ou responsáveis,
pessoas que participam de projetos
na escola, e toda a comunidade ao
redor da escola).
“A participação favorece a experiência coletiva ao efetivar a
socialização de decisões e a divisão de responsabilidades. Ela
afasta o perigo das soluções centralizadas e dogmáticas
desprovidas de compromisso com os reais interesses da
comunidade escolar, efetivando-se como processo de co-gestão.
A participação constitui-se, pois, em elemento básico de
integração social democrática. “
(PRAIS, 1996, p. 84)
Para Freitas (2000)
• O foco da gestão participativa é o indivíduo (sujeito)
• A gestão participativa pode trazer benefícios à Nação.
• Ela presa pelo respeito ao trabalho do professor, ao do gestor escolar
e ao das comunidades escolar e local.
• Poderá elevar a qualidade educacional, tornando-a compatível com as
necessidades dos indivíduos e do contexto.
Gestão participativa
1 – Co-responsabilidade participativa
2 – Legitimidade das decisões tomadas no âmbito da escola
Princípios e características da Gestão Participativa
 Autonomia da escola e da comunidade;
 relação orgânica entre a direção e a participação dos membros da
equipe escolar;
 envolvimento da comunidade no processo escolar;
 planejamento de atividades;
 formação continuada para o desenvolvimento pessoal e profissional dos
integrantes da comunidade escolar;
 utilização de informações concretas
com ampla democratização das
informações
 relações humanas produtivas e criativas, assentadas em uma busca de
objetivos comuns.
Fonte: LIBÂNEO, 2007 p. 332
ASSEMBLEIAS ESCOLARES
A implantação das assembleias escolares é exemplo de iniciativa, quase
sempre política, é um instrumento permanente de educação política
através da participação.
As assembleias são constituídas por representantes de professores, de
pessoal técnico-administrativo, de pais, de alunos e o diretor da escola, os
quais, em geral, não receberam preparação prévia adequada.
Lacunas
Não conhecem seu papel
Não desenvolveram integralmente a competência para participar e legitimar
a vontade de seus pares
Legitimam:
a sua própria vontade
a dos diretores escolares;
das secretarias de educação.
• Raramente discordam ou questionam determinações superiores.
• Receiam desagradar diretores e professores para que seus filhos não sofram
represálias.
• Não desenvolveram integralmente a competência para participar e legitimar a
vontade de seus pares
Iniciativas voltadas para o fortalecimento da
democratização
Mudanças organizacionais
Formação de equipe escolar
AUTONOMIA
PARTICIPAÇÃO
(conselhos)
GESTÃO
DEMOCRÁTICA
VALORIZAÇÃO DOS
SUJEITOS
TRANSPAREÊNCIA
Transparência: Qualquer decisão e ação tomada ou implantada na
escola tem que ser de conhecimento de todos.
Talvez não tenhamos conseguido fazer o melhor,
mas lutamos para que o melhor fosse feito.
Não somos o que deveríamos ser,
Não somos o que iremos ser,
Mas, graças a Deus,
Não somos o que éramos.
(Martin Luther King).
FONTE
LIBÂNEO, José Carlos (org). Educação escolar: políticas, estruturas e organização. São Paulo: Cortez,
2007. 5. Ed.
LUCK, Heloísa.. [et al.]. A escola participativa: o trabalho do gestor educacional. 8ª ed. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2010
OLIVEIRA, Maria Auxiliadora Monteiro (org). Gestão Educacional: Novos Olhares, Novas Abordagens.
7. Ed. – Petrópolis, Rio Janeiro: Vozes, 2010.
PRAIS, Maria de Lourdes Melo. Administração colegiada na escola pública. 4. ed. Campinas: Papirus,
1996.
Muito obrigado!
Prof. Cristiano Oliveira
crisprosa@hotmail.com
Download

Gestão participativa