GUIA DO INTERNO – CHL
CENTRO HOSPITALAR LEIRIA
INTERNATO MEDICO
Director do Serviço: Dra. Amália Pereira
Assistente Graduada de Medicina Interna
Secretariado: Catarina Almeida
Assistente Técnica
Localização Piso Zero – Na Área da Administração
Horário de Atendimento
10h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h00 de 2ª a 6ª feira
Contactos Úteis:
Telefone: 244 817 000; Extensão: 2006 / 2013
Email: amalia.pereira@chleiria.min-saude.pt; sec.internatomedico@chleiria.min-saude.pt
Comissão de Internos: Dra Claudia Quinta; Dra Sandra Barbeiro; Dr Luis Machado; Dr Miguel Pires;
1
GUIA DO INTERNO – CHL
1-Introdução
O CHL é uma instituição com uma vertente formativa de longa data, com capacidade formativa e
idoneidade para formação de internos nas áreas da Anestesiologia, Cardiologia, Cirurgia Geral,
Gastrenterologia, Medicina Interna, Obstetricia e Ginecologia, Oftalmologia, Ortopedia, Pediatria e
Psiquiatria. Em 2012 tornou-se num hospital de afetação nas especialidades de Anestesiologia,
Imunohemoterapia, Medicina Física e Reabilitação e Otorrinolaringologia com formação nos CHUC.
O Serviço de Medicina Intensiva passou a ser uma Unidade do nível B, por um período de 5 anos, com
capacidade formativa simultânea para três internos da Formação Especifica em estágio voluntario ou
obrigatório no plano curricular da respetiva especialidade.
Tem capacidade formativa para receber internos do Ano Comum em todos os blocos formativos.
Tem capacidade formativa para formar internos da especialidade de Medicina Geral e Familiar nas áreas
de Cardiologia, Dermatologia, Neurologia, Medicina Interna, Obstetrícia e Ginecologia, Pediatria,
Psiquiatria e Medicina de Urgência (Medicina Interna e Ortotraumatologia).
Os formadores do CHL assumem o compromisso de preparar todos os internos tendo como base os
valores da instituição:
•
O respeito pela dignidade humana;
•
O respeito pelos códigos de conduta próprios de cada grupo profissional, no quadro de prestação
de cuidados em equipa;
•
A prossecução da qualidade e da eficiência no desenvolvimento da sua atividade;
•
O desenvolvimento de uma cultura de conhecimento e aperfeiçoamento técnico e profissional;
•
O bem do Doente;
Assumem também
•
Assegurar a qualidade da formação científica teórico-prática proporcionada, possibilitando ao
Interno o ter outras experiencias noutros Serviços e/ou hospitais de reconhecido mérito, de
acordo com o seu plano de formação, de forma a obter novos conhecimentos, novas praticam,
2
GUIA DO INTERNO – CHL
novas técnicas, enriquecendo o seu curriculum e preparando-os para um futuro profissional sólido
e competitivo
•
Transmitir conceitos e exemplos de humanização, respeito, ética, comunicação
•
Incentivar a investigação e a cultura científica
2- Caracterização do CHL
O CHL,EPE resultou da fusão do Hospital de Santo André – Leiria, do Hospital de Pombal pelo Decreto-lei
nº 30 /2011 de 2 de Março e do Hospital de Alcobaça pelo Decreto-lei nº 116/2013 de 9 de Agosto com o
objetivo de implementar uma organização integrada e conjunta que tornasse mais eficiente a gestão
hospitalar.
Este Centro Hospitalar serve uma população, pertencente maioritariamente a cinco dos dezasseis
concelhos de Leiria: Batalha, Leiria, Marinha Grande, Porto de Mós, Pombal, Alcobaça, Nazaré e um
concelho do distrito de Santarém – Ourém.
