Nº
139
06/08/2015
Filiado à FENTECT
Boletim Informativo do Sindicato dos Trabalhadores
nas Empresas de Correios e Telégrafos - Sintect/RS
E
LD
A
U
D
TA
S
E
-RS
T
O
C
R
E
T
N
NT
ENCO ES DO SI
ER
H
L
U
M
PARTICIPE!
direção de uma sociedade mais justa, sem machismo e
qualquer po de opressão é violência à mulher.
Contamos com a presença das colegas, e também dos
colegas, para fazer desse dia um dia importante para a
organização da luta da mulher trabalhadora.
Violência contra as
mulheres tem que ter m
ENCONTRO ESTADUAL DE
MULHERES DO SINTECT-RS
Dia 15/08/2015 | 14h | NO SINDICATO
(Rua Buarque de Macedo, 352 - POA)
N
o dia 15/08 as lutadoras dos Correios
têm um encontro marcado. O
SINTECT-RS faz um chamado à todas
as colegas para virem dividir experiências e
avançar na organização da mulher trabalhadora
dentro dos Correios.
Além de toda a exploração e baixos salários, convive-mos
com a dupla jornada de trabalho (trabalho/tarefas do lar)
onde, infelizmente, ainda hoje, muitos pensam que isso é
“trabalho” de mulher. Com o machismo na sociedade que nos
trata como objetos, tenta nos impor uma indústria da beleza,
além do fato principal que muitas mulheres ainda hoje são
diariamente ví mas da violência, em especial a domés ca. São
agredidas pelo simples fato de serem mulheres.
Dentro dos Correios também há machismo, assédio
moral e sexual. É verdade que nós trabalhadoras dos
Correios muito conquistamos, mas ainda há muito o que
conquistarmos! É com luta que poderemos dar passos na
Hoje no Brasil 5 mulheres são ví mas de violência a
cada 2 minutos. O parceiro (marido ou namorado) é o
responsável por mais 80% dos casos reportados. . Apesar
de se tentar passar uma idéia de que hoje a igualdade entre
homens e mulheres já foi a ngida, afinal mulheres são
pilotos de avião, gerentes, estão a frente de negócios. Por
trás dessa maquiagem de igualdade hoje no país a violência
contra a mulher escancara o machismo ainda existente na
sociedade.
É ní do que maior parte da violência contra as
mulheres se dá pelo machismo que trata as mulheres como
objetos dos maridos, que tenta-se fazer crer que tem que
aceitar tudo que é imposto pelo simples fato de ser mulher.
O Sintect RS, e a secretaria de mulheres do sindicato,
chamam as trabalhadores e os trabalhadores e se somar
nessa campanha e luta. Combater o machismo é defender a
luta de toda a classe trabalhadora.
PROGRAMAÇÃO
(Das 14h às 19h)
 DEBATES: 1) VIOLÊNCIA CONTRA A
MULHER TEM QUE TER FIM: 2) SAÚDE
DA MULHER.
 GRUPO DE DISCUSSÃO SOBRE
DIREITOS E REIVINDICAÇÕES DAS
MULHERES DOS CORREIOS.
 ENCAMINHAMENTOS E
FILIE-SE! Uma categoria só é forte com um SINDICATO FORTE!
LEI MARIA DA PENHA É
INCAPAZ DE ACABAR COM A
VIOLÊNCIA
O governo do PT com sua Lei Maria da Penha
tentou criar uma imagem de que combate o
machismo e a violência contra as mulheres com a Lei
Maria da Penha. Em tese a lei apresenta uma série de
mecanismos que tentam não expor a ví ma da
agressão, porém na prá ca acaba gerando em muitos
casos uma revolta ainda maior no denunciado e aí não
existe condições de resguardar a mulher que
denuncia, por isso muitas sequer vão a Delegacia da
Mulher.
O Estado não dá condições de segurança, moradia
e salário digno às mulheres trabalhadoras. Por isso em
muitos casos se deixa de denunciar, ou se re ra a
queixa, pois lamentavelmente muitas dependem do
agressor e o Estado não tem condições de resguardar
essa mulher.
MULHERES AINDA RECEBEM
OS MAIS BAIXOS SALÁRIOS
Algo que beira a pré história, onde o homem por
ser homem tem mais valor do que a mulher, ainda
permanece até os dias atuais. Essa relação arcaica e
ultrapassada, que subjuga a mulher, hoje se expressa
através dos empregos e salários que a maioria das
mulheres trabalhadoras estão subme das.
Dentro dos Correios é claro que todas as mulheres
ganham o mesmo que os homens, porém sabemos
que as chances nos RI's para funções de motorizado
por exemplo é encarado com preconceito. E fora dos
Correios essa diferença salarial fica mais evidente.
Não é a toa que a maioria sejam mulheres trabalhando na limpeza. Por serem terceirizados e receberem
baixíssimos salários. E é assim em todo lugar, quanto
mais alto o salário menos se vêem mulheres.
UMA PRESIDENTE MULHER
QUE GOVERNA CONTRA AS
MULHERES.
FORA DILMA, FORA TODOS!
Assim como Lula era o metalúrgico, operário que
chegou a governo tentaram criar um mito em torno de
Dilma a primeira presidenta do país. Porém isso não
durou muito. A resposta dada contra as medidas de
Dilma, o descontentamento com o seu governo
também parte de muitas mulheres trabalhadoras.
A polí ca de arrocho salarial, que é imposta a nós
trabalhadoras dos Correios demonstra como esse
governo não é nosso e deve ser derrubado. Os baixos
salários a ngem de forma mais brutal ainda às
mulheres, que em muitos casos pagam sozinhas as
creches de seus filhos, ou que acabam sendo
responsáveis por famílias inteiras. Dentro dos Correios até mesmo o auxílio creche das trabalhadoras
está sendo re rado. Por isso as mulheres dos Correios
já lutam contra os ataques de Dilma. Não temos nada
a ganhar com esse governo, pelo contrário só
perdemos. Por isso é Fora Dilma, Fora todos!
MULHERES QUE LUTAM
CONQUISTAM UM FUTURO
MELHOR
À todas as lutadoras dos Correios chamamos a
fortalecer a organização de mulheres dentro do nosso
sindicato. Queremos com esse encontro lembrar o 8
de Março no seu mo vo e não somente receber rosas.
Esse dia é considerado de luta pois foi quando
morreram queimadas operárias na inglaterra que
estavam em greve. Foi um ataque patronal para
reprimir a greve.
Lutemos em nome das que morreram para que
hoje tenhamos direitos básicos! Lutemos por um
futuro livre de machismo e violência contra as
mulheres.
AS MULHERES DOS CORREIOS
PRECISAM SE ORGANIZAR PARA
AVANÇAR NAS CONQUISTAS
Queremos debater estes e demais temas com
as colegas, no sen do de avançar na organização das
mulheres dentro da categoria. São várias as situações
que somente nós mulheres sabemos a batalha que é
permanecer nos Correios.
Hoje as trabalhadoras possuem alguns
direitos, como as carteiras, que passam a receber os
30% na licença maternidade, o direito a seis meses de
licença maternidade, horário reduzido no período da
amamentação. Direitos conquistados com muita luta.
Mas ainda precisamos avançar muito mais.
Por isso, venha par cipe e vamos nos
organizar em defesa dos direitos e para avançar nas
conquistas.
MENSAGEIRO EXPRESSO
Publicação do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos do RS - SINTECT/RS
Rua Buarque de Macedo, 352, bairro São Geraldo - Porto Alegre - RS - Cep: 90230-250 - Fones (51) 3346.2133 - Fax: 51 3346.5529
E-mail: sintect@portoweb.com.br - site: www.sintectrs.org.br
Download

Edição 137 - SINTECT/RS