3
GUIA DO INTERNO – CHL
N.º Habitantes
(Censos 2011)
Concelho
N.º Habitantes
(Censos 2011)
Pombal
56.299
Alcobaça
56.376
Ansião
13.100
Batalha
15.002
Alvaiázere
7.283
Leiria
119.847
Marinha Grande
35.571
Figueiró dos Vinhos
6.148
Nazaré
15.060
Castanheira de Pêra
3.191
Ourém
46.216
Pedrógão Grande
3.916
Pombal
56.299
Total
89.937
Porto de Mós
24.271
Total
367.642
Concelho
Hospital Santo André
O HSA, localizado a norte da cidade de Leiria, ocupa um terreno com a área total de 133.000 m2, possui
uma área de implantação de 17.240 m2 e uma área construída por cama de 128m2 e caracteriza-se do
seguinte modo:
Tem um Serviço de Urgência Geral de nível médico-cirúrgica, Urgência Pediátrica e de Ginecologia /
Obstetrícia.
4
GUIA DO INTERNO – CHL
5
GUIA DO INTERNO – CHL
Hospital de Pombal
O Hospital de Pombal tem internamento nas valências de Cirurgia Geral e Medicina Interna com 23 e 33
camas respetivamente.
Na área de ambulatório tem consultas externas de Dor, Cardiologia, Cirurgia Geral, Dermatologia, Fisiatria
Gastro Ginecologia Hematologia, Medicina Interna, Neurologia Ortopedia, Pediatria, Psiquiatria Urologia,
Hospital Dia e Cirurgia de Ambulatório.
Tem um Serviço de Urgência Geral de nível básico com Imagiologia 16h.
Hospital Alcobaça
O Hospital de Alcobaça tem internamento nas valências de Cirurgia Geral, Medicina Interna e UICD com
23, 26 e 5 camas respetivamente.
Na área de ambulatório tem consultas externas de Anestesiologia, Cardiologia, Cirurgia Geral,
Dermatologia, Dor, Fisiatria, Gastrenterologia, Medicina Interna, Neurologia, Ortopedia, Pediatria e
Psiquiatria, e Cirurgia de Ambulatório.
Tem um Serviço de Urgência Geral de nível básico com Imagiologia 16h.
3- Internato Médico
O Internato Médico realiza-se após a licenciatura em Medicina, correspondendo a um processo único de
formação médica especializada, teórica e prática, tendo como objetivo habilitar o Médico ao exercício
tecnicamente diferenciado na respetiva área profissional de especialização.
O Internato Médico rege-se pelo disposto no Decreto -Lei n.º203/2004, de 18 de Agosto, na redação
introduzida pelos Decretos -Leis n.º 11/2005, de 6 de Janeiro, 60/2007, de 13 de Março, 45/2009, de 13
de Fevereiro, e 177/2009, de 4 de Agosto e pela Portaria nº 251/2011 de 24 de Julho.
6
GUIA DO INTERNO – CHL
O exercício autónomo da medicina é reconhecido a partir da conclusão, com aproveitamento, do segundo
ano de formação do internato médico.
Competências
Os órgãos do Internato Médico exercem funções de estudo e de consulta nos domínios da conceção,
organização e planeamento do Internato Médico, bem como de orientação, coordenação e avaliação do
seu desenvolvimento e funcionamento.
Nos estabelecimentos hospitalares onde se realizam internatos médicos existe uma Direção do Internato
Médico.
As funções de Direção do Internato Médico cabem a um médico de reconhecida competência e
experiência de Formação de médicos Internos, nomeado pelo Diretor Clínico e coadjuvado por um a três
assessores.
Compete às Direções do Internato Médico:
•
Programar o funcionamento e desenvolvimento do Internato Médico e dos estágios a efectuar
dentro e fora do estabelecimento, com observância dos programas aprovados e das normas
estabelecidas;
•
Orientar e acompanhar o desenvolvimento geral do Internato Médico e a avaliação dos Médicos
Internos, em estreita colaboração com os Diretores ou responsáveis dos Serviços e Orientadores
de formação;
•
Verificar e avaliar as condições de formação, comunicando à Comissão Regional qualquer
alteração que possa implicar perda de idoneidade do Serviço;
•
Organizar os elementos do processo individual dos Médicos Internos relevantes para o Internato,
através de registos autenticados pelo Director de Serviço e Orientador de Formação;
•
Promover e coordenar a realização de atividades de carácter formativo que se integrem nos
objetivos dos programas;
•
Requerer, através das respetivas Comissões Regionais, a concessão de idoneidade e de capacidade
formativa aos Serviços;
•
Orientar a distribuição dos Médicos Internos pelos diferentes Serviços de acordo com a respetiva
capacidade;
7
GUIA DO INTERNO – CHL
•
Recolher periodicamente junto dos Diretores ou responsáveis dos Serviços, dos Orientadores de
Formação e dos Médicos Internos, informações pertinentes para um melhor funcionamento do
internato;
•
Coordenar as avaliações;
•
Nomear os Orientadores de Formação;
•
Planear as atividades e estágios dos Médicos Internos
•
Pronunciar-se sobre os assuntos relativos à formação sempre que solicitados pelos órgãos de
gestão dos estabelecimentos ou pelas Comissões do Internato Médico;
•
Substituir os Orientadores de Formação ou responsáveis de estágio, em situações devidamente
fundamentadas.
Orientadores de Formação
•
Os Médicos Internos têm um Orientador de Formação no Serviço de colocação oficial, a quem
compete a orientação personalizada e permanente da formação e a sua integração nas equipas de
trabalho das atividades assistenciais, de investigação e ensino, de acordo com os programas de
formação.
•
O Orientador de Formação é um dos Médicos especialistas do Serviço habilitado com, pelo menos,
o grau de Assistente da respetiva área profissional, a nomear pela Direção do Internato, sob
proposta do Director ou responsável pelo Serviço, nos estabelecimentos hospitalares, e, nas áreas
profissionais de Medicina Geral e Familiar e de Saúde Pública, pelas ARS, sob proposta do
respetivo coordenador de zona.
•
Nos estágios que decorram em serviços diferentes do de colocação oficial, os Médicos Internos
têm, nesses Serviços, um responsável de estágio a quem compete, articulando-se com o
Orientador de Formação, exercer as funções a este cometidas durante o decurso desses estágios.
•
Os responsáveis de estágio são nomeados pela Direção ou Coordenação do Internato Médico, sob
proposta do Director ou responsável pelo Serviço.
•
Na designação dos Orientadores de Formação ou responsáveis de estágio a regra é de um Médico
Interno por Orientador, podendo ser até três médicos internos por Orientador, desde que sejam
asseguradas as condições exigidas para a qualidade de processo formativo.
8
GUIA DO INTERNO – CHL
•
Aos Orientadores de formação e responsáveis de estágio é facultado o tempo necessário para o
desempenho das funções de formação, o qual deve obedecer a uma programação regular,
compatível com as diferentes atividades médicas a que estão obrigados, e com as recomendações
da Ordem dos Médicos referidas nos programas de formação.
•
O desempenho das funções de Orientador de Formação e de responsável de estágio é objeto de
valorização curricular para promoção na respetiva carreira.
•
As funções de Orientador de Formação não podem ser exercidas por Diretores de departamento,
Diretores de Serviço ou equiparáveis, salvo situações excecionais, aprovadas pelo CNIM.
•
O desempenho de funções de Orientador de Formação implica a existência de vínculo contratual
no SNS, cuja duração terá em atenção a previsível duração do Internato Médico.
Comissão de Médicos Internos
Nos estabelecimentos hospitalares e nas zonas de coordenação do Internato Médico pode constituir-se
uma Comissão de Médicos Internos.
Cada comissão de Médicos Internos é representada, no máximo, por três Médicos.
Os representantes são eleitos, por votação em voto secreto, pelos Médicos Internos de cada
estabelecimento hospitalar ou de cada zona de coordenação, no caso das áreas profissionais de Medicina
Geral e familiar, de Saúde Pública e de Medicina Legal.
A Comissão designada comunica a sua constituição, conforme for o caso, à respetiva Direção ou
coordenação do Internato, a qual a comunica às respetivas Comissões Regionais e à Ordem dos Médicos.
Funções
Às Comissões de Internos são reconhecidas competências para:
•
Representar os Médicos Internos do respetivo estabelecimento junto dos órgãos do Internato
Médico;
•
Contribuir para a melhoria das condições de frequência e de funcionamento dos processos
formativos;
•
Promover, com o apoio da Direção do Internato Médico, a organização de cursos, debates,
sessões clínicas e jornadas;
9
GUIA DO INTERNO – CHL
•
Acompanhar o processo formativo dos colegas, promovendo reuniões periódicas entre todos os
Médicos Internos;
•
Comunicar ao CNIM e à Ordem dos Médicos quaisquer factos relevantes que ocorram no decurso
do processo formativo, dando conhecimento à Direção do Internato, às Coordenações e às
Comissões Regionais respetivas.
Organigrama funcional do Internato Médico
C. Administração
Direção Clínica
CRIM-Centro
Diretor do
Internato Médico
Internato Médico
Secretária do
Internato Médico
Diretores de
Serviço
Orientadores
de Formação
Coordenadores
de Internato
Internos do
Internato
Localização do Internato Médico
O Internato Médico localiza-se no piso -00 na área da Administração.
O horário de atendimento do secretariado - 10h-12h e das 14h as 16h.
O horário de funcionamento do secretariado – 2ª e 5ª feiras – 9h-19h; 3ª e 4ª feiras – 9h-18h; 6ª feira –
9h-16h
A extensão telefónica de contacto é : 2013
O endereço eletrónico: sec.internatomedico@chleiria.min-saude.pt
10
GUIA DO INTERNO – CHL
O gabinete do Director do Internato está inserido no corredor sul da área da Administração; o seu horário
de atendimento depende do plano de atividades na área clínica devendo ser consultado sempre o
secretariado para a marcação de entrevistas.
A extensão telefónica – 2006
O endereço eletrónico: amalia.pereira@chleiria.min-saude.pt
Legislação e programas de formação
Consultar o site da ACSS sobre o internato médico e intranet do HSA
RIM – Portaria 251/2011 de 24 de Junho
http://www.acss.min-saude.pt/Portals/0/Portaria%20n.º%20251-2011.pdf
Planos de Formação
Os Diretores de Serviço devem enviar para a DIM durante os 1º seis meses do Internato os Planos de
Formação dos respetivos internos de acordo com os Programas de Formação da Especialidade para
aprovação pelo IM e homologação pelo Conselho de Administração.
Após aprovação do Plano de Formação o secretariado do IM solicita os estágios externos e articula-se
com os diversos IM.
Ver Anexo - 4
RIM - Artigo 29.º - Sequência e articulação de estágios
1 — Compete aos órgãos do internato médico e aos responsáveis diretos pela formação, com a necessária
colaboração dos serviços, unidades e instituições de saúde, promover e zelar pela sequência e correta
articulação entre os vários estágios, particularmente dos que sejam efetuados fora do serviço ou unidade
de saúde onde o médico interno se encontra colocado.
2 — A programação da formação de cada médico interno deve expressar quais os estágios do programa
que o mesmo deve desenvolver e as instituições, serviços e unidades de saúde em que são realizados, de
acordo com a idoneidade atribuída a cada um dos serviços, unidades ou instituições.
3 — Compete aos diretores de internato médico das instituições hospitalares e aos coordenadores dos
internatos médicos de medicina geral e familiar, de saúde pública e de medicina legal aprovarem, no
início da formação, o cronograma de formação do internato médico, assim como as alterações que
venham a ser propostas sobre o mesmo, de acordo com proposta fundamentada do orientador de
formação, através do diretor de serviço no caso da área de exercício profissional hospitalar.
11
GUIA DO INTERNO – CHL
4- Receção ao Interno
No 1º dia útil de cada ano civil inicia-se um novo ano com colocação de novos Internos do Ano Comum e
da Formação Especifica.
A Direção do Internato Médico promove a receção aos novos Internos no Auditório do HSA com a
presença do Concelho de Administração, Diretor Executivo dos ACES Pinhal Litoral e Oeste, Diretor do
Internato de MGF, Diretores de Serviço, Orientadores de Formação, Comissão de Internos e restantes
Médicos que desejem estar presentes.
Na ordem de trabalhos serão abordados os seguintes pontos:
•
Mensagem de boas vindas;
•
Apresentação e confirmação da presença dos novos Internos do Ano Comum e da Formação
Específica;
•
Apresentação geral do CHL: Serviços, normas, regulamentos, direitos e deveres;
•
Abordagem básica ao Processo Clínico, normas de preenchimento, confidencialidade, proteção de
dados;
•
Apresentação das várias aplicações informáticas existentes na instituição;
•
Informações gerais fornecidas pelo SGRH;
•
Distribuição dos Internos do Ano Comum pelas várias rotações - Anexo 1;
•
Distribuição dos Internos da Formação Especifica de especialidades em que haja mais do que um
Serviço idóneo;
•
Informação sobre a programação das atividades formativas;
•
Preenchimento da ficha individual do interno - Anexo 2- Ano Comum; Anexo 3-Formação
Especifica;
•
Esclarecimento de dúvidas.
A distribuição dos Internos do Ano Comum pelas rotações e a escolha do Centro de Saúde para a
realização do bloco de MGFSP é feita em função da nota de licenciatura, sendo que em caso de igualdade
será tomado em consideração a opção na escolha de colocação no CHL.
•
Consultar o mapa das rotações (Anexo 1)
•
A documentação necessária para o início de funções dos IACs é a seguinte:
12
GUIA DO INTERNO – CHL
o
Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão;
o
Cartão de Identificação Fiscal;
o
Cartão da ADSE ou da Segurança Social (caso se aplique);
o
Cartão da Ordem dos Médicos;
o
Certificado de Habilitações;
o
1 Fotografia;
o
Número de Identificação Bancária;
o
Carta de Condução e Registo de Propriedade (até dois carros).
Informa-se que a documentação necessária para o início de funções terá que ser constituída por
documentos originais, que serão fotocopiadas pelo SGRH.
A distribuição dos Internos da Formação Especifica de Especialidades em que haja mais do que um
serviço idóneo (Medicina Interna e Cirurgia Geral) é em função da nota da Prova Nacional de Seriação e
da capacidade formativa atribuída anualmente a cada Serviço.
Os Internos devem vir munidos do necessário para o início das normais atividades clínicas.
5- Atividades de Carácter Cientifico e Formativo em 2014
A Direção do Internato Médico não tem responsabilidade direta na aquisição de conhecimentos
científicos e técnicos dos internos, pois essa compete aos Diretores de Serviço e aos Orientadores de
Formação, mas compete-lhe ser um facilitador da aprendizagem e zelar pelo seu bom andamento.
Anualmente a DIM em colaboração com o GEFOP elabora o programa científico de formação anual –
temas abrangentes e transversais a todas as especialidades que podem variar em função do interesse
formativo do Interno e da Instituição. A oportunidade da sua realização está condicionada ao interesse
demonstrado pelos Internos do Ano Comum e da Formação Especifica em melhorar os seus
conhecimentos
13
GUIA DO INTERNO – CHL
Em 2014 estão propostos os seguintes temas:
•
Processo Clinico e Programa Informático HSA;
•
Prevenção da Infeção Hospitalar;
•
Qualidade/Gestão de Risco;
•
Eletrocardiografia- como interpretar para tratar em tempo útil;
•
Suporte Básico de Vida;
•
Sepsis e Infeção Grave;
•
O jovem Médico e os desafios da gestão em saúde;
•
Pequena cirurgia e suturas;
•
Antibioterapia – onde estamos, para onde vamos;
•
Como fazer uma apresentação oral / um poster / um artigo;
•
Curso Imagiologia Convencional;
•
Fluidoterapia;
•
Transfusões;
•
Ventilação não invasiva;
•
Ética Médica;
•
Via aérea difícil;
•
Gestão de Risco Clinico;
•
Erro em Medicina;
•
Medicina baseada em evidências;
•
Ética/Investigação Clinica e Responsabilidade Profissional;
•
Curso em SPSS;
•
Choque;
Durante o 1º trimestre realizam-se dois cursos cuja frequência é obrigatória para todos os novos
Internos
•
Curso de Suporte Básico de Vida
•
Curso sobre Prevenção de Infeção Hospitalar
Anualmente será organizado um curso de Suporte Avançado de Vida para os internos da Formação
Especifica que tenham no seu programa uma vertente de urgência / emergência
14
GUIA DO INTERNO – CHL
5- Outras informações úteis
Biblioteca
O HSA dispõe de uma Biblioteca Geral localizada no piso - 00, na área da torre nascente.
Horário de atendimento das 08h30 -13h e das 14h-17h30.
Extensão telefónica -2602
Biblioteca@hsaleiria.min-saude.pt
Cabeleireiro
Localiza-se no hall de entrada do hospital e serve utentes e profissionais
Horário de atendimento – 9h30 as 18h30
Extensão telefónica – 4107
Telm - 912362254
Florista
Esta localizada no hall de entrada do hospital
GEFOP
O Gabinete de Educação e Formação Permanente do HSA localiza-se no piso superior do Hall da entrada
principal.
Horário de atendimento das 08h30 às 13h, 14h às 17h30.
Extensão telefónica – 4001
gefop@hsaleiria.min-saude.pt
Informatica
Extensões telefónicas
Vitor Marto – 5003 e 5000
Endereço eletrónico – vítor.marto@hsaleiria.min-saude.pt
Paulo Simões – 5001 e 5004
Endereço eletrónico – psimoes@ hsaleiria.min-saude.pt
Vitor Pedro – 5002
Endereço eletrónico - vítor.pedro@hsaleiria.min-saude.pt
Liga dos Amigos e Corpo de Voluntariado
A liga dos amigos está sempre disponível para acolher, encaminhar e apoiar os nossos utentes nos
diversos serviços.
Loja do voluntariado – Bazar
15
GUIA DO INTERNO – CHL
O serviço de voluntariado do HSA tem aberta ao público uma loja localizada na consulta externa, onde se
podem encontrar múltiplos objetos de decoração, de utilidade, brinquedos etc. a preços muito aceitáveis.
Serviços Bancários
O HSA, EPE também dispõe de um balcão do BES localizado no piso zero, no hall de entrada do hospital
Multibanco – existem duas máquinas, uma localizada no hall de entrada do hospital e outra localizada no
hall de entrada da consulta externa.
Serviço de Cafetaria
O HSA dispõe de um refeitório localizado no piso zero onde se servem refeições completas com o
seguinte horário:
• Almoço – 12h30 – 15h
• Jantar – 19h-21h
Dispõe também de 2 espaços de cafetaria, um localizado no piso 00 ligado à Casa do pessoal e outro
externo, junto à consulta externa abertos das 8h às 20h.
Existem máquinas automáticas de bebidas e comida em vários pisos do hospital.
Serviço de Gestão e Recursos Humanos
O Serviço de Gestão e Recursos Humanos localiza-se no piso- 00.
Horário de atendimento - 09h00 às 12h30 e 14h00 às 17h00.
Extensão telefónica do expediente: 7003
sec.geral@chleiria.min-saude.pt
Serviço de Rouparia
Localiza-se no piso 01
Telefones e endereços eletrónicos - Consultar a lista na Intranet
16
GUIA DO INTERNO – CHL
INTERNATO MEDICO – ANO COMUM 2013
Rotação
A1
A
A2
B1
B
B2
C1
C
C2
D1
D
D2
Janeiro
Fevereiro
Março
MGF/SP
Leiria –Arnaldo Sampaio-3
Marinha Grande -2
USF Contestável-Batalha -1
Porto Mós-1
Opc.
Urg.
Obst
Pediatria
Opc.
Urg.
Obst
Pediatria
Abril
Maio
Opc. Urg.
Obst.
Pediatria
Opc.
Urg.
Obst
Junho
Pediatria
MGF/SP
Leiria –Arnaldo Sampaio-3
Marinha Grande -2
USF Contestável-Batalha -1
Porto Mós-1
Medicina 1
Opção
Cirurgia 1
Medicina 2
Opção
Cirurgia 2
Cirurgia 1
Opção
Medicina 1
Cirurgia 2
Opção
Medicina 2
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Cirurgia 1
Opção
Medicina 1
Cirurgia 2
Opção
Medicina 2
Dezembro
Medicina 1
Opção
Cirurgia 1
Medicina 2
Opção
Cirurgia 2
MGF/SP
Leiria –Arnaldo Sampaio-3
Marinha Grande -2
USF Contestável-Batalha -1
Porto Mós-1
Pediatria
Opc. Urg.
Obst
Opc.
Urg.
Obst
Pediatria
Pediatria
Opc.
Urg.
Obst
Opc. Urg.
Obst
Pediatria
MGF/SP
Leiria –Arnaldo Sampaio-3
Marinha Grande -2
USF Contestável-Batalha -1
Porto Mós-1
17
GUIA DO INTERNO – CHL
Formação Especifica
É FAVOR PREENCHER OS CAMPOS EM LETRA MAIÚSCULA.
( FOTOGRAFIA )
Opcional
NOME:
MORADA
CÓDIGO POSTAL
-
LOCALIDADE
TELEFONE
TELEMÓVEL
E-mail
BILHETE DE IDENTIDADE
DATA DE NASCIMENTO
D
D
CÉDULA PROFISSIONAL
M
M
A
A
A
A
Nº MECANOGRAFICO
ESPECIALIDADE
SERVIÇO
ORIENTADOR
ANO
ESTAGIOS NO HSA
AVALIAÇÃO
ESTAGIOS FORA DO HSA
AVALIAÇÃO
1º
2º
3º
4º
5º
6º
18
GUIA DO INTERNO – CHL
ANO COMUM 2014
É FAVOR PREENCHER OS CAMPOS EM LETRA MAIÚSCULA.
NOME:
( FOTOGRAFIA )
MORADA
CÓDIGO POSTAL
-
LOCALIDADE
TELEFONE
TELEMÓVEL
e-mail
BILHETE DE IDENTIDADE
DATA DE NASCIMENTO
D
D
M
M
A
A
A
A
CÉDULA PROFISSIONAL
NÚMERO MECANOGRÁFICO
INSTITUIÇÃO DE LICENCIATURA
NOTA DE LICENCIATURA
ROTAÇÃO
PERÍODO
BLOCO FORMATIVO
SERVIÇO
AVALIAÇÃO
19
GUIA DO INTERNO – CHL
Anexo 4
PLANO DE FORMAÇÃO
Serviço:
Director Serviço:
Orientador de Formação:
Formando:
Data de Inicio da Formação Específica:
2014
2015
2016
2017
2018
2019
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro
O Director do Serviço: _____________________________________________
O Orientador de Formação:__________________________________________
O Formando: _____________________________________________________
20
GUIA DO INTERNO – CHL
Anexo 5
MAPA DE ACESSO AO HSA LEIRIA
21
GUIA DO INTERNO – CHL
22
Download

guia do interno - Centro Hospitalar de Leiria